Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

F1 e Mercedes condenam fala racista de Piquet ao se referir a Hamilton: 'Neguinho'
Foto: Glauber Guerra / Bahia Notícias

A Fórmula 1 condenou nesta terça-feira (28) o ex-piloto Nelson Piquet por usar um termo racista para se referir a Lewis Hamilton, da Mercedes. O brasileiro comentava sobre o acidente envolvendo o inglês e o holandês Max Verstappen no Grande Prêmio de Silverstone em 2021. O tricampeão chamou o heptacampeão de "neguinho" ao comparar a manobra com uma de Ayrton Senna no passado.

 

"O neguinho [Lewis Hamilton] meteu o carro e não deixou [desviar]. O Senna não fez isso. O Senna saiu reto. O neguinho meteu o carro e não deixou [Verstappen desviar]. O neguinho deixou o carro porque não tinha como passar dois carros naquela curva. Ele fez de sacanagem. A sorte dele foi que só o outro [Verstappen] se fodeu. Fez uma puta sacanagem", afirmou Piquet em entrevista ao jornalista Ricardo Oliveira no canal Motorsports Talk no dia 3 de novembro de 2021.

 

Hamilton e Verstappen disputavam a liderança do GP da Inglaterra e se tocaram logo na primeira volta. O holandês levou a pior, rodou, passou em alta velocidade pela brita e acertou em cheio na barreira de pneus. O piloto da Red Bull saiu do carro, visivelmente tonto com a ajuda dos fiscais. Após uma interrupção por mais de 40 minutos, a corrida foi reiniciada e o inglês foi o vencedor. Porém, no final do campeonato, Verstappen conquistou seu primeiro título da carreira.

 

"Linguagem discriminatória ou racista é inaceitável de qualquer forma e não faz parte da sociedade. Lewis é um embaixador incrível do nosso esporte e merece respeito”, diz a Fórmula 1 em comunicado postado em sua conta oficial no Twitter. “Seus esforços incansáveis  para aumentar a diversidade e a inclusão são uma lição para muitos e algo com o qual estamos comprometidos na F1", diz o comunicado da F1.

 

A Mercedes, equipe de Hamilton, também se manifestou condenando a fala racista de Piquet.

 

"Condenamos nos termos mais fortes qualquer uso de linguagem racista ou discriminatória de qualquer tipo. Lewis liderou os esforços do nosso esporte para combater o racismo e ele é um verdadeiro campeão da diversidade dentro e fora das pistas. Juntos, compartilhamos a visão de um automobilismo diversificado e inclusivo, e este incidente destaca a importância fundamental de continuarmos lutando por um futuro melhor", declarou.

 

A Federação Internacional de Automobilismo (FIA) também repudiou a linguagem racista usada pelo tricampeão. "Condena veementemente qualquer linguagem e comportamento racista ou discriminatório, que não tem lugar no esporte ou na sociedade em geral. Expressamos nossa solidariedade a Lewis Hamilton e apoiamos totalmente seu compromisso com a igualdade, diversidade e inclusão no esporte a motor", diz a nota da entidade.

 

O vídeo da fala de Piquet veio à tona após a suspensão do jovem piloto Jüri Vips, que faz parte da academia de pilotos da Red Bull. O estoniano, de 21 anos, usou termos racistas e homofóbicos durante uma live na Twitch.

 

Nelson Piquet conquistou três campeonatos mundiais de F1 em 1981, 1983 e 1987. Vale lembrar que sua filha, Kelly, é namorada de Verstappen.

 

HAMILTON SE MANIFESTA
O piloto Lewis Hamilton se manifestou sobre a fala racista de Nelson Piquet. Escrevendo em português no Twitter, o inglês pediu por mudança de mentalidade.

 

"Vamos focar em mudar a mentalidade", declarou. "É mais do que linguagem. Essas mentalidades arcaicas precisam mudar e não têm lugar no nosso esporte. Fui cercado por essas atitudes e alvo de minha vida toda. Houve muito tempo para aprender. Chegou a hora da ação", completou.

 

O heptacampeão ainda publicou outra mensagem ironizando a pergunta sugerida por um seguidor. "Quem é Nelson Piquet", questionou o fã.

Histórico de Conteúdo