Por interferência em eleição no Senado, corregedor instaura processo contra Dallagnol
Foto: Reprodução / Notícias do Brasil Online

Corregedor nacional do Ministério Público, Orlando Rochadel, instaurou nesta segunda-feira (10) um processo administrativo disciplinar contra o procurador Deltan Dallagnol. Ele entende que o coordenador da força-tarefa da Lava Jato, em Curitiba, atuou de forma político-partidária, no início deste ano, ao fazer campanha contra a eleição de Renan Calheiros (MDB-AL) e pelo voto aberto na disputa pela presidência do Senado. A informação é da coluna Painel, da Folha de S. Paulo.

Agora, a decisão será submetida ao plenário do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). Rochadel afirmou que Dallagnol “buscou, fora de suas atribuições legais, interferir na eleição para a presidência do Senado Federal”.


Em seu Twitter, Dallagnol fez uma série de postagens sobre o pleito, o que gerou reclamações de Renan. “As publicações tratadas, portanto, revelam-se indevidas no âmbito disciplinar, já que violam a dignidade do cargo e o decoro que deve guardar o membro em atenção ao prestígio do Ministério Público e da Justiça”, escreveu o corregedor do CNMP.

Para Rochadel, as publicações foram mascaradas “através do alegado exercício da liberdade de expressão, indevidamente fazem campanha política contra a candidatura do excelentíssimo reclamante [Renan] à presidência do Senado Federal”.

O voto do corregedor vem no momento em que conversas do procurador com o ministro Sérgio Moro vazaram, em matérias publicadas no último domingo (9) pelo The Intercept Brasil (leia mais aqui).

Histórico de Conteúdo