Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Camas de papelão em Tóquio não foram projetadas para evitar sexo entre atletas
Camas da Vila Olímpica | Foto: Reprodução / Twitter

Circulou por diversos sites, na manhã desta sexta-feira (16), que, na intenção de evitar a prática de sexo entre atletas durante a pandemia de Covid-19, o Comitê Olímpico Internacional adotou, nos Jogos de Tóquio 2020, uma cama de papelão que não aguenta a pressão do ato. Contudo, na verdade, o objeto já estava sendo projetado desde 2019, e tem a missão de tornar o evento mais sustentável.

 

Segundo informações de uma reportagem feita pelo site ge.globo em janeiro de 2020, os fabricantes garantem que a cama "não desmonta" com a prática sexual, desde que ela não seja realizada por mais de duas pessoas.

 

A gerente geral da Vila Olímpica, Takashi Kitajima, garantiu que cada uma das 18 mil camas de papelão suporta até 200kg. Após os Jogos Olímpicos e Paralímpicos, elas serão recicladas. 

 

É importante lembrar que há a recomendação para que os atletas não façam sexo durante a Olimpíada, que acontece entre os dias 23 de julho e 8 de agosto. Em junho, o Comitê já concordou em distribuir preservativos aos atletas, mas recomendou que eles não utilizassem na Vila Olímpica.

Histórico de Conteúdo