Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Marca Bahia Notícias
Você está em:
/
/
Tag

Artigos

Thais Habib
Juiz de Garantias e Justiça Eleitoral
Foto: Acervo pessoal

Juiz de Garantias e Justiça Eleitoral

Em sessão de julgamento, ocorrida no último dia 07/05, o Tribunal Superior Eleitoral aprovou, por unanimidade, a Resolução que regulamenta a implementação do juiz de garantias, no âmbito da Justiça Eleitoral brasileira. Em agosto de 2023, após dez sessões de longas discussões, o Supremo Tribunal Federal decidiu pela constitucionalidade da alteração do Código de Processo Penal, que instituiu o juiz de garantias. Naquela ocasião, foi fixado um prazo de 12 meses, prorrogáveis por mais 12, para que as leis e os regulamentos dos tribunais fossem alterados, de modo a permitir a efetivação do novo sistema, à luz das diretrizes traçadas pelo Conselho Nacional de Justiça.

Multimídia

Vitor Azevedo confirma que presença em “reunião paralela” no dia da votação do Bahia Pela Paz: “O governo sabe disso”

Vitor Azevedo confirma que presença em “reunião paralela” no dia da votação do Bahia Pela Paz: “O governo sabe disso”
O deputado estadual Vitor Azevedo, que embora tenha as raízes fincadas no PL, de Jair Bolsonaro, faz parte da base do governador Jerônimo Rodrigues, confirmou que foi um dos oito deputados presentes na “reunião paralela” realizada no último dia 14, no mesmo horário em que o governo “suava” para fazer o quórum mínimo de 32 votos para aprovação do Projeto Bahia Pela Paz.

Entrevistas

Zó afirma que seu nome segue no páreo em Juazeiro e dispara: “Eu quero que Roberto Carlos me apoie”

Zó afirma que seu nome segue no páreo em Juazeiro e dispara: “Eu quero que Roberto Carlos me apoie”
Foto: Max Haack / Bahia Notícias
Nascido Crisóstomo Antônio Lima, em Xique-Xique, o deputado estadual Zó (PCdoB) está no 3º mandato na  Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA).

eleicoes 2024

Elmar e Neto dividem palanque em Santa Amaro e afastam rumores sobre desentendimento: “Intrigas nunca vão nos separar”
Foto: Divulgação

O lançamento da pré-candidatura a prefeito de Flaviano Bonfim (União) no município de Santo Amaro, a 80 km de Salvador, trouxe um encontro inesperado, na noite desta quarta-feira (29). 


O ex-prefeito ACM Neto e o deputado federal Elmar Nascimento dividiram o mesmo palanque durante o evento político. Em sua fala, Elmar fez questão de afastar qualquer tipo de desavença entre os dois e reforçou que a aliança entre eles segue firme e forte. 


“Conheço Neto pelo olhar e ele me conhece. Nossa amizade é muito forte e intrigas nunca vão nos separar. Estou com Neto”, afirmou o parlamentar. Também estiveram presentes no evento os prefeitos de Salvador, Bruno Reis (União), de Camaçari, Elinaldo Araújo (União) e Pitágoras (PP) de Candeias, além do secretário de governo da capital baiana, Cacá Leão (PP).


As rusgas entre Neto e Elmar se intensificaram nas últimas semanas, após o União Brasil da Bahia decidir punir com a redução do fundo partidário, os deputados estaduais do legenda que votarem a favor de projetos de lei enviados pelo governador Jerônimo Rodrigues (PT) à Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA).


A leitura que foi feita nos bastidores é de que a medida seria uma retaliação a Marcinho Oliveira e Júnior Nascimento, deputados ligados a Elmar, que de forma recorrente votam pela aprovação de propostas do Executivo. 

“Quem decide se vai ter segundo turno ou não é o povo de Salvador”, diz Éden em resposta a Bruno Reis
Foto: Divulgação / PT-BA

O presidente do Partido dos Trabalhadores da Bahia, Éden Valadares, rebateu, nesta quarta-feira (29), a declaração feita pelo prefeito de Salvador, Bruno Reis (União), de que a eleição municipal da capital baiana será decidida no primeiro turno. Para o dirigente petista, enquanto o grupo opositor celebra pesquisas e preveem definições antecipadamente, o time do PT e dos partidos aliados comemoram o resultado das urnas.

 
“Já vimos essa história e o final é feliz para o nosso time. Eles celebrando pesquisa e comemorando vitória antecipadamente, e a gente trabalhando, trabalhando e trabalhando com muita humildade e dedicação”, afirmou o presidente do PT Bahia sobre os esforços do grupo para eleger o vice-governador e pré-candidato do governador Jerônimo Rodrigues e do presidente Lula à Prefeitura de Salvador, Geraldo Júnior.

 
Éden disse ainda que o resultado da eleição não depende do desejo do prefeito e sim dos moradores da cidade. “Quem decide se vai ter segundo turno ou não é o povo de Salvador, e não pesquisa, palpite ou desejo do prefeito. Há um desgaste grande com relação ao transporte público que é caro e ineficiente, à degradação ambiental da cidade, aos impostos que de tão elevados inviabilizam quem mora e quem quer investir em Salvador, e a consequência disso é o desemprego e a falta de perspectiva. Dá para ser diferente e vamos mostrar que é possível dialogar com humildade com cada comunidade, bairro, cada canto da nossa capital”, concluiu.


A fala de Bruno foi uma resposta ao comentário do senador Jaques Wagner (PT) na última semana, em que previu uma disputa em segundo turno para a prefeitura de Salvador. O prefeito afirmou que acredita que independente do grupo político, a eleição será decidida em apenas uma etapa. 


“Quem sou eu para discordar do senador Jaques Wagner, que é um político experiente? Mas com o meu pouco conhecimento de política, eu acho que a seleção será de um turno só. Até porque no nosso campo político tem apenas um candidato. Ou candidata, quem sabe. Mas no nosso campo só tem um candidato. No outro campo político tem dois candidatos. Naturalmente, um disputa o mesmo espaço político do outro. Pode ser que o nosso campo político possa até não vencer as eleições. Mas, se tem uma convicção que eu tenho pela pouca experiência política, é que a seleção é de um turno só”, concluiu. 

Alexandre Aleluia projeta embate entre Bruno Reis e Kleber Rosa e detona Geraldo Jr.: “Paquiderme político”
Foto: Reprodução / Youtube

O vereador Alexandre Aleluia (PL) partiu pra cima do ex-colega e atual vice-governador Geraldo Jr. (MDB) durante entrevista para o programa Bahia Notícias no Ar, da rádio Salvador FM, nesta quarta-feira (29). 


O edil disse que a pré-candidatura de Geraldo à prefeitura de Salvador não representa ameaça para a reeleição de Bruno Reis (União) e que ele não deve ter o apoio maciço dos militantes de esquerda da cidade, que, em sua avaliação, devem escolher Kleber Rosa (PSOL). 


“Acho que o cenário deve afunilar entre Bruno Reis e Kleber Rosa. Geraldo hoje é um vazio político, que não representa nada em termos de valores. Eu diria que é um paquiderme político”, disparou Aleluia. 


Além disso, o vereador criticou a peça publicitária do vice-governador sobre o desmatamento na capital baiana e afirmou que a estratégia adotada pelo emedebista mostra a falta de ideias para a cidade. 


“Tentou se apropriar de algumas questões ambientais, mas eu acho que quando ele fala sobre o verde, as árvores de Salvador devem tremer um pouco. Então ele não tem muita penetração desse discurso, porque não é consolidado, é vazio, e essa mudança de valores impacta justamente sobre isso”, ironizou.


Por fim, o parlamentar ainda opinou que a influência de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não deve impactar nas eleições locais. “Não enxergo temas nacionais impactando diretamente nesta eleição. Esses grandes puxadores acabam não influenciando tanto assim e não têm um impacto muito direto nestas eleições”, pontuou.

 

Na despedida do TSE, Moraes defende regulamentação e diz que atuou no combate à cultura da impunidade das redes sociais
Foto: TSE

Na sua última sessão como presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), nesta quarta-feira (29), o ministro Alexandre de Moraes voltou a defender a necessidade de regulamentação das redes sociais e a atuação contínua do Poder Judiciário contra a impunidade no ambiente virtual. 

 

Ao falar das eleições municipais programadas para outubro, Moraes pontuou a importância de assegurar aos eleitores o direito ao voto com consciência e liberdade. “E votar com consciência e liberdade exige cada vez mais o combate à instrumentalização das redes sociais. Não é possível admitirmos que haja a continuidade do número massivo, a desinformação, as notícias fraudulentas, as deep fakes, as notícias fraudulentas agora anabolizadas pela inteligência artificial, não é mais possível que toda a sociedade e todos os poderes constituídos aceitem essa continuidade sem uma regulamentação”, destacou. 

 

“O que não é possível na vida real, não pode ser possível no mundo virtual. O que é proibido na vida real, deve ser proibido no mundo virtual”, defendeu. 

 

Na visão do ministro, o TSE é exemplo de rompimento da “cultura da impunidade às redes sociais”, seja com as decisões em julgamentos, as regulamentações das eleições de 2022 ou, mais recentemente, com as novas resoluções para a disputa deste ano. 

 

O magistrado afirmou que os avanços do tribunal neste assunto ocorreram “para demonstrar que essa verdadeira lavagem cerebral que é feita por meio de algoritmos não transparentes, e eu diria em alguns casos algoritmos viciados para determinadas bolhas, que isso será e continuará sendo combatido aqui na Justiça Eleitoral. E que a Justiça Eleitoral seja um exemplo, um exemplo do que há de mais moderno no combate à desinformação”. Para ele, as presidências da Corte têm trabalhado e deixado o único legado que interessa à Justiça Eleitoral: “o fortalecimento, a garantia e a permanência da democracia”.

 

Alexandre de Moraes ainda destacou que a liberdade assegurada pela Constituição a todos os cidadãos deve ser usada com responsabilidade e isso inclui arcar com a responsabilização dos seus atos. “Não é possível que em um mundo complexo como o nosso, o único sistema que não tenha regulamentação seja o sistema das redes sociais, o mundo virtual”.

 

O ministro foi enfático ao dizer que o eleitorado não pode ser “bombardeado por interesses políticos, ideológicos ou mesmo, quase sempre, financeiros por notícias deturpadas, por discursos de ódio, misóginos, racistas, nazistas”. Cabendo às instituições a missão de “combater esse mal que é a desinformação nas redes sociais, esse mal que é a proliferação do discurso de ódio nas redes sociais”.

 

A utilização das redes neste sentindo, segundo Moraes, não corrói apenas a democracia, mas também afeta a dignidade da pessoa humana com o aumento de casos de suicídio entre jovens, ciberbullying e a ascensão de populistas ao poder em todo o mundo. E neste ponto eleitoral, conforme o ministro, o Brasil tem se diferenciado. 

 

“Aqui no Brasil nós mostramos que é possível uma reação a esse novo populismo digital extremista que pretende solapar as bases da democracia. O Brasil saiu vencedor, a população brasileira saiu vencedora. A população brasileira acreditou nas urnas eletrônicas, o comparecimento maciço nas eleições, a primeira vez que um segundo turno de uma eleição teve mais votos, mais eleitores do que o primeiro turno, demonstrando que apesar dos ataques e bombardeios de desinformação, da tentativa de retirar a credibilidade das eleições, do Tribunal Superior Eleitoral, das urnas eletrônicas e da própria democracia, o eleitorado acreditou na Justiça Eleitoral. O eleitorado acreditou que as instituições brasileiras são fortes e que o Poder Judiciário brasileiro não se acovarda mediante agressões, não se acovarda mediante populistas extremistas que se escondem atrás do anonimato das redes sociais”.

 

NOVA PRESIDENTE

No dia 3 de junho, às 19h, a ministra Cármen Lúcia e o ministro Nunes Marques tomarão posse como presidente e vice-presidente do TSE.

 

“Fico extremamente feliz em ser sucedido pela ministra Cármen. Eu tenho absoluta certeza de que o Tribunal Superior Eleitoral está em ótimas mãos e que as eleições 2024 não poderiam ser melhor dirigidas do que na presidência da ministra Cármen”, declarou Moraes.

Bruno Reis pede calma sobre anúncio da pré-candidatura e crava que disputa será decidida em apenas um turno
Foto: Maurício Leiro / Bahia Notícias

O prefeito Bruno Reis (União), preferiu ainda manter o mistério sobre o lançamento da sua pré-candidatura à prefeitura de Salvador para as eleições deste ano. Segundo ele, em entrevista ao Bahia Notícias, nesta quarta (29), é preciso ter calma, pois existe um calendário a ser cumprido, garantindo que no momento tem intensificado as conversas com aliados, mas sem cravar data, nem o nome de quem seguirá como vice na sua chapa para o pleito de outubro. 

 

“Já há um calendário eleitoral que nos impõe descompatibilizações, convenções, existem candidaturas, filiações, e eles por si só já regulamentam o tempo, mas não tenho dúvidas, eu principalmente depois que passou o dia 6 de abril intensifiquei as conversas. Com os meus aliados, estamos conversando, estou fazendo pesquisas, recebi uma pesquisa quantitativa semana passada, recebi essa semana a pesquisa qualitativa, graças a Deus, o melhor que eu já tive em todas as últimas avaliações, tenho conversado com as lideranças, com os nossos treinadores, com os nossos pré-candidatos, e o que eu posso dizer a vocês é que está próximo da tomada dessa decisão, mantendo aí o princípio da verdade, o princípio da franqueza, de um diálogo permanente com vocês da imprensa, que naturalmente informam a cidade sobre o que está acontecendo, em especial na política, então as coisas estão se afunilando, os momentos de decisão estão chegando, e muito em breve aí a gente vai estar tomando essa decisão”, disse. 

 

Bruno também falou sobre um comentário do senador Jaques Wagner (PT) na última semana, em que previu uma disputa em segundo turno para a prefeitura de Salvador. O prefeito afirmou que acredita que independente do grupo político, a eleição será decidida em apenas uma etapa. 

 

“Quem sou eu para discordar do senador Jaques Wagner, que é um político experiente? Mas com o meu pouco conhecimento de política, eu acho que a seleção será de um turno só. Até porque no nosso campo político tem apenas um candidato. Ou candidata, quem sabe. Mas no nosso campo só tem um candidato. No outro campo político tem dois candidatos. Naturalmente, um disputa o mesmo espaço político do outro. Pode ser que o nosso campo político possa até não vencer as eleições. Mas, se tem uma convicção que eu tenho pela pouca experiência política, é que a seleção é de um turno só”, concluiu. 

TRE-BA e Polícia Civil iniciam tratativas sobre segurança pública para as eleições 2024
Foto: TRE-BA

Nos preparativos para as eleições 2024, reunião entre o presidente do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA), desembargador Abelardo Paulo da Matta Neto, e representantes da Polícia Civil colocou na mesa tratativas envolvendo segurança pública para a disputa de outubro. O encontro foi realizado na sala da presidência do TRE-BA, em Salvador, nesta terça-feira (28). 

 

A reunião abordou o plano de ação e a atuação das forças de segurança da Polícia Civil no estado no período eleitoral, bem como a logística para o apoio dos agentes às zonas eleitorais, no dia do pleito. 

 

O primeiro turno das eleições ocorrerá em 6 de outubro e, um eventual segundo turno, no dia 27 de outubro, nas cidades que possuem mais de 200 mil eleitores. Na Bahia, essa situação pode ocorrer em Salvador, Feira de Santana e Vitória da Conquista. O município de Camaçari também pode integrar essa lista, porém apenas após batimento a ser realizado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), antes das eleições.

 

"O TRE-BA não faz nada sozinho. A eleição não é realizada de forma unilateral. Contamos com a participação de todos, onde cada um tem sua parcela de responsabilidade para que o resultado final seja positivo", afirmou o desembargador Abelardo Paulo da Matta Neto.

 

Estiveram presentes no encontro Elâine Nogueira da Silva (delegada geral adjunta); Márcia Pereira dos Santos (diretora do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco)); Larissa Lage de Barros, delegada titular da Delegacia de Combate à Corrupção (Deccor); Arthur Guimarães, coordenador de Operações de Polícia Judiciária (COPJ), e Ivo Tourinho, superintendente de Inteligência da Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA).

Roberto Carlos quer reciprocidade e pede, em discurso na Assembleia, que PT retire candidatura de Isaac Carvalho em Juazeiro
Foto: Reprodução / Youtube

Destoando da pauta do dia - a votação do projeto de reajuste dos servidores públicos estaduais -, o deputado Roberto Carlos (PV) usou a tribuna do plenário da Assembleia Legislativa, na tarde desta terça-feira (28), para pedir que o PT apoie a pré-candidatura dele à Prefeitura de Juazeiro, retirando do páreo o nome do ex-prefeito petista Isaac Carvalho.  

 

"Gostaria de pedir um gesto ao PT. Porque desde 2006 que eu voto no PT, que eu faço muitos gestos ao PT. Chegou o momento de o PT, que tem uma candidatura legítima em Juazeiro, poder abrir mão para mim, que tantas vezes abri mão de projetos políticos para apoiar o PT", discursou o parlamentar. 

 

"Eu espero essa reciprocidade. Embora um pouco tarde, mas acho que não deveria nem pedir. Deveria surgir espontaneamente do PT apoiar Roberto Carlos como candidato a prefeito de Juazeiro. Primeiro porque tenho maturidade suficiente para fazer uma grande gestão à frente da minha amada cidade. Segundo, estou estimulado pela população de Juazeiro e sei que vou contar com o apoio dos governos estadual e federal", acrescentou o deputado do PV. A declaração vai de encontro a fala do parlamentar em entrevista, há duas semanas, ao podcast Projeto Prisma

 

Em entrevista publicada nesta segunda-feira (27), no Bahia Notícias, o pré-candidato do PCdoB à Prefeitura de Juazeiro, Zó do Sertão, negou que vá abrir mão da candidatura em favor do colega. "Eu quero que Roberto Carlos me apoie", cravou. 

 

Vale lembrar que PT, PV e PCdoB fazem parte da Federação Brasil da Esperança e, por força da legislação eleitoral, só podem ter um único candidato a prefeito.

Jabes garante que oposição irá unida para as eleições de Ilhéus: “Quem apostar na nossa desunião vai perder dinheiro”
Foto: Reprodução / Youtube

Pré-candidato à prefeitura de Ilhéus e secretário geral do Partido Progressistas na Bahia, Jabes Ribeiro dá como certa a união das candidaturas de oposição na eleição do município do Litoral Sul baiano. No campo contrário ao atual prefeito Mário Alexandre, o Marão (PSD), além de Jabes, estão Valderico Júnior (União) e o vereador Augustão (PDT), que podem disputar o Executivo local. 


“Temos dois campos basicamente, que é o do governo em que temos três pré-candidaturas, que é a de Bebeto (PSB), Adélia Pinheiro (PT) e Bento Lima (PSD). Não tenho dúvidas que eles estarão unidos, até porque estaremos unidos do lado de cá. Quem apostar na nossa desunião vai perder dinheiro”, cravou Jabes em entrevista para o programa Bahia Notícias no Ar, da rádio Salvador FM, nesta terça-feira (28).


O progressista aposta que a oposição tem força para desbancar a candidatura aliada do atual governo local. “Nós vencemos Jerônimo em Ilhéus. Neto teve mais de 9 mil votos de diferença. Esses atores de fora têm pouca influência. O que vai valer é a história e o projeto para o povo de ilhéus”, afirmou. 


Caso eleito,  uma das prioridades de Jabes será organizar uma grande festa para a comemoração dos 500 anos de Ilhéus, em 2034. “A cidade vive um momento interessante já que em 10 anos ela vai completar 500 anos. E eu creio que, com minha experiência, com as relações que tenho em Brasília, e em Salvador, com a motivação em disputar essa eleição, quem sabe, organizar a festa dos 500 anos de Ilhéus”, projetou. 

 

PP mira em 200 municípios baianos e federação com o União segue travada, diz Mário Negromonte Jr.
Foto: Mauricio Leiro / Bahia Notícias

O deputado federal e presidente do Partido Progressistas na Bahia, Mário Negromonte Jr., afirmou em entrevista ao Bahia Notícias, nesta segunda (27), que a sigla buscará nas eleições deste ano alcançar as 50 maiores cidades da Bahia, e mais de 150 de menor porte, com candidaturas consideradas fortes.

 

“A gente tem uma estratégia de focar nos grandes municípios, lançar candidaturas fortes em Barreiras, Luís Eduardo Magalhães, Candeias, Simões Filho, Ilhéus Paulo Afonso, Jequié e nas médias e pequenas cidades também, com candidatos à reeleição, sucessores e trazendo também políticos que já foram prefeitos em diversos municípios. Vamos lançar candidaturas em mais de 200 municípios, inclusive a expectativa é que consigamos um bom número e fazer prefeituras importantes, esse é o nosso objetivo”, disse.

 

O deputado também falou sobre as conversas para uma possível federação com o União Brasil. Segundo ele, ainda não houve avanços, mas não é descartado a volta do diálogo após as eleições municipais de 2024.  

 

“A federação com o União Brasil não tem avançado, o que há na verdade é uma conversa com os Republicanos, para que haja por dois partidos, mas está parado, acho que depois das eleições isso pode ser retomado, mas como disse, agora a eleição é foco total, cada um no seu partido, entregando o seu melhor e estamos fazendo um trabalho muito bacana no estado e por toda a nação, acho que o partido vai sair muito forte no Brasil e aqui na Bahia também”, concluiu. 

Podemos anuncia apoio a pré-candidatura de Paloma Sena à prefeitura de Jandaíra
Foto: Divulgação

O Podemos declarou apoio à pré-candidatura da vereadora Paloma Sena, também conhecida como Paloma do Unilar (PDT), à prefeitura de Jandaíra, município localizado no litoral norte da Bahia, em evento realizado nesta sexta-feira (24).


O encontro em prol da pedetista contou com as presenças do presidente municipal do partido, Verlon Alves dos Santos, e do presidente do Podemos na Bahia, deputado federal Raimundo Costa.


Em 2020, Paloma foi a segunda vereadora mais votada do município, quando recebeu 415 votos. Agora, em 2024, quer alçar voos mais altos: além de se tornar a primeira mulher prefeita de Jandaíra, ela busca acabar com a oligarquia da família Leite, que está a 16 anos comandando a cidade, primeiro com Roberto Leite (2009-2016) e agora com Adilson Leite (2017-2024).

PSOL anuncia apoio à pré-candidatura de Caetano em Camaçari
Foto: Divulgação

A Executiva Estadual do PSOL se reuniu nesta sexta-feira (24) com Luiz Caetano (PT) para anunciar o apoio à sua pré-candidatura a prefeito de Camaçari. O encontro contou com a presença do presidente estadual da federação PSOL-Rede na Bahia, Ronaldo Mansur, do presidente do PSOL em Camaçari, Arísio, e outros quadros importantes do partido como Tâmara Azevedo, Igor Oliveira, Nilton e Hamilton Ribeiro. 


Ana Bueno, pré-candidata a prefeita pelo PSOL em Camaçari, anunciou a saída da disputa eleitoral para apoiar o nome de Caetano. É a primeira vez que o PSOL declina da disputa para apoiar um candidato de outro partido na cidade.


“A ideia de compromisso de Caetano com a cidade é o que traz o PSOL para a campanha dele. Lembro das reuniões de orçamento participativo que Caetano fazia quando era prefeito da cidade. Essa ideia de compromisso enquanto gestor das pautas populares é o que nos conduz até a candidatura de Caetano”, destacou Igor Oliveira.

 


Ronaldo Mansur destacou a necessidade de mudança no modelo de gestão de Camaçari. “Estamos convergindo porque nosso interesse maior é derrotar esse grupo que atrasou significativamente a vida da população de Camaçarí”. 


Em sua fala, Caetano agradeceu ao apoio, e pontuou que a aliança com o PSOL vai além das eleições municipais. “Não é só uma união pela eleição, mas para governar Camaçari. Governo é um espaço de disputa permanente, e quanto mais a gente disputa para melhor, o pior não vence nunca. Estamos juntos pra ganhar e para mudar Camaçari”, afirmou.

Bruno Reis deve confirmar pré-candidatura na próxima terça
Foto: Betto Jr. / Secom PMS

O prefeito Bruno Reis (União) deve finalmente confirmar a pré-candidatura à reeleição na próxima terça-feira (28). A expectativa é de que o anúncio seja feito em um evento, que ainda não teve o local confirmado. 

 

Existe a possibilidade de confirmação da secretária Municipal de Saúde, Ana Paula Matos (PDT), como vice na chapa. 


Ao que tudo indica, nas eleições de outubro, Bruno Reis deve enfrentar dois adversários: o vice-governador Geraldo Jr. (MDB),  candidato apoiado pelo governador Jerônimo Rodrigues (PT) e Kleber Rosa (PSOL).

Presidente do TRE-BA se reúne com representante da administradora do Facebook e Instagram
Foto: TRE-BA

Reunião entre o Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) e a Meta colocou em pauta, dentre outros assuntos, a utilização de propagandas eleitorais nas redes sociais. A empresa é dona do Facebook, Instagram, WhatsApp e Thread

 

O presidente do TRE-BA, desembargador Abelardo Paulo da Matta Neto, recebeu o advogado da empresa Meta, Celso de Faria Monteiro, e o juiz da 4° Zona Eleitoral, uma das zonas da capital, responsável por julgar representações sobre propaganda eleitoral, Raymundo César Dória Costa, nesta quinta-feira (23). 

 

O presidente do Regional salientou que a visita de relacionamento colabora com as ações de transparência e cooperação do Eleitoral baiano, que visam, inclusive, combater discursos de ódio e desinformação na internet. “As redes sociais estão mais que presentes no nosso cotidiano, por isso buscamos neste encontro reforçar nossa proximidade e garantir mais cooperação para agilizar o envio das decisões da Justiça Eleitoral, principalmente em relação a propagandas eleitorais nas redes”, afirmou.

BN/Séculus: Candidato da oposição lidera corrida eleitoral em Boa Vista do Tupim contra candidato a sucessão
Foto: Divulgação

O pré-candidato da oposição, Henrique Coimbra, o Riquinho (PSD), desponta como o favorito na corrida eleitoral em Boa Vista do Tupim, município localizado na Chapada Diamantina, em disputa com o candidato a sucessão do atual prefeito. É o que aponta o levantamento contratado pelo Bahia Notícias junto à empresa Séculus Análises e Pesquisas. 

 

O candidato apoiado pelo prefeito, Helder Lopes Campos, o Dinho (PSDB), é o ex-presidente da Câmara Municipal e atual vice-prefeito, Savio Bulcão, o Savinho (PSDB). A pesquisa ouviu 462 eleitores entre os dias 04 a 06 de maio de 2024 e tem margem de erro de 4,5% para mais ou para menos e 95% de intervalo de confiança. O levantamento está registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob n°BA-02855/2024.

 

CENÁRIO ELEITORAL 

 

 

Em levantamento espontâneo, onde não são apresentados os nomes dos candidatos, o líder da oposição, Henrique Riquinho, aparece em 37,88% das respostas contra 31,82% de Savio. O candidato do PT, o Gidú foi a resposta de 8,01% dos eleitores e o atual prefeito, o Dinho - inelegível por estar em segundo mandato -, apareceu em 0,22% das respostas. Outros 5,41% dos munícipes responderam que não votariam em nenhum candidato e 16,67% não souberam responder. 

 

 

Na pergunta estimulada, onde são apresentados os nomes dos candidatos, o candidato à sucessão do atual governo, Savinho, aparece com 37,23% das intenções de voto, contra 43,29% de Riquinho. Em terceiro lugar, Gidú aparece com 10,17% das intenções de voto. 4,55% dos tupinenses não votariam em nenhum candidato e 4,76% não souberam ou não opinaram. 

 

 

Em um embate direto entre Savio e Henrique, o candidato da oposição ao governo aparece com 48,70%, contra os 40,69% de Savinho. 7,14% do eleitorado não votaria em nenhum e outros 3,46% não souberam ou não opinaram.

Entorno de ACM Neto avalia que enfrentar "trio de governadores" não impacta em decisão sobre candidatura em 2026
Foto: Divulgação

Concorrente ao governo do estado em 2022, o ex-prefeito de Salvador ACM Neto (União) ainda não definiu se irá concorrer novamente em 2026. Apesar disso, mesmo com algumas possibilidades aventadas para a chapa governista, apurações realizadas pelo Bahia Notícias com lideranças e interlocutores do entorno de ACM Neto apontaram que mesmo com o "trio de governadores" na chapa, não traria impacto na decisão de Neto. 

 

Recentemente, o senador Jaques Wagner (PT) fez questão de confirmar que iria disputar a reeleição, incluindo o atual governador Jerônimo Rodrigues nas urnas. Já o atual ministro da Casa Civil Rui Costa também estaria articulando uma disputa ao Senado, além de ser aventada a posibilidade de retornar ao governo baiano. Mesmo com a "trinca" estando nas urnas, o fato não estaria no cálculo político do ex-prefeito da capital. 

 

Mais ativo nas redes sociais, Neto intensificou os rumores para uma eventual candidatura em 2026, movimentando as críticas com relação ao gestão estadual, apesar do próprio Neto não confirmar que estará na disputa. "Isso ainda não está sendo tratado. A eleição de 2026 não está na pauta, não me coloco como pré-candidato em absolutamente nada. A prioridade é 2024, com eleições municipais. Essa é a nossa prioridade e 2026 será tratado somente em 2025", apontou ao Bahia Notícias. 

 

Inclusive, um dos motivos do "reforço" nas aparições de ACM Neto em pautas locais também seriam as pesquisas internas que estariam sendo realizadas. Aliados de primeira hora de Neto sinalizaram que os resultados estariam "animando" o ex-prefeito. 

 

Entre elas, tanto as que avaliam o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), quanto as para consumo interno, propostas pelo próprio ex-prefeito para compreender a aceitação da gestão de Jerônimo Rodrigues (PT) frente ao governo da Bahia. Com "resultados animadores", Neto estaria de certa forma aproveitando a eventual "rejeição" à gestão de Jerônimo apontada nos levantamentos. 

 

Com candidaturas ligadas ao União Brasil e a busca por um aumento de prefeitos, Neto deve se dividir entre a participação na campanha a reeleição de seu principal aliado, o prefeito de Salvador Bruno Reis (União), e o interior do estado, incluindo a região metropolitana, local em que o partido deve ter um "foco especial"

Em reta final na Saúde, Ana Paula reúne vereadores para apresentar e vistoriar obras que deve entregar na gestão
Foto: Divulgação

Prestes a se desincompatibilizar do cargo de secretária da Saúde de Salvador, por força da legislação eleitoral, a vice-prefeita Ana Paula Matos (PDT) reuniu vereadores da base do prefeito Bruno Reis (União) para apresentar uma relação de obras que devem ser entregues na capital baiana até o dia 5 de junho. A data é considerada o “limite” para que as inaugurações sejam feitas com ela ainda no comando da SMS. 

 

Isso porque, a legislação estabelece que para concorrer a vaga de prefeito ou vice-prefeito, o prazo para os secretários municipais se desligarem do cargo é de quatro meses antes da eleição, que em 2024 tem o dia 6 de outubro estabelecido para o primeiro turno. 

 

Informações chegadas ao Bahia Notícias apontam que o encontro na manhã desta quarta-feira (22) foi iniciado com um café da manhã no Lacen, novo Laboratório Central de Saúde, no bairro de Amaralina. 

 

Na sequência a vice-prefeita e os edis visitaram o Multicentro de Saúde Dr. Adriano Pondé, também em Amaralina, além do Multicentro AME, em Pirajá e do Pronto Atendimento Psiquiátrico ao lado do 5° Centro de Saúde nos Barris.

 

A agenda também incluiu uma passagem pela Maternidade Municipal e Hospital da Criança, na Federação. No entanto, conforme informações da gestão municipal, esta obra só será entregue no final do ano. Ainda segundo apuração do BN, as visitas têm como foco a atenção especializada dentro da estrutura de saúde em Salvador. Mostrando força política, a gestora reuniu quase todos os vereadores da base de apoio ao prefeito Bruno Reis nas vistorias das obras. 

 

Nos bastidores, o nome de Ana Paula Matos é o que apresenta maior força neste momento para concorrer mais uma vez ao lado de Bruno Reis na chapa majoritária em Salvador na condição de vice.

Adolpho Loyola diz que Rui Costa não deve tentar o governo em 2026: “O ministro está com outras tarefas no Governo Federal”
Foto: Paulo Victor Nadal / Bahia Notícias

Durante entrevista ao Podcast Projeto Prisma, do Bahia Notícias, nesta segunda-feira (20), o chefe de Gabinete do Governo da Bahia, Adolpho Loyola, falou, entre outros assuntos, sobre o processo de arrumação do PT visando o fortalecimento da legenda para as eleições municipais deste ano e, também, com vistas às eleições de 2026. 

 

No quesito grandes cidades, ele fez uma avaliação sobre as chapas montadas em Salvador, que será encabeçada pelo vice-governador Geraldo Jr. (MDB) e, em Camaçari, com o veterano Luiz Caetano (PT), que já comandou o município por três mandatos. Ele também citou as candidaturas próprias do PT em Feira de Santana, Juazeiro, Barreiras, Ilhéus, Vitória da Conquista e Lauro de Freitas e “em outras cidades como Porto Seguro, Eunápolis, Teixeira de Freitas e Itabuna, que teremos candidaturas apoiadas em algumas delas”, pontuou.  

 

Já sobre o cenário de 2026, Loyola repercutiu a informação ventilada nos bastidores de que o ex-governador e atual ministro da Casa Civil, Rui Costa, poderá disputar novamente o governo da Bahia. “É natural que o candidato seja Jerônimo. O ministro está com outras tarefas, com a tarefa de coordenar o governo federal e ele tem feito isso: tem coordenado o PAC, tem puxado para si responsabilidades, ele tem cuidado disso e está limpando a pauta para o presidente Lula”, frisou. Sobre o Senado, a tendência é que o líder do governo, Jaques Wagner, tente a renovação do seu mandato.  

 

Ele ainda foi categórico ao afirmar que “2026 está longe” e que, até lá, será necessário concluir a etapa da eleição de 2024, quando serão eleitos novos prefeitos e vereadores. “Somente depois disso que vamos avaliar como vai ficar o mapa político”, afirmou. 

 

Confira o trecho da entrevista: 

“Fui traído pela maioria dos motoristas por aplicativo”, dispara Átila do Congo
Foto: Youtube / Salvador FM

Eleito com a bandeira de defesa dos motoristas por aplicativo, o vereador Átila do Congo (PMB) diz que não representa mais a categoria. Em entrevista para o programa Bahia Notícias no Ar, da rádio Salvador FM, o edil revelou estar magoado com os profissionais. 


“Eu fui traído pela maioria dos motoristas por aplicativo. Eu desafio qualquer um que se diz representante de associação, ou qualquer pessoa que se diga representante de motoristas por aplicativo que tenha feito mais do que eu pela categoria”, disparou o vereador. 


“Chego na eleição como legítimo representante, tenho 4733 votos, fiquei na primeira suplência. Periperi e o Subúrbio, me garantiram os votos necessários para me tornar vereador. Dentro do nosso mandato foram mais de 2 mil motoristas atendidos, foram 12 projetos de lei.  Uma minoria chegou junto comigo e por eles eu continuo trabalhando, porém eu não posso confiar em quem já me traiu uma vez”, acrescentou. 


CONTAS

Vereador de primeiro mandato, Átila do Congo foi eleito pelo Patriota em 2020. Neste ano ele vai disputar as eleições pelo Partido da Mulher Brasileira (PMB). Apesar de se tratar de um partido pequeno, Átila acredita que a legenda não terá dificuldades em manter a cadeira na Câmara Municipal de Salvador. 


“O PMB é um partido que dá oportunidade a uma liderança comunitária que não tem mandato, que não tem poder econômico, de se eleger vereador. O PMB só conta comigo como vereador de mandato e não tem ninguém acima dos 3.500 votos, o que torna um partido ‘japonês’, onde todos estão iguais”, analisou.


“Saiu uma decisão do TSE que partidos menores poderão eleger com 80% do quociente eleitoral. Com base nas últimas eleições, vamos somar em torno de  24 mil votos, podemos garantir uma cadeira com 10%, ou seja, com 2.400 votos se elege um vereador no PMB”, projetou.

 

Séculus/BN: Buscando a reeleição, candidata do PDT tem apoio do PT e lidera pesquisa em Araci
Foto: Divulgação

A prefeitura de Araci, na região do Sisal, não deve mudar de mãos. Segundo a pesquisa Séculus publicada pelo Bahia Notícias neste domingo (19), a atual prefeita Keinha (PDT) tem a preferência do eleitorado e segue forte para a reeleição. Apesar de filiada a um partido que apoiou a candidatura de ACM Neto (União) para o governo da Bahia em 2022, a pedetista tem o apoio da Federação Brasil da Esperança, formada pelo PT, PCdoB e PV.  


De acordo com o levantamento, no cenário espontâneo, quando não são apresentados nomes, Keinha lidera com 62,83%, seguida de Zelito Maia (MDB) com 12,50% e Dr° Arthur (União) com 2,17%. Os eleitores que disseram não votar em nenhum candidato somaram 2,83% e aqueles que não souberam ou não opinaram 19,67%. 


Na simulação estimulada, quando aparecem os nomes, a gestora continua na frente dos demais adversários com 64,50%, contra 12,33% de Zelito e 2,17% de Dr° Arthur. Neste cenário, 6,33% disseram não votar em ninguém e 14,67% não sabem ou não opinaram.

 


A Séculus também perguntou aos entrevistados em quem eles não votariam de jeito nenhum. Quem lidera a rejeição é Zelito com 46,33%, seguido de Drº Arthur e Keinha, que marcaram 12,83% e 8,50%, respectivamente. 


A pesquisa questionou os eleitores do município sobre a avaliação da atual gestão. Para 23,50% o governo local faz uma ótima administração e é boa para 41,50% e regular para 23%. Na outra ponta, 4,33% acham a gestão ruim e 3,67% avaliam como péssima. 4% não opinaram neste quesito.

 


Para a obtenção dos resultados, a Séculus entrevistou 600 pessoas entre os dias 8 e 10 de maio. O intervalo de confiança é de 95% e a margem de erro máxima estimada é de 3,97 pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o registro nº BA-00185/2024.

Após aliança com pré-candidatura de Bruno Reis, Roma não descarta apoio do União Brasil a seu nome em 2026
Foto: Ascom PL

O presidente do PL Bahia, João Roma, disse que o apoio dele à reeleição de Bruno Reis (União Brasil) a prefeito de Salvador não é entrave à sua candidatura a governador em 2026, mas um gesto que pode resultar na possibilidade de PL e União Brasil estarem juntos também em torno de seu nome daqui a dois anos no pleito estadual. 

 

"Esse apoio demonstra uma sinalização para que tenhamos um palanque ampliado daqui a dois anos e assim, juntos, mostremos a ineficácia desse governo do PT que não tem melhorado a vida da população", disse Roma, em entrevista ao programa Frequência Política, da Rádio Interativa FM, de Itabuna, neste sábado (18).

 

Ainda ao falar sobre o apoio ao prefeito da capital baiana, Roma destacou: "conseguimos encontrar consenso com propostas muito efetivas". 

 

Roma ainda acrescentou que o PL terá neste ano 23 candidaturas próprias a prefeito em importantes cidades baianas, a exemplo de Ilhéus, Itabuna, Teixeira de Freitas e Juazeiro. Neste sábado, o político esteve em Itabuna para o lançamento da pré-candidatura a prefeito do engenheiro Chico França. 

 

Na entrevista, o ministro da Cidadania informou que agenda uma visita do presidente Jair Bolsonaro ao sul da Bahia. O problema, segundo ele, é a questão logística. “O nosso presidente Bolsonaro não está utilizando aviões particulares, então será avaliada a possibilidade de o ex-mandatário pegar um voo para Ilhéus e cumprir agenda também em Itabuna”.

Zó do Sertão lança pré-candidatura a prefeito: “Não queremos pessoas de fora mandando em Juazeiro”
Foto: Divulgação

Em ato realizado no bairro Santo Antônio, o PCdoB oficializou na noite desta sexta-feira (17) a pré-candidatura do deputado estadual Zó do Sertão a prefeito de Juazeiro. O evento contou com a presença de outros concorrentes, a exemplo do deputado estadual Roberto Carlos (PV) e do empresário Andrei da Caixa (MDB), e reuniu ainda lideranças de partidos da base do governador Jerônimo Rodrigues (PT). 

 

“Não queremos pessoas de fora mandando em Juazeiro. Queremos pessoas daqui, que amam esta cidade, que sabem trabalhar e que não querem se locupletar do erário público, que administrem este município. Não queremos modelos que já foram testados. Nós viemos aqui para construirmos juntos, sem enganação. Vamos vencer com a verdade”, disse Zó ao fazer críticas à gestão da prefeita Suzana Ramos (PSDB). 

 

O comunista exaltou a importância da unidade do grupo de Jerônimo e do presidente Lula no quinto maior município da Bahia e da participação popular na elaboração do plano de governo. Ele lançou, no evento, o Movimento por Juazeiro, "para ouvir as demandas, saber dos anseios das comunidades" na construção das propostas que serão apresentadas ao longo da campanha. 

 

“Estamos fazendo um planejamento de ouvir as demandas do povo juazeirense. A partir daí vamos formatar um documento produzido pelas diversas ideias em todos os setores, infraestrutura, saúde, cultura, educação e tantos outros. Com isso, poderemos formatar um programa para nortear a nossa possível campanha e, na sequência, a gestão”, pontuou o pré-candidato.

Lúcio garante candidatura de Oswaldinho em Camaçari, projeta apoio de Caetano e diz que tendência é MDB passar para 2º turno
Foto: Carine Andrade / Bahia Notícias

O MDB busca tornar ainda mais disputada as eleições que prometem ser acirradas em Camaçari. O presidente de honra do partido na Bahia, Lúcio Vieira Lima, garantiu que Oswaldinho Marcolino vai manter a pré-candidatura a prefeito do município. 


“Em Camaçari nós temos um candidato que é Oswaldinho. Lá é uma eleição em dois turnos, o que facilita muito. A tendência é o MDB passar para o segundo turno e Caetano vim apoiar. Se Caetano passar para o segundo turno, Osvaldinho vai apoiar Caetano. É simples, não tem muito o que conversar”, disse ao Bahia Notícias na tarde desta quinta-feira (16) na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) durante entrega da Comenda Dois Julho ao deputado federal Baleia Rossi (MDB-SP). 


Com o segundo maior PIB [Produto Interno Bruto] da Bahia e quarta cidade do estado em população, com 300,3 mil habitantes, o município localizado na Região Metropolitana de Salvador (RMS) projeta ter uma eleição polarizada entre o atual presidente da Câmara de Vereadores, Flávio Matos (União), que é apoiado pelo prefeito Antônio Elinaldo (União), e o ex-secretário de Relações Institucionais do estado, Luiz Caetano (PT). O servidor público Cleiton dos Santos (Novo) também está com a pré-candidatura posta. 


Neste ano, Camaçari entrou para o grupo de cidades com direito a ter segundo turno. Pelos cálculos do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o município registrou 201,2 mil eleitores. A condição assegura a disputa em dois momentos caso o candidato mais votado não tenha mais de 50% dos votos válidos no primeiro turno. 


VITÓRIA DA CONQUISTA

Por parte do MDB, as candidaturas em Vitória da Conquista já se encaminham para uma definição. Nesta quinta o partido lançou a pré-candidatura da vereadora Lúcia Rocha à prefeitura do município do Sudoeste baiano, com o Podemos e PRTB já garantidos na aliança. 

 

Por lá, o PT mantém o deputado federal Waldenor Pereira na corrida pelo Executivo local. O presidente de honra do MDB agora espera que a federação liderada pelo PT apoie Lúcia em um eventual segundo turno.  


“Nonô [Waldenor] perdeu a oportunidade de ser vice de Lúcia, porque demorou a se decidir. Mas vamos aguardar seu apoio no segundo turno. Não depende de nós mais, agora depende do PT, da Federação, apoiar Lúcia. Infelizmente não temos mais a vice para oferecer”, provocou.


“Todo mundo sabe que o MDB é um partido que tem palavra. Como o Podemos já ocupou a vice, estamos começando a campanha. E enquanto isso, os dois outros candidatos não têm nem vice ainda. Ficaram a dizer que Lúcia não tinha apoio político, que Lúcia não tinha estrutura, que Lúcia não seria candidata. Tudo que disseram e que eu dizia que era fake news, ocorreu o que eu disse. Lúcia é candidata”, pontuou.

Baleia Rossi diz que Salvador é uma das prioridades para o MDB nas eleições de 2024
Foto: Bahia Notícias

O presidente nacional do MDB e deputado federal, Baleia Rossi, classificou as eleições de Salvador como uma das mais importantes para o partido em 2024. O cacique emedebista está na capital baiana para receber a Comenda Dois de Julho na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA).


“Nós temos algumas cidades que são relevantes, que são prioridade, inclusive escolhidas na executiva nacional do partido e dentre elas, em dúvida nenhuma, as de Geraldo Jr. como prefeito de Salvador, uma das capitais mais importantes do Brasil”, disse Rossi em sua chegada na AL-BA. 


O parlamentar ainda afirmou que não vai medir esforços e prometeu acompanhar de perto as movimentações do vice-governador Geraldo Jr., candidato do partido no pleito. “Vamos voltar quantas vezes for necessário. Essa candidatura para nós do MDB tem um significado muito grande. É uma das principais capitais do país, onde nós temos um jovem, trabalhador com grande bagagem política e muito prestígio em Brasília que vai liderar esse movimento que será vitorioso”, cravou Rossi. 

 

Uma outra cidade de peso que o MDB vai disputar é São Paulo, com o atual prefeito Ricardo Nunes tentando a reeleição.


AVAL FINANCEIRO

Em outubro do ano passado, o Bahia Notícias informou que o vice-governador Geraldo Jr. teria conseguido o aval de Baleia Rossi para a legenda embarcar no projeto e bancar os custos da empreitada. Os irmãos Geddel e Lúcio Vieira Lima teriam sido os avalistas do debate.

O presidente nacional do MDB e deputado federal, Baleia Rossi, classificou as eleições de Salvador como uma das mais importantes para o partido em 2024. O cacique emedebista está na capital baiana para receber a Comenda Dois de Julho na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA).


“Nós temos algumas cidades que são relevantes, que são prioridade, inclusive escolhidas na executiva nacional do partido e dentre elas, em dúvida nenhuma, as de Geraldo Jr. como prefeito de Salvador, uma das capitais mais importantes do Brasil”, disse Rossi em sua chegada na AL-BA. 


O parlamentar ainda afirmou que não vai medir esforços e prometeu acompanhar de perto as movimentações do vice-governador Geraldo Jr., candidato do partido no pleito. “Vamos voltar quantas vezes for necessário. Essa candidatura para nós do MDB tem um significado muito grande. É uma das principais capitais do país, onde nós temos um jovem, trabalhador com grande bagagem política e muito prestígio em Brasília que vai liderar esse movimento que será vitorioso”, cravou Rossi. 

 

Uma outra cidade de peso que o MDB vai disputar é São Paulo, com o atual prefeito Ricardo Nunes tentando a reeleição.


AVAL FINANCEIRO

Em outubro do ano passado, o Bahia Notícias informou que o vice-governador Geraldo Jr. teria conseguido o aval de Baleia Rossi para a legenda embarcar no projeto e bancar os custos da empreitada. Os irmãos Geddel e Lúcio Vieira Lima teriam sido os avalistas do debate.

PSTU lança a pré-candidatura de Victor Marinho à prefeitura de Salvador
Foto: PSTU/Divulgação

O Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU), lançou, na última segunda-feira (13), a pré-candidatura de Victor Marinho à prefeitura de Salvador. A decisão foi aprovada pelos membros do diretório municipal durante reunião. 

 

A sigla disse que a expectativa é apresentar um perfil classista e radical, debatendo um projeto socialista para a cidade de Salvador e de enfrentamento com os interesses dos ricos e poderosos.

 

“Salvador é uma cidade rica, porém muita desigual, pois a riqueza produzida pela classe trabalhadora é usurpada por um punhado de milionários. Não à toa que o estudo realizado pelo Instituto Cidades Sustentáveis (ICS), divulgado em março, mostrou que Salvador é a capital brasileira com os piores índices de pobreza, desnutrição e desemprego. Isso mostra que o atual prefeito Bruno Reis (UB) governa para os ricos”, afirma Victor Marinho.

 

“O PT também reza na mesma cartilha. Está há mais 17 anos à frente do governo estadual, junto com setores reacionários da política baiana, aplicando uma política econômica neoliberal de privatizações, sucateamento dos serviços públicos, arrocho nos salários e ataques aos direitos dos servidores públicos, e executando uma política de segurança violenta, que mata o povo pobre e negro das periferias. Temos a polícia que mais mata no Brasil”, completa.  

 

O pré-candidato do PSTU explicou quais serão os seus desafios e prioridades para a gestão municipal da capital baiana. 

 

“Medidas que devam enfrentar a desigualdade reinante. Priorizando políticas públicas que resolvam os problemas de moradia. Não podemos seguir tendo quase metade da população vivendo em áreas com risco de desabamento. Enquanto paredões de prédios luxuosos são erguidos em toda a orla”.

 

“Vamos acabar com a farra das empresas privadas no transporte público, que beneficia os empresários e coloca a população em um sufoco diário dentro de ônibus velhos, superlotados, pagando uma passagem cara. Transporte é direito e não mercadoria. Vamos municipalizar o serviço, garantir tarifa zero e qualidade aos usuários”, defende Marinho. 

 

“Os serviços públicos serão valorizados, para garantir atendimento às pessoas que mais precisam. Vamos ampliar o número de escolas, creches, postos de saúde, realizar concurso público e acabar com a máfia da terceirização, que se enquadra no balcão de negócios que a prefeitura se transformou, cheia de contratos que beneficiam os apadrinhados, os mesmos milionários que ficam com a riqueza produzida pela classe trabalhadora. Vamos acabar com essa mamata”.

 

O pré-candidato informou que o PSTU vai defender propostas que enfrentam o sistema hoje existente. 

 

“Hoje temos uma prefeitura que está a serviço dos ricos, dos empreiteiros, das grandes construtoras, dos megaempresários. Isto é, de uma minoria. Vamos defender propostas para uma prefeitura para os trabalhadores e o povo pobre. Para a maioria da população. Propostas socialistas, radicais, porque vamos à raiz dos problemas que afligem o nosso povo. Defenderemos uma alternativa de classe e socialista. Por isso, questionamos o sistema capitalista, sua concentração de riqueza e sua exploração e opressão imposta ao nosso povo”, disse o pré-candidato do PSTU.

 

Victor Marinho finaliza afirmando que sua pré-candidatura é de oposição de esquerda, socialista e revolucionária a todos os governos. “Nosso compromisso é com os trabalhadores. Não temos relação nenhuma com nenhum governo de nenhuma das três esferas – municipal, estadual e federal. Somos oposição de esquerda a todos eles. Daí a nossa diferença com o PSOL, que não pode se apresentar como uma alternativa de verdade, pois está dentro do governo Lula, junto com partidos da direita, e até ontem estava dentro do governo de Jerônimo. Oposição de verdade, de esquerda e socialista é o PSTU. Vamos chamar o povo a não votar no representante do carlismo, nem no representante da frente ampla do PT, que hoje apoia um pré-candidato do partido do Geddel, o homem das malas de dinheiro roubado. Os trabalhadores terão uma alternativa socialista de verdade nas eleições, essa alternativa é o PSTU”, concluiu Victor Marinho.

 

PERFIL DO PRÉ-CANDIDATO

Victor Marinho tem 26 anos, é formado em Direito pela Universidade Federal da Bahia (Ufba) e é pesquisador no Laboratório de Estudos e Pesquisas Marxistas (Lemarx —Faced/Ufba). Participa do movimento estudantil e integra o Coletivo Rebeldia – Juventude da Revolução Socialista.

Séculus/BN: Rompido com prefeito, Figueiredo tem a preferência dos eleitores de Irecê
Foto: Divulgação

Três pré-candidatos devem se enfrentar nas urnas em Irecê, no Centro Norte baiano, nas eleições de outubro. Segundo pesquisa da Séculus, divulgada nesta terça-feira (14), em parceria com o Bahia Notícias, o vereador Figueiredo Amorim lidera as intenções de voto em todos os cenários analisados. 


De acordo com o levantamento, na simulação espontânea, quando os nomes não são apresentados, Figueiredo aparece com 46,52%, seguido de Murilo Franca com 24,65% e do ex-prefeito do município e ex-deputado federal, Luizinho Sobral,que teve 10,74%. Os eleitores que indicaram não votar em ninguém somaram 3,98% e 14,12% não souberam ou não opinaram. Figueiredo rompeu com o atual prefeito Elmo Vaz, que agora apoia Murilo Franca na corrida eleitoral.

 


Quando o cenário é estimulado, ou seja, com a apresentação dos nomes, o vereador segue na frente com 50,30%. Murilo e Luizinho Sobral aparecem com 25,45% e 11,13%, respectivamente. Aqueles que não souberam ou não opinaram representaram 8,35% dos entrevistados e 4,77% disseram não ter nenhum candidato de preferência. 

 


A Séculus fez 603 entrevistas entre os dias 5 e 6 de maio. O intervalo de confiança é de 95% e a margem de erro máxima estimada é de 3,97 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra. A pesquisa está registrada sob o nº BA-09894/2024.

PT deveria abrir mão da prefeitura de Juazeiro, diz deputado Roberto Carlos
Foto: Paulo Victor Nadal / Bahia Notícias

Um dos cinco pré-candidatos à prefeitura de Juazeiro na ala de oposição a prefeita Suzana Ramos (PSDB), o deputado estadual Roberto Carlos (PV) acredita que é momento do PT retribuir a sua fidelidade ao longo dos anos e apoiá-lo na disputa. 


“Antes [Jaques] Wagner ser governador, Roberto Carlos estava segurando a bandeira do PT lá em Juazeiro e em outras cidades. Deixei o PDT depois de 32 anos para seguir no projeto do PT. Chegou a hora do PT dizer que vai fazer algo por ele. O PT estadual deveria abrir mão para Roberto Carlos ser candidato à prefeitura de Juazeiro”, disse o parlamentar entrevista ao podcast Projeto Prisma do Bahia Notícias, nesta segunda-feira (13). 


O nome apoiado pelo PT no município é o de Isaac Carvalho, que retomou a elegibilidade há pouco tempo, após a Justiça Federal, em comarca de Juazeiro, reconhecer a prescrição da condenação do Tribunal de Contas da União (TCU).  


O deputado ainda garantiu que é o nome que pode garantir a unidade das candidaturas da oposição. Na federação da qual faz parte, ele disputa a preferência também com o ex-deputado federal Zó (PCdoB). Além dele, também estão postas as pré-candidaturas de Joseph Bandeira (PSB) e Andrei da Caixa (MDB). 


“Eu acho que eu sou um dos poucos pré-candidatos a unir todo mundo. Por exemplo, Joseph Bandeira me autorizou a declarar na imprensa que, embora esteja com o nome colocado,  o escolhido dele será Roberto Carlos. Ele disse que até o final do mês deve convocar a imprensa para anunciar. Tenho conversado com o deputado Zó e da mesma forma afirmou que se Joseph estiver comigo, também vai me apoiar. E o próprio Isaac Carvalho me chamou para se aproximar dele, e estamos iniciando as conversas. O Andrei da Caixa também declarou apoio se eu recebesse apoio de Joseph. Então, eu estou caminhando e construindo uma unidade, até porque o governador Jerônimo Rodrigues pediu para que a gente tivesse um candidato único e trazer esse candidato pra ele”, afirmou Roberto Carlos. 

 

Com Jerônimo viajando, aliados listam queixas sobre pré-campanha de Geraldo Jr. em Salvador
Foto: Feijão Almeida/GOVBA

A semana começou de forma conturbada para o grupo de apoio ao pré-candidato do governo à prefeitura de Salvador, Geraldo Jr. (MDB). Uma reunião, nesta segunda-feira (13), expôs a insatisfação de diversas lideranças políticas da base - e que possuem representação em Salvador - sobre a condução da candidatura.

 

Estavam presentes no encontro os deputados federais Bacelar (PV), Jorge Solla (PT) e Lídice da Mata (PSB), que, inclusive, é coordenadora da campanha de Geraldo, além da ex-vereadora da capital, Aladilce Souza (PCdoB). O momento, segundo informações obtidas pelo Bahia Notícias, serviu para que as forças também pedissem que o governo colocasse "a campanha na rua". "Só vemos risadas e nenhum movimento", indicou um participante do encontro.

 

Compartilhe esse conteúdo pelo WhatsApp!

 

A perspectiva era que até o final de maio a pré-campanha estivesse mais estabelecida, após sucessivos adiamentos. Essa dilatação do prazo é uma das razões pelas quais aliados se mantêm insatisfeitos, dividindo as responsabilidades entre o próprio candidato e a forma como o governador Jerônimo Rodrigues tem conduzido o processo.

 

O governo Jerônimo foi representado por alguns secretários. Entre eles, Bruno Monteiro, da Cultura, Davidson Magalhães, do Emprego, Renda, Trabalho e Esporte, além do recém-chegado ao posto de secretário de Relações Institucionais, Jonival Lucas. Em viagem à Europa, Jerônimo partiu de terras baianas no último sábado (11) e deve ter retorno em uma semana, período em que a presidente do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) Cynthia Maria, responde pelo governo.

 

A insatisfação também teria relação com o atraso na "programação" da campanha. A confirmação de Geraldo Jr. como pré-candidato do grupo ainda em dezembro de 2023, teria sido um sinal positivo ao grupo, já que o ajuste teria ocorrido de forma antecipada. Mesmo com "marco" da definição, as ações concretas ainda não puderam ser vistas pelas lideranças que integram o grupo. 

TRE-BA contabiliza mais de 200 mil atendimentos em todo estado no prazo final para regularização do título
Foto: TRE-BA

De 1º a 8 de maio, últimos dias para a regularização do título de eleitor, o Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) contabilizou 203.045 atendimentos em todo o estado. Somente em Salvador, neste período de plantão, foram 23.914 atendimentos e no interior, 179.131.

 

No dia do fechamento do cadastro eleitoral, ocorrido na última quarta-feira (8), 47.503 eleitores buscaram pelos serviços prestados pela Justiça Eleitoral baiana. Em um único dia, na capital, o TRE-BA registrou 6.753 atendimentos. Já no interior do estado o número foi superior, 40.750. 

 

Dos quase 50 mil atendimentos no estado, a maioria de requerimentos foi de alistamento eleitoral, ou seja, 1ª via do título (21.408); seguido das revisões cadastrais (11.813); e das transferências de domicílio eleitoral ou mudanças de local de votação (14.282).

 

O plantão do TRE-BA encerrou com a queda no número dos títulos cancelados, de 1,6 milhão para 1.233.270, como indicam dados da Secretaria de Tecnologia da Informação do órgão.

BN/Séculus: Quinho aparece com 80,67% aprovação e garante liderança de candidato a sucessão em Belo Campo
Foto: Divulgação

O atual prefeito de Belo Campo, José Henrique Silva Tigre, o Quinho (PSD), aparece com 80,67% de aprovação na gestão municipal e garante a liderança do candidato à sucessão, Neto Fidelis, para a disputa ao pleito municipal em outubro. É o que aponta o levantamento contratado pelo Bahia Notícias junto à empresa Séculus Análises e Pesquisas. 

 

 

Ainda com relação à gestão municipal, Quinho foi desaprovado por apenas 11,87% dos eleitores e 7,47% não souberam ou não opinaram. A pesquisa ouviu 750 eleitores entre os dias 29 de abril e 1? de maio de 2024 e tem margem de erro de 3,5% para mais ou para menos e 95% de intervalo de confiança. O levantamento está registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob n° BA-07711/2024.

 

CENÁRIO ELEITORAL 

No primeiro cenário estimulado da disputa eleitoral, quando são apresentados os nomes dos candidatos, o candidato Neto Fidelis, apoiado por Quinho, aparece com 55,60% das intenções de voto, contra 5,60% de Marcinho (MDB), principal candidato da oposição desde 2020. Cezar Ferreira (PL), opositor do governo, também tendo concorrido em 2020, apareceu com 5,07%. Outros 5,33% não votariam em nenhum e 28,40% não souberam ou não opinaram. 

 

 

Em cenário estimulado de uma disputa direta entre Neto Fidelis e Cezar Ferreira, o candidato de Quinho aparece com 56,67% das intenções de voto contra 5,20% de Cezar. 7,47% dos eleitores não votariam em nenhum dos candidatos e 30,67% não souberam ou não opinaram. 

 

 

Em disputa direta com Marcinho, em pergunta estimulada, Neto Fidelis garante 56,40% das intenções de voto contra 5,20% do emedebista. Outros 7,47% dos belo-campenses não votariam em nenhum candidato e 30,93% não souberam ou não opinaram. 

 

Em uma pergunta sobre as previsões de vitória dos candidatos, 61,33% do eleitorado respondeu que, independentemente das intenções de voto, o candidato apoiado por Quinho deve ganhar a eleição à prefeitura. 4,67% dos munícipes responderam Cezar Ferreira e 4,53% responderam Marcinho. 29,47% não souberam ou não responderam.

“De jeito nenhum o PSDB vai tentar tirar Ana Paula”, diz vereador Daniel Alves
Foto: Reprodução / Youtube

O PSDB não será pedra no caminho para Ana Paula Matos (PDT) garantir a vice na chapa à reeleição do prefeito Bruno Reis (União) nas eleições de outubro. Quem garantiu foi o vereador Daniel Alves, em entrevista ao programa Bahia Notícias no Ar, da rádio Salvador FM, nesta quarta-feira (8). 


“De jeito nenhum o PSDB vai tentar tirar Ana Paula. Ela é uma gestora competente, uma mulher capacitada que cresceu muito nesses quatro anos. Ela não ficava aparente porque tinha um cargo onde ela realmente carregava o piano, só que agora ela tem toda a visibilidade. Ela tem todas as qualidades para continuar sendo vice-prefeita”, afirmou o edil tucano. 


Apesar da declaração, Daniel Alves não descartou a possibilidade do seu partido continuar no páreo para a vaga. “O PSDB não tem a intenção de ir contra a candidatura de Ana Paula, mas a disputa é feita em nome de partidos, de acordo com o prefeito e caso o prefeito entenda que a disputa da vice seja partidária, o PSDB tem total legitimidade para disputar também o espaço de vice”, ponderou. 


Praticamente consolidada, a vaga na vice ainda rende burburinhos. Apesar de afagos a Ana Paula, aliados do prefeito ainda pleiteiam a vaga da pedetista. Um bom exemplo disso é o Republicanos. O presidente do partido na Bahia e deputado federal, Márcio Marinho, afirmou, no último sábado (4), que a legenda “está com a bola da vez” para a indicação à vice.

Prazo para regularização do título de eleitor encerra nesta quarta; número de títulos cancelados na Bahia cai para 1,2 milhão
Foto: TRE-BA

O prazo estabelecido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para regularização do título de eleitor encerra nesta quarta-feira (8) e faltando poucas horas para o fechamento do cadastro a procura pelos serviços da Justiça Eleitoral teve um aumento significativo. O resultado é a queda na quantidade de títulos cancelados na Bahia, que segundo o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-BA) passou de 1,6 milhão para 1,2 milhão.

 

 

Para quem ainda não regularizou a situação cadastral, ainda hoje pode procurar o cartório eleitoral ou posto de atendimento da Justiça Eleitoral. Em Salvador, a Central de Atendimento ao Público (CAP) funciona das 8h às 18h, na sede do TRE-BA, localizada na 1ª Av. do Centro Administrativo da Bahia (CAB). Confira os horários e locais de atendimento na Bahia.

 

No atendimento é exigida a apresentação de um documento de identidade oficial com foto e um comprovante de residência emitido há, no máximo, três meses. Nos casos de primeira via do título (alistamento eleitoral), a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) antiga não será aceita isoladamente, sendo necessário apresentar documentação complementar. Além disso, o certificado de quitação militar é exigido para homens que completam 19 anos no ano em que se alistam. Para transferência, o eleitor deverá comprovar vínculo/residência de no mínimo três meses.

 

Justiça Eleitoral suspende propaganda eleitoral do MDB com Geraldo Jr.
Foto: Reprodução/ MDB

O desembargador Danilo Costa Luiz suspendeu a veiculação da propaganda eleitoral do MDB de Salvador que tem o vice-governador Geraldo Jr. como protagonista. Na decisão, o magistrado reconhece o argumento do Partido Novo de que “a publicidade demonstra que o foco foi a divulgação da pré-candidatura de Geraldo Júnior, em aparente desrespeito ao disposto na legislação de regência, uma vez que a propaganda partidária possui finalidade específica e delimitada”.

 

Nas veiculações, o MDB não promove os ideais partidários ou incentivo à participação de mulheres, jovens ou negros, por exemplo, itens que estão preconizados na legislação para a propaganda partidária. “Nessa linha de intelecção, aos perscrutar os documentos probatórios carreados aos autos, vislumbro que a divulgação da propaganda refutada pouco difunde programas partidários ou atividades congressuais do partido, transmitindo ao telespectador, numa análise perfunctória, crítica aos adversários políticos, trazendo em seu bojo, inclusive, fotos desses”.

 

O vice-governador aparece na propaganda partidária - com comportamento eleitoral - com manchetes e conteúdos críticos ao atual prefeito de Salvador, Bruno Reis (União), potencial adversário do pré-candidato declarado Geraldo Jr., e também ao ex-prefeito ACM Neto (União). Ambos os gestores eram aliados do vice-governador até março de 2022, quando o então presidente da Câmara de Salvador emigrou para a base aliada do governo baiano e foi alçado à condição de candidato à vice de Jerônimo Rodrigues.

 

O desembargador determina ainda para que sejam juntadas as mídias “de todas as inserções partidárias regionais veiculadas até a respectiva data, com planilha informando o número de exibições de cada peça publicitária em cada emissora de televisão”, bem como a abertura de vista para a Procuradoria Regional Eleitoral.

 

Em caso de descumprimento das determinações, inclusive da suspensão da veiculação da publicidade, o MDB deve pagar multa de R$ 1 mil por dia.

Vice em São José do Jacuípe rompe com atual gestão, une oposição e irá disputar prefeitura pelo Avante

O cenário político de São José do Jacuípe segue aquecido. Atual vice-prefeito do município, Robson Vilas Boas (Avante) irá para a disputa no pleito deste ano. Recentemente, após romper com a atual gestão do prefeito Peris Cunha (PP), Robson se filiou ao Avante. 

 

A oposição na cidade é liderada por Dona Cé (Pros), candidata derrotada na última eleição. Além do Avante, o grupo também contará com o apoio do PSD. O escolhido para ocupar a vaga de pré-candidato a vice-prefeito sairá de Itatiaia, distrito de São José do Jacuípe. A definição deve ocorrer nos próximos dias.

 

Ao Bahia Notícias, durante o encontro nacional do Avante, em Salvador, Robson ressaltou a união do grupo. "Estou tendo a honra de colocar meu nome para pré-candidato a prefeito do município que tanto amo e estar sendo apoiado por todo o grupo de oposição. Agradeço a Dona Cé e a todas as demais lideranças que me acompanharão nessa jornada", disse.

 

PREFEITO REPRESENTADO

O Bahia Notícias noticiou que o prefeito de São José do Jacuípe, Peris Cunha (PP), foi alvo de representação por ato de improbidade administrativa consubstanciados na realização direta do serviço de conservação e manutenção de prédios públicos e limpeza de rede de esgoto ao revés de uma empresa fantasma.

 

Em documento obtido, a reportagem identificou que o gestor municipal está sendo investigado por supostas irregularidades na contratação de empresa fantasma, que seria responsável pela prestação de serviços de conservação e manutenção de prédios públicos, mas nenhum trabalho teria sido entregue pela instituição.  De acordo com a denúncia, a empresa teria sido aberta na cidade Quixabeira, onde reside o secretário de Administração, Magno Lomes, que também está sendo denunciado, para “cometer desvios de recursos e finalidade no município”.

Os limites invisíveis da campanha eleitoral: o que você precisa saber
Foto: Caroline Pacheco/Famecos/PUCRS

 

Quem não é visto, não é lembrado. Esta é uma “receita” que se tornou infalível, antes com o rádio, a TV e a mídia off, como santinhos e outdoors e logo depois com a internet e todas as suas redes sociais e plataformas.  A menos de seis meses para as eleições municipais, partidos e pré-candidatos estão em constantes articulações e principalmente correndo contra o tempo.

 

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE),  definiu uma regra que proíbe as propagandas eleitorais antecipadas, ou seja, qualquer tipo de propaganda só pode ser veiculada a partir de 16 de agosto. Segundo o Tribunal, “é preciso cumprir prazos e definições dispostos na legislação sobre o tema para que o processo eleitoral seja equilibrado e democrático, com igual oportunidade para todos”.

 

Diante de diversas regras e detalhes que norteiam um pré-candidato, a atenção precisa ser redobrada para que não existam punições que coloquem em jogo uma campanha inteira. Em 2015, o TSE flexibilizou ainda mais e passou a permitir   com o artigo 36-A, que foi incluído na Lei das Eleições, por meio da Lei nº 12.034, a participação em entrevistas na rádio, televisão e internet.

 

Já a propaganda gratuita no rádio e na TV, será exibida nos 35 dias anteriores à antevéspera do primeiro turno. Dessa forma, a exibição deverá começar em 30 de agosto e se encerrará em 3 de outubro, uma quinta-feira. 

 

Com a constante evolução da tecnologia, uma novidade para o pleito deste ano é o uso de inteligência artificial (IA). As deepfakes estão proibidas, e quem utilizar IA na propaganda eleitoral deve avisar de forma explícita. Também não será permitido o uso de robôs (chatbots) para intermediar o contato com o eleitor, como por exemplo, simular diálogo com candidato ou qualquer outra pessoa. 

 

O Bahia Notícias conversou nesta semana com o advogado Targino Neto, especializado em direito eleitoral há mais de 10 anos, pós-graduado em Direito Público e Processo Civil e coordenador de campanhas eleitorais, que nos tirou algumas dúvidas sobre a propaganda eleitoral antecipada, esclarecendo algumas exigências do TSE sobre o que é ou não permitido neste período que antecede o início das campanhas por todo o Brasil. Confira a entrevista completa aqui.

 

De mudança para o Avante, Felipe Duarte diz que desidratação do PP é “questão natural” do jogo político
Foto: Maurício Leiro / Bahia Notícias

Com as malas prontas para desembarcar oficialmente no Avante, o deputado estadual Felipe Duarte, até agora filiado ao Progressistas (PP), fez uma avaliação do atual cenário de desidratação da legenda historicamente presidida pela família Leão e, atualmente, sob o comando do deputado federal Mário Negromonte Jr. na Bahia. O parlamentar participa do encontro nacional do partido no Centro de Convenções de Salvador, neste sábado (4). 

 

Segundo Duarte, a saída de quadros do PP e do MDB fazem parte do jogo político, ainda mais diante do crescimento “natural” e “orgânico” do Avante, a partir da presidência do diretório estadual, com o deputado federal Ronaldo Carletto. 

 

“A questão do Avante, ele tem tido aí um crescimento natural, orgânico. Se muito em circunstância de um projeto que o Ronaldo Carletto tem pilotado e pilotado muito bem. Então eu acredito que hoje com essa festa, o Avante está celebrando 62 prefeitos filiados, nós temos 189 candidatos a prefeito, então, assim, eu acho que o Avante ele se comporta muito bem e essa questão do PP, do MDB, é uma questão natural do jogo da política, entendeu? É um movimento natural que existe nesse processo da janela migratória”, pontuou. 

 

Questionado sobre as possibilidades de aumentar o número de prefeituras lideradas pelo Avante na Bahia. Felipe Duarte apostou em uma ampliação significativa e expressiva nas eleições de outubro. “Eu acredito que a gente tem a possibilidade de chegar na casa dos 100. Se você fizer uma conta de que nós temos 62 prefeitos, nós temos 189 candidatos. Eu acho que é bem possível que a gente chegue aí na casa dos 100 prefeitos”, projetou.

Ronaldo Carletto aponta para disposição de voltar às urnas em 2026 e nega vinda de Rui Costa ao Avante
Foto: Maurício Leiro / Bahia Notícias

Embora com o planejamento e foco para as eleições municipais deste ano, o presidente do Avante na Bahia, o deputado federal Ronaldo Carletto não descartou pensar no seu futuro político para além do diretório estadual e voltar às urnas nas eleições de 2026, seja para a reeleição à Câmara dos Deputados ou uma possível candidatura ao Senado. 

 

“Eu nunca pensei mais nisso, mas meu nome está à disposição como sempre, senão  não estaria hoje como presidente do partido. Quem está na política não pode dizer que não vota e não quer ser votado”, comentou em entrevista neste sábado (4), durante o encontro nacional do Avante no Centro de Convenções de Salvador. 

 

Carletto, que migrou do PP para voltar à base do governo na Bahia, está no seu segundo mandato como deputado federal. 

 

Nessa construção do partido pensando em 2024 e 2026, o político ainda descartou por completo a filiação do ministro da Casa Civil, Rui Costa, ao Avante de olho em uma vaga de senador daqui a dois anos.

 

“Não existe. O ministro Rui Costa hoje, foi governador e hoje é ministro, é do Partido dos Trabalhadores e ele tem raízes naquele partido, e com certeza e convicção isso aí é tudo boato. Não tem nada, nunca se especulou isso, mas de qualquer forma eu estou aqui pra dizer pra vocês que é ‘especulações’”, assegurou.

 

Ainda sobre 2026, Carletto sinalizou que ainda não é o momento de pensar em arranjos para composição da chapa governista. “A gente está ajudando o governo Lula em Brasília e aqui na Bahia, nós estamos ajudando o governo Jerônimo. Isso é uma consequência e a gente não está pensando nisso, nós somos de grupo e grupo se faz para trabalhar. Com certeza e convicção, o Avante, lógico, como todo partido, quer participar, mas isso é uma negociação, é conversa e a gente não está aqui para tomar a vaga de ninguém, ao contrário, nós estamos aqui para somar, somar esforços para trabalhar, progredir e desenvolver a nossa Bahia”.

 

QUADRO PARTIDÁRIO

Na avaliação de Carletto, os números do Avante mostram que a sigla é o “partido que mais cresceu no Brasil e na Bahia indiscutivelmente”. Atualmente, conforme dados apresentados por ele, são 180 candidatos a prefeito e 90 a vice-prefeito em todo o território baiano.

 

“Lógico que no decorrer, até o registro da candidatura, aí tem outros acordos, uns vão fazer acordo, outros vão continuar, espero de partir daí uns 150, 160 candidatos e mais uns 70, 80, vice-prefeitos”, analisou.

 

No atual cenário, 62 prefeituras baianas são comandadas pelo Avante – contando as que foram assumidas por vice-prefeitos, a exemplo de Canavieiras e Guanambi. Quanto aos vice-prefeitos, são 46, e o número de vereadores chega a 462. “É a prova do crescimento”, disse. 

Com vínculo partidário diferente, agentes das forças de segurança devem reforçar chapas nas eleições de 2024
Foto: Divulgação

Fenômenos nas redes sociais, agentes de segurança pública têm ganhado os holofotes e devem disputar as eleições de 2024 na Bahia. Com regime diferenciado para a filiação partidária, os "da ativa" não necessitam ter filiação até conquistarem o mandato. Parte desses candidatos também se apoia na onda conservadora e de extrema direita, que trouxe maior protagonismo para membros das Forças Armadas e também das polícias estaduais.

 

"Eles não precisam se filiar. Em relação ao afastamento do serviço, as decisões mais recentes indicam que eles devem se afastar no momento do registro de candidatura. Basta que o partido escolha na convenção. Aí se ele for eleito, ele se filia", explicou o advogado Jarbas Magalhães, especialista em direito eleitoral.

 

Mesmo com o fechamento da janela eleitoral os candidatos a vereador neste ano já estão filiados em algum dos partidos. Um dos exemplos da "diferença" de regulamentação entre os integrantes das forças é o Coronel Sturaro, que já ocupa um cargo na gestão de Salvador e se filiou ao PSDB por não mais integrar a "ativa".

 

LEGISLAÇÃO VIGENTE

As regras que são aplicadas aos militares das Forças Armadas para elegibilidade também se aplicam aos policiais militares, já que juridicamente, ambos são militares. Sob a ótica constitucional, os policiais militares são forças auxiliares e reservas do Exército.

 

E, de acordo com resolução aprovada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em fevereiro de 2024, o militar alistável é elegível atendidas as seguintes condições:

  • Se contar menos de 10 anos de serviço, deverá afastar-se da atividade, por demissão ou licenciamento ex officio;
  • Se contar mais de 10 anos de serviço, será agregado pela autoridade superior, afastando-se do serviço ativo, pelo benefício da licença para tratar de assunto particular.

 

Ainda de acordo com a resolução, a elegibilidade de militar que exerce função de comando condiciona-se à desincompatibilização no prazo legal. Não se aplica a militares que não exercem função de comando, incluídos policiais e bombeiros, o prazo de desincompatibilização previsto para servidores públicos.

 

"O militar elegível que não exerce função de comando deve se afastar da atividade ou ser agregado até a data de seu pedido de registro de candidatura, garantida a realização de atos de campanha nas mesmas condições das demais pessoas candidatas", diz trecho do texto do TSE.

 

"A pessoa que se desligar do serviço militar para ser candidata deverá, na data do pedido de registro de candidatura, estar filiada ao partido político pelo qual concorre. Embora necessariamente registrado candidato por partido político, federação ou coligação, concorrerá sem a filiação a partido político, conforme a Constituição Federal", acrescenta.

TRE-BA faz plantão de atendimento para regularização de título de eleitor neste feriado
Foto: Camila São José / Bahia Notícias

Até às 14h desta quarta-feira (1º), os Cartórios Eleitorais da capital e do interior do estado, além da Central de Atendimento ao Público (CAP) do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) funcionarão em regime de plantão. A ação antecede o fechamento do cadastro eleitoral, que é 8 de maio. 

 

Além de hoje, o TRE-BA terá plantão no final de semana, sábado (4) e domingo (5), com atendimento das 8h às 14h. 

 

Para acessar os serviços é necessário apresentar um documento oficial com foto e um comprovante de residência emitido há, no máximo, três meses. No processo de alistamento eleitoral (primeiro título de eleitor), a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) não poderá ser utilizada isoladamente, devendo ser apresentada documentação complementar. O certificado de quitação militar também é requerido para homens que completam 19 anos no ano em que estão se alistando.

 

Eleitoras e eleitores têm até o dia 8 de maio para tirar a primeira via do título, regularizar pendências de títulos cancelados, coletar dados biométricos, incluir o nome social e transferir o domicílio eleitoral. Após essa data, o cadastro será fechado em decorrência dos preparativos para as eleições municipais, que acontecerão em 6 de outubro.

“Apoio de João Roma a Bruno Reis reedita aliança de ACM Neto com Bolsonaro”, afirma presidente do PT Bahia
Foto: Divulgação

O presidente do Partido dos Trabalhadores da Bahia, Éden Valadares, afirmou nesta terça-feira (30), que a oficialização do apoio do PL, partido do ex-presidente Jair Bolsonaro, ao prefeito Bruno Reis (União Brasil), às eleições municipais deste ano não é nenhuma novidade, já que o antecessor do atual gestor, ACM Neto, que pertence ao mesmo partido e grupo político do prefeito de Salvador, sempre foi aliado de Bolsonaro.

 

“Zero pessoas surpresas. Essa aliança é antiga, sempre uniu ACM Neto a Bolsonaro, e agora é reeditada com Bruno e Roma. Ou seja, o apoio de João Roma a Bruno Reis reedita a aliança de ACM Neto com Bolsonaro. Estiveram juntos no governo que destruiu o Brasil, estiveram juntos nas últimas eleições e seguem inseparáveis. Como muito bem disse o governador Jerônimo Rodrigues, é o mesmo risco no chão: de um lado o time deles, do outro nosso time com Lula, Jerônimo e Geraldo Júnior”, afirmou o dirigente petista.

 

Éden destacou ainda que a nacionalização da campanha não depende do desejo dos candidatos ou das campanhas, mas sim da polarização política que o país vive. “É óbvio que vamos apresentar propostas, discutir a cidade, debater seus problemas e são muitos. Mas na largada, na saída, é natural que o eleitorado busque referências sobre as candidaturas apresentadas. Esse é do time de quem? Joga aliado com quem? Lula ou Bolsonaro? Salvador não é uma ilha apartada da disputa política que se estabeleceu no Brasil nos últimos anos”.

 

Para o líder petista, a identidade do atual prefeito com o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) foi construída até com certa naturalidade. “Bruno Reis já declarou que votou em Bolsonaro, é apoiado pelo partido de Bolsonaro e, não satisfeito, trabalhou para não ter um candidato do PL em Salvador. Isso é mais que namoro, é casamento antigo”, concluiu Éden.

Bruno Reis diz que nacionalização em eleições municipais é uma estratégia "falida" e "fracassada"
Foto: Max Haack/ Ag. Haack/ Divulgação

O prefeito de Salvador, Bruno Reis (União Brasil), voltou a falar nesta terça-feira (30),  que não acredita na influência da nacionalização no resultado das eleições municipais. A declaração de Bruno aconteceu durante evento que confirmou o apoio do Partido Liberal PL à sua reeleição em 2024.  

 

Segundo Bruno, as eleições são apenas municipais, e que a estratégia de associar apoio a figuras partidárias da Bahia ou do Brasil,  é “falida e fracassada”. 

 

“Vão tentar nacionalizar a eleição, estadualizar a eleição. Mas a eleição é do povo, a escolha do cidadão é livre, que vai fazer a melhor escolha para sua cidade. Então isso está claro e já ficou claro em outras eleições, que essa estratégia é falida, fracassada, aliás, aqui em Salvador, ainda tem um componente a mais. Isso não sou eu que falo, são as pessoas que falam na rua todo mundo que a gente conversa, que o fato de você ter prefeito de um partido e governador ou presidente, que ganha com isso é o povo, que o prefeito trabalha e obriga os outros a trabalharem, pois tem a natural comparação [...]”, afirmou durante entrevista à imprensa. 

 

O gestor municipal revelou ainda que o debate das disputa eleitoral deste ano vai girar em torno do trabalho das gestões dos poderes. 

 

“Sem sombra de dúvidas, a pauta, a discussão da eleição Municipal, será debater os problemas da cidade. Quais são ainda os gargalos os problemas que a cidade tem, quais são os caminhos para resolver esses problemas e efetivamente no final do dia as pessoas vão ver quem é que tem melhores condições de solucionar esse problema”, concluiu.

Apoio do PL à Bruno Reis é oficializado em reunião com presença de João Roma
Foto: Mauricio Leiro / Bahia Notícias

O PL oficializou na manhã desta terça (30), em reunião com os membros da executiva estadual e a presença do presidente estadual da sigla, João Roma, o apoio à reeleição do prefeito Bruno Reis nas eleições deste ano em Salvador. Reis agradeceu o apoio do partido e afirmou que o time de Roma abriu mão de um projeto de poderia ter sido pessoal, para colocar à frente os interesses da cidade. 

 

“Muito obrigado, João Roma, você sabe da nossa história e eu gostaria, nessas palavras, de falar, basicamente, sobre relação, parceria, de princípios e de compromissos. Então, tenho com o João uma relação de muito tempo. Trabalhamos juntos, na mesma sala, seja aqui em Salvador, seja em Brasília, por um longo período da vida. Trabalhamos muito juntos e sempre tive orgulho de trabalho dele e do meu. Ele sabe disso, sempre foi um ajudando o outro, nunca teve mimimi, blá, blá, blá, pragmatismo, resolutividade e solução para os problemas e isso fez com que a gente sempre mantivesse uma relação muito sólida e consistente”, disse.

 

Bruno ainda ressaltou que a sua relação com João Roma abriu portas para que ele conquistasse o PL para a sua base nestas eleições, além de elogiar outros nomes que, segundo ele, contribuíram bastante para a gestão atual. “É resultado de um trabalho que eu vim a construir, a nossa deputada Roberta Roma, é minha amiga antes de conhecer João, nós já éramos amigos de infância antes de conhecer João, parabéns Roberta pelo grande trabalho que está fazendo em Brasília, não está aqui o deputado João Bacelar, mas também um grande amigo, uma pessoa que tem pelo menos 25 anos de amizade e de relação, a Kátia Bacelar representando seu irmão e também querida amiga, o deputado capitão Alden é uma relação amizade mais recente, que me colocou duas importantes sugestões para contribuir com o nosso governo, que foram acatadas e já foram executadas. Essa relação foi permitindo a gente ampliar a nossa convivência com os deputados estaduais da mesma forma, tanto com o Diego Castro, que já militou com a gente na juventude partidária, como meu colega advogado Leandro de Jesus, combativo deputado, que tem feito a oposição aguerrida e tem também nos dado uma série de sugestões”, concluiu.  

Alexandre Aleluia nega rusgas e sugere que críticas a Bruno Reis e ACM Neto foram construtivas
Foto: Mauricio Leiro / Bahia Notícias

Ainda durante a reunião com os membros da executiva estadual do PL, que oficializou o apoio à reeleição do atual prefeito de Salvador, Bruno Reis (União), na manhã desta terça (30), o vereador Alexandre Aleluia, que teceu críticas ao ex-prefeito ACM Neto e ao atual mandatário da capital, disse que a relação entre ambos não está abalada e foi somente em relação às gestões políticas. 

 

“A relação está muito boa. Na época eu fiz críticas muito também em relação à gestão, nunca fiz em relação à pessoa física, Bruno Reis. Eu tenho muita admiração por ele, sempre disse em discursos que ele é muito humilde, ele para pra escutar as pessoas. Recentemente ele até me convidou: 'olha, vamos fazer um projeto pra melhorar a cidade, o visual da cidade, questão de limpeza de cartazes'. Peguei a missão, fiz, então, aprovei, ele sancionou, então mostra que tem uma interlocução muito boa isso. Eu admiro, eu acho que a cidade tá em boas mãos”, defendeu. 

“Não é um partido pra ficar em cima do muro”, diz Alexandre Aleluia sobre apoio do PL a Bruno Reis
Foto: Mauricio Leiro / Bahia Notícias

 

O vereador Alexandre Aleluia (PL), falou ao Bahia Notícias na manhã desta terça (30), durante a reunião com os membros da executiva estadual do partido, que oficializou o apoio à reeleição do atual prefeito de Salvador, Bruno Reis (União), sobre a importância da decisão. Segundo o edil, é um passo importante na construção de um caminho onde todos terão a mesma chance, afirmando que o partido não é de ficar “em cima do muro”.

 

“Consolidamos o nosso apoio ao prefeito Bruno Reis, eu não tenho dúvida que é o melhor caminho, é o caminho, eu diria, porque o PL não é um partido pra ficar em cima do muro, é um partido para adotar o melhor caminho pra cidade e o prefeito Bruno Reis tem mostrado que esse é o melhor caminho. Em relação à nominata, a nominata tá bem montada, o partido tá bem estruturado, todo mundo com chance, isso que é importante. Eu vejo nomes com expressão eleitoral, até o próprio ex-prefeito João Henrique, Lorena Brandão ex-vereadora, o vereador Isnard, enfim, vários candidatos que podem sim fazer uma boa projeção na eleição proporcional”, concluiu. 

VÍDEO: Ana Paula Matos sai carregada por apoiadores na sede do PDT em Salvador após reafirmação de apoio a Bruno Reis
Foto: Divulgação / PDT

A vice-prefeita de Salvador, Ana Paula Matos (PDT), saiu carregada da sede do PDT, no bairro da Mouraria, em Salvador, na noite desta sexta-feira (26), após sua confirmação à reeleição para o cargo, em apoio a Bruno Reis (União Brasil). De acordo com o ministro da Previdência Social e presidente nacional licenciado do PDT, Carlos Lupi, a indicação de Ana Paula como vice para as eleições municipais deste ano ocorreu de forma natural. 

 

 

 

Ao lado dos presidentes estadual e municipal da sigla, os deputados federais Félix Mendonça e Léo Prates, Lupi avaliou o cenário local. 

 

“Temos a decisão de apoiar o Bruno Reis e reivindicamos a continuidade do partido na vice-prefeitura. A Ana Paula é um nome natural para seguir no cargo”, apontou. “Salvador é prioridade nacional do PDT. Vamos eleger quatro vereadores, com uma chapa plural, e Bruno Reis no primeiro turno”, completou Lupi. 

Leo Prates minimiza ausência de ACM Neto em evento do PDT e confia na manutenção de aliança com União Brasil
Foto: Maurício Leiro / Bahia Notícias

O presidente do diretório do PDT de Salvador e deputado federal Leo Prates minimizou a ausência de ACM Neto (União) na reunião partidária que contou com a presença do presidente nacional da sigla trabalhista e ministro da Previdência, Carlos Lupi, em Salvador, nesta sexta-feira (26). 


A relação entre os dois partidos está estremecida por conta da saída da vereadora e pré-candidata à prefeitura de Lauro de Freitas, Débora Régis, do PDT para o União Brasil. Insatisfeito com a movimentação, o presidente estadual do partido chegou a indicar um rompimento com o União para as próximas eleições.  


“O presidente Lupi está conversando com  ACM Neto. Ele falou inclusive da relação pessoal dos dois. Eu acho que nunca é uma ferida fácil de se superar. Nós estamos na maior parte das cidades com um projeto junto com a União Brasil, o que chateou o presidente Félix. [...] Realmente ela sair a dois dias do prazo de filiação, como o presidente Félix disse, isso machuca o partido, que é um partido aliado e também coloca várias dúvidas, mas pelo que nós vimos, o presidente Lupi falou que a aliança está mantida, mas claro que a eleição de 2026 é outra eleição”, disse Prates. 


Cotado como candidato à prefeitura de Salvador em 2028, o deputado federal também está otimista na manutenção da aliança com o União para além de 2024 e garantiu que não planeja sair do grupo político liderado pelo ex-prefeito de Salvador.


“Eu não trabalho com hipótese, eu só tive um grupo político na minha vida, que foi o grupo político de ACM Neto e de Bruno Reis. Bruno Reis. Eu acho que o PDT é uma casa que me acolheu,  me deu destaque nacional. O que eu posso lhe dizer é que vou trabalhar para que estejam unidos, inclusive, no projeto ao Senado de Félix Mendonça, que é um projeto que o presidente Lupi lançou hoje que me parece bastante interessante. Eu vou acreditar sempre na minha capacidade de articulação, na capacidade de articulação de ACM Neto e de Bruno Reis para que essa aliança seja mantida”, pontuou.

Lupi reafirma que Ana Paula “é o nome natural” para vice e que PDT vai continuar apoiando Bruno Reis
Foto: Maurício Leiro / Bahia Notícias

Em Salvador para participar de um encontro do PDT baiano, o presidente nacional do partido e ministro da Previdência, Carlos Lupi, indicou que a parceria com o União Brasil em Salvador continua firme e forte, inclusive dando quase como certo a continuidade de Ana Paula Matos como vice de Bruno Reis.  


“Ana já é a vice-prefeita da cidade, nós temos a nossa decisão de continuar apoiando o Bruno Reis e temos a decisão de continuar com a vice-prefeitura. É claro que ela é o nome natural, já é a vice-prefeita, mas não impomos. O vice-prefeito quando não é aceito pelo titular nem cadeira para assentar tem, então para o vice-prefeito tem que ser uma costura política em que primeiro o prefeito tem que querer, segundo tem uma base aliada de vários partidos que também tem que participar dessa decisão. A nossa etapa agora não é de exigência nem colocar a faca no peito de ninguém, é de continuar reivindicando nosso espaço”, afirmou Lupi. 


Já Ana Paula endossou a fala de Lupi e reforçou a aliança com o atual prefeito da capital baiana. “Nós estaremos com o prefeito Bruno pelo que ele tem feito pelo povo brasileiro, pela defesa da educação, do trabalhismo em qualquer condição, mas é óbvio que eu fico muito feliz em saber que sou o nome natural do partido, o prefeito falou, o presidente Lupi falou, então se os outros partidos assim quiserem, se o povo quiser estarei lá”. 


As falas de Lupi e de Ana vêm após o presidente estadual da legenda, o deputado federal Félix Mendonça Jr., indicar um rompimento com o União Brasil nas próximas eleições. O movimento pode acontecer por conta da insatisfação com a saída da vereadora e pré-candidata à prefeitura de Lauro de Freitas, Débora Régis, que se filiou ao União. 


Lupi engrossou o coro contra Débora, mas evitou falar em rompimento. “A decepção com a Débora é grande, porque nos deixou no último dia de prazo, na última hora. Isso é o mundo real. Fingir, fazer teatro, eu não sei fazer não. Agora, não estamos aqui também para prejudicar os companheiros. Vamos começar com eles, vamos ver o melhor caminho, e repito, tudo na vida, como na política é bom, quando é combinado e feito de forma transparente e clara entre os dois lados. Não foi da nossa parte, nós nos sentimos na última hora, recebemos isso com um ato que não é coerente. Agora, a direção estadual liderada pelo deputado Félix vai discutir isso com o diretório e os nossos candidatos, porque nós também somos candidatos”, ponderou. 

TRE-BA realizará plantões de atendimento ao eleitor no final de semana
Foto: Reprodução / TRE-BA

Os Cartórios Eleitorais da capital e do interior do estado, além da Central de Atendimento ao Público (CAP) do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) funcionarão em regime de plantão no período que antecede o fechamento do cadastro eleitoral. O serviço ocorrerá nos dias 27/4 (sábado); 1º/5 (feriado); e 4 e 5/5 (sábado e domingo). O atendimento será oferecido das 8h às 14 horas. A decisão foi estabelecida na Portaria nº 322, de 2 de abril de 2024, publicada no Diário da Justiça Eletrônico (DJE).

 

Documentos

Para acessar os serviços é necessário apresentar um documento oficial com foto e um comprovante de residência emitido há, no máximo, três meses. No processo de alistamento eleitoral (primeiro título de eleitor), a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) não poderá ser utilizada isoladamente, devendo ser apresentada documentação complementar. O certificado de quitação militar também é requerido para homens que completam 19 anos no ano em que estão se alistando.

 

Prazo

Eleitoras e eleitores têm até o dia 8 de maio para tirar a primeira via do título, regularizar pendências de títulos cancelados, coletar dados biométricos, incluir o nome social e transferir o domicílio eleitoral. Após essa data, o cadastro será fechado em decorrência dos preparativos para as Eleições Municipais, que acontecerão em 6 de outubro.

Porto Seguro deve reeditar disputa entre grupos de Jânio Natal e Cláudia Oliveira, e estrangeiro surge como "3ª via"
Foto: Montagem / Bahia Notícias

Um dos maiores destinos turísticos do estado - e do Brasil -, além de política e economicamente influente no estado, Porto Seguro será palco de uma disputa política acirrada este ano. A decisão deve ser impactada por questões de infraestrutura - especialmente após o impacto das mudanças climáticas na região -, turismo e disputas territoriais. Os atores políticos, por sua vez, são figuras já conhecidas pelo eleitorado porto-segurense, o prefeito vigente, uma ex-gestora e um empresário da região.

 

A atual gestão da Terra Mãe do Brasil está nas mãos de Jânio Natal (PL), eleito em 2020 com cerca de 28 mil votos. Candidato à reeleição, Jânio já foi gestor do município em 2004 e de Belmonte, município vizinho, em outras duas ocasiões. Em Belmonte, chegou a renunciar após eleito, dando lugar ao vice. Com longo histórico de cargos legislativos e executivos, o atual prefeito conta com o apoio de cerca de oito siglas para a sua reeleição, incluindo o União Brasil e o Avante, além de 150 candidatos a vereador.  

 

Cláudia Oliveira (PSD), por sua vez, deve liderar a chapa de oposição municipal. A ex-prefeita por dois mandatos (2013-2020) e atual deputada estadual vai representar a base do governo estadual em Porto Seguro, com o apoio do governador Jerônimo Rodrigues e toda a liderança petista. Com histórico positivo no município, Cláudia foi eleita para compôr a Assembleia Legislativa da Bahia, em 2022, com mais de 16 mil votos na cidade. Ao Bahia Notícias, a parlamentar alegou que o trunfo de sua candidatura seria a “forte presença” na cidade. 

 

Apesar da polarização entre ambos os candidatos, o diálogo não foi dispensado. Segundo informações do site Políticos do Sul da Bahia, parceiro do Bahia Notícias, uma composição entre ambas as chapas não seria descartada. Até o momento, os candidatos seguem de forma independente. 

 

Além das figuras já carimbadas da política regional, a disputa ao pleito municipal também conta com uma “terceira via”, no nome do empresário luxemburguês, Luigi Rottuno (PSDB). Ficando em terceiro lugar na disputa em 2020, o novo ator político surpreendeu os adversários angariando cerca de 12 mil votos. Este ano, o empresário do ramo turístico visa ampliar sua malha eleitoral e, quem sabe, conquistar o cargo no executivo municipal.

Federação PT, PCdoB e PV tem mais de 200 pré-candidaturas a prefeito na Bahia
Foto: Divulgação

A executiva estadual da Federação Brasil da Esperança – PT, PCdoB e PV – se reuniu nesta quinta-feira (25) para fazer um balanço do processo do fechamento da janela partidária, em que os presidentes estaduais dos três partidos Éden Valadares (PT), Geraldo Galindo (PCdoB) e Ivanilson Gomes (PV), além dos secretários de Organização do PT e PV, Osmar Galdino (Jojó) e Luiz Araújo, respectivamente, avaliaram o resultado como muito positivo na Bahia. A Federação filiou cerca de 20 novos prefeitos e mais de cem novos vereadores, e no mapa eleitoral prévio foram identificadas mais de 200 pré-candidaturas a prefeito e a prefeita para as eleições deste ano.

 

Com o fechamento do balanço, o presidente do PT Bahia, Éden Valadares, destacou que a Federação PT, PCdoB no estado vai disputar para ser protagonista no pleito municipal. “A gente não estabeleceu ainda uma meta numérica, mas quem tem mais de 200 candidatos a prefeito e a prefeita vai disputar, digamos assim, a liderança do número de prefeitos e prefeitas na Bahia, uma disputa no campo do governo saudável, a gente não está fazendo concorrência nem com o PSD, nem com o PSB, nem com o Avante, não é isso. Não é uma corrida, nós queremos vencer é ampliando a base do governador Jerônimo”.  

 

O dirigente petista frisou, inclusive, que a Federação é importante para aumentar a base do governador Jerônimo e do presidente Lula.  “Então a Federação será um instrumento para alargar a base de Lula e a de Jerônimo. Ou seja, a gente vencer em cidades que hoje não são governadas por prefeitos que apoiaram Lula e Jerônimo ou que não vão apoiar Lula e nem Jerônimo. Nossa meta é essa então: é fazer muito prefeito e muita prefeita, mas ampliando a base do governador”, disse Éden.

 

O presidente do PCdoB e da Federação na Bahia, Geraldo Galindo, afirmou que a construção dos três partidos, com as novas filiações e as mais de 200 pré-candidaturas, foi marcada pelo constante diálogo e grande entendimento. “Essa é a primeira vez que nós da Federação aqui na Bahia e no Brasil vamos disputar eleições municipais – para prefeitos e vereadores. E aqui na Bahia nós temos tido uma experiência positiva de criar um ambiente de debate e o consenso vem prevalecendo na esmagadora maioria das vezes. Nós conseguimos criar a unidade necessária para que a Federação se fortaleça na Bahia”, disse Galindo, ao reforçar que o PT, PCdoB e PV saiam fortalecidos das eleições e contribuam para o fortalecimento da base do governador.

 

Para Ivanilson Gomes, presidente do PV, a Federação no estado conseguiu dar um salto muito importante, com o grande número de pré-candidaturas, o ingresso de diversos prefeitos, vice-prefeitos, vereadores, lideranças fortes com “potencial de disputar e ganhar a eleição nos seus municípios”. “E a Federação da Bahia, de alguma maneira, foi quem fez um trabalho muito criterioso e, por isso, a nível nacional, foi a Federação que teve o melhor desempenho a nível de organização, a nível de, digamos assim, de possibilidades, inclusive, de eleição de prefeito, vereador, vice-prefeitos”, avaliou Ivanilson, ao destacar que certamente o instituto terá um resultado muito proveitoso: “Acredito que, ao final das eleições, no campo do governo, a Federação, na minha opinião, vai ser quem vai eleger o maior número de prefeitos, prefeitas e vereadores”.

Curtas do Poder

Ilustração de uma cobra verde vestindo um elegante terno azul, gravata escura e língua para fora
A semana já começou difícil pro Soberano. Não é fácil ver fantasmas mesmo. Só deixo logo o aviso: a rixa de hoje é a falta de abadá de amanhã. Já o Ferragamo tá apostando no amor com os eleitores, e com a educação positiva com os secretários. E enquanto o tempo faz bem pra uns, prejudica outros... Mas às vezes a pessoa só quer estar "emprazerada". Saiba mais!
Marca Metropoles

Pérolas do Dia

Éden Valadares

Éden Valadares
Foto: Divulgação / PT-BA

“Quem decide se vai ter segundo turno ou não é o povo de Salvador”. 

 

Disse o presidente do Partido dos Trabalhadores da Bahia, Éden Valadares ao rebater a declaração feita pelo prefeito de Salvador, Bruno Reis (União), de que a eleição municipal da capital baiana será decidida no primeiro turno.

Podcast

Deputado estadual Vitor Azevedo é o entrevistado do Projeto Prisma nesta segunda-feira

Deputado estadual Vitor Azevedo é o entrevistado do Projeto Prisma nesta segunda-feira
O deputado estadual Vitor Azevedo (PL) é o entrevistado do Projeto Prisma nesta segunda-feira (27). O programa é exibido ao vivo no YouTube do Bahia Notícias a partir das 16h.

Mais Lidas