Novo laudo reforça que Genoino não precisa de prisão domiciliar
Petista tem problemas cardíacos | Foto: Dida Sampaio / Estadão Conteúdo
Um laudo médico assinado por cardiologistas da Universidade de Brasília (UnB) assegurou que, atualmente, não há motivos para que o ex-presidente do PT e ex-deputado José Genoino (SP) seja submetido à prisão domiciliar. Segundo documento enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF) na última terça (22), o quadro clínico do condenado do mensalão está “plenamente estabilizado”. Em novembro, médicos da UnB já haviam garantido que o ex-deputado podia cumprir pena no presídio. A reavaliação foi feita a pedido do presidente do STF, Joaquim Barbosa, que aguardava o laudo para decidir se autorizava o cumprimento da pena de Genoino em casa. “Encontra-se o quadro clínico plenamente estabilizado, não se podendo julgar sobre risco mórbido presuntivo, o qual depende de fatores os mais diversos, como próprios de muitas condições médicas", destacou o novo laudo médico ao descrever a situação do petista. Condenado no julgamento do mensalão, o deputado, que tem problemas cardíacos, foi preso em novembro do ano passado e levado para o Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília, para cumprir pena em regime semiaberto. No presídio, ele passou mal e obteve o direito a cumprir temporariamente a pena de 4 anos e 8 meses de prisão em casa.

Histórico de Conteúdo