Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Sexta, 14 de Dezembro de 2018 - 13:15

Com mais de 100 jogos da Série A apitados, Jaílson Macêdo é homenageado

por Glauber Guerra / Leandro Aragão

Com mais de 100 jogos da Série A apitados, Jaílson Macêdo é homenageado
Foto: Glauber Guerra / Bahia Notícias

O árbitro baiano Jaílson Macêdo foi homenageado pela CBF nesta sexta-feira (14), na sede da Federação Bahiana de Futebol (FBF). Com 22 anos de carreira, ele já apitou mais de 100 jogos da Série A do Campeonato Brasileiro.

 

"Agradeço a Deus e a toda minha família por esse momento ímpar, onde vários árbitros contribuíram por questão de gratidão. Eu tenho mais de 100 jogos na CBF e nada melhor do que aqui na casa do futebol da Bahia a gente receber essa homenagem pelo presidente da FBF, comissão e com todos os companheiros assistindo. Isso é muito importante para nós, ficamos muito gratos por isso, porque é um reconhecimento desses 22 anos de arbitragem e atingimos uma marca muito significativa e que isso sirva de inspiração para os jovens árbitros que estão chegando na Federação para que possam também alcançar essa marca significativa", afirmou em entrevista ao Bahia Notícias.

 

Perto de completar 48 anos de idade, Jaílson Macêdo, que faz aniversário no dia 9 de janeiro, disse estar se sentindo bem para seguir apitando. Inclusive, ele será o árbitro da finalíssima do Campeonato Intermunicipal entre Itamaraju e Itapetinga, marcado para domingo (16), às 14h45, no estádio Barbosão.

 

"Estou atuando ainda, porque me sinto motivado, entusiasmado para isso e ontem mesmo fui submetido ao Fifa Teste e tive êxito. No domingo, estaremos fazendo a sétima final do Intermunicipal na carreira. Isso é muito bom e a gente fica sendo visto como exemplo pela arbitragem da Bahia e brasileira. É importante, porque inspira novos árbitros, a gente tem a confiança e eu falo para eles sempre que não basta ser bom dentro do campo de jogo, tem que ter o algo mais, tem que ser ético, tem que ter uma ética com os companheiros, com as instituições para que ele siga tendo sucesso na carreira. Então, é importante a doação, a dedicação, a disciplina, porque é isso que faz um grande árbitro. Se não tiver disciplina não chega em lugar algum", falou.

Histórico de Conteúdo