Segunda, 12 de Novembro de 2018 - 11:00

Geraldo Júnior

por João Brandão / Jade Coelho

Geraldo Júnior
O presidente eleito da Câmara Municipal de Salvador (CMS), Geraldo Júnior (Solidariedade), considera como uma “tendência natural” que o vice-prefeito da capital baiana, Bruno Reis, seja o candidato à sucessão de ACM Neto na chefia do Executivo da cidade em 2020. No entanto, Geraldo acredita que para alcançar êxito Reis terá que construir uma relação com a cidade através da Câmara. “Um processo como esse você não chega vitorioso se não tiver um processo de construção. Bruno precisa estar apto com o prefeito ACM Neto, precisa estar apto com a cidade, e precisa estar apto com a CMS. Ele vai ter que sentar com a Câmara, com o presidente Geraldo Júnior, com a mesa diretora e com a cidade”, defendeu. A respeito do papel do Solidariedade na gestão municipal junto com o prefeito de Salvador, o ex-secretário de Trabalho, Emprego, Renda, Esporte e Lazer da cidade, que deixou o cargo para se candidatar à presidência da CMS, garantiu que o partido irá continuar pleiteando a pasta. Quanto à presidência do Legislativo Municipal, o vereador afirmou que a gestão terá como principal objetivo a aproximação da Casa com a cidade e os cidadãos. “Abrir a Câmara Municipal, abrir a casa do povo realmente”, assegurou.

Leia mais

Segunda, 05 de Novembro de 2018 - 11:00

Cláudio Tinoco

por Fernando Duarte / Ailma Teixeira

Cláudio Tinoco
Secretário de Cultura e Turismo da Prefeitura de Salvador, Cláudio Tinoco não hesita ao responder que a gestão municipal é mais eficiente na execução de projetos do que o governo do Estado. De acordo com ele, foi isso que impulsionou a decisão do prefeito ACM Neto (DEM) de tomar a dianteira e dar início ao processo de construção do Centro de Convenções de Salvador, que já está em obras. "A gente vê iniciar uma série de projetos, mas a gente não vê nem ser executados. Assim é a ponte Salvador-Itaparica, assim foi o caso desse Centro de Convenções e, por duas vezes, eu li o secretário de Turismo [José Alves] dizer que está na mesa do governador. Foi assim em janeiro e foi agora em outubro. Então o próprio secretário coloca a responsabilidade no colo do governador e a gente não vê uma resposta, a gente não ouve uma resposta e foi isso que aconteceu", critica. Neste contexto, o empreendimento da prefeitura tem previsão de ser concluído em setembro de 2019 e, segundo Tinoco, já há um calendário com cerca de 30 eventos agendados para o espaço. Com o turismo cultural como um dos eixos para a promoção da cidade, a prefeitura pretende também dar foco ao projeto do Museu da Música. O plano é implantá-lo no Casarão dos Azulejos até 2020, com investimento de mais de R$ 10 milhões. "A gente vai ter o recurso suficiente não só para concluir esse restauro, mas mais do que isso, implantar um museu dentro do conceito que a gente deseja, que é um espaço integrado em quatro imóveis ali da região da Praça Cairu, e que tenha uma sustentabilidade, não só por ser o museu expográfico, museográfico, mas sobretudo de produção musical. Salas de ensaio, auditórios para poder gravar... que a produção musical em Salvador possa ser reativada ou ativada a partir dele", descreve. Quanto à sua desistência de concorrer à eleição para deputado estadual, Tinoco acredita que não reuniu condições para viabilizar sua candidatura. Vereador licenciado da Câmara Municipal de Salvador (CMS), ele passou todo o ano de 2017 no Executivo da capital baiana. "A decisão foi acertada, não pelo resultado ruim para meu grupo político. Eu acho que para minha posição, eu não tive condições de reunir no ano passado apoios no interior, apesar de ter muitos amigos e ter atuado quase 10 anos em nível estadual", pondera. O secretário também não deixou a pasta na gestão ACM Neto para disputar a presidência da Câmara, como era esperado. Em entrevista ao Bahia Notícias, ele explica suas motivações para continuar na prefeitura e também detalha os demais projetos para a cultura e turismo de Salvador nos próximos dois anos.

Leia mais

Segunda, 29 de Outubro de 2018 - 11:00

Luiza Maia

por Lucas Arraz / Guilherme Ferreira

Luiza Maia
A secretária estadual de Desenvolvimento Econômico, Luiza Maia, prevê que o governador Rui Costa tenha um diálogo difícil com o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). Na avaliação dela, feita ainda antes do segundo turno deste domingo (28), a Bahia pode ter problemas para ter acesso a recursos e ganhar investimentos da mesma forma que enfrenta durante a atual gestão de Michel Temer. Em entrevista ao Bahia Notícias, a deputada estadual licenciada também fez duras críticas a Bolsonaro pela sua postura diante de pautas relacionadas às minorias sociais. "Eu não tenho dúvidas", disse a secretária, ao ser questionada sobre as dificuldades no diálogo entre os governos estadual e federal. Apesar de não ter sido candidata a deputada estadual neste ano, a secretária ressaltou que isso não significa que ela vá deixar a política. Ela explicou que defende a tese de que deputados estaduais não devem passar mais de dois mandatos na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA). Ao falar sobre seu futuro na política, Luiza Maia apontou que tem a intenção de ser prefeitura de Camaçari nas próximas eleições municipais. No entanto, ela admitiu que o nome do ex-marido Caetano, eleito deputado federal este ano, ainda é mais forte do PT na cidade. "Eu botei meu nome lá no PT para ser candidata, mas Caetano está mais forte. Não tem problema nenhum, se meu nome não crescer eu apoio ele, ele é nosso líder", afirmou.

Leia mais

Segunda, 22 de Outubro de 2018 - 11:00

Bruno Barral

por Bruno Luiz

Bruno Barral
Atual secretário de Educação de Salvador, Bruno Barral afirma não ter pretensões, pelo menos neste momento, para a prefeitura de Lauro de Freitas. Aventado como possível candidato ao comando da cidade em 2020, Barral não descarta diretamente a possibilidade, apesar de dizer que sua prioridade é continuar trabalhando na gestão da educação municipal. “Não tenho, nesse momento, nenhum interesse político para a cidade”, assegurou Barral em entrevista ao Bahia Notícias. O secretário ainda classificou como “fatídico” o episódio de confronto entre professores e a Guarda Municipal de Salvador durante a greve da categoria este ano e fez uma espécie de mea culpa sobre o assunto, que deixou uma imagem negativa para a prefeitura. “Não há justificativa para aquele fato. Jamais se reprime ideias com violência”, lamentou. Ainda segundo ele, haverá concurso para professores em 2019. “Os detalhes devem ser anunciados no início de 2019, para a gente poder chamar e convocar o que a gente precisa”, disse.

Leia mais

Segunda, 15 de Outubro de 2018 - 11:00

Jerônimo Rodrigues

por Lucas Arraz / João Brandão

Jerônimo Rodrigues
Apesar de uma vitória contudente, o cooordenador da campanha do governador Rui Costa (PT) à reeleição, Jerônimo Rodrigues, revelou que alguns momentos repensou a estratégia após pesquisas demonstrarem que o postulante ao Senado do grupo governista Angelo Coronel (PSD) estava atrás de Irmão Lázaro (PSC) na disputa pelo Senado. "As pesquisas influenciam bastante. A gente se preocupou. [...] A própria estratégia de pesar um pouco mais o diálogo de Wagner, colocando que não valeria a pena eleger só um, e só valeria a pena se fosse dois. O próprio discurso de Rui de que o Senado é uma casa que representa o Estado, então por tanto não era lugar de oposição ao governador. Isso fez com que a gente pesasse um pouco mais, tanto no marketing como nas presenças físicas que a gente fez na campanha", afirmou, em entrevista ao Bahia Notícias. O ex-secretário de Desenvolvimento Rural disse que agora nesse segundo turno, entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT), vai trabalhar para tentar pegar votos baianos de Ciro Gomes (PDT), Marina Silva (PV) e até de Alckmin (PSDB).  "São votos que naturalmente não tendem a ir para Bolso... 17. Não é fácil resgatar esses votos. Até porque o antipetismo referenda muito que eles neutralizem ou fiquem como se levam as mãos de Pilatos", contou

Leia mais

Segunda, 08 de Outubro de 2018 - 11:00

José Rocha Rotondano

por Cláudia Cardozo / Rebeca Menezes

José Rocha Rotondano
A eleição de 2018 foi a primeira com o uso da biometria. Para além do resultado das urnas, o que mais se ouviu foram reclamações de filas e da demora nas votações. O presidente do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA), Edvaldo Rotondano afirmou que o problema já era previsto e lembrou que foi pedido a população que observasse essa situação “por causa da segurança nas nossas eleições, da transparência e da impossibilidade de uma pessoa votar pela outra”. Ainda na entrevista, o presidente do Regional Eleitoral, afirmou que “as transformações que nós desejamos estão nas nossas mãos”, a partir do exercício da cidadania pelo voto. Também avaliou que o “momento é exatamente de reconstrução e de reflexão” e manifestou que seu desejo, como cidadão, é de que o “o país possa se reeguer e que nós possamos nos unir mais”. “Nós precisamos unir forças em torno de um país melhor, de uma gente mais qualificada, de um povo mais bem tratado, de uma sociedade mais justa e humana, com projetos voltados para as comunidades. Porque nós somos os destinatários dos serviços prestados pelo Estado e um gestor deve observar muito profundamente os interesses da coletividade”, declarou Rotondano. O desembargador ainda destacou que o voto foi disputado “um a um” e que é assim que tem que ser. “A Democracia se faz assim, demonstrando a sua vontade, escolhendo quem estará à frente do seu país, do seu estado, os legisladores. E espero que as pessoas continuem firmes nos seus pensamentos, na sua forma de pensar, mas procurem ser mais cuidadosas na hora de votar. Que votem em pessoas comprometidas com seu país, com seu estado. É isso que nós queremos”.

Leia mais

Segunda, 01 de Outubro de 2018 - 11:00

Orlando Andrade

por João Brandão / Guilherme Ferreira

Orlando Andrade
O candidato ao governo da Bahia pelo PCO, Orlando Andrade, avalia que o maior problema do estado é a não politização da população. Ele indicou que, caso saia vencedor nas urnas, vai buscar atrair as pessoas para a discussão política, e culpou a "eleição burguesa" pela sua pouca visibilidade diante do eleitorado. "Vivenciamos um cerceamento do direito democrático no Brasil e esse cerceamento é exatamente para afastar a população das decisões e das discussões que devem ser feitas, tanto no Brasil como na Bahia", comentou Andrade em entrevista ao Bahia Notícias. Ele ressaltou que dentro do próprio PCO as decisões são tomadas em conjunto e com a participação dos militantes. Natural de Feira de Santana, onde foi candidato a vice-prefeito em 2016, Andrade também comentou o fato de, em Salvador, ter aparecido com mais intenções de voto que Zé Ronaldo, ex-prefeito de Feira de Santana. "É uma demonstração também que a população entende a necessidade de fazer mudança", avaliou. Ao Bahia Notícias, o candidato do PCO ao governo também criticou o formato atual da eleição ao falar sobre a propaganda eleitoral na televisão."A caracterização da eleição burguesa é que o Partido da Causa Operária só tem sete segundos. Em sete segundos não dá nem pra falar o nome praticamente", reclamou.

Leia mais

Sexta, 28 de Setembro de 2018 - 11:00

Kátia Abreu

por Bruno Luiz

Kátia Abreu
Candidata a vice de Ciro Gomes para a Presidência da República, a senadora Kátia Abreu (PDT) trouxe uma novidade para os baianos na sua vinda a Salvador, que ocorreu nesta quinta-feira (27). Em entrevista ao Bahia Notícias, ela afirmou que Ciro se compromete a, caso eleito presidente, investir na ampliação do metrô Salvador-Lauro de Freitas. Segundo ela, o objetivo é levar o modal, que atualmente vai até o Aeroporto Internacional de Salvador, para mais áreas da cidade da Região Metropolitana. “Ciro sabe da importância da extensão do metrô em Salvador. Há o anseio de ampliar isso até Lauro de Freitas. Já tem o projeto, já está desenhado e precisa de recursos”, afirmou. Figura polêmica por suas posturas no Congresso a favor dos produtores rurais e acusada de contribuir para o aumento do desmatamento no Brasil e para precarização das condições do trabalhador do campo, ela defendeu que a divulgação da lista do trabalho escravo é uma condenação prévia. 

Leia mais

Segunda, 24 de Setembro de 2018 - 11:00

Célia Sacramento

por Bruno Luiz / Lucas Arraz

Célia Sacramento
Você pode conhecer Célia Sacramento como a vice-prefeita do PV que, após o primeiro mandato de ACM Neto (DEM) na gestão de Salvador, foi descartada da chapa de reeleição. Você também pode lembrar da Célia Sacramento que, pelo PPL, perdeu as eleições municipais de 2016 com menos de 0,3% dos votos da capital baiana. Para a Célia Sacramento de 2018, candidata ao governo da Bahia pela Rede, nenhuma desses momentos, entretanto, são lembrados como derrotas ou frustrações.  “Ledo engano quem pensa isso. Sou uma mulher negra vindo da pobreza que estudou na Universidade Federal da Bahia (Ufba) e na Universidade de São Paulo (USP). Sou contadora e advogada. De tudo que eu participo, nada é frustrado. Para nós negros, nesse Brasil racista que sempre nos exclui de tudo, participar de um processo como esse [disputar eleições] é sempre um sucesso total. Eu sou candidata para mostrar ao Estado que nós negros podemos sim. ”, descreveu Célia.

Leia mais

Segunda, 17 de Setembro de 2018 - 11:00

Marcos Mendes

por Ailma Teixeira

Marcos Mendes
Enquanto outros candidatos ao governo do Estado falam em aumentar o efetivo da Polícia Militar como forma de combate aos índices de violência registrados na Bahia, Marcos Mendes (PSOL) tem a desmilitarização como um dos destaques do seu plano de governo. Para ele, a solução passa pela valorização dos policiais com um plano de carreira, mas também por investimentos "pesados" em educação pública de qualidade, saúde pública de qualidade e políticas sociais. “A falta de políticas sociais do governo faz com que eles fiquem com a carga pesada de tudo que vem acontecendo de mal nos Estados e no país como um todo. Acho que isso não é justo com os policiais e com os profissionais da área de segurança pública”, defende o candidato, que diz representar o novo partido contra a velha política. Essa é a terceira vez que Marcos Mendes disputa uma eleição ao governo da Bahia. Como o Partido Socialismo e Liberdade contesta o posicionamento de grandes legendas, a sigla se juntou apenas ao PCB, UP e movimentos populares para as eleições deste ano. A candidata a vice na chapa de Mendes, ou co-governadora como eles chamam, é Dona Mira, líder do Movimento Sem Teto da Bahia (MTSB) e também filiada ao PSOL.

Leia mais

Histórico de Conteúdo