Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Em 4º no arremesso de peso, Darlan Romani promete pódio em 2024: 'Vou dar 300%'
Foto: Wagner Carmo / CBAt

Darlan Romani terminou no quarto lugar da final do arremesso de peso, na madrugada desta quinta-feira (5), em Tóquio. Ele se despede dos Jogos Olímpicos 2020 com a marca de 21m88 e por apenas 59 centímetro ficou atrás do neozelandês Thomas Walsh, que conquistou a medalha de bronze. O brasileiro, de 30 anos, prometeu subir no pódio na próxima edição do maior evento esportivo em 2024, que vai acontecer em Paris.

 

"Mais uma vez a história se repete. Os meninos estão de parabéns. Crouser mais uma vez com 23 metros. Os caras são bons, não tem muito o que falar. Foi uma excelente competição. Acredito que poderia ter arremessado mais. Tenho que parar para analisar (...). A pandemia complicou tudo. Ano passado a gente vinha treinando forte. Entrou a pandemia, tudo que aconteceu, a cirurgia, Covid. Enfim... É difícil falar. Só quero agradecer a torcida de todos. Mais uma vez sou quarto, mas não quero mais isso na minha vida. Tem um novo ciclo, dessa vez mais curto. Se eu dava 200%, agora vou dar 300%. Obrigado Brasil", afirmou.

 

Darlan foi quinto colocado nos Jogos da Rio-2016. O ano seguinte não foi dos melhores para ele, que ficou longe dos bons resultados. Em 2018, ele se recuperou e conquistou o Pan-Americano de Lima em 2019, além de ficar em quarto no Campeonato Mundial. Para os Jogos de Tóquio, ele teve problemas fora do esporte. A reta final do ciclo olímpico foi marcada pela Covid-19.

 

"É difícil falar. Foi um susto para nós. Meu irmão, mãe e eu ficamos com Covid. Mas é isso, a gente ergue a cabeça, batalha e corre atrás", disse o atleta que perdeu 10kg em 14 dias doente.

 

Na final do arremesso de peso, a medalha de ouro ficou com o americano Rayn Crouser que bateu o recorde olímpico com a marca dos 23m30, que já era dele mesmo. A prata também foi dos Estados Unidos com Joe Kovacs atingiu os 22m65.

Histórico de Conteúdo