André Lima relembra passagem pelo Sampaio Corrêa e revela que deseja ‘pagar dívida’
Foto: Glauber Guerra / Bahia Notícias

O Vitória irá pegar o Sampaio Corrêa, na quarta-feira (16), às 19h15, no Castelão, em São Luís (MA), pelo primeiro jogo das quartas de final da Copa do Nordeste. O atacante André Lima, que atuou no time maranhense em 2006, relembrou sua passagem pelo clube e revelou uma situação que aconteceu com ele. 

 

“Conheço muito bem. Joguei no Sampaio Correia em  2006. História muito bonita, é um clube onde ali sai para o Botafogo. Muitos me amam, alguns me odeiam porque tive bons momentos, fui vice-campeão, artilheiro também. Para mim é uma honra e uma dívida que eu tinha pessoal, como eu tinha com o Vitória quando me lesionei. Mas lá tinha uma dívida pessoal com algumas pessoas que tenho que agradecer. Vai ser uma enorme satisfação voltar para aquela cidade, rever amigos, rever aquele clube que tanto me ajudou, aquela torcida que tanto me ajudou também”, afirmou.

 

O jogador revelou que passou por momentos de dificuldades como atraso de salários e por isso ficou devendo alguns meses de aluguel para o proprietário da casa em que ele residia em São Luís (MA).

 

“Minha ligação com o Sampaio Correia, o clube, não é tão forte como é com algumas pessoas da cidade. No meu período, o clube era gerido por uma pessoa que não cumpria suas obrigações, morava com minha esposa e minha filha de um ano e um pouquinho em um chalé, onde a gente não conseguia pagar o mensal. Quando saí, estava devendo três, quatro meses. O dono poderia muito bem fazer vários tipos de coisas, como não deixar eu tirar minhas coisas, e sempre me trataram e trataram minha família muito bem. Esse tipo de sentimento, tenho muito em meu coração. Enquanto eu não parar de jogar bola e tiver a oportunidade de ir lá para poder agradecer pessoalmente a essa pessoa especificamente, eu não vou me aquietar. Tenho muito isso. Vai ser a primeira vez depois de 12 anos que volto a São Luís do Maranhão. Que bom que Deus me deu essa oportunidade de voltar lá. Mesmo que não tenha mais o contato de ninguém, pelo menos eu agradeço. Nada mais justo, para o mundo que vivemos hoje, pela crueldade que está o Brasil hoje, a gente agradecer”, completou.
 

Histórico de Conteúdo