Edvaldo Valério lamenta ser único nadador do Brasil negro medalhista olímpico após 20 anos
Foto: Jamile Amine / Bahia Notícias

Quando começou a partilha de bens do espólio dos Jogos Rio-2016, o ex-nadador Edvaldo Valério, de 41 anos, teve uma participação importante para que a piscina olímpica viesse para Salvador. Após a construção, ele assumiu a coordenação da Arena Aquática de Salvador, localizada no bairro da Pituba, devido à bagagem adquirida durante a carreira vitoriosa na natação.

 

Em 2000, nos Jogos de Sydney, o baiano conquistou a medalha de bronze no revezamento 4x100 metros livre masculino, ao lado de Gustavo Borges, Fernando Scherer e Carlos Jayme. Durante a visita à redação do Bahia Notícias, Edvaldo concedeu entrevista abordando a nova fase da sua vida trabalhando no meio político e também analisou a atual situação da natação brasileira às vésperas das Olimpíadas de Tóquio, apontou as futuras promessas baianas da modalidade e comentou a fase mais difícil da sua vida, que foi quando deixou as piscinas. O baiano ainda lamentou o fato de, 20 anos depois, ainda ser o único nadador brasileiro negro a subir num pódio olímpico. "Achei que minha conquista em Sydney tivesse o poder de mudar esse cenário". Clique aqui e leia a entrevista na íntegra!

Histórico de Conteúdo