Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Banco e empresa de cobrança condenadas a indeniza cliente chamada de ‘caloteira’
Um banco e uma empresa de cobrança devem indenizar em R$ 20 mil, por danos morais, uma cliente, por excessos praticados na cobrança de dívida. Em decisão da 6ª câmara de Direito Civil do TJ/SC é descrito que a cliente contraíra empréstimo, mas não conseguiu quitá-lo no prazo estipulado. A dívida quadriplicou e ela procurou o banco para negociar, mas não chegaram a um acordo. Uma empresa de cobrança foi acionada pelo credor e passou a enviar mensagens de texto e fazer telefonemas para a cliente com locuções grosseiras e até ameaças. Em uma das ligações, foi colocada uma música cuja letra dizia : "A dona [...] é uma caloteira, porque ela compra e não quer pagar mais, a dona [...] é uma caloteira, deve pra todo mundo porque gosta de roubar demais".

Depois disso, uma mensagem enviada trazia o seguinte texto: "Senhora […], entrar em contato com a [empresa de cobrança], é a respeito de suas dívidas com o Banco [...]. A gente aguarda seu retorno para tentar solucionar, não adianta a senhora ficar se escondendo que vai ser pior. Muito obrigada e boa tarde". O juízo de 1º grau negou indenização com o fundamento de que não houve exposição pública da cliente. Para o desembargador Ronei Danielli, relator da apelação, esse raciocínio ignora uma parcela significativa dos direitos da personalidade, além de legitimar a conduta abusiva que o CDC busca coibir. "O emprego de uma música permeada por insultos atingiu verdadeiramente o íntimo da autora, que, com razão, sentiu-se constrangida e diminuída com o fato, desequilibrando o seu cotidiano e atingindo-a em sua autoestima". Com informações do site Migalhas.


Histórico de Conteúdo