Muro da sede do Flamengo amanhece pichado com críticas ao presidente Landim
Foto: Reprodução

Os muros da sede do Flamengo na Gávea foram pichados durante a madrugada desta quinta-feira (21). As críticas foram em relação ao encontro do presidente do clube Rodolfo Landim com Jair Bolsonaro (sem partido) que preside o Brasil, ocorrido na última terça-feira (19), em Brasília (veja aqui).

 

Uma das frases dizia "Somos democracia". Outra também citou, além do mandatário, o vice-presidente de relações externas Luiz Eduardo Baptista, o Bap, "Landim e Bap facistas". Outra lembrava o massagista do Fla, Jorginho, que morreu por complicações do coronavírus. Além disso, também foi escrito o número de pessoas mortas pela doença no país no dia do encontro entre os presidentes.

 

Mesmo em discordância com a prefeitura do Rio de Janeiro em relação a autorização, o Flamengo voltou a treinar nesta quinta. As autoridades municipais ainda não liberaram os clubes da cidade a retornar aos treinos. O aval era apenas para o processo de fisioterapia dos atletas profissionais nas agremiações. O elenco rubro-negro foi flagrado fazendo atividades em campo na quarta (20).

Fotos: Reprodução

Histórico de Conteúdo