Seleção Brasileira de Canoagem protesta e não participa de evento-teste no Rio de Janeiro
Foto: Antoine Morel/UOL
A equipe brasileira de canoagem se recusou a participar do evento-teste realizado para os Jogos Olímpicos de 2016, que ocorre nesta sexta-feira (4) na cidade do Rio de Janeiro.

A equipe formada pelos baianos Erlon Silva e Isaquias Queiroz, além de Nivalter Santos e Ronilson Oliveira, se reuniu para a imprensa na Lagoa Rodrigo de Freitas e alegaram que não competirão no torneio por conta de problemas com a  Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa). De acordo com os próprios atletas, o principal motivo é o atraso no pagamento de salários além das condições de hospedagem na Escola de Educação Física do Exército (EsEFEx), onde ficaram ao longo da semana.

"A gente não está passando fome e não está sem dinheiro. A gente está aqui para protestar contra as coisas erradas e a falta de respeito da confederação. Isso não vem de agora. Nós temos campeões mundiais, estamos fazendo um trabalho bonito mesmo sem apoio deles. Com o COB (Comitê Olímpico do Brasil) e as leis de incentivo está tudo certo. O presidente disse que vai colocar o time B. Que coloque. Quero ver se eles têm o mesmo desempenho e conseguem as mesmas coisas bonitas que nós temos conseguido. Eu acredito que vai acontecer uma punição por isso, mas não estou preocupado agora. Eu só quero respeito", afirmou Nivalter Santos, atleta da canoagem.

O presidente da CBCa, João Tomasini Schwertner, negou  que os atletas estejam sem apoio da entidade e explicou que um problema burocrático atrasou a liberação da verba proveniente do BNDES.

"Eles (atletas) não estão desassistidos. R$ 88 mil por mês (valor pago a toda a equipe) não é coisa de desassistido. O BNDES paga por projetos desde que começou a nos patrocinar, em 2012. O projeto Lagoa Santa (centro de treinamento dos atletas da canoagem) precisou de um documento ambiental que demorou 105 dias para chegar, e por isso o pagamento não foi feito. Intercedemos em novembro e procuramos o COB (Comitê Olímpico do Brasil) para que os atletas não ficassem desassistidos", disse o dirigente.

De acordo com os canoístas, os salários do BNDES, que chegam por intermédio da CBCa, estão atrasados há oito meses.

Histórico de Conteúdo