Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Cláudio Prates parabeniza evolução do time de transição do Bahia: 'Cumpriram à risca'
Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

O Bahia evoluiu em campo nesta segunda rodada do Campeonato Baiano com o triunfo de 2 a 0 sobre o Doce Mel nesta quarta-feira (24). Depois de estrear com derrota na competição, Cláudio Prates parabenizou a atitude do time em campo e comentou que a equipe ainda está em processo de evolução. 

 

“A gente sabia que ia sofrer um pouquinho com ansiedade, é um grupo muito jovem, conversamos nesses dois dias e hoje na preparação focamos na confiança em relação ao grupo e eles responderam”, declarou o treinador do time de transição. 

 

“Estamos no período ainda de evolução, mas muito feliz porque eles responderam de um jogo para o outro e nos principais quesitos que a gente queria: atitude, comportamento bom dentro de campo, respeitando tudo que a gente vinha trabalhando e treinando. Estão de parabéns, cumpriram à risca e conseguiram dar um passo importante”, completou.

 

Avaliando a partida, Cláudio Prates destacou a marcação e posse de bola, que fizeram o Bahia controlar bem o jogo e impedir boas finalizações do Doce Mel. Entretanto, ele ressalta que o desempenho de hoje ainda não é um reflexo exato da atuação em todo o campeonato.

 

“A gente conseguiu controlar muito bem, principalmente no primeiro tempo. Sofremos muito pouco, acho que teve apenas uma finalização no gol no primeiro tempo do aniversário”, comentou. 

 

“Volto a frisar que é um grupo muito jovem, vai ter oscilações durante o campeonato, mas com essa evolução a gente fica muito feliz. Eu acredito que é um estágio inicial ainda. Eu falei para eles para gente continuar com o pé no chão e continuar trabalhando”, pontuou.

 

Um outro motivo que, para o técnico, atrapalha uma evolução mais constante do elenco, é o calendário de jogos, que deixa pouco intervalo para os jogadores entre os compromissos. 

 

“A gente vem sofrendo pelas sequências e o pouco tempo de treinamento. A sequência inicial de transição é muito pesada. A gente tem duas semanas de jogos quarta e domingo, então a gente vai ter que evoluir muito de acordo com os treinos que fez e dentro dos jogos. Mas é um período inicial ainda, que a gente fica confortável”, finalizou o treinador.

Histórico de Conteúdo