Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Após impasse com Iphan, Arena de Lutas será em outro espaço, revela diretor da Sudesb
Foto: Reprodução / Youtube

A Arena de Lutas da Bahia, prometida pelo governador Rui Costa em 2016 (veja aqui), não será mais ao lado do abrigo Dom Pedro II, que fica na Cidade Baixa. Segundo o diretor-geral da Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia (Sudesb), Vicente Neto, o parecer desfavorável do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) (relembre aqui) fez com que a gestão estadual alterasse o planejamento. Além disso, um parecer da Caixa Econômica Federal também mudou o curso das coisas.

 

"A família detentora daquele galpão na cidade baixa apresentou uma informação sobre a mesa muito interessante. A Caixa Econômica Federal avaliou o imóvel, a família contraditou com um documento, que era a promessa de compra e venda de uma grande cervejaria aqui no Brasil. O valor que a Caixa avaliou o imóvel era três vezes mais baixo que o valor da promessa da compra e venda. O primeiro problema foi esse. Segundo problema: Infelizmente, o Iphan deu um parecer desfavorável. Rapidamente, encontramos uma solução. Teremos outro equipamento, também na Cidade Baixa, que será em breve anunciado pelo governador. Em vez de um equipamento, teremos mais de um. Queremos incluir mais jovens, meninos e meninas na prática do boxe, mas não só do boxe. Do judô, do caratê, jiu jitsu, taekwondo, hapkido, capoeira... Aproveitamos esse momento de termos baianos com medalha no peito para redesenharmos esse programa nosso de incentivo à modalidades de lutas", destacou, em entrevista ao programa Bahia Notícias no Ar, da Rádio Salvador FM 92,3.

 

Vale lembrar que a Bahia conquistou duas medalhas no boxe na Olimpíada de Tóquio. Uma de ouro, com Hebert Conceição (leia aqui), e uma de prata, com Bia Ferreira (saiba mais aqui). Além disso, brilhou em outras modalidades, como a maratona aquática, com Ana Marcela Cunha (confira aqui), a canoagem velocidade, com Isaquias Queiroz (veja aqui), e o futebol, com Daniel Alves (lembre aqui). Porém, a maioria desses atletas não treina no estado de origem.

 

Vicente Neto justificou: "Eu estive lá, em Brasília, no Ministério dos Esportes, foram três anos de experiência. Eu conheço bem o sistema. Funciona a partir da organização confederativa. As confederações, por modalidade, recebem o ranking dos atletas estaduais, o Brasil é um país de dimensões continentais, e elas definem aonde, a partir daquele nível técnico, o atleta passa a treinar. Ana Marcela é nossa campeã baiana, que atravessa de Salvador para Itaparica com muita facilidade. No nível que ela chegou, o treinamento passa a ser feito em outro espaço (...) Por exemplo, a canoagem da Bahia não fica a dever a nenhum outro estado da federação em termos de equipamento tem dois grandes centros, em Itacaré e em Ubaitaba, e mais um para ser inaugurado em Ubatã. A gente forma atleta, eles começam em programas sociais, despontam para omundo do esporte, vão para o alto rendimento, põem a medalha no peito, a confederação vai e puxa para outro centro. Tem a ver com contrato, financiamento, patrocínio da empresa que puxou o atleta, uma série de variáveis que acaba, nesse modelo de pirâmide, levando para outros centros".

 

Neste sentido, o diretor aproveitou para comentar também sobre a piscina olímpica de Salvador, que fica na Avenida Bonocô. Segundo Neto, o local já está em sua última fase de construção, para a implementação da arquibancada, mas não teve suas atividades paralisadas. "A nossa campeã olímpica, Ana Marcela, e outros atletas da Federação Baiana e da seleção treinaram na piscina durante a pandemia. Eles precisavam ter um equipamento para treino e quando ela esteve na Bahia treinou várias vezes na piscina. É um equipamento que tem sido muito utilizado. Temos uma piscina olímpica e uma semi-olímpica", pontuou. Porém, essa obra já dura quase um ano e meio (confira aqui).

 

A entrevista completa pode ser conferida no Youtube da Rádio Salvador FM 92,3. O programa Bahia Notícias no Ar ocorre diariamente, a partir das 12h, com transmissão ao vivo para o canal do Youtube. 

Histórico de Conteúdo