Quinta, 13 de Dezembro de 2012 - 10:30

Arthur Maia pede paciência à torcida do Vitória e diz que se inspira em Messi

por Glauber Guerra

Arthur Maia pede paciência à torcida do Vitória e diz que se inspira em Messi

Fotos e vídeo: Tiago Melo / Bahia Notícias

 
Considerado uma das promessas do Vitória, o meia Arthur Maia, de 20 anos, contou ao Bahia Notícias sobre seus planos para o futuro e como chegou à Toca do Leão. O jogador pediu que a torcida tenha paciência, para que ele possa apresentar no time principal o bom futebol que o deixou conhecido nas divisões da base. “Peço paciência e confiança no meu futebol, porque com a sequência que a gente tanto espera, com a confiança de todos e da minha confiança, o meu futebol vai aparecer”, declarou. Maia ainda revelou o sonho de conhecer Lionel Messi. “Seria uma das maiores realizações maiores para mim”, garante. 

Bahia Notícias: Maia, conte um pouco sobre seu início de carreira no futebol. Como você chegou no Vitória?
Arthur Maia: Tinha um núcleo do Vitória em Maceió, minha cidade natal e teve uma viagem aqui para Salvador para gente fazer uma espécie de testes. Uns jogos aqui contra a divisão de base do Vitória. O professor Edgard me aprovou e eu tive que me deslocar de Maceió para cá, com dez anos de idade.  Foi muito difícil, mas minha família me apoiou em tudo, porque sempre foi o meu sonho. E graças a Deus vem dando tudo certo e estamos no caminho aí para que possamos atingir os nossos objetivos.

BN: Uma mudança radical...
Maia:
Muito difícil. Se fosse por minha mãe eu não viria. Para uma mãe se “desfazer” de um filho com apenas dez anos de idade é muito difícil. Eu chorava todo dia. Em um certo momento eu tinha aquela vontade de voltar para casa. Mas eu consegui ser forte e meu sonho falou mais alto. E a gente vem nessa luta há dez anos.  Esse ano completei metade de vida em Maceió, metade de vida em Salvador. Então, orgulho de falar disso, porque eu virei responsável pelas minhas coisas muito cedo e vem dando tudo certo. Creio que estou no caminho certo para conseguir mais objetivos.

BN: Tem algum jogador que você se espelha?
Maia: Messi. Lionel Messi sem dúvida é o meu ídolo. É um cara que eu venho observando desde começo dele no Barcelona com Ronaldinho Gaúcho. Então, um cara que, por característica também, claro, é muito distante. Pelo fenômeno que ele é. Mas sem dúvida é quem eu me espelho, em que eu trabalho para pelo menos ser parecido, que estará de bom tamanho.

 

BN: No ano passado, você chegou a passar por um período de testes no Olimpiakos, como foi essa experiência?
Maia: Foi uma experiência boa. Na verdade, eu não me senti muito avaliado com a possibilidade de ficar lá. Esse não era o pensamento do pessoal lá. Era um estágio para mim. Uma experiência para que eu pudesse me adaptar ao clima, a toda parte tática do futebol europeu. Mas foi bom.  Essa experiência foi muito boa para que se caso venha acontecer um dia de jogar na Europa, de estar pelo menos adaptado.

BN: Falando em Euopa, houve também especulações na época, que o Barcelona, Chelsea, Manchester City estariam interessados no seu futebol. Aconteceu alguma sondagem dessas equipes?
Maia: Houve, na verdade, muito grupo de empresários. Espanhóis, ingleses, que são muito ligados ao Barcelona e Manchester City. E aconteceu realmente propostas, mas o Vitória não liberou na época, pois era muito cedo para mim e tinha essa possibilidade de jogar no profissional, de ser feliz aqui e conquistar coisas no profissional do Vitória, mas na época aconteceram sim algumas propostas.

BN: Na Copa do Brasil-Sub 20 o Vitória está com uma boa vantagem após ganhar do Atlético-MG por 4 a 1. Está confiante no título?
Maia: A vontade não vai faltar. Temos uma boa vantagem e estou muito confiante. Fiquei triste porque perdi um pênalti . Mas não vamos relaxar lá em Minas Gerais.

BN: Nas categorias de base, você sempre foi destaque e muitas vezes o protagonista. O que aconteceu que você não conseguiu se firmar de vez no profissional? Falta uma sequência de jogos?
Maia:
Sem dúvida nenhuma. Eu me acostumei a ser o dez da equipe e enfim, a ser o protagonista da equipe, com a confiança de todos, com a minha própria confiança dentro de campo, para que eu pudesse sempre fazer o meu melhor. E ter uma sequência. A torcida espera muito de mim, pelo que eu fiz na base. Foram alguns títulos individuais,muitos títulos baianos, muitos títulos fora do Brasil. Então, requer uma sequência, alguns jogos jogando de primeira. Porque com a confiança de todos e eu tendo tranquilidade para mostrar o meu futebol, as coisas vão acontecer.
 

BN Então, 2013 é ano para o Maia para estourar de vez?
Maia: É o que eu espero. Não gosto muito de dizer que é o ano do Maia, pois já tem uns dois anos que venho escutando isso. E na verdade, as coisas não aconteceram da forma que eu esperava, em relação a oportunidades, em relação a algumas coisas prometidas, mas creio que com essa Copa do Brasil, com o que eu estou tentando fazer e o qu eestou fazendo pelo grupo, por ajudar a levar o time a Libertadores e classificar para essa final, se conseguirmos o título, todo mundo vai estar olhando, para que as oportunidades venham a aparecer de fato.

BN: Qual foi a partida que mais te marcou pelo Vitória ?
Maia: Pela categoria de base, um jogo contra o Barcelona, na Alemanha. Um torneio que fomos campeões. Na semifinal foi contra o Barcelona, um jogo muito difícil. Fui feliz, fiz o gol da vitória. Terminou 1 a 0. É um jogo que marcou por essa idolatria que eu tenho por Messi, que o Barcelona é um clube que eu também acompanho e chego a torcer. Então,  esse jogo que me marcou muito. No profissional, teve um jogo aqui contra o Duque de Caxias,  que eu fiz aqui no ano passado e marquei o meu primeiro gol como profissional. Então foi os dois que mais me marcaram.
 
BN: Então, acredito que você tem esse sonho de enfrentar Messi...
Maia: Tenho o sonho de conhecer primeiro. Tive a oportunidade de ir no Barcelona, no centro de treinamento, mas não o conheci. Mas sem dúvida nenhuma, se eu pudesse conhecer o ídolo e jogar contra e quem sabe, seria uma das maiores realizações maiores para mim.
 
BN: O que a torcida do Vitória pode esperar do Arthur Maia em 2013?
Maia: Eu peço paciência também. É difícil pedir isso para o torcedor, mas como tentei explicar isso aqui, a expectativa que criaram em cima de mim foi muito grande e as coisas não aconteceram dessa maneira que foi na base. Peço paciência e confiança no meu futebol, porque com a sequência que a gente tanto espera, com a confiança de todos e da minha confiança, o meu futebol vai aparecer para eu dar a alegria a essa torcida que está de parabéns e que faz um papel muito bonito.

Histórico de Conteúdo