Juiz dá R$ 1 milhão a funcionária atacada por onça no Pará
A Justiça do Trabalho condenou a Vale e uma empresa terceirizada a pagar indenização de R$ 1 milhão, por danos morais e estéticos, a uma funcionária atacada por uma onça na Serra do Carajás no Pará (PA). O caso ocorreu em novembro de 2011. Laurilete Silva, 28, estava no seu primeiro dia de trabalho, contratada pela Topgeo Topografia e Serviços como auxiliar de serviços gerais em uma área da mineradora. Ela saiu da lavanderia para almoçar no refeitório, a cerca de 300 metros, e nesse intervalo foi atacada. A onça suçuarana ficou durante dois minutos sobre ela. O ataque acabou causando-lhe ferimentos na região do rosto, do pescoço e no couro cabeludo, além de uma perfuração na região cervical. Laurilete teve que passar 12 dias hospitalizada após o acidente e ficou três meses sem condições de trabalhar.Atualmente está de licença porque teve que fazer uma cirurgia no rosto, ainda uma consequência do ataque.  No entendimento do juiz, cabia tanto a Vale como a Topgeo, empresa que contratou a funcionária, cuidar da segurança dos trabalhadores.

Histórico de Conteúdo