Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Na Justiça, Gabriel Bispo pede rescisão indireta do contrato e cobra R$ 250 mil do Vitória
Foto: Max Haack/ Ag. Haack/ Bahia Notícias

Parece até notícia repetida, mas não é. O Vitória tem mais um problema na Justiça. Porém, desta vez não é nenhum ex-atleta. Trata-se de um jogador que faz parte do atual plantel. O Bahia Notícias apurou que o volante Gabriel Bispo, contratado na gestão de Paulo Carneiro, ingressou com uma ação no Tribunal Regional do Trabalho (TRT-BA) para cobrar salários atrasados. Ele também pediu a rescisão indireta do seu contrato. Gabriel é defendido pelo advogado Diego Sottili Grzybowski. 

 

O Bahia Notícias teve acesso a ação. Gabriel Bispo cobra cerca de R$ 250 mil do Vitória, entre salários não pagos e atraso de recolhimento de FGTS.  O processo tramita na 18ª Vara do Trabalho de Salvador (BA).
Na ação, a defesa de Gabriel Bispo revela que o atleta é alvo de cobiça de outras agremiações. Porém, o Vitória não quis negociá-lo. 

 

“Considerando que o EC Vitória desprestigia o Reclamante em não cumprir com as suas obrigações como empregador, figurando como um típico devedor contumaz e, concomitantemente, por méritos, o Reclamante vê-se desejado por outras entidades desportivas, nada mais natural que compreender a busca deste em romper o vínculo empregatício atual para assim alçar novos horizontes na carreira e passar a ser valorizado e respeitado como merece”, diz a defesa em um trecho da ação. 

 

Gabriel Bispo desembarcou no Vitória em abril de 2019, inicialmente por empréstimo e no fim do ano ele foi contratado em definitivo junto ao Bahia de Feira (relembre aqui).


Foto: Glauber Guerra/ Bahia Notícias

 

 

DÉBITO COM O BAHIA DE FEIRA
O Vitória não pagou ao Bahia de Feira o valor referente a transferência de Gabriel Bispo. O débito é quase R$ 700 mil. 

 

Diante disso, o Bahia de Feira ingressou com uma ação na Câmara Nacional de Resoluções e Disputas (CNRD) da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) (saiba mais aqui).

 

A CNRD foi fundada em 2016 e é responsável para resolver desavenças entre clubes, empresários, atletas e treinadores.

 

Caso seja punido, o Vitória corre o risco de ficar impedido de realizar novas contratações, como ocorreu no ano passado.

Histórico de Conteúdo