Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Russa deve aprovar vacina contra Covid-19 versão dose única da Sputink até maio
Foto: Divulgação

A Rússia deve aprovar a vacina Sputnik Light contra a Covid-19 já neste mês de maio e deve produzir 30 milhões de doses até o final do ano.  A vacina é uma versão da Sputnik V aplicada apenas uma vez para garantir a imunização contra o coronavírus. O anúncio foi feito pelo governo da Rússia nesta quarta-feira (21).

 

O ministro da Indústria e Comércio, Denis Manturov, fez o anúncio depois que o presidente Vladimir Putin fez um discurso de estado à nação em que pediu aos russos que se vacinassem contra o novo coronavírus e disse que queria que a Rússia alcançasse imunidade coletiva contra a Covid-19 até o outono.

 

Em março, a Rússia concluiu os testes clínicos da vacina de dose única e o Ministério da Saúde recebeu o pedido de registro formal. A Sputnik Light é apresentada como uma possível solução temporária para ajudar os países com altas taxas de infecção a acelerar as campanhas de imunização. Moscou informou que sua vacina de duas doses continuará sendo a principal versão usada na Rússia.

A vacina é desenvolvida pelo Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya e utiliza uma tecnologia baseada em adenovírus humano, assim como a fórmula original da Sputnik V. A eficácia da nova versão é menor e pode alcançar 85% em alguns casos, e menos em outros.

 

No Brasil, a versão original da Sputnik V ainda não recebeu autorização para uso. Até o momento, o Ministério da Saúde fechou acordo para o fornecimento de 10 milhões de doses da Sputnik V, enquanto o Consórcio Nordeste, que reúne governadores da região, anunciou parceria para receber 37 milhões de doses.

Quarta, 21 de Abril de 2021 - 14:40

Casal envolvido com roubos a bancos é preso em motel

Casal envolvido com roubos a bancos é preso em motel
Foto: Alberto Maraux/SSP

Um casal suspeito de envolvimento em roubos a bancos foi preso, na tarde de terça-feira (20), em um motel na cidade de Sapeaçu. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA), junto com a dupla policiais encontraram munições de fuzil.

 

Equipes do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), da Rondesp Leste, da Cipe LN, do 14° BPM e da 27ª CIPM receberam denúncia anônima de que criminosos envolvidos com as últimas explosões estariam escondidos no Motel Hoje, localizado às margens da BR-101.

 

De acordo com a SSP, os PMs foram até o quarto usado pelo casal e, no momento da entrada, flagraram o homem destruindo um smartphone. O suspeito possui passagem por tráfico de drogas e reside no bairro de Saboeiro, em Salvador.

 

Com ele, estava uma mulher, natural de Conceição do Almeida, apontada como integrante de uma organização criminosa que comercializa entorpecentes.

 

Dentro do carro utilizado pelo casal, os PMs apreenderam munições de calibre 7,62. Armamentos do mesmo calibre foram usados nos ataques contra as agências de Sapeaçu e Ubaíra.

 

A dupla foi trazida para Salvador, apresentada no Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco), onde foi autuada em flagrante.

Quarta, 21 de Abril de 2021 - 14:20

Câmara aprova projeto que prorroga auxílio emergencial previsto na Lei Aldir Blanc

por Danielle Brant | Folhapress

Câmara aprova projeto que prorroga auxílio emergencial previsto na Lei Aldir Blanc
Foto: Pablo Valadares/ Câmara dos Deputados

Na madrugada desta quarta-feira(21), a Câmara aprovou o projeto que prorroga a concessão de auxílio financeiro e os prazos previstos na Lei Aldir Blanc, criada para socorrer os profissionais de cultura afetados pela pandemia de Covid-19.

 

O texto foi aprovado em votação simbólica. Como não houve alteração em relação ao texto do Senado, segue para sanção ou veto do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

 

A Lei Aldir Blanc surgiu de um projeto de lei da deputada federal Benedita da Silva (PT-RJ) e prevê uma renda emergencial para profissionais do setor cultural, como artistas, contadores de história e funcionários de estabelecimentos culturais.

 

A medida previa o repasse de R$ 3 bilhões a estados e municípios para o auxílio a trabalhadores culturais, que receberam auxílio emergencial de R$ 600, pago em três parcelas mensais.

 

Espaços artísticos e culturais também estavam aptos a receberem um benefício. A legislação também estabeleceu que esses espaços culturais deveriam organizar atividades gratuitas para compensar os recursos recebidos, atendendo alunos de escolas públicas e realizando atividades abertas ao público geral.

 

O governo federal afirma que 700 mil trabalhadores foram beneficiados. O setor foi um dos mais afetados pela pandemia do novo coronavírus.

 

O projeto enviado à sanção, de autoria do senador Wellington Fagundes (PL-MT), permite que os municípios tenham mais tempo para alocar os recursos transferidos no âmbito da Aldir Blanc. Se o texto não fosse aprovado, o dinheiro seria destinado exclusivamente para os fundos estaduais de cultura, após o fim do prazo.

 

O projeto também prevê que eventuais prorrogações do auxílio emergencial -como a definida pelo governo federal -- sejam garantidas aos profissionais do setor de cultura.

 

O texto estabelece que projetos culturais já aprovados tenham mais tempo para aplicar os recursos. O projeto prorroga automaticamente por dois anos os prazos para aplicação dos recursos, para realização de atividades culturais e para a prestação de contas dos projetos culturais já aprovados pelo órgão ou entidade do Poder Executivo responsável pela área da cultura.

 

O texto também prorroga até 31 de dezembro deste ano o prazo para a devolução dos recursos repassados pela União e que não tenham sido objeto de programação dos estados.

Ambulância tem problema mecânico e PRF socorre gestante em trabalho de parto na BR-324
Foto: Divulgação/PRF

Uma ambulância que levava uma grávida para a maternidade Tsylla Balbino, em Salvador, apresentou um problema mecânico durante o trajeto e agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) tiveram que socorrer a paciente em trabalho de parto. O caso aconteceu nesta terça-feira (20).

 

De acordo com a PRF, a mulher foi conduzida com rapidez a maternidade e agora mãe e bebê passam bem.

 

Os PRFs realizavam uma ação de combate ao transporte clandestino de passageiros, com o apoio da Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia (Agerba), quando o motorista de uma ambulância que passava na altura do pedágio em Simões Filho, BR 324, solicitou o apoio dos policiais.

 

O motorista informou que estava transportando uma mulher em trabalho de parto e o veículo apresentou falha mecânica. Diante da situação, os PRFs colocaram a gestante no banco traseiro da viatura e a levaram até a maternidade.

TJ mantém gratuidade a idosos no transporte entre Porto Seguro e Santa Cruz Cabrália
Foto: Ônibus Brasil

O Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) manteve a decisão liminar que determinou a concessão de gratuidade a idosos nas linhas de transporte público entre Porto Seguro e Santa Cruz Cabrália, no sul do estado. A empresa Expresso Brasileiro Transportes recorreu da decisão liminar de 1º Grau que determinou a concessão da gratuidade para pessoas acima de 65 anos. A ação foi movida pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA). 

 

Na decisão, a juíza substituta de 2º grau Cassinelza Lopes, relatora do processo, refutou o argumento da empresa de que a gratuidade não poderia ser concedida por se tratar de linhas de ônibus intermunicipais, para as quais a lei não prevê obrigatoriedade de serviço gratuito a idosos. Segundo a magistrada, o MP demonstrou que, “embora entre municípios diferentes, as linhas de ônibus que ligam Porto Seguro à Santa Cruz Cabrália encaixam-se na modalidade urbana ou semiurbana, exatamente pelas características que compõem o serviço prestado”. Conforme a decisão, o MP apontou que as linhas em questão estão registradas como “transporte semiurbano”, “sistema de característica urbana” e “tipo de veículo: ônibus urbano convencional” no site da Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transporte e Comunicações da Bahia (Agerba).

Lupi acena para fim de aliança PDT-PT na Bahia e quer vaga na chapa de Neto em 2022
Foto: Reprodução/Youtube

O PDT quer pleitear uma vaga na chapa majoritária do ex-prefeito de Salvador e presidente nacional do DEM, ACM Neto, ao governo da Bahia em 2022. O desejo de ter o candidato a vice ou ao Senado parte do presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, que pretende negociar o tema com os correligionários e com o Democratas.

 

“Se depender da minha vontade vou buscar convencer meus companheiros na Bahia a ter uma aliança em 2022 com ACM Neto governador e com o PDT ou na vaga de vice ou para o Senado, é claro que não é uma decisão que se toma hoje, é de convencimento. Eu não trabalho impondo nada a ninguém”, disse Lupi em entrevista ao programa Bahia Notícias no Ar, da rádio Salvador FM 92,3, nesta quarta-feira (21). ACM Neto ainda não se coloca oficialmente como candidato ao governo da Bahia, mas já declarou que não vê possibilidade ou outro projeto político que não seja concorrer a chefia do Executivo (leia mais aqui).  

 

Caso Lupi convença os colegas de partido de seguirem o seu desejo, isso significa o fim de uma aliança longa, de quase 16 anos, entre PDT e PT no estado. Acontece que o Partido Democrático Trabalhista marcha com o PT na Bahia há pelo menos quatro mandatos, do ex-governador Jaques Wagner e do atual Rui Costa, mas Carlos Lupi vê em 2022 a oportunidade da sigla “seguir o próprio caminho”.

 

Carlos Lupi ressaltou a alta aprovação da gestão de ACM Neto e a aliança firmada entre DEM e PDT na última eleição municipal. A vice-prefeita de Salvador, Ana Paula Matos, é do partido de Lupi.

 

Quanto aos nomes do PDT que poderiam concorrer na chapa majoritária de ACM Neto, surgem como possibilidade o secretário municipal da Saúde de Salvador, Leo Prates, que é classificado por Lupi como um dos melhores quadros do partido. Além dele, o presidente do PDT ainda citou o deputado federal Félix Mendonça Jr., que comando a sigla na Bahia.

UPB repudia ameaças de morte sofridas pela prefeita de Cachoeira
Foto: Montagem / UPB

A União dos Municípios da Bahia (UPB) se manifestou com repúdio às ameaças de morte sofridas pela prefeita de Cachoeira, no Recôncavo, Eliana Gonzaga (ver aquiaqui). Em nota desta quarta-feira (21), a entidade representativa dos gestores municipais declarou que segue em apoio à gestora. O presidente da entidade, Zé Cocá, disse que está preocupado com a segurança da prefeita e afirmou que situações como essa precisam ser coibidas para garantir a liberdade do voto na Bahia e no Brasil.

 

“A escolha da população é soberana e precisa ser respeitada. Ameaças, violência e perseguições jogam contra a democracia e precisam ser freadas com poder de polícia. Nós prefeitos, a Diretoria da UPB, estamos solidários a Eliana e ela pode contar com nosso apoio para fazer um grande mandato para o povo de Cachoeira”, afirmou Zé Cocá.

 

A entidade declarou ainda que vai reforçar o pedido  pela apuração do caso pela Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP-BA). Nesta terça-feira (20), deputadas estaduais e federais da Bahia se manifestaram em apoio à prefeta de Cachoeria (saiba mais aqui). Eliana Gonzaga foi eleita na última eleição com 10.448 votos (55,94%) para o mandato de 2021-2024. Ela é a primeira negra a assumir a prefeitura da cidade.

Quarta, 21 de Abril de 2021 - 12:40

MEC deixa alunos de fora do Fundeb e prefeituras apontam novo erro

por Paulo Saldaña | Folhapress

MEC deixa alunos de fora do Fundeb e prefeituras apontam novo erro
Foto: Divulgação

O governo Jair Bolsonaro (sem partido) deixou de contabilizar milhares de estudantes na divisão dos recursos do Fundeb deste ano, o que reduziu repasses para municípios.

Desde que foi publicada a portaria interministerial nº 1, de 31 de março, secretarias de Educação têm estranhado os cálculos: eles não batem com o que consta no Censo Escolar. Ficaram de fora, na hora de dividir o bolo, alunos de ensino fundamental em tempo integral, cujas matrículas ainda têm maior peso nas ponderações para a divisão.

O caso é tratado como erro por integrantes do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação), vinculado ao Ministério da Educação. A Folha tem mostrado uma série de falhas do órgão ligado à pasta comandada pelo ministro Milton Ribeiro.

Secretários de Educação e entidades que representam prefeituras têm questionado o governo. Até agora não receberam respostas.

A CNM (Confederação Nacional de Municípios) calcula que 695.090 matrículas de tempo integral deixaram de ser computadas nos cálculos do governo Bolsonaro.

O Fundeb é o principal mecanismo de financiamento da educação básica. O fundo reúne uma cesta de impostos, acrescido de complementação da União, e é dividido com base no número e tipo de matrículas.

A portaria de março foi assinada por Ribeiro e pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. O ato faz parte da previsão legal para a operacionalização dos recursos, a cargo do FNDE, e impacta recursos já transferidos a partir deste mês.

Segundo relatos feitos à Folha, as lideranças do FNDE ainda não sabem o que ocorreu de errado e o que devem fazer. Questionado, FNDE e MEC não responderam.

A falha resultou, segundo estudo da CNM, em 1.282 municípios com previsão de recursos abaixo do que lhes são devidos pelo Fundeb. A entidade, que representa as prefeituras do país, não calculou os valores.

A diferença pode chegar a R$ 785 milhões, segundo estimativa feita pela reportagem com base em dados do Ceará. Foram as prefeituras cearenses as primeiras a identificarem o erro.

Segundo a CNM, mais de 190 mil alunos cearenses de tempo integral foram ignorados. Isso impacta 114 municípios do estado.

A secretária de Educação de Crateús (CE), Luiza Teixeira, encaminhou ao FNDE no dia 5 de abril um ofício expondo a situação e exigindo "imediata atenção e a pronta correção desse lapso". Teixeira é presidente no estado da Undime (que reúne dirigentes municipais de Educação).

Nas contas da Undime-CE, a subestimação do Fundeb a municípios cearenses chega a R$ 215,4 milhões. A projeção da entidade relacionada às matrículas ignoradas coincide com os cálculos da CNM.

"A gente percebeu que foram desconsideradas matrículas que estavam em um anexo da portaria", disse a secretária à Folha. "Municípios como o meu perdem cerca de R$ 4 milhões no ano, quase uma folha bruta de salário. Fica bem difícil porque a gente sabe da situação financeira do país para financiar a educação."

Teixeira diz ter certeza de que se trata de um erro. Segundo ela, o município de Crateús já recebeu, por exemplo, outros recursos federais, como de alimentação escolar, com base nos dados corretos do Censo Escolar de 2020 (que constam em portaria de novembro passado). No caso do Fundeb, a base de matrículas adotada foi diferente.

O Maranhão é o segundo estado com maior impacto, segundo a CNM: 115 mil matrículas teriam sido desconsideradas.

"Fazer educação integral no Maranhão não é fácil, e agiram contrário ao Censo Escolar", diz Marcony Pinheiro, da Undime Maranhão e secretário de Educação da cidade de Poção das Pedras. Pinheiro afirma que também questionou o governo.

A CNM recebeu reivindicações de prefeituras e associações municipais e estaduais. A consultora de educação da CNM, Mariza Abreu, diz que a entidade já acionou o governo e espera respostas.

"Está difícil entender por que esses equívocos estão acontecendo. Esse processo de filtrar as matrículas do Censo aconteceu nos últimos 14 anos [desde a criação do Fundeb] e nunca tinha se verificado essa variação tão significativa", diz. "E tem outro problema: se alguém recebe a menos, alguém recebe a mais."

Essa portaria atinge todos os estados e municípios do país, diferente da falha na distribuição do Fundeb ocorrida em janeiro. Revelado pela Folha, o erro atingia apenas a primeira parcela da complementação da União.

Na ocasião, de R$ 1,18 bilhão previsto, R$ 766 milhões foram repassados equivocadamente. Três estados e respectivos municípios receberam dinheiro a mais e seis, a menos. Em 2019, outro erro da ordem de R$ 1 bilhão havia ocorrido com outras transferências constitucionais.

O FNDE ainda deixou fora do ar neste ano o sistema para cadastro dos conselhos de acompanhamento do Fundeb. A ausência desse procedimento pode causar prejuízos a prefeituras e governos. O órgão colocou no ar o sistema no dia 9, mas prefeituras ainda encontram dificuldade para o cadastro.

O FNDE é controlado por indicações do centrão. Todas essas falhas ocorrem na mesma área: trata-se da Coordenação-Geral de Operacionalização do Fundeb e de Acompanhamento e Distribuição de Arrecadação do Salário-Educação. Ela é ligada à Diretoria de Gestão de Fundos e Benefícios do FNDE.

A Coordenação que trata do Fundeb e do salário-educação está sem titular desde novembro passado. O posto é gerido por um coordenador substituto.

O novo formato do fundo amplia os recursos federais e entrou em vigor neste ano --o fundo opera um montante de R$ 179 bilhões no ano. Com as novas regras, os processos de transferência ficarão mais complexos.

A mesma portaria interministerial tem causado estranhamento porque a previsão de parcelas do Fundeb ao longo do ano vai diminuindo a partir do segundo semestre -o que nunca ocorreu.

Segundo o Ministério da Economia, "o cronograma proposto tem como objetivo minimizar os impactos da atualização das estimativas, diminuindo o risco de reduções significativas" da complementação da União por Unidade Federativa.

"O cronograma proposto deve amenizar as dificuldades na gestão fiscal e orçamentária dos entes da federação que recebem os recursos da complementação", diz nota. A pasta ressalta que as estimativas serão atualizadas a cada quatro meses.

Tratamento para Covid-19 com coquetel pode sair muito caro para realidade brasileira
Foto: Divulgação

O elevado custo do uso emergencial para o tratamento da Covid-19, através do Regn-COV2,  poderá ser uma das principais dificuldades no país. O tratamento foi liberado nesta terça-feira (20) pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). 

 

Segundo especialistas ouvidos pelo Estadão, o valor pode ampliar a desigualdade no atendimento de pacientes nas redes pública e privada. O tratamento é resultado da combinação de dois anticorpos desenvolvidos em laboratório (batizados de casirivimabe e imdevimabe), criado pela farmacêutica americana Regeneron em parceria com a suíça Roche, autora do pedido de autorização de uso emergencial no Brasil. 

 

O tratamento é  indicado para casos leves e moderados do novo coronavírus em pacientes de 12 anos ou mais do grupos de risco, com uso restrito a hospitais. O medicamento já é utilizado em caráter emergencial nos Estados Unidos, Canadá e Suíça,  além de países europeus. 

 

Em janeiro, o governo americano firmou acordo com a fabricante para a entrega de 1,25 milhão de doses até 30 de junho, no valor de US$ 2,625 bilhões. Isto é, cerca de US$ 2,1 mil por unidade de 2,4 mil mg (a posologia autorizada no Brasil é metade, com 1,2 mil mg). 

 

Segundo o Ministério da Saúde, o tratamento poderá ser incorporado ao SUS apenas quando tiver registro definitivo na Anvisa. Nos casos de planos de saúde, a cobertura é obrigatória para quando houver indicação médica em casos de internação. O novo coquetel, entretanto, não é indicado para pacientes graves e hospitalizados. 

 

O tratamento pode custar algo entre R$ 15 mil e R$ 25 mil. Segundo o professor de Química Medicinal da USP, Adriano Andricopulo, o valor é limitante para a realidade brasileira em relação aos custos e ao enorme número de novos casos. Ele sinaliza que não é uma cura, mas um tratamento que pode ajudar na recuperação. 


Luís Correia, professor de Medicina Baseada em Evidências da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública,  também concorda que o tratamento pode ser muito caro. “Precisamos de um conjunto de atitudes que reduzem a mortalidade, como ter drogas para fazer a intubação, ter equipes suficientes e treinadas para intubar, ter aparelhos de diálise…”

Abaré: Acidente entre caminhão e motocicletas deixa 2 mortos e um ferido
Foto: Reprodução/G1

Um caminhão se envolveu em um acidente com três motos na BR-116, próximo a Abaré, no norte da Bahia, na noite de terça-feira (20). Duas pessoas morreram e uma ficou feriada no acidente.

 

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que o caso ocorreu por volta das 21h, contudo ainda não há informações sobre as circunstâncias do acidente.

 

As três vítimas foram os motociclistas. Conforme a PRF, o ferido foi socorrido e levado ao Hospital de Abaré, mas o estado de saúde não foi divulgado.

Fecom passa a emitir certidão de nascimento gratuita para pessoas trans
Foto: Divulgação

Após solicitação da Defensoria Pública da Bahia (DP-BA), o Conselho Gestor do Fundo Especial de Compensação (Fecom) aprovou uma resolução que encerra o prazo de espera para emissão gratuita de certidão de nascimento para pessoas trans nos casos de mudança de nome e de gênero. A resolução foi aprovada na última sexta-feira (16).

 

A decisão já passa a beneficiar pessoas trans financeiramente carentes com processo de alteração de identidade em curso. Este é o caso do homem trans Esteban Santana, 24, que deu o pontapé para sua demanda durante o Mutirão de Retificação de Nome e Gênero da Defensoria deste ano.

 

“Essa espera vinha atrapalhando alguns planos meus. Sou escritor e já estava certo de que participaria de alguns eventos em que tenho que emitir recibos. Minha intenção quando comecei a mudança era logo evitar o constrangimento de ter meu nome civil anterior circulando entre aqueles que me pagam”, relatou Esteban Santana.

 

Morando só e vivendo da renda de participações em eventos literários, Esteban teria de desembolsar o valor da emissão de seu registro retificado se não quisesse aguardar por 90 dias. Isso ocorria pois, de acordo com as regras anteriores, para dar entrada no processo de retificação era preciso emitir certidão atualizada com o antigo nome, e uma destas duas certidões não era reembolsada aos cartórios se emitidas sem o intervalo dos 90 dias. A norma anterior da Fecom tinha o objetivo de evitar fraudes. O pedido da Defensoria foi feito em fevereiro deste ano.

Vereador de Andorinha é morto a tiros dentro da própria fazenda
Foto: Reprodução/ Facebook

O vereador de Andorinha, Pablo Campos Alves (PP), foi morto a tiros na noite desta terça-feira (20). Segundo informações da Polícia Civil, três homens foram em um veículo Celta preto até a fazenda de Alves, no povoado de Bananeiras, e fizeram os disparos contra ele. 

 

Informações do Blog do Netto Maravilha apontam que o vereador foi atingido por cinco tiros na cabeça, o que não foi confirmado pela polícia.

 

A polícia está fazendo buscas para identificar os autores do crime. A autoria e a motivação do crime são investigadas pela 19ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin/Senhor do Bonfim).

 

A prefeitura de Andorinha decretou luto oficial de três dias pela morte de Pablo da Saúde, como era conhecido na cidade. “um homem que em tão pouco tempo de vida fez grande história no município de Andorinha”, diz nota publicada no perfil da prefeitura no Instagram. 

Bolsonaro diz a líderes evangélicos que indicará André Mendonça para o STF
Foto: Divulgação

O presidente da República Jair Bolsonaro anunciou a líderes evangélicos nesta terça-feira (20) que o ministro da Advocacia-Geral da União (AGU) André Mendonça é o seu candidato favorito para assumir uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF). A vaga será aberta em julho com a aposentadoria do ministro Marco Aurélio. 

 

O pastor Silas Malafaia, da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, afirmou não ser a primeira vez que Bolsonaro dá todos os sinais de que indicará Mendonça para o STF. "Ele já tinha falado comigo no dia 15 de março, quando estive (no Palácio do Planalto) para propor um jejum e estava com oito líderes. Ontem (segunda-feira, 19), ele confirmou, mais uma vez. Isso já é uma verdade e o André é favoritíssimo. Não tem para ninguém", disse Malafaia.

 

Bolsonaro recebeu pastores evangélicos e deputados da bancada nesta segunda (19) e nesta terça (20). Na reunião de segunda-feira, o próprio Mendonça estava presente. Malafaia é um dos representantes religiosos que mais cobram a nomeação de um evangélico para o Supremo. "Por que o presidente vai se queimar? O maior grupo de apoio dele são os evangélicos. Lembre-se: não fomos nós que pedimos isso. Ele fala isso desde a campanha eleitoral", observou o pastor.

 

André Mendonça é de uma igreja nova, sem templo próprio, considerada "mais progressista". A Igreja Presbiteriana Esperança de Brasília do qual ele congrega evita temas políticos. Além disso, já manifestou reserva a iniciativas do presidente, como a defesa de armas de fogo, e discute abertamente como "apoiar, capacitar e emancipar as mulheres em espiritualidade, liderança e serviço".

Feira de Santana: Caminhão carregado com laranja fica preso em cratera após piso ceder
Foto: Reprodução/Acorda Cidade

Um caminhão carregado de laranjas ficou preso em uma cratera aberta na rua Manuel Mathias, em Feira de Santana, nesta quarta-feira (21). O episódio aconteceu por volta das 4h da manhã, de acordo com o portal Acorda Cidade.

 

O veículo saiu do município de Cruz das Almas e seguia para o Centro de Abastecimento de Feira.

 

Um dos ocupantes do veículo, Marcelo Pinheiro Ribeiro relatou que ele e o motorista ficaram assustados com a situação, que aconteceu de maneira rápida. A reação deles foi descer do caminhão.

 

"A gente saiu de Cruz das Almas às 3h da manhã e esse acidente aqui aconteceu por volta das 4h. De uma hora para outra o caminhão começou a virar e a única reação foi descer correndo. Sempre quando a gente vem para o Centro, desce pela Olímpio Vital, mas hoje preferimos vim por esta rua, pra sair de frente com o Centro e acontece isso", contou à reportagem do Acorda Cidade.

 

A carga que já estava comercializada, precisou ser transferida por uma caminhonete até o Centro de Abastecimento.

Quarta, 21 de Abril de 2021 - 10:20

Anvisa aprova armazenamento de vacina da Pfizer em temperaturas mais altas

por Raquel Lopes | Folhapress

Anvisa aprova armazenamento de vacina da Pfizer em temperaturas mais altas
Foto: Divulgação

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) autorizou o armazenamento da vacina da Pfizer contra a Covid-19 em temperaturas mais altas do que originalmente previsto, a pedido do laboratório, para facilitar a logística de transporte do imunizante.

Será acrescentado na bula, segundo a agência reguladora, que "alternativamente, os frascos fechados podem ser armazenados e transportados entre -25 °C a -15 °C por um período único de até 2 semanas e podem retornar a -90 °C a -60 °C".

A Anvisa disse que já constava na bula que a vacina deveria ser mantida no congelador a uma temperatura entre -90 °C e -60 °C e que, uma vez retirada do congelador, a vacina fechada poderia ser armazenada por até cinco dias em temperatura entre 2 °C e 8 °C.

"Estudos de estabilidade apresentados comprovam que a vacina mantém suas características de qualidade nas novas condições de temperatura. As novas indicações foram avaliadas a pedido do laboratório", disse em nota a agência reguladora.

Os novos limites de conservação não alteram o período de validade total do produto, que é de seis meses. As demais orientações de conservação e armazenamento da vacina não foram modificadas.

"Essa nova autorização para o armazenamento de nossa vacina contra a Covid-19 contribuirá para a logística de vacinação com o imunizante em um país de dimensões continentais como o Brasil", disse em comunicado Márjori Dulcine, diretora médica da Pfizer Brasil.

O governo brasileiro está negociando com a Pfizer a compra de mais de 100 milhões de doses até o final deste ano, totalizando 200 milhões de unidades a serem adquiridas da farmacêutica. O anúncio foi feito pelo ministro das Comunicações, Fábio Faria, em uma rede social.

"A negociação começou há cerca de 20 dias e a pasta busca dar celeridade ao processo", escreveu o ministro.

Na semana passada, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou que a Pfizer antecipará 2 milhões de doses, elevando o total de imunizantes fornecidos pela fabricante para 15,5 milhões até junho.

Estudo confirma primeira morte por reinfecção de Covid-19 no Brasil
Foto: Divulgação

Um estudo confirmou a primeira morte no Brasil por reinfecção da Covid-19. No caso, um homem de 39 anos era morador de Campo Bom, no Rio Grande do Sul. Ele foi reinfectado por uma das variantes da Covid-19 no intervalo de três meses e 11 dias. Na primeira infecção, o homem não teve sintomas, mas na segunda reinfecção, ele não resistiu e faleceu no dia 19 de março. 

 

O caso foi relatado em um artigo científico produzido por 15 pesquisadores brasileiros comandados pelo Laboratório de Microbiologia Molecular da Universidade Feevale (RS), publicado ontem na plataforma Research Square em pré-impressão, ou seja, ainda em fase de revisão dos pares. "A análise genômica mostrou diferenças geneticamente significativas entre os vírus recuperados em ambas as infecções", explicam os pesquisadores no texto.

 

Segundo o artigo, o paciente era portador de doença cardiovascular crônica e diabetes. "Ele relatou dois episódios clínicos de covid-19. O primeiro foi em 30 de novembro de 2020, enquanto o segundo se deu em 11 de março de 2021", diz. O gaúcho foi infectado pela variante P.1 na primeira contaminação. Na segunda infecção, ele foi contaminado pela variante P.2. As duas cepas têm origem no Brasil. 

 

"Durante o primeiro caso de infecção, os sintomas e sinais clínicos do paciente não haviam sido relatados. No entanto, o paciente relatou ter tido contato com seu irmão, que testou positivo para SARS-CoV-2 anteriormente. Ele também visitou seu pai no hospital em um quarto compartilhado com outros pacientes com diagnóstico de covid-19. No segundo episódio, o paciente apresentou como sintomas dispneia [falta de ar], fadiga e dificuldade respiratória; e saturação menor que 95% como sinal clínico", completa o texto.

 

Ainda segundo o estudo, a segunda infecção evoluiu com complicações, "sendo o paciente encaminhado para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e intubado devido à grave perda de capacidade pulmonar". Oficialmente, o primeiro caso de reinfecção registrado pelo Ministério da Saúde ocorreu em 23 de outubro de 2020 em uma médica do Rio Grande do Norte que não manifestou forma grave. No último boletim do Ministério da Saúde sobre o novo coronavírus, há o relato de 11 casos confirmados no Brasil, sendo seis deles nos estados de São Paulo e Amazonas, sem nenhuma morte indicada.

Monique Medeiros admite que não foi ela quem encontrou Henry morto, diz coluna
Jairinho e Monique, em entrevista à RecordTV | Foto: Reprodução/ RecordTV

A mãe de Henry Borel, Monique Medeiros, teria admitido nos últimos dias que não foi ela quem encontrou o menino caído no chão do quarto de casal do apartamento na madrugada de 8 de março, quando ele morreu.

 

Segundo a coluna de Juliana Dal Piva, do Uol, Monique disse no primeiro depoimento à polícia que dormiu assistindo TV junto com o vereador Dr. Jairinho no quarto de hóspedes e, de madrugada, acordou e encontrou Henry caído no chão. Nos últimos dias, ela relatou que foi obrigada pelo companheiro a inventar uma versão que "seria melhor até para ela".

 

 O pai do menino Henry Borel já tinha apontado contradição nos depoimentos prestados à polícia por Jairinho e Monique. Segundo a defesa do engenheiro Leniel Borel, ao chegar ao hospital Barra D'Or, onde Henry deu entrada já sem vida, o pai do menino ouviu de Monique que o vereador estava ao lado da criança quando chegou ao quarto do casal e encontrou Henry no chão.

 

Ela está presa desde o dia 8 de abril e é investigada junto com Jairinho pela morte do menino. Diagnosticada ontem com covid-19, ela foi encaminhada ao Hospital Penal Hamilton Agostinho, no complexo de Gericinó, em Bangu.

 

Procurada, a defesa de Monique disse que não podia dar detalhes sobre o episódio porque aguarda resposta para o pedido de um novo depoimento feito junto à 16ª Delegacia de Polícia do Rio de Janeiro.

Seleções brasileiras de futebol conhecem seus primeiros adversários em Tóquio
Foto: Sam Robles/CBF

Nesta quinta-feira (21), foram sorteados os grupos das seleções de futebol que irão disputar os Jogos de Tóquio. Tanto a equipe masculina, quanto feminina do Brasil, já conheceram seus primeiros adversários na competição e as datas de estreia na competição.

 

A equipe de Tite foi sorteada para o Grupo D, onde estão também estão Alemanha, Costa do Marfim e Arábia Saudita. A seleção masculina estreia contra a Alemanha no dia 22 de julho. O jogo acontece no Estádio Yokohama, às 5h30 pelo horário de Brasília. 

 

Já o elenco de Pia Sundhage foi selecionado para o Grupo F, ao lado de China, Zâmbia e Holanda. O primeiro jogo da seleção feminina acontece no dia 21 de julho, contra a China, no dia 21 de julho, no Estádio Miyagi, às 5h pelo horário de Brasília. 

 

Pela categoria masculina 16 seleções vão disputar as Olimpíadas de Tóquio. Com quatro grupos de equipes, a fase de grupos se encerra classificando os dois melhores de cada chave para as quartas de final. A partir daí, os jogos são disputados em mata-mata. 

 

Entre as seleções femininas, são 12 equipes participantes distribuídas em três grupos. Para as quartas de final, além das duas melhores equipes de cada chave, avançam também os dois melhores terceiros lugares. A competição também segue em mata-mata para os times a partir desta etapa.

 

A seleção masculina é a atual campeã dos Jogos Olímpicos, enquanto a equipe feminina vai em busca do seu primeiro título na competição. 

 

Confira os primeiros jogos das seleções brasileiras nos Jogos de Tóquio 2020:

 

SELEÇÃO MASCULINA

 

1ª rodada

Brasil x Alemanha

Estádio Yokohama

Data: 22 de julho

Horário: 5h30 (de Brasília)

 

2ª rodada

Brasil x Costa do Marfim

Estádio Yokohama

Data: 25 de julho

Horário: 5h30 (de Brasília)

 

3ª rodada

Brasil x Arábia Saudita

Estádio Saitama

Data: 28 de julho

Horário: 5h (de Brasília)


 

SELEÇÃO FEMININA

 

1ª rodada

Brasil x China

Estádio Miyagi

Data: 21 de julho

Horário: 5h (de Brasília)

 

2ª rodada

Brasil x Holanda

Estádio Miyagi

Data: 24 de julho

Horário: 8h (de Brasília)

 

3ª rodada

Brasil x Zâmbia

Estádio Saitama

Data: 27 de julho

Horário: 8h30 (de Brasília)

SSP identifica redução de 22% nos roubos de veículos no mês de abril
Foto: Alberto Maraux/SSP

Nos 15 primeiros dias de abril a Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA) identificou redução de 22% nas ocorrências de roubos de veículos na capital baiana. Foram 76 ocorrências registradas em 2021, enquanto no ano passado o número neste período foi de 98 casos.

 

A pasta ressalta que ações integradas da Operação Apolo e da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos (DRFRV) são realizadas diariamente para inibir a prática criminosa.

 

Entre janeiro a abril, os roubos de veículos em Salvador acumulam uma redução de 10,8%. Em números absolutos foram contabilizados 1.426 casos, em 2021, contra 1.598, no mesmo período.

 

O titular da DRFRV, delegado Marcelo Tannus, alerta a população que comprar peças sem nota fiscal pode configurar crime de receptação. Esse mercado informal estimula os roubos”, enfatizou o policial civil.

MP-BA quer intensificação de campanhas para evitar o abandono vacinal na Bahia
Foto: Divulgação

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) quer que as prefeituras do estado intensifiquem as campanhas de vacinação contra a Covid-19 para evitar que as pessoas desistam de tomar a segunda dose do imunizante. Para isso, a instituição orientou os promotores de Justiça da área da Saúde a pedir aos gestores municipais a realização das campanhas. 

 

“As vacinas disponíveis para a campanha de imunização no Brasil atualmente - CoronaVac, do Instituto Butantan com a Sinovac, e a vacina da Oxford, AstraZeneca e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em razão de sua constituição, devem ser aplicados no esquema de duas doses para atingirem o máximo grau de efetividade”, destacaram os promotores de Justiça coordenadores do Grupo de Trabalho Coronavírus Frank Ferrari; Patrícia Medrado; Rita Tourinho; e Rogério Queiroz. 

 

Na orientação, o grupo destaca um levantamento realizado pela Folha de São Paulo sobre a campanha da vacinação contra o coronavírus no Brasil, utilizando dados do DataSUS, exclusivamente sobre a aplicação da CoronaVac que define o intervalo de 2 a 4 semanas entre as duas doses. O levantamento indicou que 14,13% das pessoas que receberam a primeira dose da vacina no país deixaram de receber a segunda, estando a taxa de abandono vacinal no Estado da Bahia na ordem de 15,17%. A Nota Técnica orienta ainda que os promotores de Justiça solicitem aos gestores municipais a observarem a taxa de abandono vacinal, analisando o quantitativo de cidadãos que deixaram de tomar a segunda dose do imunizante, investigando as razões para o abandono e realizando a busca ativa dessas pessoas a fim de garantir sua vacinação no tempo indicado para cada imunizante.

Governo da Bahia reconhece emergência em três cidades por conta da estiagem
Foto: Reprodução/ Informe Baiano

O governo da Bahia reconheceu os decretos de situação de emergência nos municípios de Valente, Ruy Barbosa e Capim Grosso. As normas, que valem por 180 dias, foram baixadas por causa dos danos econômicos e para a população, provocados pela estiagem nas cidades.

 

As homologações foram publicadas na edição desta quarta-feira (21) do Diário Oficial do Estado. 

Mussurunga é o bairro de Salvador onde mais choveu nas últimas 24 horas
Imagem Ilustrativa de chuva na Avenida ACM | Foto: Ailma Teixeira/ BN

Mussurunga é o bairro de Salvador onde mais choveu nas últimas 24 horas. Segundo monitoramento da Defesa Civil soteropolitana (Codesal), o acumulado foi de 61,2 mm neste período.

 

Dados atualizados às 7h mostram também que o ranking das cinco localidades com mais chuva é composto por Palestina (53 mm), São Cristóvão (44,4 mm), Cajazeiras 7 (30,6 mm) e Valéria (30,2 mm).

 

Já nas últimas 6h, período que compreende a madrugada desta quarta (21), Federação e Ondina foram os bairros com mais chuva. Cada um acumulou 3,4 mm, conforme os índices pluviométricos medidos pela Codesal.

 

Segundo o órgão, a previsão do tempo para esta quarta é de céu nublado com chuvas fracas a moderadas, a qualquer hora do dia. A instabilidade é provocada por um sistema de baixa pressão que está sobre a região Sul do país e influencia o tempo na capital baiana.

Quarta, 21 de Abril de 2021 - 07:20

Câmara aprova texto-base de projeto que torna aulas presenciais atividade essencial

por Danielle Brant | Folhapress

Câmara aprova texto-base de projeto que torna aulas presenciais atividade essencial
Foto: Arquivo/ Agência Brasil

A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta terça-feira (20) o texto-base do projeto que considera aulas presenciais de educação básica e superior como serviços e atividades essenciais, inclusive durante a pandemia, e que cria diretrizes para o retorno às escolas.

O texto-base foi aprovado por 276 votos a favor e 164 contrários. Agora, os deputados vão votar propostas de modificação ao texto, que, na sequência, vai ao Senado.

O projeto diz que educação básica e superior, da rede pública ou privada de ensino, em formato presencial são reconhecidas como serviços e atividades essenciais, inclusive durante pandemia, emergência e calamidade pública.

Além disso, proíbe a suspensão das atividades educacionais em formato presencial, exceto quando as condições sanitárias de estados e municípios não permitirem, em situação que deverá estar fundamentada em critérios técnicos e científicos. Nesse caso, a decisão deverá constar em ato do chefe do Executivo estadual ou municipal.

Durante a pandemia de Covid-19, estados e municípios decidiram suspender aulas presenciais para diminuir a disseminação do vírus. Para a oposição, o projeto é uma maneira de forçar governadores e prefeitos a retomarem as aulas nessa modalidade, mesmo em caso de agravamento da crise sanitária.

"O que se quer aqui é enfrentar uma questão que está colocada diante da pandemia, obrigar as escolas a voltarem a funcionar de qualquer maneira, sem levar em consideração a orientação dos órgãos da saúde, as condições sanitárias", afirmou o deputado Bira do Pindaré (PSB-MA). "É isso o que está sendo colocado aqui neste momento."

O Conselho Nacional de Secretários de Educação se manifestou contra o projeto. "O projeto torna o ensino presencial atividade essencial, o que obriga estados e municípios a abrirem as escolas para ofertar aulas presenciais mesmo nos períodos de alto risco da pandemia", indicou, em nota.

"Alguns deputados já se manifestaram pela inconstitucionalidade do projeto, pois ele fere a autonomia dos entes."

A crítica é endossada pela União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação. Segundo a entidade, considerar a educação serviço essencial "apenas para promover um retorno forçado às aulas presenciais, sem considerar as condições sanitárias das diferentes redes de ensino em todo o país é, no mínimo, um entendimento equivocado, autoritário e antidemocrático, por demais preocupante, pois ignora as diferenças locais".

Líder do governo na Câmara, o deputado Ricardo Barros (PP-PR) defendeu a volta presencial às aulas. "Infelizmente, o Brasil foi abduzido pelas corporações. Não tem razão para o professor não dar aula", escreveu em uma rede social. "O profissional de saúde está indo trabalhar, o profissional do transporte e da segurança indo trabalhar, o pessoal do comércio está indo trabalhar, só professor não quer trabalhar."

A oposição afirma ainda que o projeto coloca em risco o direito de greve dos professores. Segundo a relatora, Joice Hasselmann (PSL-SP), esse risco não existe porque o projeto não altera a lei que dispõe sobre o exercício do direito de greve.

O texto diz que diretrizes e ações da estratégia para o retorno às aulas presenciais em cada sistema de ensino serão adotadas após acordo entre os entes, respeitando orientações de autoridades sanitárias brasileiras, em especial do Ministério da Saúde.

Estados e municípios criarão seus protocolos de retorno às aulas a partir das diretrizes acertadas, e as escolas deverão observar os processos ao elaborar seus próprios procedimentos.

Essas diretrizes e ações serão regulamentadas pelos entes federados em até 30 dias após a publicação da lei.

O projeto diz que a estratégia para o retorno às aulas presenciais deve considerar o estabelecimento de critérios epidemiológicos para a decisão sobre o funcionamento das escolas e a prioridade na vacinação de professores e funcionários das escolas públicas e privadas.

Além disso, deve levar em conta a prevenção ao contágio de estudantes, profissionais e familiares, a igualdade de condições de acesso ao aprendizado, parâmetros de infraestrutura sanitária e a disponibilização de equipamentos de higiene, higienização e proteção, incluindo máscaras, álcool em gel 70%, água e sabão, na aula, no recreio, na alimentação e transporte escolar, entre outros.

As escolas poderão adotar estratégias de alternância de horários e rodízio de turmas para garantir o distanciamento físico. Também poderão adotar sistema híbrido, com atividades pedagógicas presenciais e não presenciais e manutenção dos vínculos profissionais e liberação de atividade presencial aos profissionais da educação que fizerem parte de grupo de risco ou que morem com pessoas que pertençam a esses grupos.

O texto indica que o calendário de retorno não precisará ser unificado e que cada escola poderá definir a data e ritmo da volta, considerando a situação sanitária local.

As escolas adotarão atividades pedagógicas em caso de faltas de alunos cujos familiares integrarem grupo de risco de contágio pela Covid. Os estudantes serão acompanhados nas atividades não presenciais.

Os pais de estudantes com idades entre 4 e 17 anos ou seus responsáveis terão direito de optar pelo não comparecimento dos filhos a aulas presenciais enquanto durar a pandemia, emergência e calamidade pública ou se os alunos ou familiares integrarem grupo de risco, desde que comprovado.

Nesse caso, escolas manterão contato com os alunos e oferecerão atividades não presenciais para acompanhamento dos conteúdos curriculares e enquanto durar a pandemia, emergência ou calamidade.

Os alunos cujos pais optarem pelo não comparecimento presencial não são dispensados das atividades não presenciais oferecidas pelas escolas, exceto se não tiverem acesso a meio tecnológico.

As escolas que adotarem educação híbrida poderão oferecer aos alunos o uso de equipamentos das escolas e acesso à internet para realizar as atividades, observando normas de segurança e segurança sanitária.

Mais cedo, os deputados aprovaram a urgência de um projeto que cria o cartão nacional de vacinação online, vinculado ao CPF de quem vai se imunizar. Pelo texto, o governo poderá descentralizar às secretarias estaduais de Saúde o cadastro, a emissão e a validação dessa carteira, assim como às demais unidades de saúde pública.

Os órgãos ficariam responsáveis por coletar dados e validar informações em sistema digital.

O sistema será atualizado pelo Ministério da Saúde, que coletará os dados junto aos entes federativos e os consolidará para que as informações direcionem as políticas de vacinação em todo território nacional.

No cartão do usuário serão anotados a data da vacinação e o dia em que o usuário deverá realizar a próxima imunização, se necessário.

O Ministério da Saúde deverá regulamentar a lei em 120 dias após a publicação, e as despesas de implantação da norma ficarão a cargo do Fundo Nacional de Saúde.

Quarta, 21 de Abril de 2021 - 00:00

'Conduta societária' explica parte da crise na CSN, aponta relatório da prefeitura

por Jade Coelho / Mauricio Leiro

'Conduta societária' explica parte da crise na CSN, aponta relatório da prefeitura
Foto: Reprodução / ÔnibusBrasil / Daniel Brito

A dificuldade financeira da concessionária Salvador Norte (CSN) pode ter explicação. Segundo o relatório final da intervenção da prefeitura de Salvador, além de "correlação direta com a conduta societária", existiam "insuficiência de investimentos" e transferências "sem suporte ou compensação de passivos de partes relacionadas". O prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM) já afirmou que a prefeitura não tem responsabilidade pelo pagamento de indenizações trabalhistas aos rodoviários da empresa (relembre aqui).

 

"Falta no patrimônio da concessionária dos ativos necessários à execução dos serviços, de uma sistemática divisão que destinou e manteve os passivos no patrimônio da concessionária e os ativos em mãos dos sócios, do escoamento dos resultados financeiros que deveriam ser auferidos pela concessionária pela prestação dos serviços públicos por sua 'transformação' em custos com pagamento de locações e serviços aos sócios e partes relacionadas que comprometeram o balanço e as demonstrações financeiras da CSN, por decisões prejudiciais de gestão em virtude das quais a empresa realizava despesas excessivas, injustificadas e irracionais, em prejuízo dos próprios resultados", diz o relatório.

 

Segundo o documento obtido pelo Bahia Notícias, os valores arrecadados pela empresa eram usados para pagar aos sócios "alugueres de veículos de terceiros, alienados fiduciariamente, custeando a aquisição destes bens para pagar aluguel por eles e, ao final, quando não mais úteis para a concessão em função da idade, os adquirir dos sócios". A prefeitura assumiu a bacia operada pela CSN em março (veja mais).

 

O relatório aponta ainda que foram adiantados aos sócios R$ 11,9 milhões. "Foram identificadas e apontadas pelas auditorias independentes práticas capazes de caracterizar apropriação indébita, além de antecipações aos sócios de potenciais receitas futuras, utilização de recurso de terceiros (do STCO) para garantir dívidas da sociedade e dos sócios e todo um rol de deliberações que favoreciam os interesses e posições dos acionistas em detrimento da concessionária.  Até mesmo na integralização do capital social verificaram-se inconsistências prejudiciais", pontua.  

 

Para tentar reduzir o passivo da empresa, a Justiça do Trabalho da Bahia vai leiloar um terreno para quitar dívidas trabalhistas contra a CSN Transportes Urbanos e outras empresas do ramo. O terreno tem 40 mil m² e está situado na Rodovia BA-526.  A alienação judicial foi determinada pela juíza Andréa Presas Rocha, da Coordenadoria de Execução e Expropriação do Tribunal Regional do Trabalho da Bahia ( TRT- BA) (reveja aqui).

 

Conforme o documento, "as condições econômicas e financeiras reúnem dificuldades insuperáveis suficientes para afastar a possibilidade da concessão continuar a ser explorada pela concessionária na situação atual, com os acionistas e as práticas administrativas e gerenciais adotadas, advém das (más) condutas administrativas, societárias, empresariais e de gestão dos administradores, partes relacionadas, acionistas e da própria CSN, transformadas em insuperáveis diante da recusa dos acionistas de proceder os aportes e o investimentos necessários à recuperação da empresa e de modificar as práticas que determinaram a derrocada econômica e financeira da concessionária." 

 

Por conta do impasse entre o pagamento das verbas rescisórias dos rodoviários que pertenciam à CSN, uma paralisação de rodoviários ligados à Concessionária Salvador Norte (CSN) foi feita na última segunda-feira (19) (reveja aqui). 

 

HISTÓRICO DE DIFICULDADES E INTERVENÇÃO

As dificuldades da empresa começaram em 2019. No final daquele ano, o diretor da CSN, Marcelo Santana, admitiu que a empresa apresentou dificuldades relacionadas com a saúde financeira e o atual valor da tarifa. Ele, no entanto, se disse otimista para 2020 (relembre aqui). 

 

Em março de 2020, funcionários da Concessionária Salvador Norte foram surpreendidos ao terem sido chamados pela empresa para suspender a vigência dos seus contratos por conta da redução de até 30% da frota dos ônibus em Salvador determinada pelo prefeito ACM Neto (DEM) (veja mais). Em junho, a prefeitura de Salvador realizou a intervenção que tinha prazo inicial de 180 dias (reveja aqui).

 

Na época, o prefeito ACM Neto ressaltou que a prefeitura não queria ter empresa de ônibus. "Nós só estamos fazendo a intervenção porque ia parar", comentou. 

 

Com a intervenção vieram as mudanças. A Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob) promoveu o remanejamento de 23 linhas que operavam pelo Consórcio Integra Salvador Norte, deixando os veículos operados pelos consórcios Plataforma e OTTrans (veja aqui). 

 

No final do período de intervenção, a única alternativa da prefeitura foi prorrogar a intervenção na Concessionária Salvador Norte (CSN) (veja mais), ficando até março deste ano. Isso porque, segundo o agora prefeito Bruno Reis, não existia "nenhuma empresa interessada, no Brasil, em assumir a bacia" (relembre aqui). 

 

Até então, a prefeitura de Salvador ainda não tinha decidido o que seria feito em relação ao processo de intervenção na CSN, empresa que opera as linhas de transporte coletivo que abastecem a Estação Mussurunga e a Orla da cidade (veja mais aqui).

Covid-19: Bahia já descartou relação de vacina com 60 mortes; 51 seguem em investigação
Foto: Rodrigo Nunes/MS

Desde o início da imunização contra a Covid-19, foram notificadas para investigação 111 mortes de pessoas que receberam a vacina na Bahia. Porém, isso não significa que a vacina seja perigosa e até o momento não há provas de que nenhuma dos óbitos tenha sido causada pelo imunizante.

 

Uma equipe da Vigilância Epidemiológica do estado é responsável por analisar os casos e conduzir apurações sobre os “Eventos Adversos Pós-Vacinação (EAPV) Graves”. A Câmara Técnica se reúne semanalmente, desde o dia 11 de fevereiro, para análise dos óbitos e casos graves, e funciona dentro da tutela da Vigilância Epidemiológica do estado (leia mais aqui).

 

Até esta segunda-feira (19) a Vigilância recebeu 172 EAPV graves. Dentro desse total, além dos 111 óbitos, há 53 hospitalizações e oito convulsões.

 

Do total de notificações associadas às vacinas contra a Covid-19, a Câmara já analisou 93, sendo 60 óbitos, 29 hospitalizações e quatro convulsões.

 

Entre essas análises concluídas, a Câmara classificou as ocorrências em cinco causalidades: inconsistentes ou coincidentes (45 óbitos e 26 hospitalizações); dados da investigação conflitantes em relação à causalidade (5 óbitos); relação temporal consistente, mas em evidências na literatura para estabelecer uma relação causal (um óbito, 3 hospitalizações e 3 convulsões); reação de ansiedade associada à vacinação e/ou estresse desencadeado em resposta à vacina (uma convulsão); e inclassificável (9 óbitos). Ou seja: até o momento, não há nenhum caso de morte que tenha ocorrido por causa da vacina.

 

A Sesab destaca que a investigação dos EAPV graves faz parte do elenco de indicadores pactuados na Programação das Ações de Vigilância em Saúde. Todos os 172 casos notificados temporalmente associados às vacinas contra a Covid-19 são investigados para posterior análise. No momento, 79 estão em processo de investigação.

 

No universo de mais de dois milhões de vacinados contra a Covid-19 na Bahia, o número de notificações representa menos que 1%. Os EAPV já são reações esperadas. Isso porque as vacinas, como qualquer produto farmacêutico, podem apresentar efeitos indesejáveis. 

 

Eventos adversos são qualquer ocorrência médica indesejada após o uso da vacinação, podendo ou não ter sido ocasionados por elas. A orientação da Sesab é para que as Unidades de Saúde informem as ocorrências. A recomendação vale para qualquer vacina, não só a da Covid-19. O processo é chamado de Vigilância dos EAPV.

 

Vale ressaltar que a grande maioria dos eventos associados ao uso de vacinas é de febre, dor e edema no local da injeção, que não são considerados graves.

Quarta, 21 de Abril de 2021 - 00:00

Baianos saem em defesa dos professores após ataque do líder governista na Câmara

por Mari Leal / Mauricio Leiro

Baianos saem em defesa dos professores após ataque do líder governista na Câmara
Foto: Bahia Notícias

Membros titulares da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados, as deputadas Alice Portugal (PCdoB) e Lídice da Mata (PSB) e o deputado Bacelar (Podemos) reagiram aos ataques feitos pelo líder do governo na Câmara dos Deputados, Ricardo Barros (Progressistas), contra os professores. Em entrevista à CNN Brasil, Barros questionou o fechamento das escolas durante a pandemia, afirmando que os professores “não querem trabalhar”. 

 

"É absurdo a forma como estamos permitindo que os professores causem tantos danos às nossas crianças na continuidade da sua formação. O professor não que se modernizar, não quer se atualizar. Já passou no concurso, está esperando se aposentar, não quer aprender mais nada", disse Barros em entrevista. 

 

Segundo Barros, “não tem nenhuma razão para o professor não dar aula” e as “escolas não pedem a conectividade [Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações (SGDC)] porque a diretora que está lá não entende de informática". "Se ela pedir a conectividade, vai perder a direção para uma professora que tenha mais habilidade nessa área", criticou o líder do governo (lembre aqui).

 

Para Alice Portugal, a fala de Barros resulta do “desconhecimento integral do trabalho do professor brasileiro”. Segundo ela, é essa condição que tem sustentado, no Congresso, a apreciação de uma projeto que transforma a educação em serviço essencial no contexto na pandemia. Se aprovado, a medida pode definir a abertura das unidades escolares, independente dos índices da pandemia. 

 

"Ele não pode arriscar a vida de outras pessoas, dos alunos. Ele faz jus, sendo líder desse governo. Um projeto como esse, sem o debate na Comissão de Educação, sem critério. Depois instalando um conceito de essencialidade. Se fosse essencial não teria cortado verba que ele aprovou. É para retirar direitos. É um projeto sorrateiro e antieducacional. É a contramão das medidas sanitárias, e vamos trabalhar para que isso não passe", diz Alice. 

 

“Completamente fora da realidade. Essa pandemia revelou a imensa disparidade, o fosso profundo entre a educação privada e pública no Brasil. Na escola privada, muitos terminaram em 2020 seu curso médio. Na escola pública, muitos poucos. É se aproveitando disso que alguns fazem esse nível de ataque. Um ataque vil, que não reproduz o comprometimento que os educadores têm em nosso país”, avalia Lídice. Ela relembra que, mesmo sendo reduzida a ocorrência de manifestações graves da Covid-19 em crianças e jovens, elas, ainda assim, são transmissoras. 

 

Já Bacelar, sugere que o líder governista precisa fazer “um exame de consciência”. O deputado enfatiza que o acesso à educação só foi elevada a condição de direito universal no Brasil recentemente. Bacelar defende que o retorno das aulas presenciais sejam amparadas no critérios da segurança. 

 

“Quem conhece a rede pública de ensino sabe que 15% das escolas não tem água potável. O governo quer criar um 'covidário'. Vamos vacinar e seguir os protocolos de segurança", destaca. Sobre a declaração de Barros, o deputado avalia que está “a altura de quem lidera a bancada parlamentar de um governo negacionista, retrogrado e incompetente”.

 

“Os grandes avanços da educação brasileira se deram graças ao trabalho incansável, até mesmo heroico do professor, mesmo ele sendo desprestigiado, com baixa remuneração, trabalhando em ambientes sem condição de trabalho”, defende o parlamentar. 

Familiares e amigos de autora vítima da Covid-19 arrecadam doações para publicar livro
Foto: Reprodução / Instagram

Até esta terça-feira (20), mais de 378 mil histórias foram encerradas por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) no Brasil. Uma delas foi a da museóloga e mestra em Museologia Melissa Santos, de 28 anos, no último dia 11 de abril. Escritora de "Palavras de uma mulher preta", biografema inconcluso que agora mobiliza familiares em uma campanha para publicação, ela integrava o grupo "Conexões Escritas", que viabiliza a edição de livros semelhantes ao seu.

 

A obra, explica o irmão de Melissa, Alan Santos, aborda as dores, os amores e os sentimentos da vida da jovem, "coisas que às vezes passam desapercebidas" no cotidiano, mesmo com a proximidade. "É um material que tem uma conexão com a vida de Melissa enquanto jovem, enquanto mulher, negra", justifica Alan. 

 

Para ele, publicar os escritos de sua irmã seria como perpetuar a memória dela, "de modo que também crie um sentimento nas outras pessoas e elas possam ver que não estão sozinhas". Além dos escritos, Melissa deixou uma outra maneira de se expressar como legado que deve compor o futuro livro: vários desenhos e outras ilustrações. 

 

Por acreditar em uma linguagem baseada em desenhos, aliás, mas desta vez nas paredes,escolheu como objeto de sua pesquisa e no mestrado o grafite feito por mulheres. Nele, além de estudar essa perspectiva gráfica, propôs também a criação de um museu virtual. "É um trabalho que tem uma contribuição para a cultura como um todo e também para a cultura hip-hop", descreve.

 

"Palavras de uma mulher preta" foi o segundo livro concluído do projeto coletivo de autores que Melissa integrava junto com Alan. Surgido há pouco mais de seis meses, a ideia foi a de juntar pessoas que antes de integrar o grupo tinham uma atividade constante de escrita, mas não tinham perspectiva alguma de publicação.

 

"Estávamos empolgados dentro do grupo porque tinha se formado uma 'fila' de quem ia publicar primeiro e ela havia despontado", comenta o irmão, que por ocupar esse espaço na história de Melissa, era o primeiro a ter contato com a produção dela.

 

Hoje o grupo está abalado com a perda da escritora e museóloga, mas conversas entre os autores já apontam para outra direção: a possibilidade de publicação da sua dissertação de mestrado.

 

Com cerca de 50% da meta de arrecadação da campanha atingida (clique aqui e contribua), a expectativa é que "Palavras de uma mulher preta" seja publicado no dia em que Melissa Santos completaria 29 anos, em 24 de agosto.

 

"Nesse processo, estamos descobrindo amigos dela que a gente nem fazia ideia. Participações dela como a que ela tinha em uma revista digital, em que atuava como colaboradora, que a gente nem sabia. Estamos percebendo que ela era uma menina extremamente habilidosa, inteligente e muito querida. Os amigos abraçaram de uma forma fantástica. É gratificante a gente saber que ela plantou a semente do amor dela em muitos corações, e tão nova", finaliza Alan Santos, revelando que o projeto é como um alento após a perda da jovem.

Terça, 20 de Abril de 2021 - 23:07

Caio Afiune é eliminado do BBB21 com 70,22% dos votos

Caio Afiune é eliminado do BBB21 com 70,22% dos votos
Foto: Reprodução/ TV Globo

Caio Afiune foi eliminado com 70,22% dos votos. O goiano foi ao paredão por indicação da casa, que terminou tendo um empate quadruplo, desempatado pela líder Viih Tube. Já Fiuk e Gilberto foram emparedados por indicações direta da influencer. Após mais de 380 mil votos computados, Caio foi eliminado. 

 

Na tarde desta segunda-feira (20), Caio abraçou os dois emparedados e falou sobre a relação dos três. Os três se emocionaram, enquanto ouviam "Nossa Senhora", de Roberto Carlos. O fazendeiro aproveitou o momento para se despedir dos brothers. "Vocês vão comigo no meu coração, obrigada por tudo e desculpa por tudo". 

 

Em bate-papo, Gil afirmou que ficará tudo bem e Caio foi até Arthur e comentou: "Se eu sair, fica firme bastião".  Arthur ainda respondeu que o brother não pode deixar o "BBB": " Eu já tô na bosta, se eu perder você eu tô f*dido"

Saúde repassa R$ 1,9 mi para manutenção de 40 novos leitos de UTI Covid-19 em Salvador
Foto: Divulgação/GOV-BA

O Ministério da Saúde autorizou a implantação de 40 novos leitos de UTI adulto para o tratamento da Covid-19 em Salvador. O município receberá o equivalente a R$ 1,9 milhão, corresponde ao mês de abril, para a manutenção dos leitos. 

 

A autorização é uma resposta positiva a uma solicitação feita pela gestão municipal. A informação foi publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira (19).

 

De acordo com o Ministério da Saúde, pedidos de custeio dos leitos covid-19 podem ser feito pelas secretarias estaduais e municipais de saúde, que garantem a estrutura necessária para o funcionamento dessas unidades. 

 

O cadastramento da solicitação é feito por meio da plataforma SAIPS. Para garantir o recurso a pasta observa critérios como a curva epidemiológica do coronavírus na região, a estrutura para manutenção e funcionamento da unidade intensiva e corpo clínico para atuação em UTI.

 

A pasta federal afirma já ter autorizado recursos para a manutenção de mil leitos de UTI Covid-19 em toda a Bahia. 

Gilmar Mendes suspende tramitação de ações de improbidade contra Arthur Lira
Foto: Fellipe Sampaio/STF

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, suspendeu a tramitação de três ações de improbidade administrativa que corriam em primeira instância contra o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL). 

 

Conforme publicação da Folha, a decisão vale até o julgamento do mérito da reclamação apresentada pelo parlamentar ao STF. Os autos do processo no Supremo estão sob sigilo, mas a informação da decisão de Gilmar Mendes consta no andamento processual de forma pública.

 

As ações contra Lira tramitam na 1ª e na 11ª Varas Federais da Seção Judiciária do Paraná.
As ações suspensas foram apresentadas pela Advocacia-Geral da União (AGU) contra políticos no âmbito da Lava Jato. Gilmar, porém, afirmou que os processos não devem seguir em tramitação porque Lira já respondeu pelos mesmos fatos na seara penal.

 

Segundo o ministro, o Supremo já arquivou investigação que envolvia Lira e que tratava dos mesmos fatos apontados nas ações de improbidade.

 

Em duas das ações, o ato ímprobo imputado ao presidente da Câmara é a solicitação e o recebimento de R$ 1,9 milhão em propina da empresa Jaraguá Equipamentos Industriais por meio de contratos fraudulentos firmados com uma empresa de fachada de propriedade do doleiro Alberto Youssef.

Histórico de Conteúdo