Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Sábado, 18 de Abril de 2015 - 09:45

Após resposta polêmica, sócios e organizadas criticam o diretor Jorge Avancini

por Felipe Santana

Após resposta polêmica, sócios e organizadas criticam o diretor Jorge Avancini
Foto: Felipe Santana / Bahia Notícias
No início da semana, o diretor de mercado do Bahia, Jorge Avancini, comentou diversos assuntos relacionados ao plano de sócios, o novo contrato assinado com a Arena Fonte Nova e os preços dos ingressos aplicados no estádio. Ele, em uma das respostas, relacionou a violência ao baixo preço dos bilhetes de entrada, o que seria uma das causas da não ida das famílias aos jogos. "Como ter um equipamento que foi eleito um dos melhores da Copa do Mundo vendendo ingressos a R$ 5 e R$ 10? Se eu fizer ingresso barato, vou afugentar a família dos estádios por conta da violência que aparece", declarou ao Jornal A Tarde. Primeiro, nas redes sociais, a resposta do dirigente tricolor foi intensamente criticada. O tricolor Caio Cruz usou seu Twitter para comentar a resposta de Jorge Avancini. "Avancini com clara dificuldade de entender o perfil da torcida do Bahia, entrevista não muito boa", disse. Já Alex Rolim, por exemplo, cobrou uma retratação do diretor que, para ele, foi infeliz na declaração. "Avancini deu uma declaração absurdamente desastrada. Esperarei as 48 horas regulamentares para as devidas explicações", escreveu. O pedido, porém, não foi atendido. A Torcida Organizada Bamor, outra insatisfeita com o que leu do diretor de mercado, usou o perfil oficial no Facebook para soltar uma nota e repudir o conteúdo da resposta envolvendo ingressos mais baratos e violência no estádio. A repercussão da entrevista soou de maneira tão negativa que Avancini, como outros membros da diretoria, ganhou um perfil fake no Twitter com o nome 'Jorge Gurmê'. O autor, no conteúdo das postagens, utilizou a resposta concedida pelo gestor ao jornal para ironizar a venda de ingressos e também a setorização do estádio.  "Aproveitem pobretões!  O espetinho de gato da ladeira está com os dias contados. Vou mandar cercar,  pulseirar a entrada e servir sushi!".


Confira parte do texto da Bamor:


"A Torcida Organizada Bamor, vem através deste, expressar sua indignação sobre as declarações do Diretor de Futebol do Bahia, Jorge Avancine, que atribuiu o problema da violência nos estádios aos ingressos populares. A violência é decorrência de um conjunto de problemas sociais que atingem boa parte da sociedade brasileira.O torcedor popular sempre foi à cara do Bahia e não pode ser responsabilizado pelos incidentes que ocorrem dentro e fora do estádio, pois esses fatos são isolados e representam um problema social muito maior..."


Histórico de Conteúdo