PGR apura afirmação de Eduardo Bolsonaro sobre 'momento de ruptura'
Foto: Lula Marques

A procuradoria-geral da República (PGR) abriu uma apuração preliminar para avaliar as declarações do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) em que ele insinua que o seu pai, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), poderia ter que tomar “uma medida enérgica” num eventual “momento de ruptura (leia mais aqui).

 

Segundo o portal G1, o procurador-geral da República, Augusto Aras, informou na última terça-feira (30) ao Supremo Tribunal Federal (STF) a abertura da apuração. Conforme a reportagem, o PGR comunicou à Suprema Corte que instaurou um procedimento chamado de "notícia de fato" para averiguação preliminar dos fatos relatados. Isto significa que o filho do presidente da República não é formalmente investigado. 

 

De acordo com Aras, “caso surjam indícios mais robustos de possível prática de ilícitos pelo representado, será requerida a instauração de inquérito criminal no STF, para adoção das medidas cabíveis”. 

Histórico de Conteúdo