Dado Cavalcanti não sabe se continuará no Bahia; contrato com equipe encerra em abril
Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / EC Bahia

Enquanto espera o período de suspensão dos campeonatos, o treinador da equipe de transição do Bahia, Dado Cavalcanti, está recluso com a família no interior de Pernambuco e aguarda qual será o seu futuro com a equipe. Com o contrato próximo de ser expirado, o técnico que está no Tricolor baiano desde o ano passado falou em entrevista ao GloboEsporte.com sobre o trabalho que foi feito com a equipe até agora e a atuação ao lado de Roger Machado, treinador do time principal. 

 

“Enxerguei a possibilidade de realizar um trabalho com começo, meio e fim. Ainda não está completo porque está tudo parado no país. Mas os resultados são bons”, comentou Dado sobre o desenvolvimento do seu trabalho com o time sub-23 do Bahia. “Conseguimos levar o time de aspirantes à semifinal do brasileiro da categoria no ano passado. Com essa equipe, lideramos o campeonato baiano até o momento da parada e conseguimos promover jogadores para a equipe principal do Bahia”, ressaltou o treinador. 

 

Dado ainda contou que ele e Roger muitas vezes estão em contato nos treinamentos das equipes e que isso facilita os trabalhos. “Ele acompanha alguns trabalhos com a gente. E eu também participo de algumas atividades comandadas por ele. Temos algumas ideias parecidas sobre modelo de jogo e isso facilita o entendimento. As diferenças entre as equipes são pequenas, até por conta de características de jogadores”, contou o técnico.

 

Sobre a oportunidade de trabalhar com o Bahia, Dado reconheceu a experiência como significativa para seus quase 15 anos de carreira na função. “Foi um passo atrás para me redescobrir como treinador. Essa chance no Bahia foi importante pra minha carreira”, admitiu o treinador. 

 

O contrato a frente do time sub-23 tem validade até o dia 20 de abril, mas o técnico comentou que ainda não sabe qual será seu futuro. Com as paralisações devido a pandemia, as conversas com o clube ainda não se desenvolveram. "Ainda não sei o que vai acontecer. Cheguei a receber alguns convites nesse período mas preferi cumprir o meu contrato, que está perto de terminar”, confessou. 

 

“Chegamos a iniciar uma conversa com o Bahia mas, com essa pandemia, temos que aguardar. Se for pra continuar, não faltará dedicação”, completou o treinador. “Se surgir outra proposta, estarei ainda mais preparado por tudo o que aconteceu nesses últimos doze meses de trabalho no Bahia", finalizou.

Histórico de Conteúdo