Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Marca Bahia Notícias Saúde
Você está em:
/
/
Artigos

Colunistas

Podcast Bengalas: A importância da fisioterapia no cuidado com idosos

Podcast Bengalas: A importância da fisioterapia no cuidado com idosos
Foto: Divulgação
O episódio desta semana do Podcast Bengalas vai debater uma questão essencial no cuidado com idosos: o acompanhamento de fisioterapeutas. Nesta terça-feira (21), na conversa liderada pela consultora em planejamento e desenvolvimento humano Marta Castro, o fisioterapeuta Alan Santos é o convidado, enquanto a jornalista Marília Simões representa o Grupo de Apoio Bengalas - Comunidade de Apoio a Filhos de Pais Idosos. 

Artigos

Entenda como uma roupa desenvolvida para os astronautas russos pode tratar pessoas com distúrbios neuromotores
Foto: Divulgação

No filme “Extraordinário”, o personagem principal Auggie se imagina usando um traje de astronauta na escola e sendo aclamado pelos alunos. Fora das telas, crianças e adolescentes com distúrbios neuromotores podem viver esse sonho usando uma roupa especial, desenvolvida para os astronautas russos utilizarem no espaço. Essa vestimenta terapêutica, chamada de Suit, é usada no método Therasuit, que consiste em um programa reconhecido mundialmente como um dos mais eficientes nos tratamentos de reabilitação para crianças com paralisia cerebral. A Clínica Espaço Kids é pioneira na Bahia, desde 2011, aplicando esse método fisioterapêutico.
 
O traje especial foi criado para dar resistência e estabilidade aos músculos na ausência da força da gravidade, e posteriormente foi adaptado para ajudar no desenvolvimento de crianças com deficiência neuromotora. Por isso, os pequenos aqui são chamados de astronautas e daí vem o nome ‘Espaço Kids’.

 

O método Therasuit é indicado para crianças e adolescentes com disfunções neurológicas, tais como: paralisia cerebral, síndrome de Down, autismo e atraso no desenvolvimento motor. É uma modalidade de treinamento neurointensivo em que a criança utiliza uma órtese dinâmica (veste terapêutica) associada ao uso da unidade de Exercício Universal (gaiola). O tratamento pode durar cerca de 3 a 8 semanas, com duração diária de 3 horas, 5 dias por semana, variando de acordo com as características e necessidades de cada criança.

 
A Clínica Espaço Kids dispõe de uma estrutura inovadora e completa, com salas de estímulos sensoriais, brinquedoteca, ambientes lúdicos onde as crianças podem desenvolver diversas habilidades, como a sala que simula uma ida ao supermercado, a casinha, espaços de convivência como a copa e até mesmo ambientes exclusivos para os familiares utilizarem enquanto as crianças realizam os tratamentos, com escritório para trabalho, sala de descanso e espaço para a realização de atividade física com esteira ergométrica.  

 

O programa de reabilitação multidisciplinar da Clínica Espaço Kids é focado em abranger os componentes da saúde, envolvendo os aspectos da estrutura e função do corpo, sua habilidade e potencialidade para a execução de atividades, bem como o seu nível de participação na comunidade e o impacto dos fatores contextuais (pessoais e ambientais) na qualidade desses domínios. 

 

*Jamaica Araújo é fisioterapeuta e idealizadora da Clínica Espaço Kids.

 

*Os artigos reproduzidos neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do Bahia Notícias

Projeto Verão: nutricionista dá 5 dicas para quem deseja emagrecer de forma consciente e saudável
Foto: Divulgação

O verão é a época preferida pelas pessoas para recuperar o condicionamento físico e perder alguns quilos que ganhou durante o ano. Até porque, muitos já sabem que nesta estação vão comer e beber bastante nos momentos de praia com amigos e familiares e nas festas de Natal e Ano Novo. Com isso, melhorar os hábitos alimentares é uma boa estratégia para curtir da melhor forma esse período. Para tanto, é preciso buscar uma alimentação saudável que ajuda a emagrecer sem dietas restritivas e desequilíbrios hormonais, além de ter um acompanhamento profissional para não gerar impactos negativos na saúde a longo prazo. Aqui estão 5 dicas que fogem do óbvio - como se hidratar bastante e se alimentar de maneira mais saudável:

 

Chás que auxiliam na redução do inchaço e aceleram o metabolismo

A primeira dica para emagrecer rápido e de forma segura é o consumo de determinados chás. Existem muitos chás que aceleram o metabolismo, além de ativar as funções do intestino e aumentar a saciedade. Um deles é o chá verde que tem diversos benefícios, como controlar a glicemia e diminuir a vontade de ingerir alimentos com carboidratos. Outra bebida potente é o chá de gengibre que possui ação anti-inflamatória, diurética e termogênica, favorecendo na redução do peso. Porém, o ideal é consultar um nutricionista ou médico especialista para evitar super doses ou o uso inadequado para sua condição física.

 

Jantar até às 19:30h

Jantar cedo porque o horário da última refeição do dia influencia na balança. Então, realizar o jantar até às 19:30h pode contribuir para a perda de peso. À noite temos uma produção maior da Melatonina e uma menor produção de cortisol, o que altera o nosso metabolismo e a nossa digestão. Alguns estudos já comprovam que não é só a quantidade de calorias diárias mas sim a disposição e horário dessas calorias durante o dia.

 

Café com óleo de coco é um aliado para turbinar os treinos

A mistura de café com óleo de coco melhora o desempenho no exercício físico. Uma opção estimulante para obter energia durante o treino é o café preto com uma colher de sopa de óleo de coco. O café contém cafeína, que é um excelente estimulante, e o óleo de coco possui triglicerídeos de cadeia média, uma fonte de gordura saudável que fornece energia rápida sem adicionar carboidratos à alimentação.

 

Higiene do sono

Garantir uma noite de sono ininterrupto, com pelo menos 6 horas de duração e de qualidade promove o emagrecimento, uma vez que aumentamos a produção do hormônio GH e reduzimos a produção de cortisol. A higiene do sono envolve cuidados específicos que podem influenciar positivamente na qualidade do sono. Para melhorar a qualidade do sono, é recomendado evitar o uso de telas e celulares após as 21h00, diminuir o consumo de cafeína a partir das 15h00 e manter o ambiente escuro para ativar a produção de melatonina, conhecido como o hormônio do sono.

 

Jejum intermitente

Uma das estratégias nutricionais é o jejum intermitente. O jejum intermitente pode ser um aliado eficaz no processo de emagrecimento, desde que seja adotado em conjunto com uma alimentação equilibrada. Quando nos alimentamos adequadamente durante as janelas de jejum, nos momentos em que é permitido comer, e iniciamos o jejum de 16h seguidas, por exemplo, nosso corpo passa a utilizar as reservas de gordura como fonte de energia. Dessa forma, o jejum intermitente pode ser uma estratégia eficiente para a perda de peso.

 

*Carolina Dias é nutricionista, fisioterapeuta e fundadora do programa Mereço+.

 

*Os artigos reproduzidos neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do Bahia Notícias

Miopia tem tratamento com lentes de contato noturnas

Por Fernanda Fernandes

Miopia tem tratamento com lentes de contato noturnas
Foto: Divulgação

A miopia é um distúrbio visual que afeta milhares de pessoas no mundo, principalmente os jovens adultos. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), metade da população mundial será míope em 2050, e que entre 2020 e 2040 o número global de altos míopes aumente 74%, passando de 399 milhões para 695 milhões. Neste mesmo período, o número de brasileiros com alta miopia deve aumentar 84,8%, passando de 6,6 milhões para 12,2 milhões. 

 

Entre os motivos para a maior prevalência da miopia nas próximas décadas, está o aumento do uso de dispositivos eletrônicos, como smartphones, tablets e computadores. Tal fato acontece porque as pessoas estão passando mais tempo em ambientes fechados e se engajando em atividades de curta distância, podendo contribuir para o desenvolvimento e a progressão da miopia, especialmente em crianças e adolescentes em idade escolar.

 

Com o surgimento de novas tecnologias, no entanto, as pessoas com miopia têm alternativas inovadoras de tratamentos, como as lentes de contato noturnas. Diferente dos tratamentos convencionais, com óculos e lentes comuns, as lentes de contato noturnas são capazes de corrigir a miopia. Nesse tratamento, chamado de ortoceratologia (ou ortho-k), um tipo específico de lente de contato é utilizado durante o sono para remodelar a superfície ocular, desacelerando a progressão da miopia.

 

A idade mínima para iniciar o tratamento é por volta dos 8 anos, e, com isso, não é preciso usar nenhum outro tipo de correção durante o dia. Já que as lentes são personalizadas para que se encaixem perfeitamente nos olhos. Então, a pessoa pode dormir tranquilamente sem ter qualquer desconforto. Ao acordar, ela pode retirar as lentes e enxergar bem sem precisar de óculos. Aqui no Brasil, as lentes corrigem até cerca de 9 graus de miopia e até 2,50 de astigmatismo.

 

Essas lentes são ideais para quem é míope e não consegue se adaptar ou tolerar o uso de lentes de contato convencionais durante o dia ou quem não quer ou pode se submeter à cirurgia refrativa, assim como pessoas que praticam esportes, principalmente os aquáticos. Portanto, é uma alternativa viável e eficaz para corrigir a miopia sem a necessidade de procedimentos cirúrgicos, oferecendo um tratamento menos invasivo e mais confortável para muitos pacientes.

 

*Fernanda Fernandes é graduada em medicina pela Universidade Federal da Bahia, com Residência em Oftalmologia no Hospital das Clínicas (BA), onde fez Fellowship em Córnea e Doenças externas. Atua na oftalmologia geral com foco no tratamento de miopia, lentes de contato, córnea e doenças externas.

 

*Os artigos reproduzidos neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do Bahia Notícias

Novembro Azul também conscientiza sobre a retinopatia diabética, uma das principais causas de cegueira no mundo
Foto: Divulgação

Nem todo mundo sabe, mas o Novembro Azul vai além da conscientização do câncer de próstata. A cor também é utilizada no mês para chamar a atenção sobre o diabetes, enfermidade que acomete cerca de 17 milhões de brasileiros. A estimativa da incidência dessa doença para 2030 chega a 21,5 milhões de casos, segundo dados do Atlas da Federação Internacional de Diabetes. E nesse sentido vale o alerta! Uma das consequências da falta de controle de açúcar no sangue pode ser a retinopatia diabética – doença oftalmológica caracterizada por lesões na retina que podem levar à baixa visão ou à cegueira.

 

Tanto os pacientes com diabetes tipo 1, quanto aqueles com diabetes tipo 2, podem desenvolver a Retinopatia Diabética (RD). O tempo de doença é o principal fator de risco, sendo que 20 anos após o diagnóstico do diabetes, praticamente 100% das pessoas com diabetes tipo 1 e 50 a 80% daquelas com diabetes tipo 2 poderão apresentar a RD. A população masculina geralmente costuma não se cuidar com a mesma frequência que as mulheres; assim chamamos ainda mais a atenção deste grupo. A conscientização das pessoas em relação à prevenção e ao diagnóstico precoce é fundamental, uma vez que apenas com essas medidas é que conseguiremos tratar de uma maneira adequada e, assim, diminuir a cegueira pelo diabetes.

 

A retinopatia diabética é uma complicação bastante severa do diabetes, consequência do nível alto de açúcar no sangue, que provoca lesões nas paredes dos vasos que nutrem a retina. O aumento da permeabilidade vascular pode gerar acúmulo de líquido na retina (o edema), levando a um comprometimento da visão. Com o tempo, a doença se agrava e os vasos podem se proliferar e se romper, provocando hemorragias que podem estar associadas ou não ao descolamento da retina tradicional. O diabetes também pode causar o surgimento de vasos sanguíneos anormais na íris, ocasionando o temido glaucoma neovascular.

 

Nas fases iniciais da retinopatia diabética, não se percebe perda de visão, e isso é um problema, pois as pessoas procuram atendimento médico apenas em casos de retinopatia avançada, quando a situação muitas vezes já é irreversível. Uma vez instaladas, as alterações retinianas não se modificam significativamente com a normalização da glicemia, necessitando de tratamento oftalmológico específico, como a fotocoagulação a laser, as injeções intravítreas ou o tratamento cirúrgico.

 

Vale reforçar que o controle rigoroso do diabetes retarda o aparecimento da retinopatia e reduz a progressão da doença e suas complicações como as neuropatias e alterações cardiovasculares. A melhor maneira de prevenir a retinopatia é o controle adequado da glicemia. Dessa maneira, controla-se o diabetes e a chance de apresentar complicações como a retinopatia é menor.

 

As alterações da visão também podem ocorrer em indivíduos jovens, nessa faixa etária a incidência de diabetes do tipo 1 é mais frequente. Assim, a retinopatia pode aparecer mais precocemente e causar perda de visão. No entanto, estudos mais recentes apontam um aumento significativo de alterações na visão causadas por retinopatia diabética em jovens com diabetes tipo 2, causado por fatores genéticos juntamente com maus hábitos de vida, como consumo exagerado de açúcar, gordura, sedentarismo, sobrepeso ou obesidade, que provocam defeitos na produção e na ação da insulina no corpo.

 

Quando o assunto é diagnóstico, a doença pode ser detectada na avaliação oftalmológica básica. Exames como o mapeamento de retina e de fundo de olho devem ser realizados para detectar o seu surgimento.

 

Os exames oftalmológicos devem ser realizados anualmente em pessoas com ou sem diabetes. Já os pacientes que apresentam algum grau de retinopatia devem ser examinados com mais frequência e realizar tratamento específico. Em casos mais avançados, recomenda-se ainda mais atenção na tentativa de prevenir dano visual definitivo.

 

Quando o assunto é tratamento, em casos moderados, a terapia antiangiogênica, com ou sem laser, é a principal forma de tratar a doença. A fotocoagulação vem como uma coadjuvante. Nos avançados, a cirurgia vítreo-retiniana (vitrectomia via pars plana) deve ser realizada para a retirada do sangramento e/ou colocação da retina na posição correta.

 

Existe muita pesquisa na área do diabetes, pois o número de pessoas com a doença aumenta a cada ano. Com o auxílio da tecnologia, existem medicamentos diversos, eficazes e disponíveis no mercado. Mas, vale sempre destacar que o controle do diabetes é fundamental para impedir o aparecimento e a progressão da retinopatia.

 

*Frederico Faiçal é Médico oftalmologista da Oftalmoclin - clínica que integra o Grupo Opty na Bahia, Especialista em Catarata, Retina e Vítreo, Graduação em Medicina pela UFBA (2004), Título de especialista em Oftalmologia pela AMB E CBO (2008) e Fellow em Cirurgia de Retina e Vítreo no Hospital das Clínicas da UFMG (2008).

 

*Os artigos reproduzidos neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do Bahia Notícias

Menopausa: confira as dicas para viver saudável nesse período

Por Ticiana Cabral

Menopausa: confira as dicas para viver saudável nesse período
Foto: Divulgação

Quem pensa que a menopausa é o fim da vida sexual e da vitalidade, se engana. Muitas mulheres podem encontrar maneiras de gerenciar os sintomas e continuar a ter um estilo saudável após esse processo natural que acontece com o sexo feminino. A menopausa é um marco na vida das mulheres, um processo natural que marca o fim da fertilidade. Ela ocorre devido a mudanças nos níveis hormonais, principalmente a diminuição dos níveis de estrogênio e progesterona.

 

Segundo o Estudo Brasileiro de Menopausa, realizado em 2022 com mais de 1500 brasileiras de todo o país, a idade média para entrar em menopausa é aos 48 anos. No entanto, estima-se que ela aconteça entre 45 e 55 anos de idade. Antes disso, por volta dos 40 anos, é denominada de menopausa precoce.

 

Com a baixa hormonal, aumentam os riscos de doenças cardiovasculares e ósseas e surgem sintomas que variam de mulher para mulher: ondas de calor, insônia, palpitações, alterações na mucosa vaginal e nas mamas, perda de colágeno, incontinência urinária, síndrome da bexiga caída, irritabilidade e alterações de humor, ansiedade e depressão. Mas existem algumas medidas que podem ser adotadas de forma estratégica e integrada para promover uma menopausa saudável:

 

1. Dieta equilibrada

Com a menopausa, o cuidado precisa ser ainda maior com a alimentação saudável, pois a queda hormonal deixa a mulher mais exposta a problemas como colesterol alto, diabetes e doenças cardiovasculares, que também podem ser evitados com uma dieta equilibrada e menor ingestão de alimentos gordurosos e açúcares. Nesse sentido, consumir alimentos ricos em cálcio, como laticínios, fortalece os ossos, e investir em uma dieta rica em frutas, legumes, grãos integrais e proteínas magras pode ajudar a manter um peso saudável e preservar a massa muscular.

 

2. Atividade física

É muito importante proteger a saúde do coração com a prática regular de atividade física, principalmente na menopausa. Os exercícios também ajudam a fortalecer os músculos e prevenir a osteoporose, além de ajudar a equilibrar o metabolismo e melhorar os sintomas relacionados às alterações de humor, estresse, insônia e ansiedade. O exercício pode ajudar a reduzir sintomas da menopausa, como ondas de calor, suores noturnos e alterações de humor, além de ajudar no controle do peso. Embora não elimine esses sintomas, a atividade física pode atenuá-los e melhorar a qualidade de vida de uma forma ampla.

 

3. Durma bem

A qualidade do sono durante a menopausa é frequentemente afetada, o que pode agravar outros sintomas e impactar negativamente a saúde geral. A insônia e os distúrbios do sono são comuns nessa fase da vida devido às alterações hormonais, e a falta de sono adequado pode exacerbar os sintomas da menopausa, bem como aumentar o risco de problemas de saúde a longo prazo, como doenças cardiovasculares, obesidade e diabetes. Dormir bem é fundamental para o equilíbrio hormonal, para a regeneração celular, para a saúde mental e para o bem-estar geral. Mulheres na menopausa devem priorizar a criação de um ambiente propício para o sono, adotando práticas de higiene do sono, como manter um horário regular para dormir e acordar, criar um ambiente de sono confortável e tranquilo, limitar o consumo de cafeína e álcool, e praticar técnicas de relaxamento.

 

4. Gerenciar o estresse

Além disso, gerenciar o estresse é fundamental para a saúde e o bem-estar durante a menopausa, bem como em qualquer outra fase da vida. O estresse crônico pode agravar os sintomas da menopausa, criando um ciclo vicioso, e contribuir para problemas de saúde em geral que, sem o devido acompanhamento, pode desencadear ansiedade e depressão. Apostar em técnicas de relaxamento, como meditação ou ioga, e contar com ajuda profissional podem ser indicados para algumas pacientes.

 

5. Terapia de reposição hormonal (TRH):

A terapia hormonal equilibra novamente os níveis hormonais, devolvendo ao corpo substâncias que já não estão sendo produzidas naturalmente e agindo diretamente na causa da maior parte dos problemas. Um dos diferenciais da terapia está na habilidade em suprir da melhor forma possível as necessidades do organismo, buscando prevenir doenças, reduzir os riscos e promover mais qualidade de vida para a paciente por meio de soluções personalizadas. É uma alternativa para garantir mais qualidade de vida na menopausa e ainda melhorar a saúde íntima. No entanto, ela tem riscos e benefícios, por isso deve ser discutida com um profissional de saúde de forma individualizada.

 

*Ticiana Cabral é ginecologista.

 

*Os artigos reproduzidos neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do Bahia Notícias

Cães e gatos machos também podem ter câncer de próstata

Por Simone Freitas

Cães e gatos machos também podem ter câncer de próstata
Foto: Divulgação

Os animais de estimação também podem desenvolver câncer de próstata. Para conscientizar a população a respeito da doença e a importância dos cuidados preventivos, existem campanhas como a Novembro Azul Pet. A doença, apesar de ocorrer de forma espontânea, pode ser prevenida.

 

Assim como os homens, cães e gatos machos também possuem a glândula sexual prostática, responsável pela produção de um líquido que serve para proteger os espermatozoides. Quando há a formação de um tumor maligno nessa região, ocorre uma multiplicação desordenada de células, provocando aumento da glândula e o comprometimento da saúde do animal.

 

A doença costuma acometer mais os cães, sobretudo a partir dos seis anos de idade, porém os gatos também podem desenvolver o problema. Vale ressaltar que a não castração potencializa o surgimento da neoplasia e, por isso, é fundamental que os tutores tenham em mente a importância desse procedimento na vida dos animais de estimação.

 

Neste sentido, cabe elencar os principais benefícios da castração. Além de reduzir as chances de desenvolver câncer de próstata e hiperplasia prostática, os pets machos sentem menos necessidade de marcar o seu território com urina; contribui para redução da superpopulação; entre outros.

 

Sintomas e tratamentos

O câncer de próstata é silencioso, porém, quando o quadro se agrava, os sintomas principais são dificuldade para urinar, dificuldade de locomoção nos membros pélvicos, retenção ou incontinência urinária, dores abdominais ou lombares e perda de peso.

 

Para prevenir a doença, a melhor forma de proteger os pets é através do check-up médico, pelo menos uma vez ao ano, e isso inclui o exame físico com ultrassom. Mas, quando a doença é inevitável e diagnosticada de forma precoce, vale lembrar que existe tratamento!

 

*Simone Freitas é Médica Veterinária, pós-graduada em Cirurgia de Pequenos Animais de Tecidos Moles e doutora em Imunologia pela UFBA. Coordenadora do Hospital Veterinário da Unifacs. Conteudista e uma das idealizadoras do aplicativo VetGuide.

 

*Os artigos reproduzidos neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do Bahia Notícias

Entenda a importância de se consultar com um ginecologista

Por Alexandre Amaral

Entenda a importância de se consultar com um ginecologista
Foto: Divulgação

No Brasil, segundo a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), cerca de 4 milhões de mulheres jamais realizaram uma consulta com especialistas da ginecologia.

 

Ir ao ginecologista, sem dúvidas, representa muitos ganhos para a saúde feminina, como a prevenção de doenças e a detecção de enfermidades assintomáticas em sua fase inicial. Apesar disso, no Brasil, cerca de 4 milhões de mulheres jamais realizaram uma consulta com esse profissional. Em 2019, segundo a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), mais de 5,6 milhões de brasileiras em todo país estavam há quatro anos ou mais sem se consultar com especialistas da ginecologia.

 

Diante dos dados alarmantes, é essencial as consultas ginecológicas regulares. Já que os encontros são essenciais para que as pacientes tirem dúvidas sobre os cuidados específicos da higiene íntima, alterações no ciclo menstrual, prevenção de doenças sexualmente transmissíveis (DST), controle dos níveis hormonais e apresentem suas queixas.

 

Além disso, com as consultas em dia, doenças como o câncer de colo de útero, câncer de mama, problemas sexuais, corrimentos vaginais alterados, entre outros problemas, podem ser prevenidos. Nas consultas, avaliações são feitas e exames, como o teste Papanicolau - método de extrema importância para o diagnóstico precoce do câncer de colo de útero assim como outras condições, são realizados.

 

Vale ressaltar que as mulheres devem estar atentas a sintomas que possam sinalizar problemas ginecológicos, como cólicas excessivas, aumento do fluxo menstrual ou ausência da menstruação. Essas irregularidades podem ser sintomas de várias condições, incluindo a síndrome dos ovários policísticos, miomas e a endometriose. Por isso, ao perceber algum desses problemas, é importante que a mulher busque um ginecologista para a avaliação do quadro e diagnóstico.

 

Além do mais, existem doenças ginecológicas graves que são assintomáticas, como a própria endometriose em alguns casos. Portanto, sem visitas ao ginecologista, muitas mulheres não conseguem receber o diagnóstico adequado e, consequentemente, iniciar o tratamento precoce.

 

Nos casos assintomáticos, o diagnóstico só acontece quando exames preventivos são realizados. Contudo, se a mulher não tiver o costume de se consultar regularmente com ginecologista, a endometriose e outras enfermidades assintomáticas só serão diagnosticadas em estágios avançados, o que prejudica o tratamento e, em alguns casos, até a fertilidade.

 

*Alexandre Amaral é médico ginecologista especialista em endometriose e cirurgia minimamente invasiva.

 

*Os artigos reproduzidos neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do Bahia Notícias

Vai se exercitar na praia? Fique de olho nos cuidados para evitar lesões na coluna
Foto: Divulgação

Com a temperatura subindo, trocar a prática de atividades físicas em ambientes fechados por locais ao ar livre, é considerada a melhor opção por muitos, principalmente se existe a possibilidade de praticá-las na praia. Caminhada, corrida na areia, beach tennis, futebol, futevôlei e vôlei de praia são alguns dos esportes que conquistam adeptos nessa época do ano. Entretanto, além da proteção necessária para o sol, se exercitar em terreno de areia exige alguns cuidados. 

 

Uma lesão comum entre os praticantes de beach tennis é a lombalgia, que pode ser causada por um “mau jeito” nos movimentos de saque e de agachamento, sendo intensificada pela instabilidade gerada pela areia. Para evitar lesões desse tipo, é fundamental realizar atividades físicas acompanhadas de profissionais da área e, no caso do beach tennis, aprender a realizar os movimentos do jogo corretamente sem sobrecarregar o corpo.

 

Outro esporte bastante popular nas praias é o futevôlei, que ao contrário do futebol não há contato físico intenso entre os jogadores. Um dos movimentos mais desafiadores ao corpo acontece ao bater a bola no peito ou nos pés gerando movimentos repetitivos de torção e hiperextensão da coluna lombar. Ao longo do tempo ou se já houver uma lesão prévia pode causar dor e inflamação.

 

Independente da modalidade escolhida, alguns cuidados são indispensáveis para aproveitar o verão sem comprometer a saúde da coluna:

 

Musculatura preparada

Para evitar lesões, uma dica importante é fortalecer os músculos do sistema motor que serão trabalhados no terreno arenoso antes de começar a praticar esportes na praia. 

 

Prefira a areia dura

O treino na areia fofa é mais propício para torções e quedas. Em contrapartida, mesmo que você treine em areia dura é preciso ficar atento, pois o terreno duro acaba sendo mais inclinado, o que pode prejudicar a coluna.

 

Calçado adequado

Embora o ideal seja treinar descalço na areia, se isso não for possível, use sapatilhas ou tênis leves.

 

Para uma prática de esporte sem o risco de lesões, fique sempre atento aos cuidados e na presença de sintomas ou maiores complicações, procure um médico especialista em coluna. 

 

*Djalma Amorim Jr. é ortopedista especialista em coluna. Ele atende na Clínica CICV, Centro Médico Hospital Aliança, Itaigara Memorial, Clínica Ortoped e Hospital Português.

 

*Os artigos reproduzidos neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do Bahia Notícias

Novembro Azul: A saúde mental como aliada para o autocuidado masculino

Por Lúcio Botelho

Novembro Azul: A saúde mental como aliada para o autocuidado masculino
Foto: Divulgação

De acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), todos os anos o câncer de próstata leva a óbito cerca de 15 mil homens cisgêneros, mulheres transexuais, travestis e pessoas não-binárias no Brasil. Por isso, a campanha Novembro Azul é fundamental para reforçar a importância da prevenção e do diagnóstico precoce da doença, que é a segunda neoplasia maligna que mais afeta pessoas com próstata, atrás apenas do câncer de pulmão.
 
Entre os sintomas, estão dores ósseas, fraturas, dificuldade para caminhar, dificuldade para urinar e sangramento urinário. O diagnóstico precoce pode contribuir para aumentar as chances de cura e diminuir o risco de sequelas graves da doença, mas esbarra no comportamento cultural predominante entre a população masculina, geralmente pouco atenta ao cuidado com a saúde física e mental. 

 

O homem, infelizmente, ainda tem a questão do machismo muito presente, o que dificulta a importância do seu despertar para o autocuidado e a necessidade de prevenção. É cultural o universo masculino se cuidar menos do que as mulheres, afinal, para alguns, as questões físicas e emocionais, quando colocadas em evidência, são sinais de fraqueza masculina. Além disso, o acompanhamento psicológico também desempenha um papel fundamental entre os homens que já receberam o diagnóstico da doença. Ainda hoje, é muito comum que os pacientes queiram desistir do tratamento ou não acreditem na possibilidade de cura. 

 

Por isso, a intervenção psicoeducativa consegue ampliar o olhar de muitos pacientes, que acabam optando por aderir ao tratamento. Percebo que muitos homens têm medo de expor suas fragilidades, inseguranças e incertezas diante de um diagnóstico desses, principalmente no primeiro atendimento. No entanto, o acolhimento psicológico faz com que ele consiga se expressar, chorar, compartilhar seus receios e pedir ajuda. O tratamento pode gerar muitos comprometimentos físicos e emocionais, diante de possíveis sequelas que podem ocorrer, e por isso o acompanhamento é feito durante todo o processo, desde o recebimento do diagnóstico até o pós-operatório.

 

*Lúcio Botelho é psiquiatra e membro da Sociedade Internacional de Neuroestimulação, com larga experiência em transtornos mentais resistentes.

 

*Os artigos reproduzidos neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do Bahia Notícias

Sem dor: conheça os tratamentos inovadores e minimamente invasivos de varizes e microvasos
Foto: Divulgação

Causadas pela dilatação das veias, as varizes são condições crônicas que afetam cerca de 38% da população brasileira, segundo a Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular. Além de serem esteticamente desagradáveis, varizes e microvasos são sinais de que existe algum grau de insuficiência circulatória e podem causar sintomas como dores e inchaços, principalmente na região das pernas. Entretanto, diante de tecnologias inovadoras e terapias minimamente invasivas, esse problema pode ser tratado de forma mais rápida e segura em consultório, sem dores ou desconfortos para os pacientes.


Uma das práticas da medicina contemporânea que permite segurança, sensação de bem-estar e um tratamento de varizes indolor, é o uso de óxido nitroso no momento da sessão. Já que o gás tem uma ação analgésica que promove uma sensação de relaxamento e bem-estar, sem perda da consciência, e permite que o paciente tenha uma experiência muito mais confortável durante o seu tratamento de varizes no consultório.  


O óxido nitroso é um gás administrado por via inalatória, que proporciona relaxamento ao paciente, diminuindo aquela ansiedade que é bem comum quando vamos iniciar um tratamento médico e que pode, inclusive, aumentar a sensibilidade do corpo e potencializar dores. Com o gás administrado, o paciente muitas vezes dorme durante a sessão e, com isso, torna-se possível fazer tratamentos maiores e mais estendidos, muitas vezes substituindo a necessidade de cirurgias no centro cirúrgico. 


Além disso, o ácido nitroso rapidamente é metabolizado pelo organismo, permitindo que o paciente volte à sua condição normal no fim do tratamento e execute suas atividades rotineiras sem nenhuma dificuldade. É uma prática que convida todos aqueles que querem tratar as varizes e microvasos, mas têm medo da dor ou fobia de agulhas ao iniciarem a terapia. O óxido nitroso pode ser usado em conjunto com todos os tipos de tratamentos para as varizes, como o laser transdérmico e endolaser.


Uma outra novidade é o uso do laser endovenoso para o tratamento de veias safena doente e varizes calibrosas, de forma ambulatorial, ou seja, fora do hospital. Para os casos mais avançados de varizes, com comprometimento da veia safena, o tratamento padrão ouro é a termoablação com endolaser, a qual, através de um furinho na pele, passamos uma fibra de laser, guiada por ultrassom, e então queimamos a parede desse vaso doente. Vale ressaltar que essa já é a realidade da Europa e Estados Unidos há mais de 10 anos por ser uma técnica moderna e minimamente invasiva, que permite que o paciente não precise ficar internado e volte às suas atividades habituais de maneira mais rápida e confortável. 


*Maria Clara Sanjuan é médica angiologista, cirurgiã vascular e sócia da Clínica Sanjuan

 

*Os artigos reproduzidos neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do Bahia Notícias

Entrevistas

Médico baiano é integrante da pesquisa que usa técnica de edição de genes no combate a anemia falciforme

Médico baiano é integrante da pesquisa que usa técnica de edição de genes no combate a anemia falciforme
Foto: Glenn Ramit / Innovative Genomics Institute
O baiano Bruno Solano, médico pesquisador da Fiocruz e especialista em terapia celular, é um dos integrantes de um estudo que busca  alternativas mais eficientes para reduzir custos de um tratamento para pacientes que sofrem com doenças de falciformes no mundo. Trata-se da técnica de edição de genes CRISPR para atacar doenças como a anemia falciforme, condição genética e hereditária que traz complicações graves, com prevalência na população negra.