Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Após ataque homofóbico de conselheiro, Sport defende ex-BBB Gil do Vigor
Foto: Anderson Stevens / Sport Club do Recife

Na tarde desta sexta-feira (14), Flávio Koury, conselheiro do Sport, teve áudios vazados fazendo comentários homofóbicos a Gil do Vigor, ex-participante do Big Brother Brasil (BBB) 2021 (leia mais). A repercussão das falas preconceituosas fizeram a torcida do clube exigir providências e o Sport publicou uma nota se posicionando sobre o caso, enquanto avalia pedido de expulsão do conselheiro. 

 

Através de mensagens de voz em um grupo extra oficial do Sport, que possui como membros outros conselheiros e torcedores do Leão da Ilha, Koury fez comentários preconceituosos e desrespeitosos a Gil, torcedor da agremiação, que foi chamado para gravar uma reportagem na Ilha do Retiro. No vídeo, o ex-BBB dança no gramado do estádio.

 

"Se ele tivesse feito essa dancinha na casa dele ou no bordel, ou onde ele quisesse, eu não estava nem aí. Mas foi dentro da Ilha do Retiro, né rapaz. Isso é uma desmoralização. Isso é ausência de vergonha na cara. É isso que a gente está vivendo. Esses tempos novos, é isso. Não tem mais respeito. Filho não respeita pai, pai não respeita filho, não respeita irmão. Não tem amigo. É a depravação”, declarou o conselheiro do clube. 

 

O deputado conselheiro Romero Albuquerque, responsável por vazar os áudios, criticou a fala do colega que respondeu: “O que eu disse é que eu não gosto é de putaria e não gosto mesmo não. Vocês tratem de não querer botar palavra na minha boca. Não admito isso”, disse Koury.

 

Albuquerque entrou com um pedido de expulsão do colega do grupo de conselheiros do Sport. A comissão de ética do clube irá avaliar a solicitação. 

 

"Dei entrada no requerimento que pede a expulsão de Flávio. Divulguei porque além do fato administrativo, ultrapassou a esfera criminal. É homofobia. Algo na minha visão muito grave. Acabei expondo outros conselheiros, mas não podia ser diferente meu posicionamento. Tinha que me manifestar para que essa atitude está errada”, declarou ao ge.globo.  

 

No fim da tarde desta sexta, o Sport se posicionou defendendo Gil através de nota assinada pelo presidente Milton Bivar, seu vice Carlos Frederico de Melo, Pedro Leonardo Lacerda, presidente do Conselho Deliberativo, e Gustavo Oiticica, vice-presidente do Conselho. 

"O Sport Club do Recife é de todos. Gil do Vigor é e será sempre um legítimo representante das cores do Sport. Um clube plural, do povo. A maior torcida do Norte/Nordeste. Não segregamos quem ama o Sport. O amor que une nossa torcida ao clube é incondicional. Obrigado Gil, por levar o nome do Sport para todo o mundo. Pelo Sport Tudo!", publicou o Rubro-negro.

 

Também em contato com o ge.globo, Koury se defendeu das acusações feitas por Albuquerque solicitando sua expulsão e alega que não foi preconceituoso em sua fala, que, segundo ele, foi retirada de contexto. 

 

"Não tem nada disso de homofobia. A conversa não era essa, eu só fui contra a história da dança. Na conversa eu coloco: não tenho nada contra homossexual. Não tem nada a ver uma coisa com a outra. Eu não tenho nada contra homossexual, só não gostei da atitude. Acho que isso não representa o Sport. Ele tirou do contexto e botou nas mídias, uma coisa absurda. Usei expressões fortes, mas porque era entre a gente a conversa, não era para vazar isso. Começaram a dizer coisas, eu respondi, ele pinçou a minha resposta", declarou o conselheiro.

Histórico de Conteúdo