Acusado de agredir ex-namorada, atacante do Sport paga fiança e é liberado de prisão
Foto: Williams Aguiar / Sport Club do Recife

O atacante Juninho, do Sport, foi liberado pela polícia após pagar fiança no valor de R$ 10 mil. O jogador foi preso na manhã da última segunda-feira (9) na Delegacia da Mulher, em Recife (leia aqui). Ele foi acusado de agredir a ex-namorada após sair de uma festa. De acordo com a delegada do caso, Tereza Nogueira, Juninho vai responder processo em liberdade pelos crims de lesão corporal, injúria e ameaça.

 

"Eles já efetuaram o pagamento da fiança e agora ele será liberado para responder em liberdade", confirmou a delegada.

 

Juninho prestou depoimento por cerca de duas horas. Outras duas testemunhas também foram ouvidas sobre o caso. Quando o atleta foi preso, a outra delegada, Ana Elisa Sobreira, disse que a polícia vai investigar o caso para saber quem está falando a verdade. "É a versão dele contra a dela. Então a gente tem que se munir de elementos. Nos quais a gente, na verdade, está buscando a verdade através das situações que ele falou, que ela falou, através de testemunhas, através de imagens. Só aí a gente pode dizer quem está falando a verdade", explicou.

 

A ex-namorada de Juninho tem 20 anos. Na última sexta-feira (6), ela teria solicitado medidas protetivas para que o atleta mantivesse afastado dela. A vítima chegou a mostrar mensagens do jogador em redes sociais. Em entrevista publicada pelo site GloboEsporte.com, ela detalhou, sua versão, do ocorrido no apartamento de Juninho no dia da agressão.

 

"Quando chegamos no apartamento, assim que descemos, eu disse que não dormiria com ele. Que apenas conversaria e iria embora. Foi quando ele me deu o primeiro tapa no rosto e as câmeras do prédio filmaram. Quando subimos, ele me trancou dentro do quarto e foi quando começou tudo. Que eu era obrigada a ficar com ele, porque, se eu saísse de lá, eu iria acabar com a carreira dele, porque todo mundo no clube já sabia que ele tinha me agredido. Quando falei que iria embora, ele levantou procurando uma faca, porque disse que teria que me matar, porque quando eu fosse embora, saberia que eu chamaria a polícia pelas agressões que ele fez. Deu murros no meu rosto, puxou o meu cabelo... E disse que teria que me matar para poder proteger a carreira dele", relatou.

 

O advogado de Juninho rebateu as acusações da mulher. "O Juninho foi interceptado por ela ao sair da casa de eventos, que insistiu em querer conversar com Juninho. Ele levou ela para a casa dele e lá conversaram. Lá, dormiram juntos e, ao amanhecer, ela insiste em ficar com Juninho, que disse que já tinha uma outra pessoa. Ela insiste que Juninho mande uma mensagem para acabar com a relação com a outra pessoa e Juninho diz que não. Aí ela diz que vai acabar com Juninho, com a carreira de Juninho, acabar com a vida de Juninho. Chama a polícia e cria um factóide, uma fantasia", disse.

O vice-presidente do Sport, Gustavo Dubeux, disse que Juninho tem o apoio do clube. Ele também prometeu que a agremiação acompanhará o caso. "A gente conversou com ele e orientou para que contratasse um advogado particular. Estamos acompanhando de longe por ser um caso pessoal e torcendo que tudo se resolva da melhor maneira possível", afirmou.

 

O próximo compromisso do Sport no Campeonato Brasileiro, será contra o Vitória nesta quinta-feira (12), às 17h, no estádio do Barradão, em Salvador. O Leão pernambucano encontra-se na zona de rebaixamento, na 17ª posição com 30 pontos. Com dois a mais, o Leão baiano ocupa a 11ª.

Histórico de Conteúdo