Sexta, 29 de Novembro de 2019 - 13:50

Ildazio Jr.: Por uma Bahia repaginada

por Ildazio Jr.

Ildazio Jr.: Por uma Bahia repaginada
Estamos vivendo uma nova era, ou como todos comentam em cada esquina, novos tempos! Tempo este em que as individualidades começam a dar espaço aos coletivos! As “tribos” se subdividiram em inúmeras tribos menores, com mais identificação ainda, porém muitas delas ainda têm que quebrar com preconceitos irritantes desta mancha de conservadorismo que insiste em querer tomar conta da cena sem se tocar que não cabe e, principalmente na nossa Bahia, jamais passarão!

Leia mais

Quarta, 13 de Novembro de 2019 - 19:30

Ildazio Jr.: Uma Ópera Baiana

por Ildazio Jr.

Ildazio Jr.: Uma Ópera Baiana
Quase vinte e cinco anos atrás eu, então com 28 anos, fui apresentado ao fabuloso universo da Ópera. Ildásio pai, que já era autor de uma peça de teatro, “O Barão de Santo Amaro”, a transformou em libreto para se transformar na Ópera Negra Lídia de Oxum juntamente com a música fantástica do maestro Lindembergue Cardoso, a fazendo acontecer primeiramente no Teatro Castro Alves e logo na sequência na lagoa do Abaeté. Ele trouxe assim à terrinha a primeira ópera negra e cantada em Iorubá e Português do mundo! Tinha que ser na Bahia, essas coisas só rolam aqui, acreditem!

Leia mais

Quinta, 31 de Outubro de 2019 - 14:30

Luis Ganem: Histórias da Música Baiana – Deixa de Lero Lero

por Luis Ganem

Luis Ganem: Histórias da Música Baiana – Deixa de Lero Lero
Comecei, um tempo atrás, uma serie de contos sobre o axé nos quais relato um pouco de momentos e fatos acontecidos nos anos de ouro do ritmo e que se tornaram grandes histórias. Algumas dessas histórias – as principais – já foram contadas em diversos formatos como por exemplo livros e filmes. Mas, por serem muitas, algumas delas não acabaram passando no tempo e é nisso que foquei, em tentar contar esses pequenos momentos que se tornaram grandes. Um desses a se contar diz respeito à banda Cheiro de Amor, ainda na década de noventa.

Leia mais

Quarta, 30 de Outubro de 2019 - 11:10

Ildazio Jr.: Que música é essa?

por Ildazio Jr.

Ildazio Jr.: Que música é essa?
Tive a sorte grande de nascer em um berço multicultural imenso, onde a música sempre esteve presente além do teatro, poesia, literatura, cinema e artes plásticas! Mas a tal música é fogo e desempenha um capitulo especial na minha existência. Desde que me entendo por gente me relaciono com a música, do punk rock ao axé, produzindo bandas de pop-rock, pagode, axé, forró, e durante os anos nesta caminhada fiz eventos com todas elas e, por assim dizer, com todo tipo de abordagem musical permitida ao momento. Transitei pelo duplo sentido (Não fure Quinho não), pelo racista (Nêga do cabelo duro), homofóbico (Menino eu sou é “home”, como sou!), machista (Silvia piranhaaaa) ou a esculhambação mesmo (rala o pinto, rala a xeca). Penso que naquele tempo vivíamos num quadrante de pouca informação e valores diferentes que, graças a Deus e à internet, se dissiparam!

Leia mais

Quarta, 16 de Outubro de 2019 - 11:30

Ildazio Jr.: Das Antigas!

por Ildazio Jr.

Ildazio Jr.: Das Antigas!
Sinceramente, se tem um termo que conceitua toda uma geração artística comercial de mediano poder de criação – salvo claro as exceções, e estas que nem sempre tiveram ou foram dadas as oportunidades devidas – é: “das antigas”. O Axé music com 15 anos de vida já fazia festa de não sei quem “das antigas”. O descarte era tão ávido que até o “das antigas” foi no bolo, virou a saída aos desvalidos!

Leia mais

Quarta, 02 de Outubro de 2019 - 16:00

Luis Ganem: Ju Moraes, à procura da mágica

por Luis Ganem

Luis Ganem: Ju Moraes, à procura da mágica
As novidades andam escassas em nosso mercado musical. Nada de novo tem acontecido na terra. Alguns ensaios de novos modelos de mercado, novos atores para uma mesma cena, a propagação do pagode pegação – em verdade o termo é outro, mas manteremos esse pela tradição e pelos bons costumes. Mas somente isso – o que é muito pouco, diga-se de passagem. Mas, continuando a prosa, eis que algumas semanas atrás fui convidado a assistir um novo projeto, um recomeço. Fico sempre ressabiado com esses recomeços, pois quase sempre não dizem nada, sendo apenas ego inflado de artista sumido, tentando um espaço.

Leia mais

Quarta, 02 de Outubro de 2019 - 11:30

Ildazio Jr.: O novo entretenimento para novos clientes!

por Ildazio Jr.

Ildazio Jr.: O novo entretenimento para novos clientes!
O mundo mudou com as tantas possibilidades de informação, e com tanto desejo para se ter, que criaram até as fake news e assim aplacar a vontade absurda do ser humano moderno de querer saber de tudo, principalmente de notícias ruins, escândalos, fofocas e, claro, onde será a festa ou o show da hora!

Leia mais

Terça, 06 de Agosto de 2019 - 11:30

Luis Ganem: #SQN

por Luis Ganem

Luis Ganem: #SQN
No seu novo texto, Luis Ganem explica porque realmente não existe crise no Axé. E pra chegar a essa conclusão, ele observou um dado bem interessante dos artistas locais, que mostram exatamente como eles vão bem no mercado nacional. E se você achar que o texto tem ironia, estará completamente enganado. #SQN.

Leia mais

Terça, 28 de Maio de 2019 - 19:15

Luis Ganem: O que está destruindo a música baiana não é a música baiana

por Luis Ganem

Luis Ganem: O que está destruindo a música baiana não é a música baiana
Desde meu último artigo, venho constantemente ouvindo histórias de amigos ligados ao mercado musical baiano, para poder me abastecer de fatos que possam embasar outros textos, além, como é de lei, de ter o prazer de jogar um pouco de conversa fora. Tirando de lado a prosa, essas conversas quase sempre acabam passando sobre os grandes empresários da música que faliram – principalmente os mais arrogantes – e, vira e mexe, sou instado a tratar do fator meritocracia.

Leia mais

Quarta, 10 de Abril de 2019 - 11:50

Luis Ganem: Tudo como dantes no quartel de Abrantes

por Luis Ganem

Luis Ganem: Tudo como dantes no quartel de Abrantes
Carnaval passou e está “Tudo como dantes no quartel de Abrantes”. Ou seja: voltou a ficar tudo igual, nada mais acontece, nada mais se fala. O interessante nisso é que o brado que exigia e exigiu com a chegada do carnaval, mudanças, espaço, voz e vez, com o fim da festa abaixou o pano, saiu de cena, sumiu e, mais uma vez, esperaremos um ano para que tudo venha a ser “rediscutido” e nada efetivamente seja resolvido.

Leia mais

Histórico de Conteúdo