'Fora Matos' e 'diretoria amadora': sede do Atlético de Alagoinhas é alvo de protestos
Foto: Leitor BN

Os muros da sede do Atlético de Alagoinhas amanheceram com faixas com críticas à diretoria do clube, devido ao desempenho do time na temporada 2020. O Carcará foi eliminado na primeira fase da Copa do Brasil e é o sétimo colocado na tabela de classificação do Campeonato Baiano com oito pontos.

 

"O Atlético não é LDA (Liga Desportiva de Alagoinhas)", "Diretoria amadora", "Ganhar domingo é obrigação", eram algumas frase escritas. O protesto também pedia a demissão do diretor de futebol Luiz Matos Júnior. "Fora Matos", "Acorda Albino".

Foto: Leitor BN

 

Em entrevista ao Bahia Notícias, o presidente Albino Leite prometeu que vai analisar a situação.

 

"Nós estamos num país democrático, todo mundo tem o direito de se expressar. Claro que se expressaram de uma forma ética, sem pichação, botaram faixas e eu estou aberto para analisar a situação", afirmou ao BN. "Não sei se foi torcida, porque não falaram quem foi. Fizeram isso de madrugada, mas poderiam ter feito em horário administrativo que não teria problema nenhum para mim. É um direito que eles tem de se expressar por uma coisa que não está bem", completou.

 

Com as disputas da Copa do Brasil, Campeonato Baiano e Série D, a diretoria do Atlético de Alagoinhas investiu na montagem do elenco. A principal contratação para a temporada foi o veterano atacante Magno Alves. Com isso, a torcida criou uma grande expectativa para a temporada.

 

O Atlético de Alagoinhas está na briga pela classificação no Baianão. No domingo (8), às 16h, o Carcará recebe a visita da Juazeirense, no Carneirão, pela sétima rodada da competição.

Histórico de Conteúdo