Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Quarta, 05 de Dezembro de 2012 - 12:00

Sem receber salários há quatro meses na Romênia, Stefan pode retornar ao Brasil

por Glauber Guerra

Sem receber salários há quatro meses na Romênia, Stefan pode retornar ao Brasil
Atacante marcou 15 gols em nove jogos| Foto: Gazeta Sporturilor
Quando recebeu a proposta para atuar no futebol europeu em julho deste ano, o atacante Stefan, de 24 anos, não pensou duas vezes. Topou o desafio e foi defender o Rapid Bucareste, da Romênia, equipe que já venceu três vezes o campeonato nacional (1966/67, 1998/99 e 2002/03). Porém, o que parecia a concretização de um sonho se tornou um pesadelo. Com dificuldades financeiras, o clube começou a atrasar os salários e há quatro meses ele não recebe os seus vencimentos.

Para piorar a situação, a agremiação apresentou declaração de insolvência às dívidas que assolam o clube. Na última segunda-feira (3), a diretoria enviou uma carta ao Tribunal de Bucareste,  afirmando que o clube já não tem mais condições de arcar com seus compromissos financeiros.

Por conta disso, Stefan não descarta um retorno ao futebol brasileiro. Cria do Vitória, ele acumula passagens pelo Camaçari, Juazeiro e Jacuipense. De acordo com o atacante, duas equipes do futebol baiano e outras duas que irão disputar a Série A do Campeonato Paulista já realizaram sondagens.

- Realmente estou sem receber há quatro meses. Gostei muito do país e do clube. A torcida é maravilhosa e queria até ficar. Mas sou profissional e tenho compromissos. Apareceram boas propostas para retornar ao Brasil. Existe dois times de São Paulo e dois da Bahia. Estou estudando com o meu empresário a melhor situação e pode ser que eu volte – disse Stefan, em entrevista por telefone ao Bahia Notícias.

Logo quando chegou no Rapid Bucareste, Stefan impressionou durante a pré-temporada na Escócia. Participou de duas partidas no time principal, porém sofreu uma entorse no tornozelo. Nesse período, houve mudança de treinador e, quando se recuperou, ele foi para o time B, que disputa a terceira divisão nacional. Em nove partidas, marcou 15 gols. Para se ter uma ideia, nesse mesmo período, a equipe principal anotou 17 tentos.

- Joguei duas partidas, mas mudou o treinador e eu me machuquei. Mas me recuperei rápido e estou com um bom desempenho no time b. Já marquei 15 gols – afirmou.

O atacante espera que o clube consiga superar esse momento turbulento.

- O Rapid é um clube grande, não merece isso. Torço para que isso passe o mais rápido possível. E caso eu saia, espero voltar em breve – comentou.

Clubes romenos próximos da bancarrota

Não é apenas o Rapid Bucareste que passa por dificuldades financeiras. De acordo com Dumitriu Dragomir, presidente da Liga Profissional de Futebol da Romênia, pelo menos outras sete equipes estariam próximas da bancarrota.

- Nem o dinheiro da televisão poderão cobrir suas enormes dívidas. Somos os único país do mundo que paga o IVA aos jogadores. Pagamos os impostos duas ou três vezes – afirmou o dirigente, ao jornal local Adevarul.

Entre os clubes com problemas econômicos aparecem também o  Petrolul Ploiesti (atual quinto colocado do campeonato nacional), Dínamo de Bucareste (7º), o Brasov (8º), O Universitário Cluj (16º), o Gloria Bistrita (17º) e o Turnu Severin (lanterna). O Campeonato Romeno possui 18 times.

Os clubes correm o risco de serem punidos pela Uefa por falta de pagamentos de salários e a outras agremiações.


Histórico de Conteúdo