Quarta, 22 de Maio de 2019 - 10:45

Presidente do TJ-BA agride Bahia Notícias em público, mas elogia no privado

por Cláudia Cardozo / Ricardo Luzbel

Presidente do TJ-BA agride Bahia Notícias em público, mas elogia no privado
Foto: Reprodução / Youtube

O presidente do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), desembargador Gesivaldo Britto, agrediu o Bahia Notícias durante a sessão plenária ocorrida na manhã desta quarta-feira (22), ao discutir medidas para combater Fake News contra desembargadores. O presidente da Corte, em um ato antirrepublicano, declarou que o Bahia Notícias é uma “mídia podre, marrom”. Tal declaração contrasta com um e-mail enviado pelo presidente do TJ, em que saúda o trabalho do Bahia Notícias, quando comemorou os dez anos de criação da coluna Justiça, classificando-o como “conceituado”. 


Clique na imagem para ampliar

 

O presidente do TJ, ainda na sessão, afirmou que tem conhecimento de que há membros da Corte “que mantêm contato com o Bahia Noticias, com jornal de Feira de Santana, de Barreiras, que publicam notícias e se escondem”. “Nós sabemos, porque nós temos um serviço de informação aqui no Tribunal. Nós criamos o GSI [Gabinete de Segurança Institucional]. Ele é composto de quatro setores importantes, que é a segurança física, pessoal dos magistrados, que viajam a serviço e pedem segurança; Comissão de segurança que protege os magistrados em situação de risco; temos um pessoal de segurança que recolhe armas no interior; e temos um serviço de inteligência, porque eu acho que toda organização tem que ter um serviço de inteligência. Eu sei quem são esses colegas aqui de dentro que fazem isso. Eu sei. Não fiquem pensando que não sei. Sei e lamento que a gente tenha aqui no nosso meio pessoas desse nível, que mal a notícia acaba aqui, mesmo em uma sessão secreta, já está na mesma hora no Bahia Notícias, nessa mídia podre, marrom”, declarou.

 

O Bahia Notícias, desde sua fundação, tem o compromisso com a verdade, zelando por uma boa apuração, o que lhe confere credibilidade. Desde a criação da coluna Justiça, o site acompanha as sessões plenárias do Tribunal, por serem públicas e de interesse público. Veja o momento em que o presidente do TJ-BA ataca o site:

Histórico de Conteúdo