Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Marca Bahia Notícias
Você está em:
/
/
Tag

Artigos

Thais Habib
Juiz de Garantias e Justiça Eleitoral
Foto: Acervo pessoal

Juiz de Garantias e Justiça Eleitoral

Em sessão de julgamento, ocorrida no último dia 07/05, o Tribunal Superior Eleitoral aprovou, por unanimidade, a Resolução que regulamenta a implementação do juiz de garantias, no âmbito da Justiça Eleitoral brasileira. Em agosto de 2023, após dez sessões de longas discussões, o Supremo Tribunal Federal decidiu pela constitucionalidade da alteração do Código de Processo Penal, que instituiu o juiz de garantias. Naquela ocasião, foi fixado um prazo de 12 meses, prorrogáveis por mais 12, para que as leis e os regulamentos dos tribunais fossem alterados, de modo a permitir a efetivação do novo sistema, à luz das diretrizes traçadas pelo Conselho Nacional de Justiça.

Multimídia

Vitor Azevedo confirma que presença em “reunião paralela” no dia da votação do Bahia Pela Paz: “O governo sabe disso”

Vitor Azevedo confirma que presença em “reunião paralela” no dia da votação do Bahia Pela Paz: “O governo sabe disso”
O deputado estadual Vitor Azevedo, que embora tenha as raízes fincadas no PL, de Jair Bolsonaro, faz parte da base do governador Jerônimo Rodrigues, confirmou que foi um dos oito deputados presentes na “reunião paralela” realizada no último dia 14, no mesmo horário em que o governo “suava” para fazer o quórum mínimo de 32 votos para aprovação do Projeto Bahia Pela Paz.

Entrevistas

Zó afirma que seu nome segue no páreo em Juazeiro e dispara: “Eu quero que Roberto Carlos me apoie”

Zó afirma que seu nome segue no páreo em Juazeiro e dispara: “Eu quero que Roberto Carlos me apoie”
Foto: Max Haack / Bahia Notícias
Nascido Crisóstomo Antônio Lima, em Xique-Xique, o deputado estadual Zó (PCdoB) está no 3º mandato na  Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA).

lucio vieira lima

Lúcio garante candidatura de Oswaldinho em Camaçari, projeta apoio de Caetano e diz que tendência é MDB passar para 2º turno
Foto: Carine Andrade / Bahia Notícias

O MDB busca tornar ainda mais disputada as eleições que prometem ser acirradas em Camaçari. O presidente de honra do partido na Bahia, Lúcio Vieira Lima, garantiu que Oswaldinho Marcolino vai manter a pré-candidatura a prefeito do município. 


“Em Camaçari nós temos um candidato que é Oswaldinho. Lá é uma eleição em dois turnos, o que facilita muito. A tendência é o MDB passar para o segundo turno e Caetano vim apoiar. Se Caetano passar para o segundo turno, Osvaldinho vai apoiar Caetano. É simples, não tem muito o que conversar”, disse ao Bahia Notícias na tarde desta quinta-feira (16) na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) durante entrega da Comenda Dois Julho ao deputado federal Baleia Rossi (MDB-SP). 


Com o segundo maior PIB [Produto Interno Bruto] da Bahia e quarta cidade do estado em população, com 300,3 mil habitantes, o município localizado na Região Metropolitana de Salvador (RMS) projeta ter uma eleição polarizada entre o atual presidente da Câmara de Vereadores, Flávio Matos (União), que é apoiado pelo prefeito Antônio Elinaldo (União), e o ex-secretário de Relações Institucionais do estado, Luiz Caetano (PT). O servidor público Cleiton dos Santos (Novo) também está com a pré-candidatura posta. 


Neste ano, Camaçari entrou para o grupo de cidades com direito a ter segundo turno. Pelos cálculos do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o município registrou 201,2 mil eleitores. A condição assegura a disputa em dois momentos caso o candidato mais votado não tenha mais de 50% dos votos válidos no primeiro turno. 


VITÓRIA DA CONQUISTA

Por parte do MDB, as candidaturas em Vitória da Conquista já se encaminham para uma definição. Nesta quinta o partido lançou a pré-candidatura da vereadora Lúcia Rocha à prefeitura do município do Sudoeste baiano, com o Podemos e PRTB já garantidos na aliança. 

 

Por lá, o PT mantém o deputado federal Waldenor Pereira na corrida pelo Executivo local. O presidente de honra do MDB agora espera que a federação liderada pelo PT apoie Lúcia em um eventual segundo turno.  


“Nonô [Waldenor] perdeu a oportunidade de ser vice de Lúcia, porque demorou a se decidir. Mas vamos aguardar seu apoio no segundo turno. Não depende de nós mais, agora depende do PT, da Federação, apoiar Lúcia. Infelizmente não temos mais a vice para oferecer”, provocou.


“Todo mundo sabe que o MDB é um partido que tem palavra. Como o Podemos já ocupou a vice, estamos começando a campanha. E enquanto isso, os dois outros candidatos não têm nem vice ainda. Ficaram a dizer que Lúcia não tinha apoio político, que Lúcia não tinha estrutura, que Lúcia não seria candidata. Tudo que disseram e que eu dizia que era fake news, ocorreu o que eu disse. Lúcia é candidata”, pontuou.

MDB expulsa vereadores conquistenses por “indisciplina partidária” após apoio a prefeita Sheila Lemos
Montagem / Bahia Notícias / Reprodução: Instagram

O presidente de honra do MDB Bahia, o ex-deputado federal Lúcio Vieira Lima, anunciou, nesta terça-feira (20), a expulsão de três vereadores de Vitória da Conquista, no sudoeste baiano, por “indisciplina partidária”. A ação foi movida pela Comissão de Ética do MDB da Bahia contra os parlamentares Adinilson Pereira, Edjaime Rosa de Carvalho e Luis Carlos Dude. 

 

Em uma publicação nas redes sociais, Lúcio escreveu a seguinte declaração: “A Comissão de Ética do MDB da Bahia, reunida hj julgou procedente a Representação com sanção de expulsão, por indisciplina partidária ao descumprir as orientações e posições políticas da legenda no Município de Vitória da Conquista, dos vereadores @vereadoradinilsonpereira @bibiavereador e @luiscarlosdude que agora não precisam esperar a janela para procurar outro partido para perderem a eleição !”

 

 

Os vereadores, por sua vez, não se manifestaram sobre o caso. O “descumprimento das posições políticas”, sugerido pelo representante do partido, diz respeito a aproximação dos edis com a atual prefeita do município e pré-candidata a reeleição, Sheila Lemos (UB). Em outubro, Sheila deve disputar com outros 5 pré-candidatos a gestão municipal, incluindo a vereadora Lúcia Rocha, nome escolhido pelo MDB. 

 

Zé Neto não acredita em “constrangimento” após encontro com Geddel: “Pagou o que tinha de pagar”
Foto: Reprodução / Redes Sociais

Angariando apoio político em Feira de Santana, no Centro-norte baiano, durante sua 5ª “cruzada” na tentativa de assumir a prefeitura da cidade, o deputado federal Zé Neto (PT-BA) não vê constrangimento após o encontro, desta segunda-feira (18), com o presidente de honra do MDB baiano, Lúcio Vieira Lima, e Geddel Vieira Lima, correligionários do atual prefeito de Feira, Colbert Martins.

 

Após o encontro, Zé Neto postou uma foto nas redes sociais com os irmãos, com a legenda: "Com Geddel e Lúcio Vieira Lima, direção do MDB Baiano, construindo uma aliança política para 2024, para alavancar um novo projeto de desenvolvimento para nossa Princesa do Sertão". Confira:

 

Em 2019, o Supremo Tribunal Federal (STF) condenou Geddel e Lúcio Vieira Lima por lavagem de dinheiro e associação criminosa, no caso do “Bunker” com R$ 51 milhões encontrados em um apartamento de Salvador, em 2017.

 

Durante entrevista ao Podcast Projeto Prisma, do Bahia Notícias, nesta segunda-feira (18), Zé Neto afirmou que Geddel respondeu na justiça e que os irmãos, quer queira quer não, têm relevância na política baiana.

 

LEIA TAMBÉM

 

“Geddel pagou o preço que tinha de pagar. Respondeu na justiça. A gente não pode polemizar a política e tem que lembrar que, na semana passada, quem estava lá era meu adversário [Zé Ronaldo] e toda a imprensa publicou. Eles [os irmãos Vieira Lima] têm importância política na Bahia. Se teve alguma coisa errada, já teve o processo penal, mas ninguém pode dizer que o MDB e que a família Vieira Lima não teve nenhuma importância no processo político desse Estado e que não foi importante, inclusive, para nossa vitória”, afirmou o deputado federal destacando que ambos se colocaram à disposição para participar do projeto político em Feira. Confira o trecho:

 

Ainda de acordo com Zé Neto, as articulações em Feira de Santana junto ao MDB vêm sendo capitaneadas pelo governador Jerônimo Rodrigues (PT).

Jerônimo inicia conversas com PT, PSB e MDB sobre 2024 e agenda reunião do conselho político
Reunião com PT | Fotos: Reprodução/ Instagram @jeronimorodriguesba

O governador Jerônimo Rodrigues (PT) iniciou, nesta segunda-feira (28), uma rodada de conversas com partidos da base aliada sobre 2024. Os primeiros “convocados” foram representantes de PT, PSB e MDB e, por enquanto, há a expectativa de que uma reunião do conselho político seja finalmente convocada para os primeiros dias de setembro.

 

Em publicações nas redes sociais, os presidentes do PT, Éden Valadares, e do PSB, Lídice da Mata, indicaram que o assunto dos encontros com Jerônimo foi a disputa eleitoral do próximo ano. Apesar de terem acontecido no mesmo dia, as conversas foram individualizadas - em um primeiro momento, essa estratégia teria sido traçada pelo governador e pelo entorno dele, formado essencialmente pelo chefe de gabinete, Adolpho Loyola, e pelo secretário de Relações Institucionais, Luiz Caetano.

 

Reunião com Lídice da Mata e Rodrigo Hita, do PSB

 

Enquanto o PT apresentou, na última sexta (25), o nome do deputado estadual Robinson Almeida para disputar a prefeitura da capital baiana, o PSB possui nomes como o da própria Lídice, do vereador Silvio Humberto e do presidente da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder), José Trindade.

 

Reunião com Geddel e Lúcio Vieira Lima e Alex Futuca, do MDB

 

Já o MDB, que tem o vice-governador Geraldo Jr. como uma das apostas, não publicou imagens do encontro nas redes sociais. O partido tem adotado uma postura mais discreta nas movimentações políticas que envolvem os irmãos Lúcio e Geddel Vieira Lima, apesar de ambos estarem ativos nos debates sobre as relações entre a sigla e o governo baiano. Coube ao próprio Jerônimo publicar registros da reunião com os emedebistas.

 

CONSELHO POLÍTICO

Esperada desde o mês de junho, a reunião do conselho político da base do governo baiano começa a tomar forma para acontecer no começo de setembro. O deputado federal Bacelar (PV) já havia antecipado a informação durante entrevista ao podcast Projeto Prisma nesta segunda (28) e a movimentação envolvendo PT, PSB e MDB confirma a expectativa.

 

Segundo informações obtidas pelo Bahia Notícias, o dia 2 de setembro foi previamente reservado para um café da manhã com representantes de todos os partidos que compõem a base de apoio a Jerônimo. No entanto, o governador indicou que será mantido o encontro apenas se conseguir finalizar as conversas com todos as legendas ao longo da semana.

 

Dentro as siglas que ainda não teriam tido encontros individualizados com Jerônimo estão o PCdoB, o PSD e o Avante, partidos que possuem pré-candidaturas ou musculatura política para reivindicar espaço na composição tanto na disputa em Salvador quanto em outras cidades-chave na Bahia. O arco de alianças do governo ainda inclui Podemos (que se fundiu com o PSC), Cidadania e PSOL.

 

O PCdoB apresenta o nome da deputada estadual Olívia Santana e o PSD tenta viabilizar um nome, que pode ser do deputado federal Antonio Brito - todavia, o parlamentar estaria mais focado em se tornar viável como candidato à presidência da Câmara dos Deputados.

MDB tenta emplacar “novo nome” na disputa pela prefeitura de Juazeiro nas eleições de 2024; veja quem
Foto: Reprodução / Instagram / Igreja Verbo da Vida

Com a disputa interna entre “medalhões” para ser o nome do grupo de Jerônimo Rodrigues (PT) em Juazeiro, o MDB tem posto na mesa um “novo quadro” na política para evitar a reeleição da atual prefeita Suzana Ramos (PSDB) nas eleições de 2024. Segundo informações obtidas pelo Bahia Notícias, lideranças do MDB, encabeçados pelo presidente de honra do partido, Lúcio Vieira Lima, têm tentado emplacar o nome de Andrei Gonçalves, mais conhecido como “Andrei da Caixa”, para ser o candidato da base de Jerônimo em Juazeiro.

 

De acordo com as lideranças, pesquisas internas apontaram que os nomes apresentados pelo grupo até então, sendo eles os deputados estaduais Roberto Carlos (PV) e Zó (PCdoB), e o ex-prefeito do município, Isaac Carvalho (PT), possuem uma rejeição “considerável” na cidade. Na avaliação de membros do MDB, a apresentação de um “novo nome” poderia colaborar para que o candidato “fugisse” da rejeição do eleitorado.

 

Ainda há a possibilidade da própria Suzana Ramos disputar a reeleição sendo o nome da base de Jerônimo Rodrigues, mesmo sendo filiada ao PSDB. Os tucanos têm se aproximado do governador desde a chegada do presidente da Câmara Municipal de Salvador (CMS), Carlos Muniz, e estariam colocando a disputa de Juazeiro “na conta” para uma possível adesão à gestão estadual.

 

LEIA TAMBÉM:

 

Andrei foi indicado por Lúcio Vieira Lima e teria o apoio de teria o apoio de empresários, principalmente do ramo de construção civil, onde ele possui empresa no setor, e também de algumas lideranças evangélicas de Juazeiro. Além disso, ele teria “apelo popular” por ser servidor público da Caixa Econômica.

 

O empresário ganhou notoriedade dentro de Juazeiro após as eleições de 2022, sendo um dos principais organizadores das “Puxadas de Jerônimo”, que visava ganhar votos para o petista durante a disputa para o governo estadual. As manifestações chegaram a reunir mais de 10 mil juazeirenses nas ruas.

 

Juazeirenses na "Puxada de Jerônimo | Foto: Acervo Pessoal 

 

Andrei da Caixa na "Puxada de Jerônimo" | Foto: Acervo Pessoal

 

Apesar da indicação e o convite de Lúcio, a filiação partidária de Andrei com o MDB ainda não está concretizada. Contudo, o empresário foi visto em evento da Fundação Ulysses Guimarães, vinculada aos emedebistas, realizado em Salvador na quinta-feira (25) da última semana.

 

Andrei se reuniu com o presidente municipal do PT de Juazeiro, Luiz Félix, na noite da última sexta-feira (26). Entre as pautas, inclusive, seria articular o lançamento de seu nome como o candidato da base de Jerônimo Rodrigues para a prefeitura do município. Além de Félix, Andrei também já teria conversas com Zó e com Roberto Carlos, demonstrando seu interesse na disputa.

Lúcio diz que formação de uma federação entre o MDB, PSDB e Cidadania é normal: “Se é para sair, vai sair"
Foto: Bahia Notícias

O presidente de honra do MDB da Bahia, Lúcio Vieira Lima, comentou na noite desta quinta-feira (25), sobre a formação de uma federação tripartite, entre o MDB, PSDB e Cidadania. Para Lúcio, a mudança é normal, principalmente quando se trata de "partidos grandes e menores”.

 

“Os partidos menores querem se agrupar aos partidos grandes porque é a forma que têm para sobreviverem e logicamente os partidos grandes também têm vantagem no caso de fazer essa federação”, declarou.

 

Apesar da normalidade para Lúcio, ele esclareceu que até a federação sair existem muitas conversas para se discutir, principalmente por se tratar de um critério no Brasil todo.

 

O presidente adiantou que já houve uma conversa entre o deputado Baleia Rossi e o presidente nacional do PSDB, Eduardo Leite.

 

“Agora o que tem que se fazer é dar rapidez, se é para sair, vai sair, senão fica de mi mi mi pela imprensa e termina desgastando”, declarou Lúcio.

 

O ex-deputado federal ainda afirmou que cabe agora aos partidos acelerarem para passar para a segunda fase. “É a fase das conversas com diversas diretorias e também para definir critérios. Como é que vai ser divisão de tempo, etc. Aí que muitas vezes a gente chama que ‘a porca torce o rabo’, porque os partidos menores sempre querem, quando fazem a federação, crescer em cima dessa federação e o objetivo não é esse, tem que ser um jogo de ganha e ganha”, disse.

Colbert Martins diz que ninguém tem condição de expulsá-lo do MDB na Bahia
Foto: Gabriel Lopes/ Bahia Notícias

O prefeito de Feira de Santana, Colbert Martins Filho, garantiu que "ninguém na Bahia" tem condições de expulsá-lo do MDB. A declaração foi feita durante sua entrevista ao podcast Projeto Prisma, do Bahia Notícias, nesta segunda-feira (22). Colbert vive uma turbulência dentro da sigla por, sobretudo, ter apoiado ACM Neto (UB) e não Jerônimo Rodrigues (PT) nas eleições de 2022.

 

O gestor da segunda maior cidade da Bahia também não apoiou a candidatura do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, declarando voto para a sua correligionária, Simone Tebet. Geraldo Júnior, eleito vice-governador pelo partido, e o presidente da sigla na Bahia, Lúcio Vieira Lima, defenderam publicamente a expulsão de Colbert.

 

“É um desrespeito político e pessoal também. Veja, o MDB teve muitas posições diversas nessa eleição. Aqui na Bahia, por exemplo, quem apoiou Simone Tebet foram nós de Feira de Santana e as pessoas do verdadeiro MDB na Bahia. O grupo atual do partido não apoiou Simone Tebet, apoiou Lula. Quer dizer, nessas circunstâncias, nós entendemos que o partido, como em outras cidades e outros estados, também tivesse uma posição. A minha posição foi, no meu entendimento, absolutamente coerente com o partido no ponto de vista nacional”, disse o gestor.

 

“Do ponto de vista da Bahia, nós temos uma ação diversa do partido, a exemplo do que aconteceu em várias áreas do país. Em nenhum momento nós levantamos quaisquer questões de discussão, até porque não tem condição ninguém aqui na Bahia de me expulsar, ninguém, ninguém tem condição disso”, completou.

Em reunião com Jerônimo, MDB defende agilidade na escolha pelo candidato à prefeitura de Salvador
Foto: Paulo Victor Nadal / Bahia Notícias

O presidente de honra do MDB da Bahia, Lúcio Vieira Lima, afirmou que o partido defendeu, em reunião com o governador Jerônimo Rodrigues (PT) na quinta-feira (27), a tese do lançamento de uma única candidatura das siglas da base aliada em Salvador e que a definição do nome seja “para ontem”. Esse será um dos temas em pauta na reunião do conselho político, marcada pelo petista para o próximo dia 4.

 

“Falamos com o governador, e claro que não no sentido de fazer pressão, mas de mostrar o cenário sob nosso ponto de vista, que Salvador deveria ter uma única candidatura da base aliada. E que esse nome saia logo porque precisamos fortalecer essa candidatura, que precisará de tempo para ganhar musculatura”, disse o emedebista ao Acorda Cidade, parceiro do Bahia Notícias.

 

Ele afirmou que o MDB colocou o nome do vice-governador Geraldo Júnior  (MDB)como opção em Salvador. “Colocamos Geraldinho como uma alternativa forte que pode unir a base, mas, lá na frente, se tiver outro melhor, deixamos claro que o MDB não criará empecilho e estará disposto a fazer a pactuação. Deixamos claro que o governador é o comandante do processo. Afinal, enquanto o ex-governador Jaques Wagner (PT), hoje senador, conquistava a todos pelos belos olhos azuis, Jerônimo faz o mesmo com o sorriso”, brincou Lúcio.

 

Além de Lúcio, também estiveram com Jerônimo na quinta o ex-ministro Geddel Vieira Lima e o presidente do MDB da Bahia, Alex Futuca. As eleições dos maiores municípios do interior também entraram na pauta, assim como serão assunto do conselho político.

 

“O governador nos disse que, quando o assunto for eleição, a prioridade será equacionar a situação em Salvador e nos maiores municípios da Bahia, para depois ir avançando para as demais cidades. A tarefa agora é mapear lideranças e nomes fortes e partir para critérios de escolha. O MDB acha que sempre que for possível deve prevalecer a tese da candidatura única, mas achamos que em Salvador isso é indispensável”, afirmou Lúcio.

 

“Ele (Jerônimo) considera natural que todos os partidos da base queiram crescer, mas disse que quer fazer o jogo do ‘ganha, ganha’, respeitando a proporção e a história de cada um. Não adianta, por exemplo, colocar um nome por colocar”, acrescentou o emedebista.

Lúcio pede votação do TCM "sem partido" e diz que indicação familiar "não é privilégio de esquerda ou direita"
Foto: Paulo Victor / Bahia Notícias

O presidente de honra do MDB, Lúcio Vieira Lima indicou que a votação para o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) tem que ser "sem partido". Com a possibilidade da indicação da ex-primeira dama da Bahia, Aline Peixoto, mulher do ministro da Casa Civil, Rui Costa (PT), o PCdoB reivindicou o espaço (veja mais), que tem o deputado Fabrício Falcão como preferência

 

Vieira Lima comentou ainda que, a indicação de familiares para cargos públicos não é "privilégio da esquerda nem direita". "É da consciência de cada um. Tanto que o próprio PCdoB já foi acusado em Juazeiro e Remanso. O MP já o obrigou a demitir o filho. Tem gente de todos os lados que indicam parente. É para isso que tem uma lei e o fiscal. A questão do TCM não vai passar por esquerda ou direita e não deve ser partidarizada. A questão é de competência", disse ao BN. 

 

Lúcio também defendeu a legitimidade da indicação de Aline para o posto. "Se a esposa do governador, a ex-primeira dama for realmente indicada e o presidente da Assembleia já indicou validade, é pedir voto. Como é no STF e no STJ. Não tem questão de partido, cor ou raça", completou. 

 

"A indicação será sempre da Assembleia. Não tem essa história de ser um deputado, é como está a lei. É um deputado com mandato, sem mandato, ex-deputado. O que diz que será a vaga da Assembleia, os deputados irão votar para ver os nomes. Infelicidade é a colocação é que tem que ser de partido A ou B. Critério é partido?", finalizou. 

 

Ao Bahia Notícias, fontes do Partido dos Trabalhadores na Bahia indicaram que há muita resistência interna com a possível candidatura de Aline, tanto na direção da legenda quanto na bancada petista na AL-BA. O fato estaria provocando constrangimento até em grandes lideranças do grupo político, que veem dificuldade em justificar moralmente a escolha, apesar de não haver ilegalidade.

 

Ainda conforme informações de lideranças petistas, a bancada do PT na Assembleia, incomodada com a situação, já teria fechado questão em sentido contrário: o partido iria apoiar um deputado estadual integrante da federação “Brasil da Esperança”, formada pelos petistas, pelo PCdoB e pelo PV. 

 

LEGITIMIDADE DO ATO

O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), deputado estadual Adolfo Menezes (PSD), apontou para a "legitimidade" para a candidatura da ex-primeira-dama da Bahia, Aline Peixoto para a disputa pela vaga de conselheiro no Tribunal de Contas dos Municípios (TCM).

 

"Eu estou vendo isso pela imprensa, quando o ex-governador se manifestar, eu opino. Eu não tenho essa informação, nem ele, nem ela falaram comigo. É um direito. Se não proíbe, a presidência coloca para votar. É uma coisa para votar, os deputados irão avaliar, caso aconteça", comentou ao Bahia Notícias.

 

Siga o Bahia Notícias no Google News e veja os conteúdos de maneira ainda mais rápida e ágil pelo celular ou pelo computador!

Curtas do Poder

Ilustração de uma cobra verde vestindo um elegante terno azul, gravata escura e língua para fora
A semana já começou difícil pro Soberano. Não é fácil ver fantasmas mesmo. Só deixo logo o aviso: a rixa de hoje é a falta de abadá de amanhã. Já o Ferragamo tá apostando no amor com os eleitores, e com a educação positiva com os secretários. E enquanto o tempo faz bem pra uns, prejudica outros... Mas às vezes a pessoa só quer estar "emprazerada". Saiba mais!
Marca Metropoles

Pérolas do Dia

Éden Valadares

Éden Valadares
Foto: Divulgação / PT-BA

“Quem decide se vai ter segundo turno ou não é o povo de Salvador”. 

 

Disse o presidente do Partido dos Trabalhadores da Bahia, Éden Valadares ao rebater a declaração feita pelo prefeito de Salvador, Bruno Reis (União), de que a eleição municipal da capital baiana será decidida no primeiro turno.

Podcast

Deputado estadual Vitor Azevedo é o entrevistado do Projeto Prisma nesta segunda-feira

Deputado estadual Vitor Azevedo é o entrevistado do Projeto Prisma nesta segunda-feira
O deputado estadual Vitor Azevedo (PL) é o entrevistado do Projeto Prisma nesta segunda-feira (27). O programa é exibido ao vivo no YouTube do Bahia Notícias a partir das 16h.

Mais Lidas