Segunda, 29 de Junho de 2020 - 07:20

A espuma bolsonarista de Cezar Leite e o olho em 2022

por Fernando Duarte

A espuma bolsonarista de Cezar Leite e o olho em 2022
Foto: Reprodução/ Instagram

Depois da frustrada tentativa de chegar à Câmara dos Deputados em 2018, o vereador Cezar Leite (PRTB) resolveu apostar todas as fichas em se tornar um bolsonarista de carteirinha, com direito a seguir à risca a cartilha do clã presidencial. Entre as últimas ações está o fantasioso processo de impeachment contra o governador Rui Costa sem qualquer embasamento na realidade. É a espuma típica de quem deseja holofotes sem, necessariamente, merecê-los. O circo político, inclusive, está cheio de figuras assim.

 

Como único representante da direita conservadora na disputa pela prefeitura de Salvador, o ex-tucano vai explorar qualquer nuance possível para que seja associado ao presidente Jair Bolsonaro e aos filhos dele. Recentemente, reforçou o coro de que o Congresso Nacional havia aprovado um projeto que permitia a invasão de residências para fiscalizar o uso de máscaras e acabou apagando ao ver que se tratava de uma Fake News. Então, demos crédito. Teve hombridade para reconhecer o erro.

 

Ainda assim a campanha dele para o Palácio Thomé de Souza não tem como foco trazer a direita para o debate ou, simplesmente, trazer o bolsonarismo para a discussão. Quem conhece um pouco de política consegue perceber que Cezar Leite tem foco no futuro e planeja ampliar os quase 18 mil votos que não foram suficientes para levá-lo à Câmara dos Deputados há dois anos. E, sem a legenda do PSDB (depois de brigar com todos os caciques), era difícil garantir sequer uma reeleição para a Câmara de Vereadores.

 

Além disso, há uma clara disputa ombro a ombro com Alexandre Aleluia (DEM) para ver quem é mais bolsonarista nas redes sociais. Como vão faltar colhões para barrar a candidatura do herdeiro de José Carlos Aleluia pelo DEM, dificilmente a divisão de votos da direita conservadora radical na capital baiana seria favorável para Leite. Então, produzir espuma é o que lhe resta, ainda que isso coloque o vereador como a única oposição a ACM Neto durante a pandemia - depois de integrar durante boa parte do mandato a base aliada do prefeito.

 

Aí reside uma boa ironia. Cezar Leite faz exatamente o papel que o PT faria contra ACM Neto caso não houvesse um acordo de cavalheiros entre o gestor soteropolitano e o governador Rui Costa. Você imagina uma comparação em que um bolsonarista interpreta o papel de um petista clássico? Pois temos esse exemplo palpável. Boa sorte para Cezar Leite. Ele pode não estar certo. Mas também não está errado.

 

Este texto integra o comentário desta segunda-feira (29) para a RBN Digital, veiculado às 7h e às 12h30, e para as rádios A Tarde FM, Irecê Líder FM, Clube FM, RB FM, Alternativa FM Nazaré e Candeias FM. O comentário pode ser acompanhado também nas principais plataformas de streaming: Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google Podcasts e TuneIn.

Histórico de Conteúdo