Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Denunciado por gestão fraudulenta, Rodolfo Landim terá poder de demitir diretores da CBF
Foto: Divulgação / Flamengo

O presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, terá o poder de demitir diretores da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) no período que estiver atuando como interventor da entidade (saiba mais aqui), após a anulação da eleição de Rogério Caboclo à presidência.

 

A decisão foi tomada nesta quarta-feira (28), pelo juiz Mario Cunha Olinto Filho, da 2ª Vara Cível da Vara da Tijuca, no Rio de Janeiro, e se estende também ao presidente da Federação Paulista de Futebol (FPF), Reinaldo Carneiro Bastos, o outro interventor. A CBF vai recorrer, segundo o site ge.globo.

 

Ao mesmo tempo, de acordo com informações do jornal O Globo, Landim foi denunciado pelo Ministério Público Federal de Brasília por gestão fraudulenta. O caso envolve uma operação financeira que teria gerado R$ 100 milhões de prejuízo a fundos de pensão de funcionários estatais. A defesa do mandatário flamenguista afirmou ainda não ter tomado conhecimento da denúncia.

 

A denúncia apresenta um comunicado feito por autoridades da Suíça sobre suspeitas de lavagem de dinheiro em uma conta no banco Credit Suisse, que pertencia a Landim, entre 2008 e 2012. A Polícia Federal investiga o caso, por meio da Operação Greenfield.

 

Quando o presidente do Flamengo geria o Fundo de Investimento em Participações Brasil Petróleo 1, responsável por captar recursos da Funcev (Caixa), Petros (Petrobras) e Previ (Banco do Brasil), esses três fundos tiveram prejuízo. Foram R$ 92 milhões para a Funcev, R$ 92 mi para a Petros e R$ 69 mi para a Previ, que investiram R$ 102 milhões, R$ 102 mi e R$ 76 mi, respectivamente.

 

A partir de uma manobra ilegal, o FIP Brasil Petróleo 1 teria destinado os recursos para uma empresa dos Estados Unidos (EUA). Tal ato é proibido pelo regulamento da Comissão de Valores Mobiliários, e ele aconteceu a partir de aval de Landim.

 

Caso comprovado o crime, o presidente do Flamengo pode pegar de três a doze anos de reclusão e pagar uma multa.

 

A decisão da Justiça do Rio sobre a CBF, neste momento, amplia os poderes de Landim e Carneiro Bastos como interventores. Anteriormente, eles só atuariam na organização de uma nova eleição. 

Histórico de Conteúdo