Seleção feminina dos EUA tem recurso negado contra desigualdade de salários
Foto: Reprodução/Fifa/Getty Images

A seleção feminina de futebol dos Estados Unidos está brigando judicialmente pela igualdade de salários. A equipe, que abriu recurso sobre a rejeição de aceitarem receber menos que a equipe masculina do país, teve o pedido negado na última terça-feira (23). 

 

O juiz do tribunal distrital dos pais para o distrito central da Califórnia, R. Gary Klausner, declarou que o requerido pelas jogadoras precisa aguardar julgamento, marcado acontecer em 15 de setembro, para que outras reivindicações, como de servicos medicos, viagens e treinamentos, sejam avaliadas primeiro. 

 

O pedido de rejeição das atletas e sobre o parecer do mesmo juiz que, no mês passado, negou o pedido de igualdade salarial da equipe feminina, que alega ter salários inferiores a seleção masculina dos Estados Unidos. 

 

"Pretendemos recorrer da decisão da corte, que não leva em consideração o fato central neste caso de que as jogadoras foram pagas em valores menores do que os homens que fazem o mesmo trabalho", declarou Molly Levinson, porta-voz das jogadoras em publicação feita pela agência de notícias Reuters.

 

A Federação de Futebol dos Estado Unidos não se posicionou sobre a situação ainda.

Histórico de Conteúdo