Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Segunda, 14 de Junho de 2021 - 00:29

Ramon explica dificuldades contra o Operário-PR: 'Faltou equilíbrio'

por Nuno Krause

Ramon explica dificuldades contra o Operário-PR: 'Faltou equilíbrio'
Foto: Max Haack / Ag. Haack / Bahia Notícias

O técnico Ramon Menezes acredita que faltou equilíbrio para o Vitória diante do Operário-PR, neste domingo (13), pela terceira rodada da Série B do Brasileirão. A partida terminou empatada em 0 a 0, e o Leão segue sem vencer na competição.

 

"No começo do jogo estávamos conseguindo fazer essa marcação pressão no campo de defesa do adversário. Mas é um time muito organizado, que vem jogando junto, tem boas peças. Se você não consegue fazer isso o tempo todo, em determinados momentos o adversário vai te jogar para trás, e aí você tem que estar muito bem organizado. E aí talvez faltou esse equilíbrio, quando o adversário nos jogou para trás", afirmou o comandante, em entrevista coletiva. 

 

Por estar iniciando seu trabalho, Ramon acredita que o grupo ainda tem que se adaptar para perfomar da forma que ele deseja. Ele inclusive se permitiu abrir mais o time na primeira etapa, colocando Eduardo pelo meio, mas percebeu que a medida não resultou no que planejava.

 

"Se você parar para analisar, as primeiras boas chances foram nós que criamos. Depois, o time recuou um pouco, se desorganizou. Nesse começo de trabalho é normal (...) Eu acho que no decorrer do primeiro tempo a gente começou a perder o meio campo. O Thomas Bastos com o Rafael Chorão começaram a ganhar todas as primeiras e segundas bolas. A entrada do Cedric foi para a gente preencher mais ali, deixar o Bispo mais centralizado. Esse time [o Operário] gosta de sair muito por dentro, com a movimentação do Ricardo Bueno, principalmente. A manutenção do Bispo seria importante. O Cedric também tem uma saída boa, qualidade técnica, já é um cara mais forte, tem uma certa imposição física. Mudamos o posicionamento do Pablo. Ele também é um meia-volante. Eu vi esse jogador no Danúbio e ele fez essa função também. Crescemos no segundo tempo", destacou. 

 

O treinador também lamentou o empate dentro de casa. Com a equipe adversária desfalcada de 11 jogadores, a oportunidade de vencer o primeiro jogo na Série B foi disperdiçada, e o Vitória amarga seu pior início de campeonato desde que caiu para a Segunda Divisão, em 2018 (lembre aqui).

 

"Todo mundo sai daqui muito chateado. O torcedor quer dentro de casa ver o seu time jogar da melhor maneira possível e vencer os jogos (...) Infelizmente oscilamos muito dentro do jogo, e isso nos causou uma dificuldade. Alguns detalhes precisam ser ajustados, e nós estamos aqui para fazer isso", disse.

 

Por fim, ele já disse projetar o próximo confronto, contra o Remo, em Belém (PA). "Agora é recuperar esses jogadores. Temos um compromisso muito difícil diante do Remo. Vamos observar o adversário. Hoje já começo a estudar. O mais importante é que todo mundo tem que estar preparado, como estão. Eu, quando cheguei, gostei muito porque todo mundo tava muito preparado. Então é buscar esse equilíbrio e estar todo mundo concentrado para quando entrar fazer o seu melhor", concluiu.  
 

Histórico de Conteúdo