Viver Bem: Psicóloga alerta pais sobre casos de violência e abusos nas escolas
O ambiente escolar é tido por muitas famílias brasileiras como um segundo lar para crianças e adolescentes. Porém, em João Pessoa (PB) e em Suzano (SP) essa percepção foi transformada durante esta semana. A mudança de pensamento se deu após apreensão de quatro adolescentes – entre 14 e 17 anos – acusados de abusar sexualmente de uma criança de oito anos no banheiro de uma escola tradicional da rede privada. Já em Suzano, o fato ocorreu quando um adolescente de 17 anos e um jovem de 25 invadiram as dependências de uma escola da rede pública e dispararam vários tiros contra profissionais e estudantes da instituição, deixando um total de 10 mortes. Mas o que leva um jovem a cometer tais crimes?

Leia mais

Quarta, 20 de Março de 2019 - 15:10

Sinta-se leve: Você está preparada para pular a fogueira?

por Lidiane Angelim

Sinta-se leve: Você está preparada para pular a fogueira?

Terminada a folia momesca me deparo no consultório com dois tipos de pacientes: aquele que parou sua vida em função do Carnaval e aquele que integrou a folia a sua rotina de forma que a música que tocasse não influenciasse no seu ritmo. E você? Se identifica com qual dos dois? A péssima notícia é que quem deixou de se cuidar para pular atrás do trio sem o devido cuidado à rotina alimentar terá que correr um pouco mais atrás do trio da realidade. A boa é que estamos aqui já a postos auxiliando nessa nova maratona.

 

Mas Lidiane, tenho que viver me privando dos bons momentos da vida? Da fartura das festas comemorativas? Não é pedir demais não? Eu e todos os profissionais ligados à área de saúde e qualidade de vida não pedimos nada. Orientamos. A decisão de “em qual bloco sair” cabe somente ao paciente. Nosso papel? Facilitar e ensinar. Facilitar por meio de técnicas e tratamentos. Ensinar como deve ser sua forma de encarar a alimentação e os bons hábitos em prol do seu maior bem: você. As festas sempre irão existir, os excessos também precisam de controle pra manter o seu trio em perfeito funcionamento.

 

Nessa lista de bons hábitos, vale refletir acerca das trocas, do que consumir nos buffets de all inclusive, da moderação na hora de ingerir bebida alcóolica e por aí vai. O prazer deve (e está, acredite) muito além da comida. Compreensível faltar a academia ou dispensar a caminhada depois de perder uma noite de sono, o segredo está no equilíbrio, nas compensações.

 

Quem já voltou a rotina, parabéns! Quem ainda não, sugiro acelerar o processo, pois o tempo – como já cantado por aí – voa e já, já você pode pensar “já esperei até agora, vou deixar pra depois do São João”. Nada disso. Recomece, reavalie, corra atrás. Em junho vai ter amendoim, vai ter bolo, vai ter canjica, mas vai ter ainda mais disposição para pular a fogueira daquilo que atrapalha a conquista dos seus objetivos. Conte conosco!

Leia mais

Viver Bem: Cresce número de brasileiros que recorrem ao 'Dr. Google' e médico faz alerta

Ele não é clínico geral, sequer é formado em Medicina, mas vem ganhando a preferência da população brasileira quando o assunto é consulta sobre saúde. O “Dr. Google” é o primeiro a ser procurado por 26% dos brasileiros quando se deparam com algum problema na área. O levantamento foi realizado pelo próprio Google e aponta que o Brasil é o País em que as buscas referentes ao tema, mais cresceram no mundo no último ano. Porém, o médico do Sistema de Saúde Hapvida, João Rodolfo Cavalcanti Andrade de Araújo, faz um alerta sobre essa prática: com a mesma rapidez com que o “Doutor Google” responde às dúvidas, pode colocar a saúde das pessoas e de seus familiares em risco.

 

“É muito comum os médicos prescreverem medicamentos, por exemplo, para pacientes com diabetes. Prescrevem a medicação, discute a questão da alimentação, atividade física e faz todo o acompanhamento cuidadoso com base na vida daquele paciente. Aí vem uma vizinha e diz que tomou um determinado medicamento que viu na internet e ficou curada da diabetes, influenciando aquele que estava sendo acompanhado. Isso é grave, pois pode agilizar ainda mais o processo de avanço da doença, além de poder gerar um processo alérgico, por exemplo, levando-o à morte”, alerta o médico.

 

Para João Rodolfo, a internet é como uma ferramenta valiosa, desde que seja utilizada com critério. De acordo com ele, a falta de experiência das pessoas com temas relacionados à saúde pode levá-la a achar que tem uma doença grave, quando o problema não passa de uma virose. Ou também pode acontecer o contrário. “A pessoa pesquisa os sintomas e conclui que não é nada sério, que um chá resolve, ignorando algo que pode ser mais sério do que realmente parece”, completa.

 

AUTOMEDICAÇÃO

Ele lembra ainda que a automedicação é um dos maiores perigos para quem recorre ao “Dr. Google” quando está doente. “Muitas pessoas se deixam levar pelas soluções divulgadas na internet para economizar ou porque acham o procedimento fácil. Mas não sabem tratar as complicações. Por isso, mais uma vez eu alerto para que procurem um profissional médico e evite a automedicação que pode levar a morte”, destacou.

 

O médico ressalta ainda que muitas pessoas não têm capacidade para interpretar as informações que estão na internet, por isso, o especialista aconselha a procurar sempre ajuda profissional. “Percebemos muitos pacientes chegando com uma carga de informações que não tinham antes. O médico é o profissional habilitado que sabe filtrar, através do estudo, livros, artigos científicos e por isso detém o saber sobre os melhores caminhos a seguir no diagnóstico e tratamento das doenças para cada paciente. É muito arriscado fazer as interpretações e tomar conclusões leigas”, afirmou.

 

PESQUISA

O levantamento feito pelo Google foi realizado com o objetivo de saber como os brasileiros pesquisam e consomem conteúdo de saúde na plataforma de busca e no YouTube, site pertencente ao mesmo grupo. O estudo mostrou que o índice de brasileiros que buscam o Google como primeira fonte de informação em casos de problemas de saúde já chega a 26%, próximo aos que buscam imediatamente um médico, com 35%.

 

A pesquisa revelou ainda que o Brasil é o País em que as buscas referentes à saúde mais cresceram no mundo no último ano. A alta também foi maior do que a média de buscas em outras categorias dentro do Brasil. Enquanto as pesquisas de saúde cresceram 17,3%, às de cuidados com cabelos aumentaram apenas 3%. As de maquiagem caíram 4%.

Leia mais

Viver Bem: Carnaval e bebês - com cuidado, todo mundo cai na folia

De uma ponta a outra, o Brasil já respira Carnaval. A abertura oficial da festa ainda não aconteceu, mas todo mundo já está no clima da folia. Entretanto, para quem tem bebês em casa, a curtição precisa ser com uma atenção redobrada.

 

Levar ou não os bebês para o Carnaval pode vir a ser um dilema para os pais, mas, de acordo com a pediatra do Hapvida, Ana Larissa Melo, a partir dos seis meses de vida a diversão dos pequenos já pode acontecer, só que com algumas precauções. “A preferência deve ser por blocos infantis ou com perfil familiar, que aconteçam durante o dia e em locais abertos, arborizados ou com sombra”. No caso de mulheres lactantes, Ana explica que elas não devem permanecer por muito tempo na folia pelo risco de desidratação.

 

CUIDADOS
Os hábitos alimentares já utilizados pelas crianças devem ser mantidos. Frutas bem lavadas, sanduíches feitos em casa, sucos e água são boas opções. “Evite comidas de rua, pois não se sabe como esses alimentos foram manipulados”, destaca a especialista. 


Já a hidratação deve ser feita durante todo o percurso. Água, sucos de frutas e água de coco também são boas opções. E nada de pensar que pode passar o dia todo pulando na companhia dos pequenos. A pediatra explica que a exposição às altas temperaturas pode ser prejudicial para as crianças. Até dois anos de idade, não se deve permanecer por mais de duas horas nesses ambientes. Crianças com mais de três anos já podem permanecer até quatro horas, mas lembre-se do alerta: não esqueça de respeitar os limites da criança e evitar exageros.

 

ZUM ZUM ZUM

Os ouvidos são algumas das áreas mais afetadas durante os dias de folia e a comprovação disso se dá pelo som dos trios elétricos, que costuma bater o volume de 110 decibéis. Apesar da alta exposição, Ana destaca que, em geral, não são necessários protetores de ouvido. “Caso a criança sinta-se incomodada é sempre bom ter disponível protetor auricular adequado para idade.A atenção redobrada vai para crianças menores de um ano, que devem evitar ficar muito próximo às caixas de som”, pondera.

Leia mais

Viver Bem: Fevereiro Roxo conscientiza as pessoas sobre a fibromialgia

O segundo mês do ano é marcado por diferentes lutas e conscientizações em relação à saúde. Uma das causas levantadas é a da fibromialgia. Considerada a maior causa de dor crônica entre os brasileiros, a doença é caracterizada por quadro de dor musculoesquelética crônica associada a variados sintomas, que podem ser facilmente confundida com diversas outras doenças quando estas apresentam quadros de dor difusa, fadiga crônica, indisposição e alteração no sono.


De acordo com a fisioterapeuta do Hapvida Saúde, Luana Neres, a doença acomete principalmente mulheres, na faixa etária entre os 35 e 50 anos. A profissional destaca ainda que para a detecção da fibromialgia existem ao menos nove pontos fundamentais que funcionam como um trilho de dor no mesmo lado do corpo no processo de observação clínica e funcional no paciente que possui a doença - atrás da cabeça, no pescoço, no esterno, no ombro, no braço, no cotovelo, no quadril, no glúteo e no joelho. “A observação deste trilho de dor crônica, somado à fadiga, indisposição e alteração do sono levam, após investigação negativa para outras doenças, ao diagnóstico de Fibromialgia”, explica.

 

TRATAMENTO
A Fisioterapia tem papel importante no tratamento, principalmente por manter o corpo ativo e diminuir o quadro de dor com atividades de baixo impacto. “Cinesioterapia, hidroterapia, RPG, dry needling, acupuntura e tantas outras técnicas são utilizadas durante o tratamento fisioterapêutico. Por se tratar de uma doença de origem neurocentral de modulação da dor, é preciso que este paciente seja assistido de forma multidisciplinar com atendimento médico, nutricional, farmacológico, biopsicossocial e de atividade física regular para manutenção da qualidade de vida”, pontua Luana.


Mas, por se tratar de uma doença prioritariamente musculoesquelética, a especialista explica que em momentos de crise, o paciente apresenta dor intensa e generalizada, principalmente em um dos lados do corpo, o que pode levar em alguns casos de limitação de movimento de uma ou muitas articulação do corpo, de forma temporária, associando-se à fraqueza e à indisposição causada pela doença e fatores individuais. “Neste estágio, muitos pacientes relatam não conseguirem sequer sair da cama, gerando um impacto social e laboral que precisa ser acompanhado/tratado por uma equipe multidisciplinar de saúde”, elucida

Leia mais

Quarta, 20 de Fevereiro de 2019 - 14:30

Sinta-se leve: Diga espelho meu se há na avenida alguém mais feliz do que eu

por Lidiane Angelim

Sinta-se leve: Diga espelho meu se há na avenida alguém mais feliz do que eu

Basta perguntar a algumas pessoas qual o objetivo de vida delas e, na maioria das vezes, a resposta é “ser feliz”. Felicidade é uma das prioridades do ser humano e essa busca pode ser confirmada na quantidade de compostos produzidos pelos laboratórios farmacêuticos para combater ansiedade, depressão e tantas outras mazelas do mundo moderno. Além disso, técnicas como yoga e meditação se tornaram alternativas para o alcance do tão almejado status “Be happy”.

 

Quando começamos a entender essa busca, percebemos que não devemos buscar a felicidade e sim ter uma vida mais significativa, criando, descobrindo e estudando. Precisamos encontrar o nosso propósito, a felicidade é uma consequência e quando deixa de ser o objetivo, acredite, tudo se torna mais fácil. Como disse Nietzsche “a felicidade acompanha, a felicidade não se move”.

 

Se no passado a felicidade era algo muito mais corriqueiro, hoje, a busca incessante pela perfeição faz com que a gente esteja cada vez mais distante dela. Precisamos parar de pensar um pouco no futuro, viver o presente da sua melhor forma e não pensar no “como poderia ter sido”. A regra para a felicidade está na aceitação.

 

Isso não quer dizer que você não possa e não deva buscar a sua evolução, mas sim que deve viver o momento atual de tal forma que ele não seja uma frustração. Preencha sua vida com momentos alegres de forma que eles sejam tão bons que mereçam ser eternos.

 

Direcionando o assunto para o âmbito da qualidade de vida, da saúde e da busca pelo corpo que deseja ter me deparo diariamente no meu consultório com pacientes que estão insatisfeitos e querem a qualquer custo atingir os objetivos desejados. O processo nem sempre é tão simples, exige dedicação, comprometimento, capacidade para lidar com as derrotas, maturidade para encarar as vitórias por etapas. Nunca disse que é fácil. Mas sempre alertei para o fato que a velha frase “um passo de cada vez”, comemorando cada passo dado é imprescindível para o sucesso em qualquer tratamento. E quando você se dispõe a compreender isso, a conquista tem um sabor muito especial. Acredite, você encontrará felicidade também na caminhada. Viva, experimente, ouse, aprenda e faça acontecer.

Leia mais

Viver Bem: Luto mal vivido pode causar transtornos de ansiedade e até depressão
O início de 2019 começou com muitas perdas em todo o país. A nível nacional, a comoção se deu com as tragédias de Brumadinho, o incêndio no Centro de Treinamento do Flamengo e a morte do jornalista Ricardo Boechat. Essas situações trazem à tona o luto que permeia os momentos de tristeza e separação.

Leia mais

Viver Bem: Bullying - prática requer atenção dentro do contexto social
O mês de fevereiro é marcado pela volta às aulas. Alunos de escola das redes pública e privada ficam atônitos com a expectativa de retornar ao convívio com os colegas de classe. Mas, os pais, que muitas vezes ficam preocupados, têm outra questão para estarem atentos além da adaptação ao ambiente escolar: o bullying.

Leia mais

Quarta, 06 de Fevereiro de 2019 - 14:30

Sinta-se leve: Quer curtir o Carnaval sem gordura localizada?

por Lidiane Angelim

Sinta-se leve: Quer curtir o Carnaval sem gordura localizada?
Carnaval chegando e percebo o aumento de pessoas que deseja aproveitar a folia momesca sem a tal da gordurinha localizada. Milagres? Como dizem por aí, nem na Disney. Mas tratamentos a curto prazo com foco na saúde, estética e bem-estar estão disponíveis e funcionam sim, se feitos por profissionais capacitados, em clínicas que investem quando os assuntos são tecnologia e resultados eficazes. Aqui na Nutriderm buscamos sempre o que há de mais moderno e capacitamos nossa equipe com regularidade para garantir que os resultados sejam alcançados e até mesmo superados.

Leia mais

Viver Bem: Desafio dos 10 anos - você está preparado para encarar?
A nova moda do instagram é o desafio dos #10yearschallenge, onde as pessoas postam fotos comparativas em seus perfis mostrando como estavam há 10 anos. Mas, apesar da brincadeira está sendo aderida por muitos, um alerta é feito por terapeutas: até que ponto essa comparação pode ser positiva para a saúde emocional?

Leia mais

Histórico de Conteúdo