Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Sexta, 18 de Setembro de 2020 - 00:00

Guia da Série D: Atlético de Alagoinhas, Bahia de Feira e Vitória da Conquista buscam acesso

por Leandro Aragão / Milena Lopes

Guia da Série D: Atlético de Alagoinhas, Bahia de Feira e Vitória da Conquista buscam acesso
Foto: Lucas Figueiredo / CBF

A partir deste sábado (19), começa a primeira fase da Série D do Campeonato Brasileiro. Os baianos Atlético de Alagoinhas, Bahia de Feira e Vitória da Conquista vão brigar para repetir os feitos da Juazeirense, em 2017, e do Jacuipense, no ano passado, que conquistaram o acesso à Série C. Subir de divisão é o primeiro grande objetivo dos clubes participantes, que devem buscar o título apenas depois que a vaga estiver assegurada.

 

Para este ano, a competição veio com um novo formato de disputa distribuído num calendário maior, começando no início de setembro e a finalíssima prevista para 7 de fevereiro, ao contrário do que acontecia nas edições anteriores. A fase preliminar definiu as quatro últimas vagas, que ficaram com Ji-Paraná, Baré-RR, Real Noroeste-ES e Brasiliense, vencedores dos confrontos. Outro grande detalhe é a Covid-19. A doença será mais um adversário das equipes, que poderão perder jogadores, já que o protocolo de saúde da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) exige que os exames sejam feitos sempre antes dos jogos e os infectados terão de cumprir um período de isolamento.

 

Na primeira fase, Atlético de Alagoinhas e Bahia de Feira foram sorteados no mesmo grupo, o A6, que traz também o Brasiliense, Caldense-MG, Gama, Palmas-TO, Tupynambas-MG e Villa Nova-MG. Enquanto o Vitória da Conquista caiu na chave A4 ao lado de ABC-RN, Central-PE, Coruripe-AL, Frei Paulistano-SE, Itabaiana-SE, Jaciobá-AL e Potiguar-RN. Depois, a competição segue com os confrontos de mata-mata, com a segunda fase, oitavas de final, quartas de final, semifinal e final. As quatro vagas de acesso à Série C do ano que vem ficarão com os semifinalistas.

 

O primeiro time baiano a entrar em campo será o Tremendão, que saíra de Feira de Santana para encarar o Tupynambás, no Mario Helênio, em Juiz de Fora. O jogo está marcado para começar às 16h do sábado. No mesmo dia, mas um pouco mais tarde, às 20h30, será a vez do Carcará receber o Gama, no Antônio Carneiro. Enquanto o Bode abre os portões do Lomanto Júnior, para enfrentar o Coruripe no domingo (20), às 16h.

 

ATLÉTICO DE ALAGOINHAS
O Atlético de Alagoinhas chega na Série D embalado pela conquista do vice-campeonato baiano, quando perdeu nos pênaltis para o Bahia. Para isso, a diretoria repetiu a mesma fórmula, quando o Campeonato Baiano foi retomado após paralisação por conta da pandemia do coronavírus, e mandou o elenco fazer a pré-temporada novamente num resort em Santo Estêvão. Além disso, o clube manteve o técnico Agnaldo Liz e boa parte do grupo.

 

"Mantivemos a base do estadual, temos poucas mudanças e estamos qualificando o grupo. Chegaram outros atletas e estamos com 27 no plantel. Saiu o Eduardo, voltou Emerson que era a nossa referência e capitão, e que não pôde estar no estadual após o início por problemas particulares, tendo que voltar para São Paulo. O Edilson teve um problema de contusão, mas como substituto nós temos o Vitinho. Robert, Sobral, Dionísio, Jean, que veio da Juazeirense, além de atletas que estavam em outros clubes, mas que não puderam estar no estadual, já tinham sido contratados. Então, estamos com esse elenco para disputar a Série D. A gente ainda está tendo definições, mas o time base praticamente será o que encerrou o estadual. Para contratação podem chegar dois ou três atletas, no máximo", detalhou o treinador em entrevista ao Bahia Notícias. "Nosso trabalho está sendo voltado para brigar por uma classificação e quem sabe buscar o acesso para Série C, mas há um longo caminho pela frente. Potencial a gente tem", completou.

 

Elenco:

Goleiros: Fábio Lima, Jonh e Lupitinha

Laterais: Fernandinho, Paulinho, Edson e Felipinho

Zagueiros: Emerson, Iran, Mailson e Saulo

Meias: Dedeco, Leandro Sobral, Lucas, Dionísio, Miller e Vitinho

Atacantes: Jeam, Naian, Reninha, Robert, Russo e Tobinha

 

Time base: Fábio Lima; Paulinho, Mailson, Emerson e Edson; Lucas, Leandro Sobral, Dedeco e Vitinho; Russo e Jeam. Técnico: Agnaldo Liz

Atlético de Alagoinhas fez a pré-temporada num resort | Foto: Divulgação / Atlético de Alagoinhas

 

BAHIA DE FEIRA
Na Série D de 2019, o Bahia de Feira vinha fazendo uma boa campanha, chegou a conseguir a classificação para a segunda fase, mas um erro no campo burocrático colocou tudo a perder. O Tremendão escalou Edimar, que estava suspenso, na estreia da competição. Por causa disso, acabou sendo punido pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) com a perda de três pontos e foi eliminado.

 

O clube não quer mais nem lembrar dessa questão e procura trabalhar para voltar a brigar pelo acesso. O time é comandado pelo técnico Quintino Barbosa, o Barbosinha, desde 2018 e sempre reformula seu elenco mantendo uma base.

 

"A expectativa é que a gente faça uma Série D competitiva, bem traçada, pelo que a gente vem trabalhando e buscando. Contratamos alguns jogadores, os goleiros Marcão, que vem de Sergipe e jogou no Paysandu, no ASA e no Vitória; e Rodolfo, que estava no Fluminense. Contratamos Angelo e Ceará, como laterais-direitos, Murilo e Emílio como zagueiros, Lucas e Jaildo como volantes, Danilo Bala e Kel de atacantes. Reforçamos o elenco para buscar fazer uma Série D equilibrada", disse o treinador ao BN. "A nossa equipe é uma das mais fortes do estado junto com o Atlético de Alagoinhas. É um grupo [o A6] muito equilibrado, que nós vamos precisar de muita determinação para tentar buscar a classificação primeiro e depois, no mata-mata, passar de fase", completou.

 

Elenco:

Goleiros: Alan, Jair, Marcão, Rodolfo, Alvaro

Laterais: Ceará, Cazumba, Adriano, Angelo, Lamarka

Zagueiros: Emílio, Paulo Paraíba, Menezes, Murilo, Hebert, Jonathan

Meias: Diones, Capone, Lucas Gomes, Jaildo, Jarbas, Ricardo, Bruninho, Pedro Pires, Josivan

Atacantes: Pelé, Deon, Tico, Leo Porto, Danillo Bala, Kel Baiano, Cauã, Neguinho, Boca, Ebinho

 

Time base: Marcão; Ceará, Paulo, Menezes ou Emílio e Cazumba; Jones, Jaildo e Bruninho; Bala, Deon e Jarbas. Técnico: Quintino Barbosa

Barbosinha está à frente do Tremendão desde 2018 | Foto: Divulgação / Bahia de Feira


VITÓRIA DA CONQUISTA
Dos três baianos na Série D, o Vitória da Conquista é o que teve menor poder de investimento na montagem do elenco. O clube conquistense vive uma crise financeira nos últimos dois anos e a situação foi agravada pela pandemia do coronavírus. Durante a paralisação, o presidente Ederlane Amorim chegou a colocar em cheque a participação do Bode na competição nacional. No entanto, a marca construída desde a sua fundação em 2005 foi fundamental na reestruturação para a disputa. 

 

"A marca do clube é uma marca forte, graças a Deus. Temos muitos parceiros espalhados pelo Brasil, empresários, clubes e vieram vários jogadores dessa forma, alguns emprestados, outros através de investidores e foi a maneira que eu encontrei de poder fazer uma equipe que possa ser pelo menos competitiva para a disputa", afirmou o dirigente ao BN. "Estamos bem otimistas com o elenco que conseguimos formar. Esperamos que a gente possa fazer uma boa participação", continuou.

 

Para a Série D, o clube trocou de técnico e trouxe um estrangeiro para dirigir o time, o boliviano Joaquín Monastério. E a aposta não foi feita no escuro.

 

"Eu já joguei na Bolívia em 2000. Tenho vários amigos lá, tiveram dois treinadores que passaram pelo futebol boliviano e que estiveram aqui comigo que foram o Evandro Guimarães e o Ubirajara Veiga. Então, a gente tem uma linha de contatos, alguns investidores também na Bolívia e um grupo de empresários. Nos foi oferecida essa situação, atestado por esses dois treinadores que já conheciam o trabalho dele lá na Bolívia. Foi tomado todo o tipo de referência possível para que a gente pudesse dar esse passo e, uma vez aprovada, a questão financeira também foi solucionada. Não foi um tiro no escuro ou uma aposta, foi uma coisa que já vinha sendo conversada há um tempo e por outras oportunidades, que infelizmente que não deram certo, nesse momento agora acabou acontecendo", contou Ederlane.

 

Elenco:

Goleiros: Netto Rocha, Kauan Gomes e Lucas Gomes

Laterais: Lucas Franco, Rafael Franco e Roni

Zagueiros: Breno Roma, Guilherme Puhl, Rhamon Mexicano, Silvio, Vinicius Bonfati e Vinicius Costa

Meias: Caio Barbosa, Douglas Cruz, Jean Daniel, Jefferson, Kleber, Luiz Henrique, Natan, Ninho Xavier e Rodrigo Oliveira

Atacantes: Abu, Erick Silva, Junior Carioca, Leo, Rafamar, Vagner Viana e Victor Matheus

 

Time base: Kauan; Marquinho Carioca, Guilherme Puhl, Silvio e Lucas Franco; Ninho Xavier, Rodrigo Oliveira, Natan e Caio Barbosa; Leo e Junior Carioca. Técnico: Joaquín Monastério.

Foto: Luciana Flores / Vitória da Conquista

Histórico de Conteúdo