Sábado, 20 de Julho de 2019 - 19:43

Roger Machado aponta lado positivo de empate e evita 'condenar' Arthur Caíke

por Ulisses Gama

Roger Machado aponta lado positivo de empate e evita 'condenar' Arthur Caíke
Foto: Max Haack / Ag. Haack / Bahia Notícias

O técnico Roger Machado, do Bahia, comentou o empate em 0 a 0 com o Cruzeiro na noite deste sábado (20), na Arena Fonte Nova, pelo Campeonato Brasileiro. Para o treinador tricolor, o time "resgatou a confiança" após ter sido eliminado da Copa do Brasil no meio de semana e teve um "gigante" segundo tempo mesmo com um jogador a menos.

 

"Não vi um primeiro tempo fraco. Vi um primeiro tempo trancado porque o Cruzeiro fechava muito bem os espaços, e a gente não circulava a bola com velocidade nem tampouco conseguia chegar com lucidez perto do gol do Cruzeiro... Não ter conseguido encontrar os espaços eu concordo contigo. A partir da expulsão, num lance que falei com Arthur Caíke de um misto de imprudência com rigor excessivo, a partir desse momento, o Cruzeiro talvez tenha imaginado que teria um pouco mais de espaço, e a gente conseguiu se superar. As jogadas começaram a aparecer porque o Cruzeiro abriu mais seu campo e nos permitiu espaço. Continuou no segundo tempo. O que tinha todos os elementos para se transformar numa tragédia, acabou saindo com saldo positivo. Esse jogo era bastante especial porque todos gostariam de ver como reagiríamos após a perda da classificação na Copa do Brasil. Mesmo não vencendo, a gente conseguiu resgatar a confiança no jogo. Isso foi muito importante. Foi um segundo tempo gigante, mesmo com um jogador a menos", declarou.

 

Roger disse que conversou com Arthur Caíke, que levou dois cartões amarelos e foi expulso no primeiro tempo do jogo. Ele citou a tristeza do atacante e evitou "condenar" a situação.

 

"Falei para o Arthur, ele muito sentido, muito triste, muito chateado, pediu a palavra para falar no vestiário. O que salientei foi que houve a imprudência, se expôs a um lance interpretativo. Mas do meu ponto de vista foi uma rigidez excessiva. Mas faz parte do jogo, ainda mais em momentos pós-eliminação. É um jogo tenso, nervoso, que o torcedor bem para ver como vamos nos comportar em campo. Não deveria ter acontecido, mas faz parte. Não posso condenar meu atleta em função disso", indicou.

 

Com seis partidas sem vencer na temporada, Roger disse estar ciente e com a "luz acesa" para corrigir as falhas e voltar a encontrar o caminho dos triunfos nas próximas partidas.

 

"A gente está sempre preocupado com os insucessos. Sempre há oportunidade para evoluir em algum aspecto. Luz está sempre acesa. Com empate conseguimos ganhar uma posição. Preciso deixar registro para meu torcedor, que é nosso combustível. A partir do momento que a gente entregou dentro de campo o que queria, ele veio conosco", pontuou.

Histórico de Conteúdo