Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Terça, 02 de Fevereiro de 2021 - 21:36

Cláudio Prates explica montagem do time de transição do Bahia para o Baiano

por Milena Lopes

Cláudio Prates explica montagem do time de transição do Bahia para o Baiano
Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia

A equipe de transição do Bahia, comandada por Cláudio Prates, que também é auxiliar técnico do Esquadrão de Aço, está se preparando para o Campeonato Baiano. Em entrevista para o programa BN na Bola, da rádio Salvador FM 92.3, apresentado por Emídio Pinto, Glauber Guerra e Ulisses Gama, o comandante falou sobre o trabalho de montar a equipe B do Tricolor e explicou a relação de equilíbrio em um time com destaques da base e contrações em potencial.

 

“Desde o momento que eu abracei esses projetos, foi um pedido do próprio presidente, que eu não deixasse de realizar as minhas funções como auxiliar técnico e, acima de tudo, continuar ajudando o Dado nessa caminhada nessa reta final de Campeonato Brasileiro. E isso é até bacana porque a gente consegue manter um elo entre a transição e o time principal”, comentou Cláudio Prates sobre a dupla função no clube. 

 

O técnico destaca que o fato de poder estar em contato com as duas equipes ajuda com que os atletas do time B possam ser melhores preparados e avaliados para reforçar o principal, ou ainda motivá-los a serem revelações do Bahia. 

 

“Atletas que são usados hoje no principal fizeram parte desse projeto no ano passado, então a gente tem isso também para motivar essa galera que está chegando e principalmente os atletas da base”, explicou.

 

“Hoje a gente tem um equilíbrio muito grande entre atletas da base e os que estão sendo contratados, ainda vão chegar mais alguns para que a gente consiga novamente montar um elenco competitivo, um time vencedor, capaz de chegar às finais do campeonato para reforçar a camisa do Bahia”, completou Cláudio.

 

Os jovens jogadores já estão em preparação sob o comando do treinador para estrear no Campeonato Baiano no próximo dia 21. Segundo ele, o trabalho está sendo intenso e o amistoso contra o Jacuipense, marcado para esta quarta-feira (3), será um teste para observar os atletas que irão compor o time ao longo do estadual. 

 

“Até agora, está muito bom trabalho. A gente tem se dedicado muito, o trabalho é força total na equipe principal, mas mesmo assim, a gente não deixou um dia de trabalhar. Estamos fazendo isso em tempo integral: chegamos às sete da manhã e saindo às sete da noite do Clube”, ressaltou o técnico. 

 

Questionado sobre a montagem da equipe de transição com jogadores da base e jogadores contratados, Prates explicou que, para ele, o time precisa de equilíbrio, com experiências de quem vem de fora e potenciais internos que precisam de motivação,

 

“[As contratações] são exatamente para dar sustentação para esses meninos. O que a gente costuma dizer dentro do futebol é que muitos meninos conseguem maturar o futebol precocemente, ou seja, com 18 ou 19 anos ele já estão com maturidade de 20 ou 21 e consegue atingir um profissional sem problema. Mas muitos deles também não cresceram ainda e precisam de um melhor trabalho, principalmente de amadurecimento, de conhecimento de jogo, do que é o jogo profissional e o que é o jogo de um sub-20. O nome transição é justamente isso: é a transição que eles têm de um processo de base para um processo de profissionais”, esclareceu o treinador.

 

“Essas contratações de atletas que são prospectados, que possuem 21 e 22 anos, é porque a realmente a gente vê futuro, que tanto eles podem acreditar no processo do Bahia para realmente se transformar em novas revelações, como nós acreditamos neles. Acho que o futebol é o equilíbrio, não se ganha nada só com a base e não se ganha nada só com jogadores contratados ,equilíbrio para mim uma palavra fundamental na vida para dar uma sustentação aos meninos e para que a gente consiga montar um time competitivo”, posicionou Cláudio Prates. 

 

O técnico do time de transição ainda falou que o jogo amistoso contra a Jacuipense será um teste para todo o elenco e vai avaliar como os jogadores vão se comportar em campo, jogando contra atletas com mais experiência, e só então vai começar a definir quem será o time do Baianão. 

 

“O que a gente dá a eles agora, em nível de competição, é justamente a transição. Colocar eles com jogadores rodados, que já são figurinhas carimbadas no Campeonato Baiano”, comentou.

 

“A gente deve ir com duas equipes, devemos colocar durante 35 minutos uma e depois durante 35 minutos outra e vamos tentar equilibrar porque ainda não temos uma equipe base. Vamos dar oportunidade para todos, principalmente para observar alguns atletas. Para alguns será a primeira jogando em campo aberto, então o que eles vão fazer é realmente um treinamento para observação inicial e para que eles respondam bem. Só a partir daí a gente vai ter definições da equipe que a gente vai de fato começar a trabalhar”, detalhou o treinador.

 

“Estou muito esperançoso e otimista de que vamos conseguir um belo Campeonato Baiano e, acima de tudo, atingir os objetivos que são prospectar os valores, dar novas oportunidades para os atletas da base e para acabar elevando o nome do Bahia”, finalizou Cláudio Prates.

Histórico de Conteúdo