Dedé fica decepcionado com expulsão injusta: 'É lance forte, mas de jogo'
Foto: Reprodução / Twitter

Aos 24 minutos do segundo tempo, o zagueiro Dedé foi expulso após se chocar com o goleiro Andrada, na vitória do Boca Juniors sobre o Cruzeiro por 2 a 0, na noite da última quarta-feira (19), no La Bombonera. O duelo foi válido pelo jogo de ida das quartas de final da Libertadores. O árbitro Éber Aquino recorreu ao VAR, mas considerou que o cruzeirense agrediu o arqueiro do time argentino. Na zona mista, o brasileiro disse ter ficado decepcionado com o lance.

 

"Estou muito (decepcionado). Estou revoltado. É lance forte, mas de jogo. Quem me conhece, vê meu futebol, sabe que não sou maldoso. Não tinha feito uma falta no jogo. Um lance de muita gente, nem olhei, nem sabia que tinha acertado o goleiro. Na hora que caí, vi que ele estava com o olho meio fora do lugar, tentei socorrer, me preocupei com o goleiro. No lance que bateu, nem senti dor na cabeça, pelo lugar que bati, assim, de cima para baixo. Estava com a cabeça baixa. A gente fica preocupado é que, mesmo com tanto recurso, o juiz me expulsa e deixa nosso time comprometido em um campeonato difícil como esse, que é nosso sonho", disse.

 

Dedé falou da justificativa do árbitro ao mostrar o cartão vermelho. Segundo ele, o Aquino disse que o zagueiro deu uma pancada no goleiro do Boca.

 

"Na hora ele falou comigo que eu bati no cara com muita força. Eu achei que ele tinha falado que eu tinha dado uma cotovelada. Fiquei na dúvida comigo mesmo: “Será que dei uma cotovelada? Mas eu não senti, eu estava com o braço fechado. Como vou ter maldade com a cabeça? Isso não existe no futebol. Errou gravemente, prejudicou demais num momento que a gente estava fazendo um bom jogo", contou.

 

Dedé espera que a Conmebol repare o erro de Aquino e anule o cartão vermelho para que possa atuar no jogo de volta, marcado para o dia 4 de outubro, no Mineirão.

 

"A gente sabe que o Cruzeiro tem os profissionais capacitados para rever a situação. Tomara que dê certo, que eles (Conmebol) analisem o lance e vejam que eu não fui com maldade . (...) Estou muito chateado. Não podemos ser tão precisos nas declarações, porque sabemos das punições, mas tomaram que revejam e absolvam a minha expulsão", afirmou.

 

Com a derrota, o Cruzeiro precisa vencer o jogo de volta por três gols de diferença para garantir vaga na semifinal. E a repetição do placar, favorável ao time mineiro leva a decisão para os pênaltis. A Raposa volta ao gramado no domingo (23), às 19h, para enfrentar o Santos, no Mineirão, pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro. A equipe ocupa a sétima colocação na tabela de classificação com 34 pontos.

Histórico de Conteúdo