Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Herói do título em 2017, Edigar Junio manda recado à torcida: 'O Bahia não desiste nunca'
Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / EC Bahia

O atacante Edigar Junio, hoje no V-Varen Nagasaki, do Japão, ainda carrega um coração tricolor. Autor do gol do título da Copa do Nordeste em 2017, o jogador deu entrevista exclusiva ao BN na Bola, da Rádio Salvador FM, e contou que segue acompanhando o clube. Segundo ele, a relação viva com o Esquadrão de Aço passou por superar os experientes Durval e Magrão, do Sport, e trazer a orelhuda para o Esquadrão naquela temporada.

 

"A minha relação com o Tricolor é muito viva. Passei três anos no Bahia, então fiz amigos. Aquele gol da Copa do Nordeste fez esse vínculo mais forte. Continuo torcendo, acompanhando o Bahia... Tem muitos funcionários do clube que converso... É uma relação viva e muito forte", disse.

 

A torcida também não esquece do camisa 11. Na última quinta-feira (6), o atleta completou 30 anos de idade e a sua rede social foi inundada de mensagens de carinho. Ele fez questão de agradecer e pediu que o torcedor continue acreditando no Bahia, que decide a Copa do Nordeste neste sábado (8), às 16h, contra o Ceará.

 

"Quero agradecer. Recém fiz aniversário e recebi muitas mensagens de carinho. Sou muito grato pela torcida, sou honrado de fazer parte da história do maior do Nordeste. Quero dizer que o Bahia não desiste nunca. Vamos continuar incentivando. Quando se cria um elo entre torcida e elenco, ninguém segura esse time", disse.

 

Na opinião do jogador, será preciso muita dedicação para reverter a desvantagem. Na primeira partida, o Vozão venceu por 1 a 0 em Pituaçu.

 

"O Bahia tem um elenco muito forte, tem muita qualidade. Tem que ter muita raça, gana de vencer. Às vezes na técnica não via, então tem que ralar a bunda mesmo, botar o coração na ponta da chuteira. Tem que dar a vida. É uma final histórica", indicou o jogador, que mostrou confiança em Gilberto, com quem atuou em 2018.

 

"Não me lembro de ter jogado com um atacante tão matador quanto Gilberto. Não só finalizando, as opções que ele dá. Acontece com todos os jogadores passar por momentos difíceis. A torcida faz diferença. Sabendo da qualidade, se der moral, incentivar, ele volta à sua melhor fase. Falaria para ele ter tranquilidade porque a fase ruim passa e logo logo ele vai dar alegria", projetou.

 

Ouça a entrevista completa com Edigar Junio:

 

 

Histórico de Conteúdo