Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Marca Bahia Notícias
Você está em:
/
/
Tag

Artigos

Jorge Khoury
Empreender na indústria: oportunidades para fortalecer a Bahia
Foto: Dario Neto, ASN/BA

Empreender na indústria: oportunidades para fortalecer a Bahia

A produção industrial baiana registrou crescimento de 2,1% em janeiro deste ano, em comparação com dezembro de 2023, demarcando seu papel fundamental para a economia do estado. Este crescimento e cenário expandem horizontes para os diversos pequenos negócio do setor. O percentual indica um caminho positivo que pode se confirmar com o perfil inovador da nossa indústria, além da impulsão a toda a cadeia produtiva com a chegada de empreendimentos como a montadora BYD a Camaçari.    

Multimídia

Adolpho Loyola diz que Rui Costa não deve tentar o governo em 2026: “O ministro está com outras tarefas no Governo Federal”

Adolpho Loyola diz que Rui Costa não deve tentar o governo em 2026: “O ministro está com outras tarefas no Governo Federal”
Sobre o cenário de 2026, Adolpho Loyola repercutiu a informação ventilada nos bastidores de que o ex-governador e atual ministro da Casa Civil, Rui Costa, poderá disputar novamente o governo da Bahia. “É natural que o candidato seja Jerônimo. O ministro está com outras tarefas, com a tarefa de coordenar o governo federal e ele tem feito isso: tem coordenado o PAC, tem puxado para si responsabilidades, ele tem cuidado disso e está limpando a pauta para o presidente Lula”, frisou.

Entrevistas

Grupo de Trabalho estuda drenagem na região da Cidade Baixa durante fortes chuvas e maré alta em Salvador

Grupo de Trabalho estuda drenagem na região da Cidade Baixa durante fortes chuvas e maré alta em Salvador
Foto: Reprodução / TV Bahia
Tendo assumido a Secretaria de Sustentabilidade (Secis), logo no início de abril, Ivan Euller pretende, durante sua gestão, focar na atuação do melhoramento da drenagem da Cidade Baixa, em Salvador, região duramente afetada por alagamentos e inundações nos períodos chuvosos e de maré alta na capital baiana. O então subsecretário assumiu a pasta após a saída da vereadora licenciada Marcelle Moraes (União) que deve disputar, novamente, uma cadeira na Câmara Municipal de Salvador (CMS). 

pdt

Roberto Carlos chama de “aberração” exclusão de filiados do PDT em Juazeiro: “Tinha filiados históricos”
Foto: Paulo Victor Nadal / Bahia Notícias

Mesmo tendo saído do PDT e migrado para o Partido Verde (PV), em 2022, lideranças ligadas ao deputado estadual Roberto Carlos continuaram filiadas à legenda Brizolista. Em entrevista ao podcast Projeto Prisma, do Bahia Notícias, nesta segunda-feira (13), o parlamentar comentou a “exclusão sumária” de todos os filiados da sigla em Juazeiro, no Vale do São Francisco, por ordem do presidente da Executiva Municipal Francisco Odécio de Souza, e do secretário, Gilmar Oliveira. 

 

Ao BN, o deputado Roberto Carlos frisou que o episódio não diminui sua paixão pelo partido. “Eu gozo da amizade do presidente nacional, Carlos Lupi, sou muito amigo do deputado e presidente do PDT estadual, Félix Mendonça Jr.”, disse. Ele classificou o ato da direção da legenda de “aberração”, já que houve a “desfiliação de quadros históricos da época de Brizola e outros abnegados, apaixonados pelo PDT”, afirmou. 

 

Foto: Paulo Victor Nadal / Bahia Notícias 

 

“Lamentavelmente uma pessoa chegou, sem nenhum tipo de história no partido, e destituiu todos os filiados do PDT”, pontuou. O deputado, que já foi presidente da legenda em Juazeiro, reforçou que na sua gestão “fez o partido crescer regionalmente”.   

 

Confira o trecho da entrevista: 

Roberto Carlos admite “paixão pelo PDT” e diz que vai continuar tentando trazer a legenda de volta para base de Jerônimo
Foto: Paulo Victor Nadal / Bahia Notícias

Durante sua participação no podcast Projeto Prisma, do Bahia Notícias, nesta segunda-feira (13), o deputado estadual de seis mandatos, Roberto Carlos, falou sobre sua relação com o PDT, partido onde construiu uma história de 32 anos, que foi rompida ao deixar a legenda para se filiar ao PV. 

 

Perguntado sobre suas articulações para trazer o PDT para base do governo Jerônimo Rodrigues, Roberto Carlos frisou que “está confortavelmente filiado ao PV" e que “não pode negar sua paixão pelo PDT”. O motivo da saída do parlamentar da legenda Brizolista foi o rompimento do partido com a base do governo para apoiar o candidato da oposição, ACM Neto, nas eleições para governador em 2022. 

 

Perguntando se na próxima janela partidária, em 2026, há possibilidade dele voltar para sigla, na hipótese do PDT retornar ao ninho de Jerônimo, Roberto Carlos disse que “acha que não”, mas que vai continuar atuando nos bastidores com o objetivo de levar novas lideranças para o partido, que na Bahia é liderado pelo deputado federal Félix Mendonça Jr. As informações passadas hoje vão na mesma linha do que ele já havia dito aos apresentadores Mauricio Leiro e Rebeca Menezes, em entrevista ao programa Bahia Notícias no Ar, da Salvador FM 92,3

 

“A prova disso [do empenho] é que eu consegui trazer para o PDT o prefeito de Valença, Jairo Batista, que era do PP”, afirmou o deputado.  

 

Confira o trecho da entrevista: 

Lupi lança em Salvador movimento municipalista do PDT da Bahia; ex-prefeito de Araci assume coordenação
Foto: Divulgação

O ministro da Previdência e presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, lançou, durante agenda em Salvador, na última sexta-feira (26), o Movimento Municipalista do partido na Bahia. A iniciativa será coordenada pelo ex-prefeito de Araci, Silva Neto, primeiro suplente da sigla na Assembleia Legislativa. 

 

O intuito do movimento é defender as pautas de interesse dos municípios da Bahia, sobretudo aqueles administrados por prefeitos pedetistas, tanto no âmbito estadual quanto nacional, em articulação com os parlamentares do partido na Assembleia Legislativa e na Câmara Federal. 

 

"Em Brasília, por exemplo, vamos tratar, pois interessa aos prefeitos do PDT e de todos os partidos do Estado, da regulamentação da reforma tributária e da desoneração da folha. As prefeituras não podem mais perder recursos. Na Bahia, vamos discutir com o governo do Estado a aceleração de obras e convênios já assinados", disse Silva Neto, que também é membro da executiva estadual e um dos principais articuladores da legenda para as eleições de outubro.

 

"O PDT tem hoje mais de dez movimentos, a exemplo dos voltados para as mulheres, os negros, os indígenas, a juventude, os cristãos e tantos outros. Pela Bahia, vamos ter agora, de forma oficial, um espaço partidário para tratar exclusivamente das pautas municipalistas. E Silva Neto, que representa bem o partido no interior, é o melhor nome para ocupar essa função", declarou o presidente da sigla na Bahia, o deputado federal Félix Mendonça Júnior.

VÍDEO: Ana Paula Matos sai carregada por apoiadores na sede do PDT em Salvador após reafirmação de apoio a Bruno Reis
Foto: Divulgação / PDT

A vice-prefeita de Salvador, Ana Paula Matos (PDT), saiu carregada da sede do PDT, no bairro da Mouraria, em Salvador, na noite desta sexta-feira (26), após sua confirmação à reeleição para o cargo, em apoio a Bruno Reis (União Brasil). De acordo com o ministro da Previdência Social e presidente nacional licenciado do PDT, Carlos Lupi, a indicação de Ana Paula como vice para as eleições municipais deste ano ocorreu de forma natural. 

 

 

 

Ao lado dos presidentes estadual e municipal da sigla, os deputados federais Félix Mendonça e Léo Prates, Lupi avaliou o cenário local. 

 

“Temos a decisão de apoiar o Bruno Reis e reivindicamos a continuidade do partido na vice-prefeitura. A Ana Paula é um nome natural para seguir no cargo”, apontou. “Salvador é prioridade nacional do PDT. Vamos eleger quatro vereadores, com uma chapa plural, e Bruno Reis no primeiro turno”, completou Lupi. 

Leo Prates minimiza ausência de ACM Neto em evento do PDT e confia na manutenção de aliança com União Brasil
Foto: Maurício Leiro / Bahia Notícias

O presidente do diretório do PDT de Salvador e deputado federal Leo Prates minimizou a ausência de ACM Neto (União) na reunião partidária que contou com a presença do presidente nacional da sigla trabalhista e ministro da Previdência, Carlos Lupi, em Salvador, nesta sexta-feira (26). 


A relação entre os dois partidos está estremecida por conta da saída da vereadora e pré-candidata à prefeitura de Lauro de Freitas, Débora Régis, do PDT para o União Brasil. Insatisfeito com a movimentação, o presidente estadual do partido chegou a indicar um rompimento com o União para as próximas eleições.  


“O presidente Lupi está conversando com  ACM Neto. Ele falou inclusive da relação pessoal dos dois. Eu acho que nunca é uma ferida fácil de se superar. Nós estamos na maior parte das cidades com um projeto junto com a União Brasil, o que chateou o presidente Félix. [...] Realmente ela sair a dois dias do prazo de filiação, como o presidente Félix disse, isso machuca o partido, que é um partido aliado e também coloca várias dúvidas, mas pelo que nós vimos, o presidente Lupi falou que a aliança está mantida, mas claro que a eleição de 2026 é outra eleição”, disse Prates. 


Cotado como candidato à prefeitura de Salvador em 2028, o deputado federal também está otimista na manutenção da aliança com o União para além de 2024 e garantiu que não planeja sair do grupo político liderado pelo ex-prefeito de Salvador.


“Eu não trabalho com hipótese, eu só tive um grupo político na minha vida, que foi o grupo político de ACM Neto e de Bruno Reis. Bruno Reis. Eu acho que o PDT é uma casa que me acolheu,  me deu destaque nacional. O que eu posso lhe dizer é que vou trabalhar para que estejam unidos, inclusive, no projeto ao Senado de Félix Mendonça, que é um projeto que o presidente Lupi lançou hoje que me parece bastante interessante. Eu vou acreditar sempre na minha capacidade de articulação, na capacidade de articulação de ACM Neto e de Bruno Reis para que essa aliança seja mantida”, pontuou.

PDT estuda lançar Léo Prates à prefeitura de Salvador em 2028 e Félix Mendonça ao Senado em 2026
Foto: Mauricio Leiro / Bahia Notícias

O presidente nacional do PDT e ministro da Previdência, Carlos Lupi, indicou que a sigla possui planos ambiciosos para os deputados federais Léo Prates e Félix Mendonça Jr. Durante um encontro do PDT baiano, nesta sexta-feira (26), em Salvador. Na oportunidade, o ministro de Lula afirmou que Léo Prates é um nome natural para assumir a cadeira no Palácio Thomé de Souza em 2028.

 

LEIA TAMBÉM:

 

“O que nós colocamos para o Léo Prates é que ele é uma liderança que teve 88 mil votos, quase 90 mil votos aqui em Salvador. Se a gente não respeitar quem tem voto, vamos respeitar quem? Então, ele é o nome natural que o partido tem para qualquer projeto político futuro. [...] E o Léo já manifestou pra mim, algumas vezes, com o desejo de ser candidato a prefeito. E por que não, se ele tem legitimidade eleitoral e política para isso?”, pontuou o presidente nacional da sigla.

 

Assim como Prates, a ‘bola da vez’ do PDT também pode ser o presidente estadual da sigla, Félix Mendonça Jr, que, se depender de Lupi, ser o nome do PDT para o senado em 2026. “Félix [Mendonça] é um nome natural também. Se depender de mim, o Félix vai ser candidato ao Senado em 2026. Eu tenho falado isso a ele. Não estou dizendo que ele concorre, mas um partido político que não vive dos seus projetos, morre”, disparou Carlos Lupi.

 

Porém, como disse o próprio Lupi, “para chegar em 2026 e 2028, tem que passar por 2024”, e neste ano, apesar dos entraves gerados ida da vereadora e pré-candidata à prefeita de Lauro de Freitas, Débora Régis, ao União Brasil - interpretada como uma traição por membros da alta cúpula do partido, inclusive do próprio Félix, o PDT segue apoiando o prefeito da capital baiana Bruno Reis em sua cruzada rumo à reeleição - até porque o partido possui a Ana Paula Matos como vice.

 

“Os dois projetos são legítimos, são encampados pelo partido. E acho que é uma questão de a gente saber, a cada etapa, vencer o seu obstáculo. Primeiro, queremos que o Bruno Reis ganhe eleição no primeiro turno em Salvador. Passar nesse projeto, aí a gente vai construir o nosso. Com quem vamos estar em 2026? É outra eleição. Vamos ver o quadro, vamos analisar. Quem a gente tiver junto, vai nos dar a vaga de senado, né? Isso tudo é um projeto, né? Então, tudo depende de cada momento. Nosso projeto hoje é ganhar a eleição”, destacou Carlos Lupi.

Lupi reafirma que Ana Paula “é o nome natural” para vice e que PDT vai continuar apoiando Bruno Reis
Foto: Maurício Leiro / Bahia Notícias

Em Salvador para participar de um encontro do PDT baiano, o presidente nacional do partido e ministro da Previdência, Carlos Lupi, indicou que a parceria com o União Brasil em Salvador continua firme e forte, inclusive dando quase como certo a continuidade de Ana Paula Matos como vice de Bruno Reis.  


“Ana já é a vice-prefeita da cidade, nós temos a nossa decisão de continuar apoiando o Bruno Reis e temos a decisão de continuar com a vice-prefeitura. É claro que ela é o nome natural, já é a vice-prefeita, mas não impomos. O vice-prefeito quando não é aceito pelo titular nem cadeira para assentar tem, então para o vice-prefeito tem que ser uma costura política em que primeiro o prefeito tem que querer, segundo tem uma base aliada de vários partidos que também tem que participar dessa decisão. A nossa etapa agora não é de exigência nem colocar a faca no peito de ninguém, é de continuar reivindicando nosso espaço”, afirmou Lupi. 


Já Ana Paula endossou a fala de Lupi e reforçou a aliança com o atual prefeito da capital baiana. “Nós estaremos com o prefeito Bruno pelo que ele tem feito pelo povo brasileiro, pela defesa da educação, do trabalhismo em qualquer condição, mas é óbvio que eu fico muito feliz em saber que sou o nome natural do partido, o prefeito falou, o presidente Lupi falou, então se os outros partidos assim quiserem, se o povo quiser estarei lá”. 


As falas de Lupi e de Ana vêm após o presidente estadual da legenda, o deputado federal Félix Mendonça Jr., indicar um rompimento com o União Brasil nas próximas eleições. O movimento pode acontecer por conta da insatisfação com a saída da vereadora e pré-candidata à prefeitura de Lauro de Freitas, Débora Régis, que se filiou ao União. 


Lupi engrossou o coro contra Débora, mas evitou falar em rompimento. “A decepção com a Débora é grande, porque nos deixou no último dia de prazo, na última hora. Isso é o mundo real. Fingir, fazer teatro, eu não sei fazer não. Agora, não estamos aqui também para prejudicar os companheiros. Vamos começar com eles, vamos ver o melhor caminho, e repito, tudo na vida, como na política é bom, quando é combinado e feito de forma transparente e clara entre os dois lados. Não foi da nossa parte, nós nos sentimos na última hora, recebemos isso com um ato que não é coerente. Agora, a direção estadual liderada pelo deputado Félix vai discutir isso com o diretório e os nossos candidatos, porque nós também somos candidatos”, ponderou. 

Mesmo fora da sigla, deputado Roberto Carlos diz que trabalha para tirar PDT da base de Bruno Reis
Foto: Reprodução/ Youtube / Salvador FM

O deputado estadual Roberto Carlos (PV), que foi filiado ao PDT por vários anos e acabou deixando o partido para viabilizar a sua candidatura à prefeitura de Juazeiro, falou nesta terça (23), em entrevista ao programa Bahia Notícias no Ar, da Salvador FM 92,3, apresentado por Mauricio Leiro e Rebeca Menezes, que mesmo não fazendo mais parte da sigla, pretende levá-la de volta à base do governador Jerônimo Rodrigues (PT). Segundo o parlamentar, o PDT “não tem nada a ver com a direita, com ACM Neto, mas infelizmente, por um acordo político eles foram para a base aliada de Bruno Reis”.

 

 

O deputado afirmou que o governador Jerônimo Rodrigues está esperançoso em receber o PDT, que inclusive já faz parte da base do presidente Lula. “Eu li ontem a declaração do deputado federal Félix Mendonça e fiquei surpreso com a informação de que ele tinha rompido com o grupo de ACM Neto. Eu estou festejando, pois disse a Félix há 15 dias, que nós filiamos inclusive o prefeito de Valença ao PDT, que eu iria trabalhar para que o PDT voltasse à base aliada do governador Jerônimo Rodrigues, falei com o governador, falei com Adolfo Loiola, eles estão esperançosos para receber este grande partido, que na esfera nacional, já está na base do governo Lula, agora só falta voltar à base do governo do Estado. Espero que o mais rápido possível a gente consiga tirar o PDT da base de Bruno Reis”, concluiu. 

Bruno Reis desconversa sobre possível rompimento com PDT e diz: “Estou focado em Salvador”
Foto: Gabriel Lopes / Bahia Notícias

O prefeito de Salvador, Bruno Reis, desconversou, nesta terça-feira (23), sobre o possível rompimento do seu partido União Brasil com a sigla aliada Partido Democrático Trabalhista (PDT). A declaração do gestor municipal chega no momento em que o presidente do PDT baiano, Félix Mendonça indicar a possibilidade de rompimento após o pleito de 2024, depois considerar “traição” a ida de Débora Régis ao União.

 

Questionado se existiria uma tensão na relação com os pedetistas na disputa eleitoral de cidades da Região Metropolitana de Salvador (RMS) e outros municípios baianos, Bruno desconversou sobre a falta de um consenso entre as duas siglas e afirmou que está “focado” na capital baiana. 

 

“O presidente estadual [do PTD] Félix é outro grande amigo. Eu estou focado em Salvador. Nada tem a ver mudança deste ou daquele líder político para o partido. Tiveram lugares, por exemplo, como Irecê que o presidente da Câmara, Figueiredo, veio para o PDT. Por uma decisão da vereadora Débora, escolha pessoal dela, ouvindo o grupo local, lideranças locais, tomou essa decisão”, disse Reis em entrevista à imprensa, durante a entrega da requalificação da Praça do Campo Grande. 

 

O prefeito ainda considerou normal o descontentamento que acontece no processo de decisões políticas partidárias. 

 

“A gente entende que nesse momento de decisões às vezes há um outro descontentamento aqui acolá. Mas o que eu posso garantir é que o PDT em Salvador tem uma relação especialíssima com a gente, por ter Félix, Léo Prates e a nossa vice-prefeita Ana Paula. O partido cresceu e saiu com três vereadores dessas organizações partidárias. Vai eleger quatro, talvez cinco vereadores, diante da história do partido da força dos candidatos. Então me deixa aqui com Salvador que eu já tenho muitas questões para organizar para administrar. E o restante da Bahia os líderes vão ter a capacidade de se entender”, observou. 

 

Antes, Bruno Reis já tinha comentado sobre a vinda do presidente nacional do PDT para a capital baiana. “Sempre é uma alegria e uma honra receber o presidente nacional do PDT, um grande amigo Carlos Lupi. É natural que ele apresente as expectativas do PDT em especial da manutenção da posição de vice e não tenha dúvidas, que com todo respeito e admiração, que eu tenho irei recepcionar essa demanda do PDT. Vocês sabem, eu ainda vou decidir em relação a minha candidatura. Definido a minha candidatura nós vamos dar início às conversas em relação a quem será o vice", indicou. 

 

"Vencida essas conversas, a gente vai anunciar a decisão que o grupo em conjunto irá tomar e não tenha dúvidas que será construído com consenso, mantendo a unidade. Temos aí hoje o apoio de mais de 10 partidos. Caso venha ser candidato, acho que ainda terão outros que estão chegando e ouvindo todos. Nós vamos escolher os melhores nomes para vencer as eleições, e especialmente para depois governar a cidade”, pontuou.

Paulo Azi diz que Félix Mendonça “com um tempo” vai compreender ida de Débora Régis para o União Brasil
Foto: Gabriel Lopes / Bahia Notícias

A saída da vereadora de Lauro de Freitas, Débora Régis, do PDT, e sua filiação ao União Brasil geraram atritos entre as siglas. O próprio presidente do PDT na Bahia, o deputado federal Félix Mendonça, já havia falado sobre a possibilidade de rompimento, uma vez que a troca de legenda foi encarada como uma “traição” dentro do PDT, que pretendia lançar a vereadora como candidata à prefeitura da cidade na Região Metropolitana de Salvador (RMS).

 

LEIA TAMBÉM:

 

Na escalada da polêmica, o também deputado federal Paulo Azi (União) disse que entender a “chateação de Félix, mas que “com um tempo” ele vai entender que a ida de Débora para o União “não foi uma articulação da cúpula, mas sim uma decisão local”. A declaração foi da durante entrevista ao Podcast Projeto Prisma, do Bahia Notícias, nesta segunda-feira (22).

 

“Félix é um parceiro querido, um deputado que comanda o PDT com muita competência. Houve efetivamente essa divergência e é natural que Félix não ficasse satisfeito. Cada presidente, prefere, torce e busca o fortalecimento do seu próprio partido. Mas ele está compreendendo que essa decisão não foi articulada pela cúpula do nosso partido, mas que ‘brotou’ das questões locais. Todos os pré-candidatos resolveram ficar no mesmo partido e sinalizar para a população que a oposição está unida e que não há possibilidade de um racha. Portanto, foi uma decisão local e, com um tempo, Félix vai entender que não houve uma articulação de fora para dentro”, pontuou o parlamentar.

 

Paulo Azi ainda afirmou ter certeza que a parceria entre o União Brasil e PDT será mantida para 2026, ao contrário do que o presidente do PDT estadual vem entoando atualmente. As expectativas de Félix em lançar Régis em Lauro terminam frustradas, após a vereadora passou a ser "pressionada", às vésperas das eleições municipais, a se filiar ao União Brasil para disputar o pleito deste ano.

 

Apesar da negação de Azi, o Bahia Notícias já havia revelado que lideranças do União Brasil, como o próprio ACM Neto, o prefeito da capital baiana Bruno Reis e até o ex-candidato à prefeitura de Lauro Teobaldo Costa se movimentaram, nos bastidores, para que a pedetista “pulasse a cerca”. A movimentação desagradou Félix, que foi orientado por outras lideranças do PDT a romper a aliança com o União Brasil.

 

Durante o programa Bahia Notícias no Ar, da Salvador FM 92,3, Félix revelou a existência de um acordo com Bruno Reis para indicação de secretários, caso o prefeito da capital baiana seja reconduzido ao cargo. No entanto, de acordo com o próprio Félix, após as desavenças, as articulações devem ser discutidas novamente. Veja o trecho em que Paulo Azi comenta sobre o assunto:

 

“Cinturão 44 está mais para bambolê”, diz Félix Mendonça sobre aliança do União Brasil para eleições na RMS
Foto: Reprodução / Youtube / Salvador FM

O deputado federal Félix Mendonça Filho, comentou as últimas movimentações políticas envolvendo o União Brasil e a sua sigla, especificamente no caso da vereadora Débora Régis, que deixou o PDT para se filiar ao União Brasil, para disputar a prefeitura em Lauro de Freitas, na região metropolitana de Salvador. O parlamentar criticou a aliança firmada entre alguns partidos que integram a base do prefeito Bruno Reis.  A entrevista aconteceu nesta segunda (22), no programa Bahia Notícias no Ar, da Salvador FM 92,3, apresentado por Maurício Leiro e Rebeca Menezes. 

 

Segundo Félix, o problema entre PDT e União Brasil é grande. “Não é por ser uma candidata em Lauro de Freitas, não que Lauro não mereça, o que aconteceu, podia ser em Camaçari, podia ser em Xique-Xique, em qualquer município. Você tem um candidato e aí em prol de fazer um tal de um cinturão 44, na região metropolitana, este que está mais para bambolê do que para cinturão. Você fazer um cinturão 44, quer dizer que não precisa de partido aliado. Os outros partidos que estão em Simões Filho, Lauro de Freitas, Camaçari, Dias D’ávila, basta o 44? Não precisa de mais ninguém, o União Brasil por si só está satisfeito? Pois se ele diz que só serve ele na cabeça de chapa e você tem um candidato que vem no PDT, seguindo, firmes nas disputas internas e aí depois que a candidata do PDT tá melhor, puxa ela para o União Brasil? Para ser uma representante fictícia? Só para constar como se fosse do União para fazer número só? Eu acho que se ela quisesse voltar a ser candidata pelo PDT, a gente diria que ela ficasse por lá, pra mim não  é assim, se voc? está num partido, é porque acredita no que ele representa”, disse o deputado. 

 

Em entrevista ao Podcast Projeto Prisma, do Bahia Notícias, na tarde desta segunda (22), o deputado federal Paulo Azi, afirmou que o Cinturão 44 na Região Metropolitana não foi planejado, mas vai se consolidar nas eleições. Na oportunidade, Azi afirmou que essas alianças são fruto das administrações que o União Brasil tem feito, sobretudo em Salvador. “Isso reflete nos municípios, especialmente os da RMS. O grande trabalho que o prefeito Bruno Reis, que já ocorreu no passado com ACM Neto, influência nos municípios”, disse o deputado federal.

Félix revela acordo com Bruno reis para indicação de secretários, caso prefeito seja reeleito
Foto: Reprodução / Youtube / Salvador FM

Em meio ao rompimento do PDT com o União Brasil, o deputado federal Félix Mendonça Filho (PDT), revelou ao programa Bahia Notícias no Ar, da Salvador FM 92,3, apresentado por Maurício Leiro e Rebeca Menezes, nesta segunda (22), que vem costurando um acordo que pode fazer a sigla permanecer na base do governo municipal, ampliando a sua participação. 

 

Em entrevista, o deputado afirmou que considera o PDT um partido independente e que espera eleger uma quantidade de vereadores significativa. Félix ainda falou sobre um acordo com o deputado federal Leo Prates, para indicar vereadores, caso eleitos, para secretarias numa eventual gestão de Bruno Reis (União), subindo os suplentes do PDT.

 

“Nós vamos buscar eleger quatro vereadores no mínimo, três são certos, mas vamos buscar eleger o quarto. Temos uma chapa grande, boa e pessoas que vão disputar. E temos um compromisso também com Léo Prates, que se acontecer a vitória de Bruno Reis e na eleição do nosso candidato, eu vou indicar um dos eleitos para ocupar um cargo no governo municipal e isso Léo Prates se comprometeu em fazer, então nós podemos ter dois secretários, o primeiro e o segundo suplentes já vão entrar, o que nenhum partido fez até agora, então a sugestão para que aqueles eleitos possam ocupar os cargos”, disse o deputado.  

 

Félix Mendonça ainda confirmou a presença do presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, que virá à Bahia na próxima semana para apresentar novidades e foi categórico ao afirmar que Ana Paula Matos (PDT), tem feito um grande trabalho como vice-prefeita e secretária de saúde e que tem todo o direito de disputar, assim como o prefeito, a sua reeleição.

Lupi chega em Salvador na próxima sexta e deve se reunir com Bruno Reis para falar sobre Ana Paula na vice em 2024
Foto: Reprodução / YouTube / Salvador FM

Presidente nacional do PDT, Carlos Lupi desembarca em Salvador na próxima sexta-feira (26) para uma sequência de reuniões que deverão tratar sobre as eleições municipais de outubro, com foco especial na capital baiana. A informação foi revelada pelo presidente do partido na Bahia, deputado federal Félix Mendonça Júnior, nesta segunda-feira (22).

 

Em entrevista ao programa Bahia Notícias no Ar, na rádio Salvador FM 92,3, o parlamentar indicou que a passagem de Lupi - que também é ministro da Previdência Social - pode render novidades em relação ao posto de vice na chapa que deve ser encabeçada por Bruno Reis (União) na disputa pela reeleição. Félix é um dos defensores da permanência da vice-prefeita Ana Paula Matos (PDT) para o pleito.

 

"Eu vi uma posição de Bruno que ele aguarda uma indicação do partido, tem outros partidos que compõem a aliança dele para ouvir também para tentar uma reeleição que considero bastante viável, e por ser uma reeleição bastante viável a discussão da vice fica mais forte mas eu acho natural que assim como o prefeito está na sua reeleição. a vice-prefeita também está, só teria que mudar se tivesse algum fato que desabonasse o nome dela, ou agregasse maior força para a chapa, e isso ao contrário, Ana Paula é um bom nome, tem sido excelente secretária de saúde e nosso presidente Lupi vem a Bahia na sexta-feira e deve ter reuniões e com certeza ele trará novidades", disse durante o bate-papo com os apresentadores Mauricio Leiro e Rebeca Menezes.

Recém-filiada, Débora Santana assume a liderança da bancada do PDT na Câmara de Salvador
Foto: Divulgação

A vereadora Débora Santana assumiu a liderança da bancada do PDT na Câmara Municipal de Salvador. A parlamentar foi eleita pelo Avante e mudou de legenda durante a janela partidária que fechou no dia 5 de abril. A bancada também é formada pela vereadora Roberta Caires, que é a vice-líder, e por Anderson Ninho.  


 “Além de duas mulheres do PDT neste parlamento, nosso partido conta com a vice-prefeita de Salvador, Ana Paula Matos. E Roberta Caires tem um excelente trabalho na área do empreendedorismo da mulher. E eu atuo bastante na área da saúde feminina. Portanto, há um complemento nessa atuação com essas bandeiras ”, diz Débora Santana.


Ela avalia que essa representatividade feminina no PDT de Salvador demonstra avanços na participação da mulher na política. “E também indica que a mulher está mais consciente, batalhando pela busca desses espaços. E um fator facilitador aqui na Câmara é a liderança do nosso presidente, Carlos Muniz. Pois ele apoia essa participação feminina na política. E nos deu todo o suporte para assumirmos essa bancada”, reforçou a parlamentar.

Leo Prates recebe homenagem de deputado da base de Jerônimo na AL-BA e diz que sempre dialogou bem com o governo
Foto: JulianaAndrade/AgênciaALBA

Presidente do PDT de Salvador, o deputado federal Leo Prates recebeu nesta sexta-feira (12), no plenário da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), a Comenda Dois de Julho, maior honraria da Casa. Embora o evento tenha contado com a presença do prefeito Bruno Reis (União), da vice-prefeita Ana Paula Matos (PDT) e de lideranças políticas próximas do Palácio Thomé de Souza, o intrigante é que a homenagem foi proposta pelo deputado estadual Vitor Azevedo, aliado do governador Jerônimo Rodrigues (PT), embora seja um quadro do PL de Jair Bolsonaro, partido que na Bahia está na iminência de anunciar apoio à reeleição do prefeito da capital baiana. 

 

Em entrevista à imprensa, Leo Prates negou qualquer sinalização de migrar para a base do governador. "Eu tenho lado. Somos oposição ao governo do Estado, mas nunca aos baianos. Isso também marca a minha trajetória. Sempre dialoguei bem com o governo. Não sou daqueles que trabalha para o quanto pior, melhor", argumentou. 

 

O deputado revelou, inclusive, que se reuniu ontem com a secretária estadual de Assistência e Desenvolvimento Social, Fabya Reis, cotada para ser a companheira de chapa do vice-governador Geraldo Júnior (MDB) na disputa pela Prefeitura de Salvador. Segundo o pedetista, a pauta foi a destinação de emenda federal para o Núcleo de Apoio da Criança com Paralisia Cerebral. 

 

Em seu discurso, Vitor Azevedo justificou a homenagem a Leo Prates destacando, sobretudo, a atuação do pedetista no comando da Secretaria de Saúde de Salvador durante a pandemia. Ele pontuou ainda que os dois são amigos há 20 anos. 

 

Embora estivesse em Salvador hoje, o principal padrinho político de Leo Prates, o ex-prefeito de Salvador, ACM Neto, não compareceu à solenidade na Assembleia.  

Pré-candidata a prefeitura de Lauro de Freitas, Débora Régis deixa PDT e se filia ao União Brasil
Foto: Reprodução / Instagram

A vereadora e pré-candidata à prefeitura de Lauro de Freitas, Débora Régis, confirmou as especulações e deixou o PDT para se filiar ao União Brasil. A troca de partidos foi concretizada nesta sexta-feira (5). Além dela, Mateus Reis, candidato a vice na chapa de Teobaldo Costa nas eleições de 2020, saiu do PSDB e também se filiou ao União.


O vice-presidente da legenda e ex-prefeito de Salvador, ACM Neto, comemorou a chegada da dupla na nova casa. “ Com a chegada desses dois jovens competentes, damos um passo muito importante para assegurar a união da oposição e oferecer aos eleitores a melhor alternativa para que Lauro recupere o tempo perdido e volte a se desenvolver”.


Informações obtidas pelo BN indicam que a vereadora estaria sendo "pressionada" a se filiar ao União Brasil para disputar o pleito deste ano. Lideranças da legenda, como ACM Neto, Bruno Reis e até o ex-candidato na cidade Teobaldo Costa encabeçaram o movimento para a filiação da vereadora. O empresário ainda mantém conversas para unir as oposições no município, que incluiria um acordo entre ele e Débora.


Por outro lado, a mudança não foi bem vista pelo deputado federal e presidente do PDT da Bahia, Félix Mendonça Júnior. Ele chegou a sugerir uma eventual derrota nas urnas caso a vereadora deixasse a legenda. 


Além disso, o parlamentar demonstrou insatisfação com o movimento do União Brasil e sugeriu um rompimento com a legenda. “O PDT da Bahia vai continuar independente, defendendo seus ideais. Nunca nos curvaremos a outro partido. Então, vamos nos afastar de alianças que são danosas aos nossos ideais, do oportunismo de quem apenas quer usar o partido da educação, do trabalhador e do empreendedor”, afirmou.

 

Ida de Débora Régis para União deve gerar rompimento entre grupo de ACM Neto e PDT para 2026; entenda
Fotos: Max Haack/Secom Salvador | Divulgação / PDT

Com o martelo batido e a ida da vereadora por Lauro de Freitas, Débora Régis (PDT), para o União Brasil já sacramentada, a relação entre ACM Neto e a sigla deve ficar estremecida. O presidente do PDT baiano, Félix Mendonça Júnior apostava todas as fichas em Régis na disputa à prefeitura de Lauro, na Região Metropolitana de Salvador (RMS).

 

LEIA TAMBÉM:

  • Com embate aquecido em Lauro de Freitas, Félix Mendonça fala sobre afastamento de "alianças danosas”

 

O detalhe é que as expectativas de Félix terminam frustradas já que a vereadora passou a ser "pressionada", às vésperas das eleições municipais, a se filiar ao União Brasil para disputar o pleito deste ano. Lideranças da legenda, como o próprio ACM Neto, o prefeito da capital baiana Bruno Reis e até o ex-candidato à prefeitura de Lauro Teobaldo Costa se movimentaram, nos bastidores, para que a pedetista pulasse a cerca. A movimentação desagradou Félix que está sendo orientado por outras lideranças do PDT a romper a aliança com o União Brasil.

 

Após afirmar que o PDT vai se “afastar de alianças danosas”, Félix Mendonça revelou ao Bahia Notícias que, neste momento, a sigla não faz mais parte da base aliada de ACM Neto, mas que também não existem conversas com o governo Jerônimo: “Posso dizer que não fazemos mais parte dessa base. Somos independentes. O PDT não é da base aliada do União Brasil. Não tem conversa com governo. Não estamos presos com nenhum lado”, contou.

 

Além disso, Félix foi enfático ao dizer que a “aliança com o União Brasil para 2026 está zerada", sepultando assim qualquer apoio do partido ao União durante disputa estadual do mesmo ano. "Se tiver uma reunião dos partidos da base aliada de Neto, não participaremos. Não ocorreu nem durante a campanha. Então ela não deve ocorrer. Somos um partido independente", frisou Félix Mendonça.

Apesar de insatisfação, PDT mantém acordos com União Brasil para as eleições municipais na Bahia
Foto: Reprodução Redes Sociais

Apesar da relação entre o PDT e União Brasil na Bahia dar indícios de ter azedado, os acordos para as eleições municipais de 2024 estão mantidos. Para o Bahia Notícias, o presidente da legenda trabalhista no estado, Félix Mendonça Júnior, afirmou que, além do União, a sigla também apoiará o PT em algumas cidades.

 

"É difícil mudar alguma coisa. Temos diversos municípios que apoiamos PT. Outros que somos apoiados pelo PT e pelo União. Mas, é difícil. Isso interfere basicamente na condução dos partidos. Isso serve para gente e para os outros. Como ocorreu com a gente pode ocorrer com outros", disse Félix.

 

O pedetista tornou pública sua insatisfação após os rumores de que a vereadora de Lauro de Freitas Débora Régis iria para o União, fato que deve se confrimar até o próximo sábado (6), com o fim da janela partidária. Ele chegou a sugerir uma eventual derrota nas urnas caso a vereadora, que é pré-candidata à prefeitura de Lauro, deixasse a legenda. 

 

Além disso, o parlamentar demonstrou insatisfação com o movimento do União e sugeriu um rompimento com a legenda. “O PDT da Bahia vai continuar independente, defendendo seus ideais. Nunca nos curvaremos a outro partido. Então, vamos nos afastar de alianças que são danosas aos nossos ideais, do oportunismo de quem apenas quer usar o partido da educação, do trabalhador e do empreendedor”, afirmou.

 

Segundo Félix, entre as cidades que estão com o cenário definido está Salvador. Na capital baiana, o PDT deve garantir a vice na chapa do prefeito Bruno Reis com Ana Paula Matos. "A aliança que nós temos para prefeitura e vereadores está mantida em Salvador”, confirmou. 

 

RETORNO A BASE DO PT

O ex-pedetista histórico, deputado estadual Roberto Carlos, hoje no PV, protestou e indicou que irá trabalhar pelo retorno do PDT à base do governo do Estado.
 

"É inaceitável a forma como o União Brasil tem tratado o partido ao qual fui filiado por muitos anos e onde meu filho Randerson Leal ainda está, na condição de vereador de Salvador", protestou o parlamentar. Randerson se filiou, nesta quinta, ao Podemos.
 

"Tenho mantido conversas com Félix sobre as eleições municipais, inclusive tratando da filiação de prefeitos. O caminho natural é que o PDT retome a aliança com o PT, como já aconteceu no âmbito nacional. Os caciques do União Brasil não respeitam aliança, eles querem subserviência", pontuou o deputado.

 

Além dele, outro nome ligado à gestão estadual e que integra o PDT, o prefeito de Euclides da Cunha, Luciano Pinheiro, foi na mesma linha. Questionado pelo Bahia Notícias, Pinheiro revelou que irá buscar a migração do apoio. 

 

"Historicamente, sempre marchamos ao lado do PT, do governo estadual. Em 2022, por pequenas diferenças locais e o projeto nacional, a cúpula estadual do partido tomou um rumo diferente, mas está na hora de nos reaproximarmos. O PDT é um partido de esquerda, e precisa ser respeitado. Eu tenho aconselhado Félix a abrir o diálogo com o governo Jerônimo Rodrigues (PT), de quem nunca deixei de ser aliado e apoiei em 2022, assim como sou parceiro também do meu deputado federal. Vou insistir nisso com ele", disse ao BN.

Randerson Leal deixa PDT e se filia ao Podemos

Randerson Leal deixa PDT e se filia ao Podemos
Foto: Reprodução Redes Sociais

O vereador Randerson Leal foi mais um a aproveitar os momentos finais da janela partidária para mudar de legenda. Nesta quinta-feira (4) o edil deixou o PDT e se filiou ao Podemos, partido que vai apoiar a candidatura de Geraldo Júnior (MDB) à prefeitura de Salvador.


“Após uma intensa análise do cenário político e uma série de diálogos com a minha base, anuncio a decisão de me filiar ao Podemos. Esta mudança partiu do meu profundo desejo de buscar alianças que possam representar efetivamente os interesses da nossa população”, publicou Randerson nas redes sociais. Ele é filho do deputado estadual e dirigente de futebol, Roberto Carlos. 


No ano passado, o Podemos incorporou o PSC e praticamente dobrou de tamanho, passando de 405.169 filiados para 802.495. Em Salvador o partido é liderado por João Cláudio, filho do deputado federal Bacelar (PV). A presidência do partido na Bahia é ocupada pelo deputado federal, Raimundo Costa.

Com embate aquecido em Lauro de Freitas, Félix Mendonça fala sobre afastamento de "alianças danosas”
Foto: Reprodução / Salvador FM

Após sugerir uma eventual derrota nas urnas caso a vereadora por Lauro de Freitas, Débora Régis (PDT), deixe a sigla, o presidente do PDT, Félix Mendonça Júnior, afirmou que o partido vai se “afastar de alianças danosas”. A declaração foi publicada nesta quarta-feira (3), no X (antigo Twitter).

 

“O PDT da Bahia vai continuar independente, defendendo seus ideais. Nunca nos curvaremos a outro partido. Então, vamos nos afastar de alianças que são danosas aos nossos ideais, do oportunismo de quem apenas quer usar o partido da educação, do trabalhador e do empreendedor”, afirmou o presidente do PDT baiano.

 

Informações obtidas pelo BN, indicam que a iminente saída de Régis está próxima, e que o destino dela deve ser o União Brasil. A vereadora estaria sendo "pressionada" a se filiar ao União Brasil para disputar o pleito deste ano. Lideranças da legenda, como ACM Neto, Bruno Reis e até o ex-candidato na cidade Teobaldo Costa estariam fazendo o movimento de tentar filiar Débora Régis. O empresário ainda se apresenta como pré-candidato do partido na cidade e mantém conversas para unir as oposições no município, que incluiria um acordo entre ele e Débora. Félix já havia confirmado que o PDT teria candidatura na cidade.

PDT determina exclusão sumária de filiados em Juazeiro
Foto: Reprodução / Prefeitura de Juazeiro

O Partido Democrático Trabalhista (PDT) determinou a “exclusão sumária” de todos os filiados da sigla em Juazeiro, município no Vale do São Francisco. A informação foi confirmada pelo site Rede GN, parceiro do Bahia Notícias, com fontes da direção do partido. 

 

A decisão foi tomada pela nova executiva e assinada pelo presidente do partido, Francisco Odécio de Souza, e pelo secretário da sigla, Gilmar Oliveira. O documento decreta a exclusão dos filiados no sistema do TSE, sob a alegação de “adormecimentos circunstanciais; falta de primorosidades e responsabilidade dos filiados”, determinando que a secretaria solicite a imediata “desfiliação sumária e sistêmica” de todos no sistema da justiça eleitoral.

 

 

A decisão atinge todos os filiados, incluindo pessoas ligadas ao deputado estadual Roberto Carlos, que comandou a legenda por mais de duas décadas em Juazeiro.

Prefeita de Morro do Chapéu, Juliana Araújo se filia ao PDT; vice vai para o União Brasil
Foto: Divulgação

Eleita pelo PL em 2020, a prefeita de Morro do Chapéu, Juliana Araújo, se filiou, nesta quinta-feira (21), ao PDT. A oficialização ocorreu em um espaço de eventos da cidade, e contou com as presenças dos deputados federais pedetistas Félix Mendonça Júnior, presidente da sigla na Bahia, e Leo Prates, que comanda o partido em Salvador. Outras lideranças políticas, como o deputado federal Elmar Nascimento (União) e os estaduais, Júnior Nascimento (União) e Pedro Tavares (União), também participaram.

 

A prefeita lembrou da relação antiga como o PDT, sigla no qual o pai dela, o ex-deputado federal José Carlos Araújo, é atualmente vice-presidente. “Esse namoro já era antigo. Acredito que é um caminho que fortalece ainda mais nosso projeto para continuar promovendo as transformações que o município precisa. Estamos montando uma chapa à reeleição com o apoio de sete a oito partidos e temos o apoio mais importante, o da população”, frisou. 

 

O deputado Félix Mendonça alegou que chegou a cogitar o nome de Juliana para a vice de ACM Neto (União) no pleito de 2022, e que a prefeita, que disputa a reeleição em outubro, é uma das apostar para o PDT em 2026. “Tenho certeza que ela vai vencer a reeleição e terá um grande futuro, seja como candidata a deputada estadual ou federal, ou até mesmo voos mais altos, como o Senado e, quem sabe até, o governo”, declarou. 

 

Na mesma solenidade, o atual vice-prefeito Vitor Araújo ingressou no União Brasil, a pedido de Elmar Nascimento. "O casamento desses dois partidos em Morro do Chapéu tem tudo para dar certo. Já temos uma união forte na Câmara Federal e no âmbito estadual, de modo que a entrada de Juliana no PDT é algo natural. Para mim, é como se ela estivesse no União Brasil”, discursou Elmar. 

 

Também participaram do ato de filiação de Juliana Araújo ao PDT prefeitos e vereadores de municípios da Chapada Diamantina e da região de Irecê.

Com "avanço" em cenário nacional, federação entre PSB e PDT pode sofrer embate na Bahia; entenda cenário
Fotos: Divulgação / Câmara dos Deputados

Ainda buscando uma composição para que a federação entre PSB e PDT saia do papel, lideranças partidárias se articulam para conseguir aparar as arestas. Apesar disso, na Bahia, o ajuste parece um pouco distante, pelo menos se depender do presidente estadual do PDT, deputado federal Félix Mendonça. 

 

"Eu acho que essa federação do PDT com o PSB já deu chabu, não vai avançar. Veja que o PDT é um partido histórico, com alicerces fincados na defesa do trabalhismo e da educação, e não pode permitir que aconteça, por exemplo, o que aconteceu com o PV e o PCdoB ao se federarem ao PT, ficando em segundo plano", comentou ao BN. 

 

Além disso, Félix apontou que nos estados onde surgiu a conversa da federação do PDT com o PSB, que foram Pernambuco e Ceará, "os dois partidos estão seguindo rumos diferentes". "Na Bahia, já existe uma divergência. O PSB viria apoiar, por exemplo, o grupo do prefeito Bruno Reis (União), do qual fazemos parte? Enfim, apesar de serem dois partidos de base ideológica até semelhantes, a união é muito difícil e não acredito nessa possibilidade", acrescentou. 

 

Anteriormente, a Bahia já havia sito citada como um dos entraves para dificultar a concretização da Federação.  A disputa pela Prefeitura de Salvador em 2024 seria um novo entrave entre as duas siglas. O PDT é o partido de Ana Paula Matos, vice-prefeita na gestão do prefeito Bruno Reis (União Brasil). Ambos devem concorrer à reeleição no próximo ano. O PSB, por sua vez, chegou a lançar a pré-candidatura da deputada federal Lídice da Mata, que já foi prefeita da cidade de 1993 a 1996, mas recuou após a unificação da base aliada do governador Jerônimo Rodrigues na capital baiana em torno do vice-governador Geraldo Jr. (MDB).

 

Mesmo com as "travas", existe a possibilidade de ajuste na Bahia. Ao Valor Econômico, a deputada federal Lídice da Mata (PSB) indicou que pode existir uma recomposição mais à frente, quando a eleição nacional ficar mais próxima. “Esse estremecimento aconteceu, posições de um que o outro não gostou. Mas acho que isso não atrapalha planos futuros que são importantes para o fortalecimento dos dois”, disse uma das vice-presidentes nacionais do partido. 

 

O PSB chegou a reunir sua Executiva nacional ano passado e aprovar a composição, mas os pedetistas preferiram esperar a eleição de 2024 e firmar o compromisso só para a eleição nacional. Agora, essa possibilidade é quase nula. Como alternativa, eles projetam possíveis aliança com o Solidariedade, Avante ou até PSDB.

Félix Mendonça apresenta projeto que permite a juízes tomarem decisões de forma anônima em caso de risco grave aos magistrados
Foto: Divulgação / Câmara dos Deputados

 

O deputado federal Félix Mendonça Júnior (PDT-BA) apresentou um projeto de lei que permite a juízes tomarem decisões de forma anônima nos casos em que houver risco à vida do magistrado. A proposta, apresentada, nesta terça-feira (20), na Câmara dos Deputados, em Brasília, é uma demanda da própria categoria, sobretudo em sentenças que envolvem crimes violentos ou de ameaça grave.  

 

Na justificativa, o texto pontua que muitos magistrados que atuam no âmbito penal são constantemente ameaçados de morte ou assassinados em razão da função que desempenham e, na maioria dos casos, precisam lidar com pessoas de alta periculosidade. “O que se busca com essa proposta é proteger a pessoa do julgador e não o ato jurídico por ele praticado, que continuará público, preservando assim o princípio da publicidade, bem como o princípio do juiz natural", explicou o parlamentar baiano.

 

A proposição defende medidas para minimizar os riscos à vida desses magistrados, possibilitando que atuem na função jurisdicional, mas de forma a preservar-lhes a vida, sobretudo quando houver "vulnerabilidade não só do magistrado, enquanto pessoa física, mas do Estado e da democracia".

Adversários no plano estadual, PDT e PT selam primeira aliança no interior e farão “dobradinha” em Euclides da Cunha
Foto: Divulgação

 

Adversários no plano estadual, PDT e PT firmaram o primeiro acordo para as eleições municipais de 2024. Em Euclides da Cunha, município do Nordeste do Estado, os petistas apoiarão o candidato escolhido pelo prefeito Luciano Pinheiro (PDT), que, a exemplo do gestor, será um pedetista. 

 

LEIA TAMBÉM

 

O acerto foi fechado na última sexta-feira (12), após um encontro entre Luciano Pinheiro, que já está na reeleição, e o presidente do PT da Bahia, Éden Valadares, em Salvador. "Ficamos muito felizes com essa aliança. Apoiamos a eleição do governador Jerônimo Rodrigues (PT) e do presidente Lula (PT) em 2022, de modo que esse é um entendimento natural. Essa parceria, que já tem gerado frutos políticos para nosso município, só tende a se fortalecer cada vez mais", declarou o prefeito de Euclides da Cunha.

 

No encontro entre Luciano Pinheiro e Éden Valadares, ficou acertado ainda a filiação da vereadora Simone Mattos, hoje no PSD, ao PT. Ela participou da reunião na sexta. Simone era, até a semana passada, aliada do ex-deputado federal José Nunes (PSD), que lidera a oposição no município ao lado do filho, o deputado federal Gabriel Nunes (PSD). A vereadora é um dos nomes cotados para a vice do candidato escolhido pelo prefeito, a ser anunciado até o final deste mês. 

 

Vale lembrar que José Nunes também é da base de Jerônimo, que deve se manter neutro na disputa eleitoral em Euclides da Cunha, pois reconhece em Luciano Pinheiro um aliado importante, apesar de o PDT ser uma sigla da oposição. A oposição no município também não definiu ainda quem será o postulante a prefeito em 2024. 

 

Em entrevista recente ao site, o presidente do PDT da Bahia, deputado federal Félix Mendonça Júnior, disse que não há vetos a alianças entre o partido e o PT no interior.

Aposta do PDT, Omar Gordilho diz aguardar “decisão do grupo” para lançar candidatura à vereador
Foto: Antônio Cavalcante / Bahia Notícias

As eleições de 2024 surgem como uma oportunidade do PDT testar algumas possibilidades na Câmara de Vereadores. O nome do presidente da  Empresa de Limpeza Urbana de Salvador (Limburp), Omar Gordilho, surgiu com força nos bastidores, ainda em outubro do ano passado (reveja aqui). 

 

Ao Bahia Notícias, durante a Lavagem do Bonfim, nesta quinta-feira (11), Gordilho destacou que foi muito bem recepcionado pelo público e que a decisão se ele sairá ou não como candidato à Câmara Municipal caberá ao grupo.

 

“Esperar a decisão do grupo se devemos ou não sair candidato. Que a gestão continue esse sucesso, tanto lá na Limpurb como na prefeitura de Salvador. [...] O esforço é grande, é uma dedicação muito grande. É diuturnamente, 24 horas por dia, 7 dias por semana na limpeza urbana. Eu fico muito agradecido por essas palavras, mas com certeza iremos nos dedicar ainda mais para melhorar mais ainda toda a nossa cidade e principalmente agora no verão a quantidade de turistas”, explicou o presidente da Limpurb, destacando que o prazo de desincompatibilização - isto é, o período que ele possui para se afastar da função pública que exerce - é de seis meses, mas que o foco atual é na gestão à frente da Limpurb.

 

Além de Omar Gordilho, outra aposta do PDT para a Câmara de Vereadores é do presidente Diretoria de Ações de Proteção e Defesa do Consumidor de Salvador (Codecon), Zilton Kruger. Omar e Kruger são ligados, respectivamente, aos deputados federais Félix Mendonça (PDT) e Leo Prates (PDT).

 

Omar já chegou a ocupar interinamente o comando da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop). Ambos devem se desincompatibilizar dos cargos em abril de 2024 para concorrer no pleito.

PDT vai apoiar candidatura à reeleição do prefeito de Teixeira de Freitas

Presidente do PDT baiano, o deputado federal Félix Mendonça Júnior declarou o apoio do partido à reeleição do atual prefeito de Teixeira de Freitas, Marcelo Belitardo (União). O anúncio ocorreu durante um encontro entre o parlamentar e o gestor, realizado na manhã desta sexta-feira (15), em Salvador, e que contou ainda com a presença do presidente do PDT no município, Éden Barreto. 

 

"Esse é um apoio essencial para a caminhada do nosso grupo em Teixeira de Freitas. O PDT é um partido que tem identidade e força política, com totais condições de nos ajudar cada vez mais na tarefa de continuar esse trabalho de crescimento do nosso município. Estamos felizes com essa decisão do deputado Félix", declarou o prefeito.

 

Para Félix, o PDT se articula para crescer na Bahia, inclusive no extremo-sul do Estado, região em que Teixeira de Freitas está situada. "Estamos atuando para que o partido saia de 2024 mais fortalecido, e esse apoio ao prefeito Marcelo Belitardo, que tem feito uma boa gestão, faz parte desse processo", frisou. 

Juventude do PDT promove encontro em Salvador e defende renovação em chapa de candidatos a vereador
Foto: Divulgação

A Juventude Socialista (JS) do PDT da Bahia realizou neste sábado (25), na Faculdade de Direito da Ufba, em Salvador, um congresso municipal que defendeu a participação dos jovens pedetistas na política, inclusive no pleito municipal de 2024. O evento contou com a presença das principais lideranças baianas da sigla: os deputados federais Félix Mendonça e Leo Prates, presidentes estadual e municipal, respectivamente, e a vice-prefeita de Salvador, Ana Paula Matos.

 

Também estiveram presentes o presidente da Limpub, Omar Gordilho, e o comandante da Diretoria de Proteção e Defesa do Consumidor (Codecon) da Prefeitura de Salvador; Zilton Kruger, que são pré-candidatos a vereador e representam a juventude e a renovação que o PDT planeja implementar na chapa para a Câmara Municipal da cidade em 2024.  

 

"A juventude, com seu potencial de renovação, é importante para o PDT não ser um partido que só reverencia o eu legado, mas também sabe construir novas lideranças. Isso é importante para o futuro. Por isso, precisamos, inclusive, avaliar bem se devemos ou não receber vereadores de mandato para disputar as eleições de 2024 na capital", declarou o presidente da JS na Bahia, Carlos Brasileiro. 

 

Questionado sobre a chapa proporcional na capital, Félix afirmou que as executivas estadual e municipal devem se reunir para tratar do assunto em breve. "Vamos analisar, inclusive, se iremos receber ou não vereadores de mandato e temos total independência para isso. Uma coisa é certa: só serão candidatos pelo PDT aqueles que estão de acordo com os ideais pedetistas, a exemplo da defesa do trabalhismo, da educação e da democracia. E iremos avaliar isso caso a caso", ressaltou o parlamentar.

 

Atualmente, o PDT tem dois vereadores na Câmara Municipal de Salvador: Anderson Ninho e Randerson Leal. A situação de ambos será debatida nas executivas estadual e municipal da legenda. O partido está na base do prefeito Bruno Reis (União) e deseja manter Ana Paula como vice em 2024. 

 

Em seu discurso, a vice-prefeita destacou a importância da juventude para o PDT. "Esses movimentos, como o da JS, são importantes porque fortalecem o partido de baixo para cima. Defendemos que os jovens estejam na política porque isso é fundamental para transformar a vida das pessoas", frisou. 

 

Leo Prates também ressaltou a força da juventude pedetista e lembrou que atuou no movimento estudantil antes de ingressar na vida pública. "Queremos, cada dia mais, que os jovens busquem conquistar seus espaços. Eu sou um dos exemplos de que isso é possível".

PDT declara apoio ao Progressistas para reeleição de Zé Cocá em Jequié
Foto: Divulgação

O presidente do Partido Democrático Trabalhista (PDT) da Bahia, o deputado federal Félix Mendonça Júnior, anunciou, nesta segunda-feira (20), o apoio ao Partido Progressista (PP) para a reeleição do atual prefeito Zé Cocá, em Jequié. A declaração foi dada após uma reunião entre os líderes, em Salvador. 

 

"Zé Cocá tem feito uma gestão diferenciada em Jequié e o PDT já faz parte desse projeto exitoso e sério. Queremos colaborar cada vez mais com esse trabalho, inclusive destinando recursos federais para o município e ajudando o prefeito no que for possível para a realização de obras e investimentos", declarou Félix. 

 

O prefeito também comentou a parceria: "Muito nos honra essa parceria com um partido que tem tanta história no país e na Bahia, sobretudo na defesa de bandeiras tão caras como a educação pública de qualidade e os direitos dos trabalhadores. Fico muito grato pela confiança e avançaremos cada vez mais unidos".

 

Na ocasião, também estiveram presentes o presidente da Câmara de Vereadores de Jequié, Emanuel Campos Silva, conhecido como “Tinho” (PV), o comandante municipal do PDT, Eliezer Pereira, e o ex-prefeito de Araci e suplente de deputado estadual Silva Neto, que também é pedetista. 

 

Silva Neto elogiou a gestão de Zé Cocá. "É um governo que tem mudado a cara de Jequié. Por isso, o PDT está junto e vamos apoiar a reeleição do prefeito em 2024, com muito orgulho. Temos plena confiança de que esse trabalho precisa continuar".

 Leo Prates desconversa sobre a manutenção de Ana Paula Matos como vice na chapa de Bruno Reis
Foto: Maurício Leiro / Bahia Notícias

Com a casa cheia e a presença maciça de personalidades do meio político, entre elas, o ministro da Previdência e presidente nacional licenciado do PDT, Carlos Lupi, o deputado federal da legenda, Leo Prates, recebeu, na noite desta quinta-feira (9), a Medalha Thomé de Souza, em cerimônia realizada na Câmara Municipal de Salvador, casa onde exerceu o cargo de presidente no biênio 2017/2018. 

 

Em entrevista ao Bahia Notícias, Prates usou a música “De volta pro aconchego”, da cantora Elba Ramalho, para ilustrar sua satisfação em ser o homenageado da noite. “Eu estou de volta para o meu aconchego, aqui é minha cidade, o meu lar. Eu sempre tenho dito que esse é o dia mais especial da minha semana porque é a quinta-feira que eu volto para Salvador, a cidade que eu amo, que eu construí minha carreira e estar de volta aqui nessa casa, onde eu fui  tudo e pude dar a minha contribuição a Salvador, é sempre uma emoção muito grande”, afirmou.

 

O parlamentar, que foi titular da Secretaria Municipal de Saúde entre 2019 e 2022, lembrou o desafio em chefiar a pasta num período emblemático como o da pandemia. “Vocês da Imprensa puderam, durante a pandemia, acompanhar o nosso esforço, a nossa luta familiar também. Desde 2020 a luta familiar (...) meu sobrinho, inclusive, que está com leucemia, a gente acabou muito exposto durante a pandemia, mas o que a cidade pode ter certeza é que dentro das nossas qualidades, dos nosso defeitos, erros e acertos somos todos humanos e precisamos ter essa humildade. Nós sempre buscamos fazer o melhor para nossa cidade porque aqui eu espero que meus filhos cresçam, que meus netos cresçam e que a gente tenha uma cidade cada melhor para eles, por eles”, reforçou. 

 

VICE NA CHAPA 

Sobre a reunião na tarde desta quinta-feira entre o ministro Carlos Lupi e o prefeito de Salvador, Bruno Reis (União), onde foi defendida a permanência da vice-prefeita Ana Paula Matos na composição da chapa que disputará à reeleição em 2024, Leo Prates confirmou que participou da reunião, mas não presenciou nenhuma discussão sobre a vice “até porque nós temos etapas a seguir”. 

 

Na visão de Prates, o primeiro passo é o prefeito Bruno Reis confirmar a sua candidatura, uma vez que o que está em discussão é um projeto político. “A segunda etapa é a construção das ideias que o PDT vai apresentar para esta nova candidatura do prefeito Bruno Reis. Nós temos uma aliança com a Prefeitura Municipal de Salvador e o terceiro passo é a discussão. A Ana [Paula Matos] é um grande nome, é um grande quadro do PDT, mas essa é uma discussão até por respeito ao prefeito e a cidade de Salvador, porque eu acho que esse é o momento de trabalhar. O Ministro Carlos Lupi e o prefeito trataram de parcerias. Eu acho que esse é o ano do trabalho, então, enquanto o prefeito não der, como diz assim, o start na política, eu acho que é hora de falar de gestão e do povo de Salvador”, desconversou. 

Presidente nacional do PDT defende que Ana Paula fique como vice de Bruno Reis: "Casa como uma luva"
Foto: divulgação

O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, defende a manutenção de Ana Paula Matos como vice de Bruno Reis (União) na chapa de reeleição em 2024. Ele se encontrou com os dois nesta quinta-feira (9), numa reunião que também contou com a presença do ex-prefeito de Salvador, ACM Neto (União).

 

“A vice-prefeita Ana Paula está dando uma grande contribuição ao prefeito Bruno e a cidade de Salvador. É uma pessoa competente e honrada. Uma mulher que honraria qualquer chapa no Brasil inteiro. Nós do PDT queremos muito que ela continue como vice, achamos que ela é um nome que casa como uma luva com o nome de Bruno Reis”, reforçou Lupi.

 

Dirigente do PDT na Bahia, o deputado federal Félix Mendonça Jr. seguiu o mesmo tom de Lupi. "O PDT já fechou questão sobre a indicação para manter Ana Paula na chapa em 2024. A nossa vice-prefeita tem sido uma parceira leal e uma colaboradora fundamental, uma das peças chaves no sucesso da gestão do prefeito Bruno Reis", disse Félix Jr..

 

Apesar do partido ser apoiador do governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o próprio Lupi ser ministro do Trabalho e Emprego, a ideia é seguir apoiando o União Brasil contra os petistas. Conforme o presidente do partido, não há regras para coligações e deve-se avaliar “cada realidade local”.

 

“Nós não podemos traçar uma régua nacional pras eleições municipais porque aí aniquila a autonomia de cada partido em seu município. Então temos que ter clareza e tranquilidade para avaliar cada realidade local. Cada diretor estadual, conjuntamente com o municipio, vão avaliar as viabilidades eleitorais e as alianças”, respondeu.

 

Na combinação em Salvador para 2024, o ministro está confiante: “Tenho certeza que essa dobradinha que foi vitoriosa vai ser vitoriosa outra vez”, reforçou.

Cortejado pelo PDT, Rodrigo Hagge nega saída do MDB no momento mas não descarta mudança para eleição de 2026
Foto: Reprodução / Políticos do Sul da Bahia

Cortejado por outros partidos desde 2022, o prefeito de Itapetinga Rodrigo Hagge voltou a entrar na rota do PDT nos últimos dias. Atualmente filiado ao MDB, Hagge teve o nome aventado na sigla brizolista durante o processo eleitoral do ano passado quando decidiu apoiar a candidatura de ACM Neto (União) ao governo da Bahia, contrariando a Executiva estadual da legenda, que escolheu caminhar com Jerônimo Rodrigues (PT) e indicou o nome de Geraldo Jr. para a vice do petista. Apesar do novo assédio partidário, Hagge garante que vai permanecer no MDB no momento mas não rifa a possibilidade de efetuar a portabilidade para o pleito de 2026.

 

"Não existe essa possibilidade, pelo menos no momento. Eu estou muito bem no MDB, o MDB tem dado suporte, sustentabilidade aos pré-candidatos a prefeito no município de Itapetinga. É um partido que tem uma história familiar, que faz parte da minha vida, é o único partido que me filiei desde o início da militância partidária, desde a minha primeira filiação. O PDT tem sido um grande parceiro, Félix [Mendonça Jr.] é um grande amigo, tem me ajudado muito na gestão. O presidente municipal do PDT tem dado total apoio e é pré-candidato também a prefeito aqui no município, mas até o momento não tem qualquer definição, nem desejo da minha parte de migrar de legenda. O convite tem, como tem de todos, mas não existe a menor possibilidade para agora, não digo para 2026, mas para agora não", comentou na manhã desta quinta-feira (26).

 

Em maio deste ano, Félix Mendonça voltou a convidar o prefeito de Itapetinga, Rodrigo Hagge (MDB) para o seu partido. Ao Bahia Notícias, o prefeito também sinalizou que seus próximos passos na política passam por uma candidatura a deputado federal em 2026. Reeleito em 2020, Hagge não pode disputar a eleição do ano que vem e considera "natural" o caminho para disputar uma cadeira na Câmara dos Deputados dois anos depois.

 

"Eu acho que é o caminho natural, uma vez que fui candidato em 2020, não fui candidato em 2022, não posso ser candidato em 2024. Caso eu não seja candidato em 2026 eu só poderei ser candidato em 2028, porém com fé em Deus faremos o sucessor e o direito da reeleição será do sucessor, e aí iria para 2030, ou seja, mais de 10, 12 anos, sem colocar meu nome à disposição para nenhum cargo político nem pleitear e participar efetivamente e ativamente de uma eleição. Então é o caminho natural que a gente tenha essa disponibilidade para disputar as eleições de 2026", disse.

Leo Prates é eleito presidente de comissão especial de prevenção a desastres climáticos
Foto: Divulgação/Assessoria

O deputado federal Leo Prates (PDT) foi eleito, por unanimidade, presidente da Comissão Especial sobre Prevenção e Auxílio a Vítimas de Desastres e Calamidades Naturais. O objetivo é propor novas leis e ações que auxiliem na formação de um sistema integrado de informações, que auxilie o poder Executivo a minimizar os impactos das calamidades na população das cidades atingidas.

 

O Sistema Nacional de Desastres será uma matriz que poderá dar aos poderes constituídos respostas imediatas aos eventuais desastres climáticos em todo o país. “Queremos compilar as iniciativas em curso nesta Casa para que possamos ter um sistema que, além de diminuir os impactos dos desastres, possa dar assistência após a ocorrência deles, auxiliando a população a retomar suas rotinas”, declarou Leo.

 

De acordo com dados da Confederação Nacional de Municípios (CNM) apresentados durante a instalação da comissão, 5,8 milhões de brasileiros foram afetados pelas chuvas e secas ocorridas em 2023. A estimativa da entidade indica que as calamidades provocaram prejuízos econômicos de R$50,5 bilhões nos municípios atingidos no mesmo período. Foram publicados, ainda, 3.380 decretos de calamidade pública em todo o Brasil. 

Félix Mendonça Jr. confirma “repaginada” em chapa de vereadores do PDT de Salvador: "Eleitos não estão alinhados com o partido"
Foto: Divulgação / Câmara dos Deputados

Uma reestruturação de vereadores do PDT de Salvador está prevista para acontecer. O presidente da sigla na Bahia, o deputado federal, Félix Mendonça Jr., confirmou, em conversa com o Bahia Notícias, nesta segunda-feira (9), que o partido planeja “fazer uma limpa” e pretende receber novos candidatos mais alinhados com a sigla.

 

LEIA TAMBÉM

“Em Salvador, os vereadores eleitos não estão alinhados com o partido. Então, não precisamos tomar nenhuma indicação de expulsão, mas na formação da chapa vamos ter que conversar para saber quem quer ficar, quem quer sair, quantos vão entrar, quantos vão sair, mas nada radical não. Ninguém receberá um ‘você está fora’, não será nada assim não”, esclareceu.

 

O parlamentar também ressaltou que a prioridade do PDT é que os novos candidatos que entrarão na chapa, preferencialmente, não tenham mandato na Câmara de Salvador.

 

“Tem que ter uma afinidade com o partido. Não necessariamente tendo mandato, de preferencialmente, não tendo mandato. Claro que eventualmente deve entrar um ou outro com mandato, mas que tenha afinidade com partido”, disse.

 

Segundo Félix, as conversas sobre os possíveis convites de saída e entrada do partido ainda não iniciaram, mas que logo irão começar. “Eu não convidei ninguém para sair, nem para entrar. Eu vou ter um papo com todo mundo e tentar botar democraticamente.”

 

“Não vai ter convite de saída, será um bate-papo, vamos chamar as pessoas. Também porque você não pode chegar e, de repente, depois de passar o tempo, avisar que ‘não vai ter legenda’, porque isso não é a coisa correta”, detalhou.

 

Mendonça também evidenciou que a sigla organizará a chapa de maneira democrática e ressaltou que “se tivesse que haver uma discussão e convidado alguém a sair, eu já teria feito isso”.

PDT deve ter "limpa" de vereadores para 2024 e já debate futuro de chapa em Salvador; saiba detalhes
Foto: Divulgação

As discussões sobre a montagem da chapa de vereadores do PDT para 2024 tem ocorrido de forma intensa. O debate ocorre na cúpula do partido no estado e deve ser repassado para o diretório municipal, incluindo a possibilidade de alterações para o pleito. 

 

Interlocutores da legenda sinalizaram ao Bahia Notícias que uma "limpa" deve ocorrer no partido, pensando na arrumação da chapa para 2024. Os dois vereadores que atuam na Câmara de Vereadores, Anderson Ninho e Randerson Leal devem deixar a legenda. O convite para sair deve atingir também o vereador licenciado Henrique Carballal, atual comandante da CBPM, de quem Randerson "herdou" temporariamente a vaga.

 

Com situações diferentes na sigla, os vereadores não apoiaram os atuais deputados federais em 2022 por motivos diferentes. Carballal, vereador eleito em 2020, esteve ao lado do atual vice-governador Geraldo Jr. (MDB) na campanha de Jerônimo Rodrigues (PT) ao governo, assim como Randerson Leal. Já Ninho, compõe a base de apoio do prefeito Bruno Reis (União), porém sem proximidade direta com Leo ou Félix. 

 

O intuito seria criar um critério para que vereadores com mandato permaneçam ou cheguem no partido: o apoio aos nomes do partido na Câmara dos Deputados. Com isso, somente quem esteve com Félix Mendonça e o também deputado federal Leo Prates poderiam permanecer ou ingressar na legenda. A "reformulação" não deve vetar nomes que detenham um mandato atualmente, mas um limite de nomes deve ser feito. 

 

Figuras com situação indefinida em outros partidos podem adentrar no PDT, como os casos dos vereadores Débora Santana (Avante), Leandro Guerrilha (PP) e Cláudio Tinoco (União). As discussões para realizar os ajustes de chegadas já teriam sido iniciadas, aguardando os encontros do partido no município. 

Vereador propõe título de cidadão soteropolitano a Carlos Lupi, ministro da Previdência Social
Foto: Divulgação / PDT

O vereador Anderson Ninho (PDT) decidiu propor a entrega do título de Cidadão da Cidade de Salvador ao atual ministro da Previdência Social, Carlos Lupi. Por atuar no governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Lupi deixou temporariamente o posto de presidente nacional do PDT - mesmo partido do vereador. O comando da sigla está com André Figueiredo no momento.

 

A honraria proposta foi protocolada nesta terça-feira (19) e será submetida à dicussão única com pareceres das comissões de Constituição e Justiça e Redação Final e de Finanças, Orçamento e Fiscalização, e a aprovação depende de voto favorável de pelo menos 2/3 (dois terços) dos integrantes da Câmara.

 

Conforme regimento da Casa Legislativa, os títulos e honrarias propostos pelos edis são uma "forma de reconhecimento à atuação destacada de pessoas e/ou instituições que desempenham ações em prol do crescimento e desenvolvimento da cidade". O título de cidadão soteropolitano é concedido a pessoas nascidas fora da capital baiana e que tenham prestado relevantes serviços ao município de Salvador.

 

QUEM É CARLOS LUPI
Natural de Campinas, em São Paulo, e radicado no Rio de Janeiro, Carlos Lupi ajudou Leonel Brizola a fundar o Partido Democrático Trabalhista (PDT), em 1980.

 

Entre 1983 e 1987, Lupi foi coordenador-geral das regiões administrativas da Prefeitura da cidade do Rio de Janeiro. Em 1988, ocupou o cargo de assessor especial do prefeito. Dois anos depois foi eleito deputado federal pelo estado, licenciando-se logo em seguida para assumir a Secretaria Municipal de Transportes do Rio.

 

Carlos Lupi foi vice-líder do PDT na Câmara dos Deputados, tesoureiro e vice-presidente nacional do partido. Em julho de 2004, assumiu a presidência nacional do PDT, cargo que ocupa até hoje.

 

Em março de 2007, assumiu o Ministério do Trabalho e Emprego e permaneceu no cargo até dezembro de 2011. Em 2017, foi conduzido ao cargo de vice-presidente da Internacional Socialista (IS). Em janeiro deste ano, assumiu o Ministério da Previdência Social no terceiro governo de Lula.

Com Leo Prates e Ana Paula, PDT de Salvador se reúne para debater organização do partido junto a movimentos sociais
Foto: Divulgação

Os membros da Comissão Provisória da Executiva Municipal do PDT de Salvador se reuniram nesta quinta-feira (10) para discutir a organização municipal do partido e início da escolha de representantes dos movimentos partidários.

 

Participaram da reunião o presidente municipal do PDT, o deputado federal Leo Prates, a vice-prefeita da capital baiana, Ana Paula Matos, o diretor de Ações de Proteção e Defesa do Consumidor (Codecon), Zilton Kruger, e outros quadros da sigla.

 

Procurada pelo Bahia Notícias na manhã desta sexta (11), Ana Paula Matos reforçou que um dos principais pontos discutidos foi a estruturação e escuta junto aos movimentos sociais que fazem parte do dia a dia do PDT. Além disso, ela sinalizou que uma nova reunião deve acontecer no próximo dia 14 com objetivo de continuar as tratativas.

 

Nos bastidores, fontes próximas ao partido têm indicado que a relação entre Leo Prates e Ana Paula estaria estremecida por conta de uma eventual composição na chapa do prefeito Bruno Reis (União) para 2024, quando o gestor deve tentar a reeleição. 

 

Prates não esconde o desejo de disputar a prefeitura da capital baiana, mas teria "adiado" o sonho para 2028 e reforçar o apoio a candidatura de Bruno no ano que vem. Com as declarações do presidente municipal, Ana Paula chegou a dizer em entrevista a uma rádio de Salvador que a alteração política para o próximo pleito precisa "ser construída" e que não será "empurrada da cadeira" que ocupa atualmente.

 

Apesar disso, o encontro de ontem também é apontado como um sinal de pacificação entre os dois, ainda que o cenário de composição de chapa não tenha sido tratado com maior afinco durante a reunião.

Leo Prates assume a relatoria da Política Nacional de Prevenção e Controle do Câncer
Foto: Divulgação

O deputado federal Leo Prates (PDT) foi escolhido, nesta sexta-feira (5), para assumir a relatoria do projeto de lei, que institui a Política Nacional de Prevenção e Controle do Câncer. De acordo com o parlamentar, o parecer do projeto que trata das diretrizes de diagnóstico, acolhimento e tratamento do câncer será encarado com máxima dedicação ao longo dos próximos dias, para ser levado à votação o mais breve possível. 

 

Prates destacou que este projeto possui um significado pessoal muito especial, principalmente pela relatoria ter lhe sido passada no Dia da Campanha Educativa de Combate ao Câncer. “Este projeto possui um significado pessoal muito especial para mim, e estou verdadeiramente feliz por fazer parte deste momento único na história do nosso país”, afirma. “Nossa missão com o projeto é clara: diminuir a incidência de câncer, garantir o acesso adequado aos pacientes, contribuir para a melhoria da qualidade de vida dos diagnosticados e, sobretudo, reduzir a mortalidade e a incapacidade causadas pela doença”, completa.

 

O Projeto de Lei 2952/22 institui a Política Nacional de Prevenção e Controle do Câncer no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) é resultado do relatório aprovado em dezembro pela comissão especial que analisou, entre 2021 e 2022, as ações de combate ao câncer no Brasil. O texto elaborado pelo colegiado prevê a centralização da compra de medicamentos usados no tratamento do câncer no Ministério da Saúde. A proposta em análise também determina que a União, no financiamento da assistência oncológica no SUS, deverá prever recursos para diminuição das disparidades regionais de controle da doença.   

Randerson Leal assume vaga de vereador no lugar de Carballal
Foto: Valdemiro Lopes / CMS

O novo vereador da Câmara Municipal de Salvador (CMS), Randerson Leal (PDT), assumiu o seu posto na tarde desta quarta-feira (2) em uma cerimônia realizada na Casa.


Leal ocupa o lugar de Henrique Carballal (PDT), que tomou posse como presidente da Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM) no final de junho e, após diálogos com o governador Jerônimo Rodrigues (PT), acatou o pedido de licença para a CMS. Até a confirmação do edil no posto estadual, existia a incerteza sobre a movimentação do político.

 

LEIA TAMBÉM:

 

Ao Bahia Notícias, Randerson descreveu o momento de posse como “muito especial”. “Foi um ato simples, mas muito emocionante e especial para mim, para mim familiares e os meus amigos”.


O vereador adiantou que já possui em mente projetos que encaminhará à Câmara. Um dos principais é relacionado a modificação da não obrigatoriedade do pagamento de taxa de estacionamento nos Shoppings Centers.


“A gente tem entrada no projeto lá para que o cidadão, quando for adquirir um produto ou algum serviço no shopping e esse produto ou serviço ele for três vezes o valor do estacionamento, ele será isento do pagamento do estacionamento”, explicou.

 

No ato, esteve presente o pai do edil, o deputado estadual, Roberto Carlos (PV), que prestou uma homenagem nas redes sociais.

 

“Sinto-me honrado em ver meu filho seguindo esse caminho, comprometido em defender e cuidar da população menos favorecida. Ele sempre mostrou dedicação e empenho em servir o povo, características essenciais para um legislador”, declarou o parlamentar. 

Leo Prates prega que aliados de Bruno Reis deem "liberdade" para ele construir chapa eleitoral em 2024
Foto: Igor Barreto / Bahia Notícias

O deputado federal Leo Prates (PDT) não esconde o seu desejo de disputar a preferência dos eleitores de Salvador como candidato a prefeito da capital baiana. Apesar disso, para a eleição de 2024, o parlamentar baiano avalia que é natural o processo de reeleição de Bruno Reis (União) e garante que defende as ideias do projeto do atual gestor. Em entrevista ao Bahia Notícias, Prates - que já foi secretário de Bruno - também pregou que os aliados do prefeito deem a ele "liberdade" para construir a melhor chapa eleitoral em meio a especulações que seu nome pode ser o escolhido para a composição da vice.

 

"Eu defendo ideias, eu defendo as ideias que estão contidas no projeto de Bruno Reis hoje que foi um projeto iniciado por ACM Neto, a quem tenho como amigo, referência na política, e essas ideias que transformaram Salvador, que melhoraram Salvador, que são incontestes. Você veja que o próprio resultado das eleições vem sendo ampliadas pelo grupo político de ACM Neto, vide que ele não ganhou para o governo, mas em Salvador nós tivemos o nosso melhor resultado eleitoral. Essas ideias transformaram Salvador. Então a minha defesa pela reeleição do prefeito Bruno Reis", disse o deputado.

 

"Eu entendo que ele vem fazendo um bom trabalho, que a reeleição é o instituto natural colocado nas leis brasileiras e ele tem todo o direito de pleitear, continuar no cargo em sendo o candidato, que ele não anunciou, ele terá o nosso apoio. Depois, em relação a vice, vice é circunstância. Eu defendo o projeto de Bruno Reis então eu defendo que as forças políticas que estão no entorno de Bruno Reis deem a ele a liberdade necessária para que ele construa a melhor chapa eleitoral. Se eu acho que essas ideias estão transformando em Salvador e eu quero que essas ideias continuem eu entendo que deve ser dado a ele a liberdade para construir. Torço e trabalharei como presidente municipal do PDT para que o vice seja do PDT", acrescentou.

 

Durante a entrevista Leo Prates falou ainda sobre as movimentações em Brasília no seu primeiro mandato, a aprovação da PEC da reforma tributária e mais sobre o cenário político na Bahia. Confira a entrevista na íntegra aqui.

"Oposição está com a taça na mão, isso não quer dizer que é nossa", diz Leo Prates sobre eleição em Lauro
Foto: Igor Barreto / Bahia Notícias

O deputado federal Leo Prates (PDT) acredita que o grupo político que faz oposição à prefeita Moema Gramacho (PT), em Lauro de Freitas, pode sair vencedor nas urnas em 2024 se houver uma união entre os principais atores que desejam derrotar a atual gestora do município localizado na Região Metropolitana de Salvador. O parlamentar avalia que, nesse cenário, o grupo opositor já coloca a mão na taça e lembra o desempenho eleitoral do ano passado, quando ACM Neto (União) teve melhor votação na cidade frente à Jerônimo Rodrigues (PT) na corrida pelo governo da Bahia.

 

"Nós da oposição - e não há nenhuma arrogância nisso - estamos com a taça na mão. Isso não quer dizer que ela é nossa. Eu não estou dizendo que nós vamos derrotar o atual grupo da prefeitura. Eu tenho respeito pela pessoa da prefeita Moema Gramacho, mas lá as ideias dela não me representam. Eu não estou dizendo que nós vamos derrotar. Ela disse por duas vezes que ia dar uma lapada na oposição e nós ganhamos dela nos dois turnos da eleição", disse Prates ao projetar o próximo pleito durante entrevista ao Bahia Notícias.

 

Em seu segundo mandato consecutivo e sem possibilidade de reeleição, Moema deve escolher um nome da base para tentar sua sucessão na disputa do ano que vem. Ainda em sua análise, Prates aponta que o desafio da oposição, liderada pelo ex-prefeito ACM Neto, "não é eleitoral e sim político" no processo de afunilamento de um nome dentro de uma frente ampla.

 

"O desafio que entendo do grupo da oposição e principalmente da liderança de ACM Neto: é se nós nos unirmos temos tudo para ganhar eleição, se o grupo político - Débora Régis, Mirela Macedo, Teobaldo Costa, Tenobio, vereador Juca, Mateus Reis, Cacá e João Leão - que deu a vitória esmagadora a ACM Neto [em Lauro] nos dois turnos estiver unido, Lauro de Freitas vai mudar seu futuro e a oposição ganha pelo bem de Lauro de Freitas. É sair com critérios objetivos que levem a um candidato. O que posso dizer é que se tiver essa união eu ficarei muito feliz e estarei com o candidato da oposição, aí uma questão de fácil solução para resolver a questão do PDT. É muito cedo ainda e acredito que a figura de ACM Neto vai ser muito importante em Lauro de Freitas", afirmou.

 

"NÃO IRÃO NOS DIVIDIR"

Após o processo eleitoral do ano passado, onde o PDT conseguiu duas cadeiras na Câmara dos Deputados - uma com o próprio Leo e a reeleição de Félix Mendonça Jr. - os bastidores apontavam que o pleito teria deixado uma rusga entre os dois. Prates, no entanto, garante que ele e o presidente estadual do seu partido estão na mesma página.

 

"Estamos na mesma página, somos amigos e em termos partidários nossa linha é a mesma. O deputado Félix já externou que tem um sonho de participar de uma chapa majoritária estadual. O meu projeto é ser prefeito de Salvador, logicamente entendo que a próxima eleição é a vez de Bruno Reis ser candidato e 2028 - Bruno Reis e Félix já externaram - que o candidato serei eu. Confio na palavra dos dois, estamos na mesma página. O deputado Félix é uma figura histórica e importante do PDT. Em 2020 colaborou muito para eu chegar até aqui. Sou grato a ele e entendo que temos que trabalhar juntos. Do nosso PDT, não irão nos dividir", disse.

 

Outro tema apontado como "turbulência" interna no partido foi a divergência entre os dois nos nomes escolhidos para representar a oposição em 2024 em Lauro de Freitas. Publicamente, Leo Prates disse que deseja caminhar com a ex-deputada Mirela Macedo (União) e Teobaldo Costa (União) na cidade, enquanto Félix afirma que o PDT terá candidatura própria na disputa pela prefeitura. Ainda durante a entrevista, Leo ressalta que as questões locais precisam ser entendidas e o apoio aos dois passa por um processo de gratidão.

 

"Eu não sou problema para o PDT. Eu sou solução, mas você tem que entender as questões locais. Eu tenho município onde trabalho que a liderança me apoiou e o PDT está contra. Assim como vários deputados do União Brasil, Republicanos... Isso acontece, é da dinâmica da política. Em Lauro de Freitas eu fui o deputado mais votado do PDT. E meu pai me ensinou que gratidão é o traço do caráter de um homem e a esse deputado aqui não falta caráter. Quem me levou para Lauro de Freitas foi Teobaldo Costa e Mirela Macedo, então ao lado deles eu estarei cerrando fileiras, não há incoerência nenhuma. Acho que para o PDT eles são o melhor, mas se o partido entender que não, nós em Lauro de Freitas seguiremos caminhos divergentes e não há nenhum problema nisso. O deputado Félix inclusive tem cidades que o prefeito não é do PDT, faz parte da democracia e precisamos entender as questões locais", disse.

Após diálogo com governo, Carballal pede licença do mandato; saiba mais
Foto: Fabio Rodrigues-Pozzebom/ Agência Brasil

O presidente da Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM), Henrique Carballal (PDT) acatou o pedido do governador Jerônimo Rodrigues (PT) e vai pedir licença do cargo de vereador de Salvador.

 

Carballal recebeu o deputado estadual Roberto Carlos (PDT), na noite desta sexta-feira (30), na sede CBPM, para comunicar que foi orientado pelo governador a pedir licença na Câmara Municipal de Salvador, para que o suplente Randerson Leal (PDT) possa assumir o mandato.

 

“O governador quer que o meu trabalho fique focado apenas na CBPM, devido a importância que possui no ramo da mineração para o desenvolvimento econômico da Bahia. Ele também teve essa atitude em respeito ao colega Randerson Leal, que vai assumir o meu lugar a partir de agora na Câmara e que Jerônimo espera que honre esse mandato, com a certeza da sua tradição política na defesa dos interesses da população de Salvador, sendo ferramenta para estabelecer uma parceria política entre o Governo do Estado e a capital baiana”, detalhou Carballal.

 

O parecer da Procuradoria Geral do Estado (PGE) permitiu ao titular do mandato acumular as funções de edil e de presidente da Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM).

 

“Quero agradecer muito ao presidente da CBPM, Carballal por diversos gestos de parceria, como esse de pedir licença do cargo de vereador, mesmo com o direito de permanecer no cargo, esse é um gesto de grandeza, deixo também o meu sincero agradecimento ao governador Jerônimo Rodrigues pelo pedido. Tenho certeza que Randerson vai honrar tanto o governador quanto Carballal”, salientou o deputado estadual, Roberto Carlos (PDT).

 

Henrique tomou posse como presidente da Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM), na quarta-feira (21), mudança que já era cogitada nos bastidores desde o final das eleições de 2022 e ganhou força neste ano. Depois que assumiu o governo, Jerônimo deu inúmeras declarações públicas de que queria o edil “ao seu lado” na administração estadual. 

Julgamento de Bolsonaro no TSE é adiado e será retomado na próxima semana
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) iniciou hoje (22) o julgamento da ação de investigação judicial eleitoral (Aije) contra o ex-presidente Jair Bolsonaro. Após a leitura do relatório pelo corregedor-geral eleitoral Benedito Gonçalves, relator da ação, e manifestação dos advogados de defesa e acusação, além do Ministério Público Federal, o julgamento foi adiado. 

 

Conforme o presidente do TSE, ministro Alexandre de Moraes, a análise da ação será retomada na próxima segunda-feira, às 9h, com a leitura do voto do relator. A previsão é de que o julgamento se estenda até o dia 29 de junho. 

 

A Aije, movida pelo PDT, acusa Bolsonaro de ter cometido abuso de poder político e uso dos meios de comunicação na reunião com embaixadores no Palácio da Alvorada, em 18 de julho de 2022. Na ocasião, o então presidente e candidato à reeleição apresentou falsas acusações sobre o processo eleitoral e a urna eletrônica, além de levantar suspeitas sobre a atuação dos ministros do TSE. Mesmo afirmando se basear em dados oficiais, o político não apresentou provas que comprovassem a suposta existência de fraude. Caso Bolsonaro seja condenado, pode ficar inelegível por oito anos.

Após ser cassada pelo TRE, Débora Régis diz que sofre perseguição política e acusa Moema Gramacho
Foto: Divulgação

Líder da oposição em Lauro de Freitas, a vereadora Débora Régis (PDT) afirmou nesta terça-feira (20), após ser cassada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), que foi alvo de perseguição política patrocinada pela prefeita Moema Gramacho (PT).

 

"Moema morre de medo de perder para mim nas urnas, e tenta me tirar do jogo eleitoral com uma denúncia fictícia e falaciosa, formulada com provas forjadas e testemunhas compradas até por vereador da base dela. Mas a prefeita não vai conseguir", disse Débora.

 

"Eu venci esse processo em primeira instância, o Ministério Público Eleitoral disse ao TRE que a acusação não tem fundamento e vou ganhar, se for necessário, no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Moema terá que me enfrentar nas urnas em 2024", alegou a vereadora.

 

O processo foi movido pelo PSB depois do pleito municipal de 2020, quando Débora foi reeleita como vereadora. A acusação é de que a pedetista teria omitido gastos e extrapolado os valores permitidos pela legislação vigente durante a campanha.

 

Débora venceu o processo em primeira instância e, no TRE, teve o parecer favorável do Ministério Público, mas os magistrados votaram pela cassação. Ela agora vai recorrer com embargos na própria Corte, e pode se defender ainda no TSE sem precisar deixar a cadeira de vereadora.

 

"O que Moema quer é me deixar inelegível, para que eu não possa disputar a eleição para prefeita em 2024. Ela quer me tirar de qualquer jeito da disputa. Sabe que tenho feito um trabalho implacável denunciando as irregularidades que ela comete na prefeitura. Mas isso não me abate e continuarei firme e forte na luta", finalizou Débora Régis.

Nomeação de Carballal para presidência da CBPM deve sair ainda este mês
Foto: Reprodução / CMS

A novela envolvendo a nomeação do vereador de Salvador, Henrique Carballal (PDT), para assumir a Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM) parece estar perto do fim. Informações obtidas pelo Bahia Notícias apontam que a nomeação do pedetista para o cargo deve finalmente acontecer na próxima semana ou no mais tardar até o final de junho.


A mudança já era cogitada nos bastidores desde o final das eleições de 2022 e ganhou força neste ano. Depois que assumiu o governo, Jerônimo Rodrigues (PT) deu inúmeras declarações públicas de que queria o edil “ao seu lado” na administração estadual. 


No final de março, o suspense parecia ter um ponto final, quando Carballal usou as redes sociais para confirmar que aceitou o convite feito pelo governador para assumir a função.


Porém, havia um impeditivo legal que impossibilitava a nomeação. O decreto que regulamenta a Lei das Estatais na Bahia continha um inciso que proibia a indicação de integrantes do Poder Legislativo, como vereadores e deputados, em cargos de comando de empresas públicas. No início deste mês Jerônimo editou decreto revogando as normas, o que possibilita a ida de Carballal para a presidência da CBPM.

 
Com a ida para a presidência da CBPM, Carballal terá que se licenciar da Câmara Municipal de Salvador e assim dará lugar ao seu primeiro suplente, Randerson Leal (PDT). Randerson é filho do deputado estadual Roberto Carlos (PV) e também diretor do time de futebol Juazeirense. Seu pai é o presidente do clube.
 

Votos do PDT nas eleições de 2020 em Brumado são anulados pelo TSE e vereador perde mandato
Foto: Reprodução / Achei Sudoeste

Os votos recebidos pelo PDT nas eleições de 2020, no município de Brumado, região Sudoeste da Bahia, foram anulados por fraude na cota de gênero, conforme determinou o ministro do Tribunal Superior Eleitora, Raul Araújo.

 

A decisão foi publicada no Diário Oficial da Justiça nesta terça-feira (13). O TSE deu provimento ao recurso especial, para julgar procedente a Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE) impetrada pelo vereador José da Silva Santos (PSB), o Santinho.

 

De acordo como o site Achei Sudoeste, parceiro do Bahia Notícias, o vereador Vanderlei Bastos Miranda, conhecido como Boca, teve seu mandato cassado pelo TSE com a anulação dos votos da legenda. Duas mulheres se tornaram inelegíveis nos próximos 8 anos, pela decisão.

 

“(a) Declarar a nulidade dos votos recebidos por todos os candidatos ao cargo de vereador pelo PDT de Brumado/BA nas Eleições 2020; (b) desconstituir o diploma dos candidatos eleitos pela grei para o referido cargo; (c) cassar o DRAP da legenda, determinando-se o recálculo dos quocientes eleitoral e partidário; e (d) decretar a inelegibilidade de Ducilene da Silva Meira e de Carina Santos Silva para as eleições a se realizarem nos 8 anos subsequentes ao pleito de 2020, nos termos do inciso XIV do art. 22 da Lei Complementar nº 64/1990”, sentenciou.

 

Uma nova contagem dos votos será realizada pela 90ª Zona Eleitoral e pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) da Bahia, o que pode mudar a composição na Câmara de Brumado.

Félix diz que papel de Ana Paula é decisivo para avaliação de Bruno: "Um excelente time da primeira divisão da política"
Foto: Divulgação

O presidente do PDT da Bahia, deputado Félix Mendonça Júnior, parabenizou o prefeito de Salvador, Bruno Reis (União), e toda a equipe do Executivo municipal pelo desempenho no levantamento divulgado nesta quarta-feira (7) pelo Instituto Paraná Pesquisas.

 

A pesquisa coloca o gestor como o mais bem avaliado entre as dez maiores capitais do país. O parlamentar destacou o papel da vice-prefeita Ana Paula Matos (PDT), que também é secretária municipal de Saúde, para o resultado, e emendou: "É um excelente time da primeira divisão da política".

 

"Bruno Reis tem feito uma gestão de resultados, beneficiando principalmente a população mais pobre de Salvador. Por isso, já é apontado como o melhor prefeito do Brasil. A Prefeitura inteira está de parabéns, desde o agente de limpeza até o mais graduado servidor da área da saúde. E, ao lado de um grande prefeito há uma mulher excepcional, com vocação para servir, que tem sido fundamental para o governo de Bruno e vai ajudar ainda mais como secretária de Saúde. Uma dupla de dar inveja a outras capitais", declarou Félix.

 

Para o presidente do PDT, o trabalho de Ana Paula a credencia para continuar ao lado de Bruno Reis após as eleições de 2024. "Sou da seguinte opinião: em time que está ganhando não se mexe. Ana Paula tem todas as credenciais para continuar ao lado de Bruno porque ela apresenta resultados. Está fazendo um trabalho forte na Saúde da capital e conhece profundamente Salvador, inclusive os problemas da cidade. É uma pessoa querida por todos, elogiada até pelos adversários", frisou o deputado.

 

"O PDT tem orgulho de fazer parte da gestão de Bruno e Ana porque Salvador está avançando. É uma gestão de resultados. Veja que até a questão da insegurança no Pelourinho o prefeito entrou para ajudar o Estado a resolver. Esse é um espírito de quem trabalha com foco nos resultados", concluiu Félix.

Félix Mendonça Jr. convida Rodrigo Hagge para o PDT
Foto: Reprodução / Redes sociais

O presidente do PDT na Bahia e deputado federal Félix Mendoça Jr. voltou a convidar o prefeito de Itapetinga, Rodrigo Hagge (MDB) para o seu partido.

 

Um encontro entre o deputado e o gestor foi registrado nas redes sociais de Félix. “Turma boa reunida nesta segunda no #PDT. Falamos sobre política, eleições 2024 e o futuro da Bahia”, escreveu o deputado.

 

Participaram também da reunião a vereadora de Lauro de Freitas, Débora Regis (PDT), o vice-prefeito de Cruz das Almas, André Eloy (PDT), o deputado estadual Pedro Tavares (UB) e o secretário-geral do PDT da Bahia, José Carlos Araújo.

 

Apesar de ser afiliado ao MDB, o prefeito contrariou a orientação do seu partido e apoiou ACM Neto (UB) nas eleições de 2022. O PDT é adversário do PT na Bahia. 

 

Vereadores de Teixeira de Freitas têm mandatos cassados pela Justiça por fraude cota de gênero do PDT
Fotos: Divulgação / Câmara Municipal de Teixeira de Freitas

Os dois vereadores eleitos pelo PDT na cidade de Teixeira de Freitas, Marquinhos Gomes e Carmíno, tiveram seus mandatos cassados pela Justiça. O partido foi acusado de fraudar o sistema de cotas de gênero nas eleições de 2020.

 

As informações são do site Políticos do Sul da Bahia, parceiro do Bahia Notícias. A  Ação de Investigação Judicial Eleitoral em relação a eleição de 2020 foi julgada pelo juiz eleitoral de Teixeira de Freitas, Roney Cunha. O magistrado decidiu pela “ANULAÇÃO DOS VOTOS recebidos pelos candidatos do PDT de Teixeira de Freitas no sistema proporcional das Eleições Municipais de 2020, conforme preconizado pelos artigos 222 e 237, ambos do Código Eleitoral, como também, em ato reflexo, determinar a CASSAÇÃO DOS DIPLOMAS de MANDATOS ELETIVOS dos eleitos e suplentes, ordenando, ainda, a necessária mudança nos sistemas eleitorais específicos de computação dos votos, para fins de cumprir esta decisão”.

 

A fraude à cota de gênero ocorre quando o partido, no momento do registro da candidatura, lança candidaturas femininas fictícias, ou seja, indica candidatas que não disputarão o pleito, com o intuito de atingir o mínimo de candidaturas de cada sexo exigido por lei. 

 

Também foi decidido que Ana Paula Oliveira Santos e Cláudia Cristina Ferreira dos Santos, suspeitas de terem sido as candidatas fictícias do partido em 2020, estão inelegíveis por oito anos subsequentes às eleições 2020. A decisão foi publicada nesta segunda-feira (15).

Disputa na Bahia seria um dos entraves para federação PSB, PDT e Solidariedade
Fotos: Divulgação / Câmara dos Deputados

A Bahia seria um dos estados que dificultam a concretização da federação entre PSB, PDT e Solidariedade. Na unidade da federação, PDT e PSB estão em campos opostos. Enquanto o PSB é aliado histórico do PT baiano, o PDT apoiou a candidatura de ACM Neto (União Brasil) ao Governo da Bahia no ano passado.

 

A disputa pela Prefeitura de Salvador em 2024 seria um novo entrave entre as duas siglas. O PDT é o partido de Ana Paula Matos, vice-prefeita na gestão do prefeito Bruno Reis (União Brasil). Ambos devem concorrer à reeleição no próximo ano. O PSB, por sua vez, lançou a pré-candidatura da deputada federal Lídice da Mata, que já foi prefeita da cidade de 1993 a 1996.

 

LEIA TAMBÉM:

 

Presidente do PDT na Bahia, o deputado federal Félix Mendonça Júnior defende que os partidos com mandato no Executivo tenham prioridade na federação.

 

Para o jornal Folha de S.Paulo, Lídice, presidente do PSB baiano, antecipa as dificuldades: “Estamos em lados diferentes na Bahia. Um dos lados vai ter que ceder e vou lutar para que não seja o meu”.

 

Já o Solidariedade se posiciona como partido independente, embora tenha apoiado a candidatura de ACM Neto.

 

Ainda de acordo com a reportagem, além da Bahia, desentendimentos nas capitais São Paulo, Fortaleza, Recife, Natal e Curitiba, trazem incertezas em relação a formação da federação.

Curtas do Poder

Ilustração de uma cobra verde vestindo um elegante terno azul, gravata escura e língua para fora
Enquanto a equipe do Ferragamo se esforça pra deixar a eleição mais acirrada, o Vice ainda busca quem vai ficar na vice. Mas a gente sabe que, no fim, política é quase um esquema de pirâmide. O bom de ano eleitoral é que o povo se anima. O ruim é que o povo se empolga além da conta. Já quem não vai disputar eu tô achando meio fraco. Né, Adolfinho? Saiba mais!
Marca Metropoles

Pérolas do Dia

Jean Paul Prates

Jean Paul Prates
Foto: Ricardo Stuckert / PR

"Muito boa". 

 

Disse o ex-presidente da Petrobras Jean Paul Prates ao avaliar relação e indicar que não brigou com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), após sua saída da Petrobras.

Podcast

Terceiro Turno: De volta ao debate, ACM Neto busca ser rosto da oposição e deve encarar desafios para 2026

Terceiro Turno: De volta ao debate, ACM Neto busca ser rosto da oposição e deve encarar desafios para 2026
Arte: Paulo Vitor Nadal
Superado pela primeira vez em 2006, quando, após longo período governando a Bahia, passou a ser oposição, o grupo até então liderado pelo falecido senador Antônio Carlos Magalhães seguiu buscando “líderes” para retornar ao poder. Alternando entre outros “cabeças brancas” que atuaram no período do Carlismo na Bahia, o grupo se renovou e segue sendo a principal força de oposição ao Partido dos Trabalhadores no estado.

Mais Lidas