Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Sexta, 25 de Março de 2022 - 21:30

Baiano de 11 anos será o goleiro do Brasil no torneio mundial da PSG Academy

por Nuno Krause

Baiano de 11 anos será o goleiro do Brasil no torneio mundial da PSG Academy
Foto: Victor Ferreira

Fred Almeida de Cardoso Lemos, popularmente conhecido como "Fredinho", decidiu que queria ser goleiro com apenas seis anos, enquanto "jogava bola na quadra com Ed, minha babá". Cinco anos depois, o paredão será o único representante da Bahia na seleção sub-11 que representará o Brasil na Paris Academy World Cup, torneio promovido pela PSG Academy, previsto para ocorrer entre 14 e 18 de maio.  

 

"Estou muito ansioso, e acho que vai ser muito divertida essa oportunidade", disse o pequeno, com timidez. Ele faz parte do projeto da PSG Academy há quatro anos, e atualmente treina na unidade que fica no Parque Shopping Bahia, em Lauro de Freitas. 

 

"Gosto muito daqui porque tenho vários amigos. É bastante divertido treinar. Gosto de jogar bola e, como aqui jogo bola um monte de vezes, gosto muito de jogar aqui", afirmou, com um sorriso no rosto. 

 

A PSG Academy possui, atualmente, duas unidades na Bahia. Além da que fica no Parque Shopping Bahia, há outra no Shopping Bela Vista, em Salvador. Juntas, elas atendem 500 alunos. No Brasil, são 35 unidades. 

 

Diretor-técnico nacional, Igor Vaz contou, ao Bahia Notícias, de que forma o projeto é tocado. "Tenho uma conexão direta com Paris. Tenho a responsabilidade de trazer toda a metodologia e fazer com que todos os treinadores e atletas tenham acesso. Eu recebo treinamento, faço treinamento das equipes, seja presencial ou por vídeoconferência. Toda semana estamos em contato com todos os treinadores do Brasil para fazer com que nada se perca", destacou. 

 

Os jogadores que se destacam, como é o caso de Fredinho, são selecionados pelas próprias unidades, que enviam as informações para Igor.

 

"Geralmente são as unidades que fazem esse repasse para a gente. Tivemos a sorte de na última Cup ter os jogos gravados, então conseguimos ter algumas imagens desses atletas. Quando eles se destacam localmente, as próprias unidades fazem a indicação para a gente formar nossa seleção nacional", revelou o treinador. 

 

Além do Brasil, a PSG Academy desenvolve projetos em diversos outros países, como Estados Unidos, Rússia, Nigéria e África do Sul. O francês Benjamin Houi, Head Coach (técnico, em inglês) mundial do projeto, vê a cultura brasileira como algo essencial para o desenvolvimento do esporte. 

 

"Temos 200 técnicos no Brasil, estamos trabalhando aqui há 8 anos. Nos últimos anos, posso ver que os jogadores estão progredindo a um alto nível. Temos muito talento no Brasil. A paixão aqui por futebol e pelo PSG é muito forte. Então, a parte técnica mais a metodologia que trazemos de Paris trazem um resultado muito bom. Você pode sentir que no Brasil o futebol está em todo lugar (...) Queremos criar jogadores inteligentes, jogadores que entendam o jogo taticamente", falou. 

 

Apesar de ser um projeto do PSG, não há vínculo com o time profissional. "Nossa relação com o profissional é muito distante. De acordo com as leis, a promoção direta para a equipe profissional não ocorre. Mas temos todas as ferramentas para formar jogadores de alto nível. Damos toda a atmosfera, ambiente, cenário e situações para que eles possam evoluir e chegar a um clube de ponta", pontuou Igor. 

 

O torneio mundial da PSG Academy só acontecerá em maio, mas Fredinho fará uma pré-temporada em São Paulo, junto com o resto da equipe brasileira, para se preparar. De São Paulo, eles embarcam direto para Paris. 

Histórico de Conteúdo