Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Segunda, 30 de Novembro de 2020 - 12:40

Presidente do Jacuipense, Gegê Magalhães, exalta permanência na Série C

por Leandro Aragão

Presidente do Jacuipense, Gegê Magalhães, exalta permanência na Série C
Foto: Divulgação / E.C. Jacuipense

O presidente Gegê Magalhães exaltou a permanência do Jacuipense na Série C. Com os resultados dos jogas já realizados da 17ª rodada, o Leão Grená escapou matematicamente do rebaixamento. A segunda vaga do descenso do Grupo A será definida no duelo entre Botafogo-PB e Treze-PB. Nesta segunda-feira (30), logo mais às 20h, o time baiano encara o Santa Cruz, em Pituaçu. O dirigente parabenizou elenco e diretoria.

 

"Comemoramos a permanência do Jacuipense na Série C. Diga-se de passagem, é a primeira vez na história que um clube baiano, que sobe de série, se mantém na Série C. É um campeonato dificílimo, vide os times que estão disputando. Hoje à noite jogamos contra o Santa Cruz, que é o líder do campeonato, na última rodada jogamos com o Vila Nova, que é o vice-líder. Dois grandes times do futebol brasileiro, como também o Remo, Paysandu, Botafogo-PB, Treze e tantos outros que estão disputando. O próprio Imperatriz que teve uma péssima campanha, mas também é um grande time do futebol brasileiro. O Manaus, que subiu junto conosco, também fez uma grande campanha, quero parabenizá-los", afirmou em entrevista ao Bahia Notícias. "Quero parabenizar todo o nosso elenco que se doou muito, nossa comissão técnica do professor Jonilson Veloso, nosso coordenador Barbosinha, o diretor de futebol Gustavo Zacharias, o CEO Wilson Kraychete junto com Luciano Cortizo, ligado nas divisões de base, mas que sempre acompanha o time", completou.

 

Gegê Magalhães destacou as dificuldades que o clube passou devido a pandemia do coronavírus. O problema prejudicou o time, que optou por mandar seus jogos em Pituaçu, já que a presença do público ficou proibida nos estádios, além dos efeitos financeiros por causa da paralisação dos campeonatos entre os meses de março e julho.

 

"Num ano atípico com pandemia, onde não jogamos com nossa torcida, mandando os jogos em Pituaçu, perdemos o fator torcida, onde em Riachão do Jacuípe sempre prevaleceram grandes resultados para o Jacuipense. Mas também foi importante, porque conseguimos treinar num CT muito bom, que é o Fazendão e foi cedido pelo Bahia. Essa parceria foi muito importante para esse resultado", comentou. "Tivemos que fazer reajustes financeiros fazendo malabarismos para pagar nossa folha, mas devido a grande organização, que cito a Salvador Produções, que é a gestora do Jacuipense na parte empresarial. Marcelo Brito levou aí na unha e deixou essa parte financeira muito organizada", comentou.

 

Apesar do clima ser de festa, Gegê Magalhães disse que não haverá espaço para descanso. Diretoria e comissão técnica já vão começar a se reunirem para avaliar os erros e acertos do clube ao longo da temporada e iniciar o planejamento para 2021.

 

"Para 2021, vamos ver tudo o que acertamos para melhorar e corrigir o que erramos. Já estamos fazendo essa avaliação. Vamos ter reuniões com a diretoria, comissão técnica para já fazer o planejamento para o Campeonato Baiano, que já está logo ali. Vamos ver quais as peças vão ficar no nosso elenco, trazer reforços para o Baiano, também subir jogadores das divisões de base, já que estamos disputando a Copa do Brasil sub-17 e temos grande jogadores que podem ser aproveitados no profissional em 2021", finalizou.

 

O Jacupa encontra-se neste momento na sétima colocação com 21 pontos na tabela de classificação do Grupo A. Ao mesmo tempo que não corre risco de cair para a Série D, o time baiano também não tem mais chance de alcançar o G-4, cujo quarto colocado é o Vila Nova com 28. Já o Santa Cruz, é o primeiro com 36, seis a mais do que o Remo, que é o segundo.

Histórico de Conteúdo