Viver Bem: Número alto de crianças pré-diabéticas alerta para cuidado com alimentação
Causado por uma série de distúrbios no metabolismo que levam a um elevado índice de glicose, o diabetes é considerado a maior causa de insuficiência renal no mundo. No momento, o que tem chamado atenção em relação à doença é o número de crianças pré-diabéticas, cenário que desperta a necessidade de um cardápio balanceado para este público.

Leia mais

Quinta, 16 de Maio de 2019 - 10:00

Sinta-se leve: Além da estética

por Lidiane Angelim

Sinta-se leve: Além da estética
Quando pensamos em atividade física, imediatamente associamos a prática do esporte a um corpo esbelto e bem definido. Porém, precisamos ter em mente que o exercício traz – além de melhoras físicas – benefícios imensuráveis para o corpo e para a alma. 

Leia mais

Viver Bem: Especialista destaca cuidados importantes para a saúde bucal das gestantes
Durante nove meses, o corpo da mulher transforma-se em dois. Viver passa a ser um verbo de dupla ação e o cuidado não é só consigo, mas também com outro ser que já está se formando em seu ventre. Entre essas mudanças, a produção hormonal se torna altíssima e, junto com ela, o corpo sofre algumas alterações, inclusive no funcionamento da saúde oral.

Leia mais

Viver Bem: 40% dos estudantes não tomam café da manhã e hábito prejudica aprendizado
Vários fatores podem contribuir para que crianças na fase escolar tenham o desenvolvimento pedagógico impactado de maneira negativa, e um deles está relacionado diretamente à qualidade e quantidade dos alimentos consumidos. A nutricionista do Sistema Hapvida, Débora Pinheiro, destaca a Pesquisa Nacional de Saúde Escolar (PeNSE), realizada pelo IBGE, que aponta que 40% do estudantes não tomam café da manhã e informa que isso pode trazer problemas cognitivos, com redução da memória e prejuízos ao raciocínio.

Leia mais

Viver Bem: Depressão entre adolescentes é uma realidade cada vez mais presente

Para muitos, a tristeza não é passageira e se torna um estado permanente do ser, mesmo que por fora a realidade pareça outra coisa. A depressão tem tomado grandes proporções na atualidade, e entre adolescentes não tem sido diferente. A morte de Yasmim Gabrielle Amaral, conhecida nacionalmente por sua participação em um programa de calouros (leia mais aqui), trouxe um olhar de maior atenção para a doença.

 

De acordo com estimativas da Organização das Nações Unidas (ONU), pelo menos 30% da população mundial sofrerá algum caso de depressão durante vida, sendo que aproximadamente 50% dos adultos com a doença, relataram ter os primeiros sintomas antes dos 18 anos. A psicóloga do Sistema Hapvida, Marta Érica Souza, destaca a visão distorcida que muitos têm da doença. “A popularidade do termo depressão e os inúmeros entendimentos, por vezes errôneo sobre o que realmente se trata, traz uma idealização de naturalização de uma doença mental grave o que leva ao não-tratamento ou ao tratamento supérfluo e ineficaz”, pontua.

 

Entre as atenções que devemos ter, Marta destaca a observação aos aspectos da fala, comportamento e possíveis esquivas das crianças e adolescentes, para compreender o momento certo de buscar apoio profissional. Outro ponto observado pela psicóloga é o exibicionismo no mundo digital. “É necessário intensificar o cuidado que pais, cuidadores, escolas e comunidade em geral devem ter e pensar criticamente na exposição das nossas crianças e adolescentes nas mídias sociais, sem minimamente prepará-los para a vida cotidiana e as frustrações”, frisa a especialista.

 

ATENÇÃO PELO TELEFONE

A prevenção pelo suicídio conta com colaboradores que atuam através do telefone. O CVV (Centro de Valorização da Vida) é uma organização sem fins lucrativos que dá apoio emocional a todas as pessoas que querem e precisam conversar. Os voluntários que atuam no CVV recebem treinamento adequado e não precisam ter formação em psicologia. Em todo o país, o número para o atendimento gratuito é 188.

Leia mais

Viver Bem: Cardápio para a semana santa e a saúde nutricional - evitar excessos é prioridade

Fé e gastronomia de mãos dadas. A Semana Santa é marcada por símbolos da fé cristã que revive, neste período do ano, todo sofrimento de Cristo durante o calvário e sua morte. Em respeito a estes dias, muitas pessoas evitam o consumo de carne, e os frutos do mar tomam conta dos pratos, ficando até com valores mais altos. Mas, além deles, os chocolates são mais que esperados para a ceia do domingo de Páscoa.

 

Toda esta “fartura” alimentar traz consigo alguns riscos. O excesso pode acontecer e a culpa no pós-feriado também. No caso do chocolate, por exemplo, o censo comum atribui a ele o surgimento de acnes e outras questões relacionadas à saúde da derme, mas o grande vilão é o açúcar. E, para as crianças, público majoritário do alimento, os problemas podem ser variados. “A recomendação diária da Sociedade Brasileira de Pediatria é de no máximo seis colheres de sopa de açúcar por dia e esse valor costuma ser ultrapassado com a ingestão dos chocolates. O consumo do produto deve ser moderado devido aos riscos de cáries, diarréias ou infecções gastrointestinais”, pontua a nutricionista do Hapvida Saúde, Cíntia Menezes.

 

No caso das pessoas diabéticas, a especialista explica que a melhor opção deve ser pelos chocolates amargos ou com alto teor de cacau, em porções pequenas, e, caso a glicemia esteja alta, é melhor evitar o consumo.

 

Mancha de dendê não sai

Parafraseando Moraes Moreira na música “mancha de dendê não sai”, nos pratos, ele dá um gosto inconfundível e fica marcado na mente. A típica comida baiana, como é chamada, não existe sem este ingrediente que, quando consumido cru, é excelente para a saúde e beneficia várias funções do corpo. Mas, quando cozido, ele se torna gordura saturada. A dica é que o produto seja colocado na comida após o seu cozimento, para que as propriedades originais dele não sejam perdidas.

 

Prato ideal

Entre os alimentos previstos para esta época, o peixe é, sem sombra de dúvidas, o mais nutritivo. De acordo com Cíntia, incluí-los regularmente na dieta traz benefícios como melhora da memória e concentração, além da prevenção de doenças cardiovasculares e redução da inflamação. E, para quem está precisando reduzir medidas, a nutricionista destaca outro benefício, “consumir peixes ajuda na perda de peso, pois eles normalmente são fontes de proteínas com menos calorias do que as carnes vermelhas e o frango, favorecendo dietas de emagrecimento”, explica.

 

Para a ceia da Páscoa, a sugestão da nutricionista é o bacalhau dissalgado. Rico nas vitaminas B1 e D, sódio, magnésio, proteínas e ácido graxo ômega-3 e ômega-6, tais substâncias auxiliam na prevenção de doenças cardiovasculares. Para acompanhá-lo, basta equilibrar a quantidade de carboidratos das refeições, como arroz e batatas e salada verde.

Leia mais

Sinta-se leve: Aproxime-se da natureza e valorize o processo de produção dos alimentos

Nada como viver o que pregamos, concordam? A onda sustentável que tomou conta do planeta muitas vezes fica apenas no campo virtual ou verbal. Já pensou que bom seria se todos que gritam aos quatro cantos "preserve a natureza" tivessem atitudes simples como: carregarem compras de supermercado em sacolas ecológicas, consumirem alimentos orgânicos ou não admitirem desperdícios?


Aprendemos desde cedo na escola que os recursos naturais são finitos e que estamos fazendo mau uso deles. Mas o que fazemos com essa informação? Muitos de nós vivemos longe da tão falada natureza. Ignoramos seus ciclos e funcionamento. Quando estamos próximos a natureza, compreendemos, por exemplo, que ervas daninhas e pragas não existem. O que existem são sistemas desequilibrados.


Vivemos numa época em que todos buscam o alimento mais barato possível, mesmo que esteja repleto de agrotóxicos, tenha causado uma devastação ambiental e contaminado o agricultor. Ignoramos que aquele capital foi economizado na base da exploração do outro e da natureza. E quem paga a conta? Nós mesmos, haja vista que o desmatamento provoca mudanças climáticas. E quando ingerimos alimentos ultraprocessados e industrializados, a nossa saúde é atingida. O dinheiro que você economiza ao não comprar um alimento orgânico será gasto em remédios.


As pessoas que residem em grandes cidades, na maioria das vezes, não conseguem enxergar a natureza. Daí vem o acúmulo de tensões e ansiedades. E um belo dia resolvem que para encontrar a natureza, precisam ir para o interior ou para a praia (já viram essa cena?).


Vamos trazer o verde mais pra perto de nós? Consuma orgânicos, plante árvores, transforme o jardim de casa em uma pequena floresta urbana em vez de ter um jardim artificial que não recebe a visita de abelhas ou passarinhos. Viva a natureza além do discurso, sua saúde agradece.

Leia mais

Viver Bem: Psicóloga destaca as vivências e historicidades que um beijo comporta
Pode ser entre amigos, namorados ou familiares. Ele talvez seja um rápido selinho ou bem duradouro. A certeza é que, como dizem Sandy & Júnior, “um beijo é muito bom, mais que mil é mais que bom”. Celebrado no próximo dia 13, o dia do beijo remonta sensações, emoções e reações entre os indivíduos envolvidos.

Leia mais

Quinta, 04 de Abril de 2019 - 14:30

Viver Bem: Os resfriados do outono

Viver Bem: Os resfriados do outono
O outono traz consigo um período difícil para quem sofre com problemas alérgicos. A temperatura mais amena nesta época do ano tende a propiciar o surgimento de doenças relacionadas ao sistema respiratório. Independente da idade, gripes e resfriados são palavras certas de escutarmos neste período do ano por quem não esteja muito bem. A explicação, de acordo com o alergologista do Hapvida Saúde, Vitório Marchesini, é muito simples: a densidade do ar cai e gera uma maior proliferação de vírus, ácaros e bactérias. Neste cenário, um dos maiores vilões são os lugares fechados e as aglomerações. “Os vírus são transmitidos pelo contato direto ou indireto. Às vezes no cumprimento, por exemplo, a transmissão pode acontecer”, explica o especialista.

Leia mais

Quarta, 03 de Abril de 2019 - 16:30

Sinta-se leve: A tecnologia a seu favor

por Lidiane Angelim

Sinta-se leve: A tecnologia a seu favor
Vocês já se pegaram pensando no quanto deixamos de reparar o que acontece ao nosso redor? No geral, as pessoas se habituaram a olhar para baixo, mais precisamente para um aparelho que está em suas mãos. Seja no caminho para o trabalho ou até mesmo no shopping, observo cada vez mais pessoas ignorando tudo aquilo que está a sua volta.

Leia mais

Histórico de Conteúdo