Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Após derrota, Guto Ferreira cita gramado e 'tanque cheio' da Juazeirense: 'Ficou inviável'
Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / EC Bahia

O Bahia perdeu para a Juazeirense por 1 a 0 na noite deste domingo (27) e se complicou na briga por uma classificação no Campeonato Baiano. Após a derrota, o técnico Guto Ferreira citou o gramado do Adauto Moraes e o "tanque cheio" do adversário, que ficou 15 dias sem jogar e teve tempo para treinar com Barbosinha, novo técnico do Cancão.

 

"A questão dos fundamentos, nossa equipe tem tido 87 a 89% de passes certos nas partidas. De 5 a 7% ou mais de aproveitamento em relação ao ano passado, o que mostra que o time evoluiu. Com o campo de hoje, ficou inviável qualquer tipo de situação. Não são dois ou três dias que fazem adaptar. Fizemos um treino ontem, mas fica inviável. Nós jogamos quinta e eles estavam sem jogar há 15 dias. Nós desgastados e eles de tanque cheio", disse.

 

Questionado sobre o fato da Juazeirense conseguir a sua primeira vitória justamente sobre o Tricolor, Guto se defendeu e apontou fatores que fizeram a equipe do interior evoluir. 

 

"Não tinha vencido, mas não tinha 15 dias com o novo treinador e com contratações novas. É uma equipe nova. Eles totalmente adaptados e nós não conseguimos jogar o nosso jogo. Tentamos fazer jogadas, ligações diretas, não conseguimos. Eles têm o domínio do estilo de jogo que o campo propõe. Tomamos o gol no início, quando a gente estava se adaptando na partida", ponderou.

 

Com seis pontos, o Tricolor volta a jogar pelo estadual na próxima quarta-feira (2), em Alagoinhas, contra o Atlético-BA.

Histórico de Conteúdo