Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Multimídia

Membro do G10, Nelson Leal nega insatisfação com o governo e comenta: “Queremos contribuir sem embaraço”

Membro do G10, Nelson Leal nega insatisfação com o governo e comenta: “Queremos contribuir sem embaraço”
Membro do novo grupo de deputados da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), o G10, o deputado estadual Nelson Leal (PP) define, em entrevista ao Projeto Prisma, nesta segunda-feira (10), que aglutinação dos legisladores não se trata de uma insatisfação com o governo, mas sim, uma predileção pessoal. 

Newsletter

Assine a receba os nossos conteúdos em primeira mão e exclusivos.

Artigos

Rodrigo Santos
Dica para os namorados: troque um dia de declarações 'high-tech', por uma vida de atitudes 'high-touch'!
Foto: Divulgação

Dica para os namorados: troque um dia de declarações 'high-tech', por uma vida de atitudes 'high-touch'!

Vivemos uma sociedade, onde as datas, símbolos e signos, têm um lugar muito especial. E está tudo certo! O problema é quando nos preocupamos demais em POSTAR que encontramos a "metade da nossa laranja", quando muito, em um dia no ano. Daí, não percebemos que "metades se tornam muletas" e nós "pássaros de uma asa só", que colocam no outro a responsabilidade por seu voo e, nos flashes, o combustível para a jornada.

Entrevistas

Zó afirma que seu nome segue no páreo em Juazeiro e dispara: “Eu quero que Roberto Carlos me apoie”

Zó afirma que seu nome segue no páreo em Juazeiro e dispara: “Eu quero que Roberto Carlos me apoie”
Foto: Max Haack / Bahia Notícias
Nascido Crisóstomo Antônio Lima, em Xique-Xique, o deputado estadual Zó (PCdoB) está no 3º mandato na  Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA).

Últimas notícias

“Não contem com o governo”, diz Padilha sobre avanço de PL do Aborto; outros ministros também reagiram
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, afirmou nesta sexta-feira (14) que o governo não vai atuar para mudar a legislação que trata de aborto no país. A declaração vem em um momento em que avança no Congresso Nacional um projeto de lei que equipara a interrupção da gestação acima de 22 semanas ao homicídio.

 

“O governo do presidente Lula, até atendendo solicitações de lideranças religiosas, de parte da sociedade, sempre disse que nunca ia fazer nada para mudar a legislação atual do aborto no país. Nunca faria nenhum gesto, nenhuma ação para mudar a legislação de interrupção da gravidez no país”, pontuou o ministro. 

 

De acordo com o Metrópoles, parceiro do Bahia Notícias, ele ainda enfatizou ao dizer: “Não contem com o governo para mudar a legislação de aborto no país, ainda mais para mudar para um projeto que estabelece que a mulher estuprada vai ter uma pena duas vezes mais do que o estuprador. Não contem com o governo para essa barbaridade”. 

 

OUTRAS REAÇÕES 

A ministra Marina Silva, do Meio Ambiente, também comentou o tema nesta tarde. De saída do Palácio do Planalto, ela disse: “É um tema complexo e delicado na sociedade brasileira. Eu, pessoalmente, sou contra o aborto, mas eu acho que é uma atitude altamente desrespeitosa e desumana com as mulheres achar que o estuprador deve ter pena menor do que a mulher estuprada e que não teve condição de ter acesso dentro do tempo para fazer uso da lei que lhe assegura o direito ao aborto legal”.

 

De manhã, a primeira-dama do Brasil, Janja Lula da Silva, falou: “Os propositores do PL parecem desconhecer as batalhas que mulheres, meninas e suas famílias enfrentam para exercer seu direito ao aborto legal e seguro no Brasil”. 

 

Para a ministra Anielle Franco, da Igualdade Racial, o PL “representa retrocesso e desprezo pela vida das mulheres. Esse não é o Brasil que queremos”.

 

Já o ministro Silvio Almeida, dos Direitos Humanos, chamou o texto de “materialização jurídica do ódio que parte da sociedade sente em relação às mulheres”.   

Ronnie Lessa aponta em delação grilagem no cartório de maior receita no país

Por Italo Nogueira | Folhapress

Ronnie Lessa aponta em delação grilagem no cartório de maior receita no país
Fonte: Reprodução Youtube / Cana UOL

O ex-policial militar Ronnie Lessa indicou em sua delação premiada com a Polícia Federal que a grilagem de terras na zona oeste do Rio de Janeiro ocorre por meio de fraudes dentro do cartório mais rentável do país. A prática é um dos motivos alegados para a morte da vereadora Marielle Franco (PSOL).
 

O delator indicou três pessoas que seriam as responsáveis por "fazer miséria" em documentos do 9º RGI (Registro Geral de Imóveis), responsável pelo controle de propriedade em bairros das zona oeste e sul do Rio de Janeiro. De acordo com dados do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), ele teve R$ 75,9 milhões de faturamento no segundo semestre do ano passado, o maior do país.
 

Em nota conjunta, a Associação de Registradores de Imóveis do Rio de Janeiro (Airj) e o 9º RGI afirmaram "que não há qualquer relação do cartório e de seus funcionários com o despachante citado durante a delação".
 

"A Arirj e o 9º Ofício se colocam inteira e ativamente à disposição das autoridades para investigação de quaisquer práticas criminosas", diz a nota.
 

A PGR (Procuradoria-Geral da República) acusou os irmãos Domingos e Chiquinho Brazão como mandantes da morte de Marielle. Um dos motivos, segundo a investigação da Polícia Federal, seria impedir que ela prejudicasse os interesses da família em práticas de grilagem de terras e para dissuadir outros integrantes do PSOL a adotar a mesma postura. Os dois negam envolvimento no caso.
 

O conflito seria, segundo a PF, o ápice de desavenças entre os Brazão e integrantes do PSOL desde 2008, quando o conselheiro teve o nome citado no relatório da CPI das Milícias.
 

Em depoimento aos investigadores, Lessa descreveu a ação de três pessoas, identificadas como Jorge Panaro, seu filho e um homem chamado de Geleia, dentro do 9º RGI para regularização de documentos de terrenos invadidos por milicianos.
 

"O Geleia é uma espécie de despachante. [...] Ele tem os acessos, levanta tudo o que o senhor imaginar. Ele vai levantar no 9° RGI. Vai levantar os documentos, vai conseguir carimbo, vai conseguir registrar com datas retroativas, eles fazem miséria no 9° RGI. O Geleia, Jorge Panaro, o filho do Panaro, esses caras têm um acesso muito grande ao 9º RGI", disse o ex-PM.
 

Jorge José Panaro é o nome de um ex-presidente da associação de moradores de Rio das Pedras. Lessa afirmou aos investigadores que ele já havia morrido. A reportagem não conseguiu identificar seu filho ou o homem chamado de Geleia.
 

Lessa descreveu o "modus operandi" para a grilagem de terras na zona oeste da cidade.
 

"Se eu cismar de entrar numa terra hoje e não houver resistência, em 15 dias eu já mando fazer um documento. Primeira coisa, limpa o terreno. Quando limpar o terreno, se existe um dono e ele não mandou limpar, esse dono vai mandar alguém ver: 'Quem é que tá mexendo no meu terreno?' Isso é óbvio. Limpou o terreno, [e] ninguém mexeu, ninguém botou a cara? Tu continua. Aí tu começa a botar cerca de arame farpado. Ninguém se manifestou? Tu já pode chamar o Geleia ou o Panaro."
 

O ex-PM afirmou aos investigadores que a recompensa pela morte de Marielle seria justamente a autorização dos irmãos Brazão para gerir um loteamento irregular na zona oeste da cidade. Ele também disse que tinha planos de invadir uma área na avenida Ayrton Senna, em ponto próximo à favela Gardênia Azul.
 

O 9º RGI já foi alvo de uma CPI na Assembleia Legislativa em 2011. O relatório final, porém, não apontou responsáveis e não conseguiu comprovar as suspeitas levantadas.
 

De acordo com a PF, documentos encontrados na casa de Domingos Brazão descrevem operações imobiliárias da família com indícios de grilagem de terras. O relatório, porém, não descreve algum envolvimento do 9º RGI.
 

Um dos terrenos em Jacarepaguá em nome da Superplan Administração de Bens Imóveis e Participações, de Domingos e sua mulher, teve sua matrícula aberta em 2021, após ação de usucapião de um casal formado por um eletricista e uma doméstica. Em agosto de 2023, a empresa de Brazão comprou metade da área, de 10 mil m², por R$ 110 mil.
 

A PF aponta suspeitas em relação à transação porque a prefeitura cobrou o ITBI avaliando o imóvel em R$ 7 milhões. A divergência levanta suspeitas de lavagem de dinheiro.
 

Outra transação chamou ainda mais a atenção dos investigadores. Trata-se de um terreno de 2.000 m² adquirido de um eletricista e sua mulher em 14 de maio de 2018, mas que só foi registrado em agosto de 2020.
 

A transação foi realizada dois meses depois da morte de Marielle e no mesmo dia em que foi publicada a lei apontada como ápice da divergência entre os Brazão e a vereadora.
 

"Os efeitos produzidos pela lei complemente 188/2018 poderiam acarretar incalculável valorização da extensão de terra adquirida pela Superplan, se não fosse a superveniente declaração de inconstitucionalidade do diploma legal meses depois", afirma a PF.
 

A PF afirmou no relatório final do caso enviado ao STF (Supremo Tribunal Federal) que as divergências de Marielle na Câmara Municipal ao projeto de lei complementar 174/2016, de autoria do então vereador Chiquinho Brazão, "encontram-se no cerne da motivação do crime".

Léo Naldi diz que Vitória vai "voltar a fazer valer o mando de campo" contra o Internaional
Foto: Reprodução EC Vitória

Na lanterna da Série A do Campeonato Brasileiro, o Vitória soma três empates e cinco derrotas até agora na competição. O mau começo do Leão também é explicado pela queda de rendimento no Barradão. Anteriormente invicto há 23 jogos em sem seus domínios, o Vitória agora passa por uma sequência de cinco partidas sem vencer dentro de casa.

 

Em entrevista coletiva nesta sexta-feira (14), o volante Léo Naldi disse que o Leão irá "voltar a fazer valer o mando de campo" contra o Internacional, neste domingo (16), às 16h, no Barradão.

 

“Nós sabemos que a força dentro de casa é muito importante no Campeonato e no Baiano a gente estava conseguindo ganhar, conseguindo fazer os pontos, mas a dificuldade do Brasileiro é muito maior, e nós vamos neste domingo agora voltar a fazer valer o mando de campo ganhando os jogos, jogando com vontade para dar alegria para a torcida”, afirmou o volante rubro-negro.

 

Contratado pelo Vitória em março deste ano, Léo Naldi veio da Ponte Preta e soma nove jogos com a camisa do Leão, sendo quatro como titular. Na última rodada, o jogador de 22 anos saiu do banco e entrou bem no empate por 1 a 1 com o Juventude, no Alfredo Jaconi. Sobre a titularidade, Naldi disse que "todo jogador quer jogar, mas tem que respeitar os processos".

 

“Tem que respeitar os processos. Todo jogador quer jogar, todo jogador quer estar ajudando a equipe dentro de campo, mas é respeitar a decisão do treinador, respeitar o companheiro que estiver jogando, e se esforçar para ser melhor, se esforçar para ajudar o time para que quando tiver oportunidade não sair mais”, disse o volante.

 

Após enfrentar o Internacional, o Vitória volta a jogar no Barradão, contra o Atlético Mineiro, na quinta-feira (20), às 18h30, pela 10ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro. 

Polícia Civil prende suspeitos de furto a aparelhos hospitalares avaliados em R$ 6 milhões
Foto: Divulgação / Ascom - PC

Três suspeitos de compôr organização criminosa especializada em furto de aparelhos hospitalares foram presos, nesta quinta-feira (13), em Vitória da Conquista, no sudoeste baiano, por meio das equipes da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR). 

 

De acordo com as investigações da polícia, somente no último crime, os presos causaram um prejuízo de R$ 6 milhões às vítimas. As capturas foram realizadas com o apoio da equipe de inteligência da Polícia Civil da Bahia. 

 

Uma delas ocorreu em Santo André, município na região metropolitana de São Paulo. Nas ações, foram apreendidas três pistolas: uma calibre .380; outra, 9 mm; e uma terceira, .45. Os suspeitos passaram por exames de lesões corporais de praxe e estão à disposição do Poder Judiciário.

Após pedir reembolso de diária em hotel de luxo no RJ, deputado Jonga Bacelar diz que recebeu denúncia do BN “com grande surpresa”
Foto: Divulgação / Câmara dos Deputados

Após o Bahia Notícias mostrar que o deputado federal Jonga Bacelar (PL) usou parte de sua verba de gabinete para pedir reembolso de uma estadia no hotel de luxo Fairmont, situado no bairro de Copacabana, no Rio de Janeiro, em data que coincidiu com a da realização do show da cantora Madonna, o parlamentar alegou ter recebido a informação “com grande surpresa”. 

 

Conforme reportagem publicada nesta sexta (14), Bacelar pediu reembolso de uma diária de R$ 4 mil para uma hospedagem realizada no dia 04 de maio, um sábado. Em nota, ele justificou que “esteve no Estado do Rio de Janeiro para compromissos políticos nos dias 03 e 04 de maio, quando participou de reuniões para tratar a respeito de questões energéticas e de infraestrutura, que têm sido trabalhadas durante a sua atividade parlamentar”. Ele não explicou, no entanto, o porquê de ter se hospedado em um hotel de luxo, com uma diária muito acima dos valores habituais, tampouco deu detalhamento sobre a agenda parlamentar. 

 

Confira a nota na íntegra: 

O deputado dederal João Carlos Bacelar (PL) declara que recebeu com grande surpresa a notícia publicada hoje (dia 14/06/2024) no site Bahia Notícias, intitulada “Deputado federal baiano pede reembolso por estadia em hotel de luxo no Rio de Janeiro com diária de R$ 4 mil”, em que foram insinuadas supostas irregularidades quanto a sua conduta.

 

O Deputado esteve no Estado do Rio de Janeiro para compromissos políticos nos dias 03 e 04 de maio, quando participou de reuniões para tratar a respeito de questões energéticas e de infraestrutura, que têm sido trabalhadas durante a sua atividade parlamentar. Por essa razão, o Deputado precisou se hospedar em hotel localizado no Rio de Janeiro, a fim de possibilitar o cumprimento da sua agenda.

 

Em relação a cota parlamentar, é necessário esclarecer que o Ato da Mesa nº 43/2009 da Câmara dos Deputados instituiu cota para o exercício da atividade parlamentar, de modo que despesas com hospedagem são regularmente custeadas, não havendo qualquer irregularidade quanto ao pedido de reembolso. 

Mulher suspeita de envolvimento em triplo homicídio é presa em Feira de Santana
Foto: Divulgação / Ascom-PC

Uma mulher, suspeita de ser mandante de um triplo homicídio que aconteceu em maio, foi presa nesta quinta-feira (13) em Feira de Santana. Um mandado de prisão temporária foi expedido em nome da suspeita, resultado de uma rápida investigação da 1ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior, por intermédio da Delegacia de Homicídios. 

 

De acordo com as investigações, a mulher é casada com um traficante que cumpre pena em um conjunto prisional do estado. A análise de câmeras de segurança e de outros recursos tecnológicos apontou que a suspeita deu ordens para os comparsas. 

 

Os suspeitos pararam um carro em frente a um mercadinho no bairro Rua Nova, no dia 10 de maio, e dispararam contra os clientes, matando três deles. Um dos executores foi baleado por um segurança e morreu, enquanto outros três suspeitos fugiram. 

 

A mulher está presa, à disposição do Poder Judiciário, e será encaminhada ao Conjunto Penal de Feira de Santana.

Dono de chácara confessa ter matado motorista de aplicativo que desapareceu em Cassange
Elionaldo Cardoso da Silva, motorista de aplicativo. Foto: Reprodução / DDP

O principal suspeito do desaparecimento do motorista de aplicativo Elionaldo Cardoso da Silva, de 34 anos, confessou, nesta sexta-feira (14), a autoria do homicídio da vítima, desaparecida desde o último domingo (09). José Carneiro, se apresentou à polícia, mas saiu em liberdade. 

 

Elionaldo foi visto pela última vez em uma chácara que pertencia a José, no bairro de Cassange, em Salvador. O veículo do desaparecido, no entanto, foi encontrado na segunda-feira (10), na localidade da Pedra de Xangô, no bairro de Cajazeiras.

 

“Ele se dizia ser da família. Meu esposo nunca teve briga nenhum com ele, meu esposo não é nem de briga, é amigo de todo mundo. O mau dele era esse, coração muito bom”, afirmou Maiara Brito Oliveira, 28 anos, esposa de Elionaldo ao Correio da Bahia. 

 

A investigação do caso foi encaminhada à Delegacia de Proteção à Pessoa (DPP), que já colheu depoimento de familiares e possíveis testemunhas. Perícias também foram realizadas no veículo do desaparecido.

 

Em nota, a Polícia Civil detalhou que “A 1ª DH/Atlântico solicitou uma prisão preventiva ao Poder Judiciário, que foi indeferida, na madrugada desta sexta-feira (14). O suspeito segue investigado em liberdade”.

Naming rights do Barradão: Fatal Model encerra negociação com o Vitória
Foto: Victor Ferreira/EC Vitória

Nesta sexta-feira (14), a Fatal Model comunicou que optou por encerrar as negociações com o Vitória para a aquisição dos naming rights do Estádio Manoel Barradas, o Barradão, que passaria a se chamar "Arena Fatal Model Barradão" por um período de 10 anos.

 

Segundo a empresa, o motivo para desistência é a "resistência por parte da imprensa em mencionar o novo nome".

 

"Os veículos de mídia não têm obrigatoriedade legal de divulgarem nomes de marcas nas programações. Porém, no caso da Fatal Model, não aceitaram expor a marca nem mesmo em moldes de publicidade, ou apenas sob a condição de divulgações após às 23h, em formato de anúncio publicitário. Outras marcas, de outros segmentos, provavelmente terão este respaldo da grande mídia", diz parte da nota da empresa.

 

A proposta de compra dos naming rights do Barradão pela Fatal Model era de R$ 100 milhões e foi aprovada por 70% dos sócios-torcedores do Leão em enquete realizada em dezembro de 2023.

 

Na lanterna da Série A, o Vitória volta a campo no próximo domingo (16), às 16h, no Barradão, contra o Internacional, pela 9ª rodada do Campeonato Brasileiro.

 

Confira na íntegra a nota da Fatal Model: 

 

"O Fatal Model vem a público informar que, após diversas reuniões com o E.C. Vitória, optou por não prosseguir com as negociações para aquisição dos naming rights do Estádio Manoel Barradas, que passaria a se chamar "Arena Fatal Model Barradão" por um período de 10 anos. Agora, a empresa busca esclarecer - especialmente aos torcedores do clube - os motivos que levaram à decisão.

 

Uma das premissas para estabelecer o contrato de R$ 100 milhões, pelos direitos de uso do nome do Barradão, era garantir que a grande mídia respeitaria e associaria a marca da Fatal Model ao estádio durante o tempo do contrato. Contudo, após diversas tratativas com canais de televisão e internet, vimos grande resistência por parte da imprensa em mencionar o novo nome.

 

Tal constatação, com a negativa de veículos em citarem o novo nome do estádio, acaba por inviabilizar a execução do projeto, uma vez que afetaria a exposição da marca da Fatal Model, avaliada na proposta inicial.

 

A Fatal Model respeita, admira e continua a fortalecer o clube nesta e nas próximas temporadas, e já tem apresentado novas alternativas de apoio e compromisso na parceria com o Vitória.

 

Anunciada no fim do ano passado, a proposta dos naming rights havia sido aprovada por mais de 70% dos torcedores que participaram do processo de votação. A possibilidade de negociação do nome do estádio segue aberta para outros possíveis parceiros que possam ter maior receptividade em relação à citação das marcas pela imprensa e veículos de comunicação em geral. 

 

Os veículos de mídia não têm obrigatoriedade legal de divulgarem nomes de marcas nas programações. Porém, no caso da Fatal Model, não aceitaram expor a marca nem mesmo em moldes de publicidade, ou apenas sob a condição de divulgações após às 23h, em formato de anúncio publicitário. Outras marcas, de outros segmentos, provavelmente terão este respaldo da grande mídia. 

 

A Fatal Model, mais uma vez, reforça seu compromisso e parceria com o clube, sempre pautada no diálogo e no respeito, e continuará a apoiar o Vitória". 
 

Leci Brandão responde Ed Motta após comentário polêmico: “Quem ataca o Hip Hop é elitista!’
Foto: Reprodução/Redes Sociais

A cantora Leci Brandão, 79 anos, utilizou suas redes sociais para defender o gênero musical hip-hop nesta sexta-feira (14), após comentário polêmico feito pelo cantor Ed Motta. Na quinta-feira (13), o artista afirmou em uma live em seu perfil no Instagram que quem ouve o gênero é burro.


Em seu Instagram, Leci, que também é deputada estadual de São Paulo, compartilhou fotos segurando cartazes em resposta ao comentário de Motta. “Para repor a verdade: quem ouve Hip Hop não é burro! Ouvir e fazer Hip Hop é resistência! Quem ataca o Hip Hop é elitista!”, afirmou a cantora na sequência de imagens. 


“Quem acha que representa a cultura negra e não reconhece o Hip Hop tá de chapéu atolado! Sem mais. #RespeiteOHipHop”, concluiu. Na legenda da publicação, Leci escreveu: “Entendedores entenderão. E fim de papo”.


Nos comentários, artistas e seguidores apoiaram a atitude da artista. “Vindo de um cara que SEMPRE viveu à sombra do tio, de um cara que só vem na internet polemizar e não pelo talento... Não se deve nem levar em consideração o comentário infeliz dele!”, disse uma internauta. “Rainha faz assim!!! Viva Leci!”, exaltou a cantora Teresa Cristina.

 

 

Ministro da Casa Civil, Rui Costa afirma que debate sobre a PL do Aborto “não está em um bom caminho”
Foto: Sérgio Di Salles / Bahia Notícias

Em entrevista coletiva, nesta sexta-feira (14), durante a assinatura da ordem de serviço para o início das obras do VLT de Salvador, o ministro da Casa Civil, Rui Costa, avaliou que o debate sobre a Projeto de Lei 1904/24, conhecida como PL do Aborto, “não está em um bom caminho”. 

 

“Acho que esse debate não pode ser caminhado para a polarização política, para circunstâncias ideológicas ou religiosas. Acho que o debate não pode, não deve ser feito nessas circunstâncias, porque haveremos de perder milhares de vidas de jovens que devem ser salvas. Então acho que o debate não tá num bom caminho e isso não é uma polarização com o governo”, declarou o ex-governador baiano.

 

Ao lado do governador Jerônimo Rodrigues, o ministro defendeu que a pauta não deve ser usada para incitação da polarização política. 

 

“Eu acho que para quem carrega Deus, na alma, no coração, que está na política com o espírito Cristão, a nossa missão é cuidar de gente e salvar vidas humanas. Assim é, em circunstâncias às vezes fruto de violência, uma jovem engravidar por um ato de estupro e eventualmente se ela vai no desespero e provoca um aborto, não é porque vai perder uma vida, que vai perder duas. Temos que salvar todas as vidas, inclusive a vida da mãe”, concluiu. 

 

A PL do Aborto foi apresentado pelo deputado Sóstenes Cavalcante (PL-RJ), e outros 40 parlamentares, entre eles Capitão Alden, do PL da Bahia. Nesta última quarta-feira (12), foi aprovado um requerimento para que seja apreciado em regime de urgência o projeto que equipara ao homicídio, no Código Penal, o aborto de gestação acima de 22 semanas.

Curtas do Poder

Ilustração de uma cobra verde vestindo um elegante terno azul, gravata escura e língua para fora
O povo da Embasa começou a conjugar um nome de filme agora, e ao que parece vai entrar água. Outro que está passando por maus bocados é Rolando Lero. Por enquanto, ele só está forte no interior. E pior: ainda não parou de arranjar briga por aí. O grupo do Cacique só tem que tomar cuidado pra não perder os joelhos até outubro. E às vezes, é só questão de prestar atenção aos detalhes pra tentar evitar dores no futuro. Saiba mais!
Marca Metropoles

Pérolas do Dia

Neto Carleto

Neto Carleto
Foto: Vinicius Loures/Câmara dos Deputados

"Por que, afinal, isentar de pedágio as motocicletas? Há boas razões para isso. O peso que os veículos de duas rodas transmitem ao pavimento é virtualmente desprezível".

 

Disse o deputado federal Neto Carletto (PP-BA) após apresentar o projeto com o objetivo de isentar as motocicletas do pagamento de pedágio em rodovias federais concedidas à iniciativa privada.

Podcast

Terceiro Turno: Bahia Notícias destrincha levantamento do número de prefeituras por partidos pelo estado

Terceiro Turno: Bahia Notícias destrincha levantamento do número de prefeituras por partidos pelo estado
Arte: Paulo Victor Nadal / Bahia Notícias
As eleições municipais já começaram. Apesar do respeito à legislação eleitoral, com relação ao período de campanha, a capital baiana e o interior do estado já começam a viver a expectativa com relação ao pleito que ocorre no dia 6 de outubro deste ano. Com isso, o Bahia Notícias preparou um rascunho de como os partidos chegam para a eleição e o tamanho de cada uma das legendas com relação ao impacto dos números de prefeituras que governam. 

Mais Lidas

Rota Bahia

Acorda Cidade
Rede GN
Blog do Anderson
Marcos Frahm
Achei Sudoeste
Blog do Valente
Calila Notícias
Radar 64
Políticos do Sul
Blog do Braga
Mais Região