Sábado, 20 de Outubro de 2018 - 00:00

Lesões e coceira: Salvador e RMS registram surto de dermatite com causa desconhecida

por Renata Farias

Lesões e coceira: Salvador e RMS registram surto de dermatite com causa desconhecida
Foto: Reprodução / Facebook

As secretarias estadual e municipal da Saúde divergem quanto ao número de casos, mas indicam que os mesmos sintomas têm afetado moradores de Salvador e Região Metropolitana (RMS). Há notificações de manchas vermelhas na pele – em alguns casos, com lesões e prurido – e coceira.

 

De acordo com a Secretaria Municipal de Salvador (SMS), o número de casos chega a 32 apenas na capital. Por sua vez, a Secretaria da Saúde da Bahia (Sesab) informa um número consideravelmente menor: foram notificados 17 casos não só em Salvador, mas também no município de Lauro de Freitas.

 

Além dos sintomas, coincide também a região de maior prevalência, o bairro de Patamares, especificamente no Condomínio Greenville.

 

Em entrevista ao Bahia Notícias, a subcoordenadora da vigilância epidemiológica da SMS, Cristiane Cardoso, afirmou que a principal hipótese investigada é a relação com algum inseto. Dois fatores corroboram com essa possibilidade: a região e a aparência das lesões.

 

"Há uma coincidência de apresentar aspecto de picada, como se fosse algum inseto. Claro que algumas pessoas estão desenvolvendo um quadro diferenciado, porque esse quadro dermatológico depende da reação de cada indivíduo", explicou. "A gente está com uma concentração no bairro de Patamares, onde tem inclusive um retrato ecológico forte. A gente tem uma mata, a Lagoa de Pituaçu, uma série de cenários que também colaboram com a hipótese do surto de algum inseto".

 

A profissional acrescentou que a primeira hipótese testada foi de relação com a zika, que tem a aparição de exantemas como um dos sintomas. No entanto, até o momento, os exames realizados apontam o contrário. "Ainda não descartamos de forma completa essa possibilidade, mas ela está sendo enfraquecida, já que todos os testes realizados deram negativo", afirmou.

 

Cristiana acrescentou que os casos ainda estão em investigação e que não há uma definição de sintomas que devem ser incluídos ou do período analisado. Ainda assim, estima-se que o surto teve início neste mês de outubro.

 

Às pessoas que apresentem os sintomas citados, a profissional recomendou cuidado ao coçar as lesões, devido ao risco de infecção relacionada à sujeira nas mãos. Em caso de muito incômodo, é indicada a consulta a um profissional de saúde, de preferência um dermatogista.

Brasil tem 477 presas grávidas e lactantes no sistema carcerário
Foto: Reprodução / DOL

Um levantamento feito pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) revelou que, entre as 31 mulheres que cumpriam pena em todo o país em setembro deste ano, 477 estavam grávidas ou amamentando. De acordo com o Correio Braziliense, o total representa um aumento superior a 12% em comparação a agosto, quando havia 425 grávidas e lactantes. São Paulo é o estado com o maior número de gestantes e lactantes (164), seguida por Minas Gerais (39), Ceará (38), Goiás (33), Rio de Janeiro (26) e Pará (22).


Segundo o CNJ, o Cadastro Nacional de Presas Grávidas e Lactantes é uma importante ferramenta para que os juízes possam cobrar dos governos estaduais as providências necessárias para a custódia dessas mulheres, com o objetivo de garantir a proteção das crianças que vão nascer ou que nasceram enquanto as mães cumprem pena em unidades prisionais.


Em fevereiro deste ano, o Supremo Tribunal Federal (STF) concedeu habeas corpus coletivo para substituir a prisão preventiva pela domiciliar às gestantes ou mães de crianças até 12 anos e deficientes.

Sexta, 19 de Outubro de 2018 - 19:10

Hapvida realiza ações durante o Outubro Rosa

Hapvida realiza ações durante o Outubro Rosa
Foto: Divulgação

Hospitais da rede Hapvida nas cidades de Fortaleza, Salvador, Belém, Manaus, Maceió e Recife promovem diversas ações para este mês em prol do Outubro Rosa. Serão realizadas ações de rua com distribuição de fitinhas representando a prevenção, além de atividades e eventos com verificação de pressão arterial.


Os treinos do Hapvida +1k também terão os temas do Outubro Rosa. 


Neste sábado (20), será realizada uma palestra sobre autoexame, além de corridas, aulas de dança e treinamento funcional. A programação acontecerá das 7h às 9h, em todos os núcleos do projeto (Rio Vermelho, Bonocô, Ribeira, Boca do Rio, Patamares e Stella Maris). O evento é gratuito.

Brasil perde 6 leitos por dia; no SUS, são 41 mil vagas a menos
Foto: Reprodução / Noraldino Junior

Um estudo realizado pela Confederação Nacional dos Municípios revelou que o Brasil perdeu, nos últimos dez anos, seis leitos hospitalares por dia. São 23.088 vagas a menos. No Sistema Único de Saúde (SUS), foram fechadas 41.388, enquanto a rede particular ampliou a capacidade em 18.300 leitos.


Segundo especialistas, a tendência da redução geral das vagas é explicada pela mudança no atendimento psiquiátrico, que era centrado no ambiente hospitalar e, atualmente, passou a ser feito prioritariamente nos Centros de Atenção Psicossocial (Caps).


Na pediatria e obstetrícia, a oferta de leitos reduziu de forma expressiva. As vagas para atendimento de crianças no SUS entre 2008 e 2018 reduziu em 26%. Já na obstetrícia, a redução na capacidade de atendimento foi de 16,87%.


Para a consultora da Confederação Nacional dos Municípios, Carla Albert, parte da desativação dos leitos ocorre não por razões técnicas, mas econômicas. “Muitas vezes, representa falta de recursos e, sobretudo, dificuldade de acesso da população a um atendimento indispensável", contou.

 

De acordo com o Estadão, o Ministério da Saúde informou que a tendência mundial é de desospitalização. “É importante ressaltar que a redução no número de leitos gerais não afetou a oferta assistencial e a produção aprovada nos sistemas de informação do SUS." 

Angola confirmou pelo menos 72 casos de microcefalia desde 2017, diz OMS
Foto: Getty Images

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou que, entre fevereiro de 2017 e maio de 2018, ao menos 72 bebês nasceram com microcefalia em Angola. Segundo a agência Reuters, o relatório da entidade indica uma possível relação com um surto emergente de zika no país.

 

De acordo com o documento, a OMS confirmou dois casos de uma cepa perigosa do zika no início de 2017, assim como casos de microcefalia. Desde então, há "fortes evidências" da ligação entre os casos de microcefalia e o Zika.

 

O Ministério da Saúde, por sua vez, informou que havia registros de 41 casos de zika e 56 de microcefalia desde janeiro de 2017. Não há justificativa no relatório para a divergência dos dados.

 

"Provavelmente nem todos os casos de microcefalia podem ser atribuídos ao vírus da zika", pontuou o ministério, ao lista outras causas potenciais, como sífilis e rubéola.

Palacete recebe lançamento de livro com relatos de mulheres sobre câncer de mama
Foto: Divulgação

O livro “Mulheres de Peito”, composto com relatos de 20 mulheres que sofreram de câncer de mama, será lançado nesta sexta-feira (19), das 18h às m21h, no Palacete das Artes, em Salvador. A obra aborda desde o momento do trauma do diagnóstico, passando pela questão da autoestima durante o tratamento, até o processo de recuperação.


A primeira parte da narrativa é inspirada no perfil no Instagram do projeto Sobre Gentes, com relatos de personagens reais. A segunda destaca a interação de um grupo de pacientes e fisioterapeutas da capital baiana, com o objetivo de formar uma rede de apoio para mulheres que passam ou passaram pelo câncer. 

12% das mortes por câncer de mama no Brasil são atribuíveis ao sedentarismo
Foto: Reprodução / Revista News

O artigo científico "Mortality and years of life lost due to breast cancer attributable to physical inactivity in the Brazilian female population", divulgado na revista Nature e com participação do Ministério da Saúde, revelou que 12% das mortes por câncer de mama no Brasil são atribuíveis ao sedentarismo. 


De acordo com a pesquisa, em 2015, 2.075 mortes poderiam ter sido evitadas se as pacientes realizassem atividade sfísicas.


Para os pesquisadores, um dos fatores que causam o câncer de mama é o excesso de estrogênio, que pode levar à formação de mutações e carcinogênese, estimulando a produção de radicais. A atividade física diminui o estradiol e aumenta a globulina de ligação a hormonas sexuais, provocando uma redução de circulantes inflamatórios e aumentando as substâncias anti-inflamatórias.


Os estados brasileiros com melhores indicadores socioeconômicos apresentaram as maiores taxas de óbitos de câncer de mama atribuível à inatividade física. O Rio de Janeiro aparece em primeiro lugar, seguido pelo Rio Grande do Sul e São Paulo. 

Sexta, 19 de Outubro de 2018 - 13:10

Depois de avanços tecnológicos, medicina deve mirar na empatia

por Gabriel Alves | Folhapress

Depois de avanços tecnológicos, medicina deve mirar na empatia
Foto: Shutterstock

Médicos sempre ocuparam uma posição de prestígio na sociedade. Afinal, cuidar do maior bem de indivíduo -a vida- não é algo trivial. Embora a finalidade do ofício permaneça essencialmente a mesma, o modus operandi mudou drasticamente com o tempo.

Nos dias que antecederam o Dia do Médico (18 de outubro), a reportagem conversou com profissionais para coletar suas impressões sobre a carreira, as mudanças nela e o futuro da profissão.

O que se pode afirmar é que o foco da atuação médica deve ser cada vez menos o controle sobre o destino do paciente e mais a mediação, o desenvolvimento e a interpretação de tecnologias, incluindo a famigerada inteligência artificial. Já o lado humanístico, que perdeu espaço para os exames e as máquinas, tende a recuperar cada vez mais sua importância.

De meados do século 20 até agora, concomitantemente à proliferação das especialidades e subespecialidades médicas, houve grande avanço tecnológico e a proliferação de modalidades de exames, para ver, por exemplo, as células potencialmente cancerígenas do colo de útero no exame de Papanicolau, cálculos renais em tomografias ou ainda aferir a presença de anticorpos anti-HIV no sangue, indicando infecção pelo vírus -entre tantos outros.

Crescia o catálogo dos laboratórios e também a dependência do médico em relação a esses exames. A impressão dos pacientes passou a ser a de que o cuidado é ruim se o médico não solicita exames. Isso num contexto em que o tempo de interação entre paciente e médico é diminuto -tudo para aumentar a eficiência, ou seja, o número de consultas por período. 

O tema é caro a Jayme Murahovschi, 86, uma das maiores referências em pediatria no país. "Tem que haver progressão tecnológica, claro, mas mais importante que isso é a ligação emocional com o paciente. Hoje médicos pedem muitos exames e os pacientes também demandam. Eu peço o básico às vezes só para não dizer que é só a minha opinião."

Murahovschi está entre os que acreditam que a profissão está sofrendo uma nova reviravolta, quase que voltando às origens clássicas, hipocráticas: "Os médicos do futuro, os que sobrarem, vão ter que ter que conhecer o paciente a fundo, dar toda a atenção que ele precisa, usando muita tecnologia, mas com foco no paciente."

Mas vai faltar médico no futuro? Alguns profissionais poderiam migrar para uma medicina mais técnica, preveem analistas.

Esses doutores teriam uma função diferente, atuando na interface entre conhecimento biomédico e a tecnologia por trás de plataformas de diagnóstico por imagem e reabilitação (já há um curso com esse desenho na Holanda). Ou ainda atuariam alimentando uma plataforma de inteligência artificial com dados e/ou reformulando seus algoritmos, tornando-a mais esperta.

Um exemplo já vigente de inteligência artificial é a plataforma Watson, da IBM. Apesar de ter vocação em múltiplas áreas, a entidade tem se mostrado eficaz no processamento de informação médica e na seleção de tratamentos para pacientes com câncer.

"Alguns médicos não vão ter nem que interpretar o resultado, que vem de uma caixa preta, mas traduzir a consequência para o paciente e ajudá-lo, com empatia, a buscar uma ou outra alternativa para lidar com o problema", diz o professor de oftalmologia da Unifesp Paulo Schor, 53, entusiasta de novas tecnologias.

Para Schor esse protagonismo retomado pelos pacientes é sinal para a prática médica voltar às suas raízes. "É uma razão para explicar o raciocínio clínico e para que serve cada exame que ele está pedindo e de tratar o paciente como um ser pensante."

Na medicina privada, afirma ele, nunca esteve tão evidente a necessidade que os pacientes têm de serem ouvidos.

Outra tecnologia do futuro já presente, lembram Schor e Murahovschi, é a telemedicina, que descentraliza a realização de consultas e exames. Clínicas pequenas e médicos generalistas podem contar com laudos de especialistas de locais distantes, rapidamente, pela internet; uma junta médica pode discutir, remotamente, diversos casos de pacientes; seria possível até realizar algumas consultas propriamente ditas a distância, embora haja restrições do CFM nesse sentido.

Até cirurgias podem ser feitas a distância,com o advento da cirurgia robótica. O tema continua fascinando médicos e pacientes, mas, por enquanto, nada de droides médicos à la Star Wars -quem controla o robô ainda é uma pessoa.

"A laparoscopia, uns 30 anos atrás, já havia sido um grande avanço. Com furos no tórax, abdome e pelve era possível fazer uma cirurgia com invasão mínima e o paciente já podia ir pra casa no dia seguinte. O problema é quando ela dá errado e tem que abrir o paciente. Poucos entre os novos cirurgiões fazem isso bem", afirma o psiquiatra Jorge da Costa e Silva, 76, presidente da Academia Nacional de Medicina.

Segundo o psiquiatra, quase nenhum profissional de 65, 70 anos quer aprender a cirurgia robótica. "Quando eles dominam a técnica, precisam passar outros 20 anos se aperfeiçoando. Costumo dizer que aquilo é uma espécie de videogame."

Mas, pensando no futuro, o papel que esses médicos podem exercer é o de "ponte" entre o conhecimento do passado e a inteligência artificial, que, segundo profetiza Costa e Silva, será onipresente na medicina.

Hoje as UTIs e até os consultórios têm recebido equipamentos ligados a uma inteligência artificial, sugerindo condutas e analisando exames baseado nas montanhas de dados que produzimos (o chamado big data), diz Costa e Silva. "Nos EUA e em outros lugares do mundo, o prontuário eletrônico é realidade. A receita também vai ser, e vai estar num cartão que pode ser lido na farmácia. O banco de dados registra se o paciente comprou ou não o remédio", afirma. Um porém: "O sigilo médico não existe mais", diz o psiquiatra.

Costa e Silva (que não tem parentesco com o marechal Arthur, 27º presidente do Brasil) gosta de um outro tema futurológico em particular: o transumanismo -área de estudo que, essencialmente, avalia possibilidades de a condição humana se alterar por meio da tecnologia. "É bom poder falar sem compromisso de dar respostas definitivas", brinca.

Entre as hipóteses aventadas está a de fazer download de informações diretamente para a mente ("Eu sei kung fu", uma coisa meio "Matrix") ou fazer o upload da própria mente para dispositivos externos, como robôs ou mesmo na nuvem, alternando-se entre dispositivos (algo parecido acontece no filme "Ela").

"Hoje já são dezenas de milhares de dispositivos que podem substituir diversas partes do corpo, como um olho, uma mão, um rim ou um pâncreas. Já o cérebro, apesar de ser um órgão maravilhoso e altamente complexo, sofre com alzheimer, parkinson e a deterioração pela idade... Não tenho nada contra, se a mente encontrar um material melhor, que ela continue evoluindo fora do cérebro. Ela talvez seja um fenômeno cósmico", diz Costa e Silva.

Essa caminhada transgressora já teria começado, afirma o psiquiatra: dificilmente alguém chega aos 70, 80, anos sem uma prótese de joelho, de quadril, um marcapasso, um stent... Esses dispositivos são só o prenúncio. "O futuro está aí, só não sabemos a velocidade em que ele vai chegar", diz.

Municípios não têm recursos para novo piso dos agentes de saúde, diz CNM
Foto: Agência Brasil

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) fez um alerta nesta quinta-feira (18) sobre o risco do enfraquecimento da Estratégia Saúde da Família, após o Congresso Nacional retornar com o reajuste do piso salarial dos agentes comunitários de saúde e de combate às endemias (veja aqui). De acordo com a entidade, os municípios não têm recursos para bancar o aumento.

 

Segundo a Agência Brasil, o presidente da CNM, Glademir Aroldi, reconhece a importância do trabalho dos agentes de saúde e de endemias, mas disse que os municípios não têm recursos para arcar com o reajuste concedido. Segundo ele, o impacto financeiro será de R$ 9 bilhões para União e municípios, em reajuste e encargos.

 

“A grande maioria dos municípios está com limite de pessoal estourado, vários já atingiram 80% do orçamento com investimento em pessoal. Os gestores vão acabar diminuindo o número de pessoas na equipe [de Saúde da Família] e têm municípios que podem acabar com o programa”, argumentou. “Corre o risco de isso acontecer, sim”.

 

Com a dificuldade de financiamento do programa, Aroldi propõe a federalização total do Saúde da Família, deixando a gestão local apenas como a executora das ações. “A União, ao longo dos anos, se afastou dos serviços prestados à população e, através desses programas, transferiu a responsabilidade para os municípios. Ela subfinancia esses programas e, ao longo dos últimos dez anos, acabou diminuindo o percentual de investimento em pessoal e nós, nos municípios, aumentamos consideravelmente. Isso tem machucado muito a gestão municipal”, afirmou.

 

O governo federal cobre 95% do pagamento do piso salarial dos agentes comunitários de saúde e de endemias, até um número máximo de agentes definido para cada município. Segundo Aroldi, hoje o país conta com 43 mil equipes de Saúde da Família com 244 mil agentes de saúde. “Também estamos preocupados com a desassistência que a população vai ter se tivermos que diminuir o número de agentes”, disse.

Faculdade pesquisa efeitos de projeto do MP que retira proteína animal de merenda escolar
Foto: Reprodução/ TV Bahia

Os efeitos da merenda escolar proposta pelo Programa Escola Sustentável, idealizado pela promotora de Justiça Letícia Baird, será objeto de pesquisa da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública. O projeto atende 1850 crianças e adolescentes, de 160 escolas e creches das cidades de Biritinga, Serrinha, Barrocas e Teofilândia, no sertão baiano. A pesquisa vai avaliar mudanças ao longo da intervenção do programa, desenvolvido pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA). O estudo terá duração de dois anos.

 

A autora do programa afirma que a pesquisa demonstra a “seriedade do Programa Escola Sustentável em relação ao acompanhamento da saúde e nutrição dos alunos, além de proporcionar à comunidade científica a produção de dados de utilidade pública”.  A pesquisa vai avaliar os efeitos da redução do consumo de derivados animais e aumento de frutas, verduras, grãos e leguminosas na merenda escolar. Serão avaliados nos estudantes o índice de massa corporal, circunferências do braço e da cintura e outros parâmetros corpóreos, a microbiota intestinal e os níveis de micronutrientes como ferro e vitamina B12. Os dados serão correlacionados ao histórico alimentar dos estudantes.

 

Serão escolhidos estudantes de quatro escolas, selecionadas aleatoriamente, respeitando a proporção entre alunos da zona rural e zona urbana. A pesquisadora Ana Marice Teixeira Ladeia desenvolverá o trabalho junto à pós graduação em Medicina e Saúde Humana da faculdade. O projeto foi aprovado na última segunda-feira (15) em comissão de ética em pesquisa e será desenvolvido na pós-graduação em Medicina e Saúde Humana.

 

O projeto foi questionado pela Sociedade Brasileira de Pediatria por excluir a proteína animal da merenda escolar, por ser importante como fonte de ferro, zinco e cálcio na alimentação das crianças. Até o final de 2019, todo o cardápio da merenda escolar nestas cidades não terá mais a proteína animal. A ideia do projeto é aproveitar melhor os recursos públicos com uma alimentação mais adequada para os estudantes.

Santa Casa da Bahia oferece curso de capacitação para pessoas com deficiência
Curso acontece no Hospital Santa Izabel | Foto: Divulgação

A Santa Casa da Bahia realiza, no mês de novembro, o XI Curso para Pessoas com Deficiência, com o objetivo de qualificar pessoas com deficiência para atuação no mercado de trabalho. A entidade ofertará 18 vagas gratuitas.

 

As inscrições já estão abertas. Os interessados devem comparecer, até 25 de outubro, no Núcleo de Relacionamento com o Colaborador da Santa Casa, localizado no Hospital Santa Izabel, em Nazaré. É necessário apresentar RG, CPF, comprovante de residência, currículo e laudo atualizado atestando a deficiência.

 

As aulas acontecerão de 5 a 29 de novembro, das 14h às 17h, com carga horária de 44 horas. O conteúdo é composto por aulas de informática, noções iniciais sobre processos seletivos e segurança do trabalho, módulo comportamental e comunicação empresarial. Há possibilidade de que os participantes sejam contratados pela própria Santa Casa ao final do período de capacitação.

Sexta, 19 de Outubro de 2018 - 07:10

Anvisa aprova nova vacina contra gripe exclusiva a idosos acima de 65 anos

por Natália Cancian | Folhapress

Anvisa aprova nova vacina contra gripe exclusiva a idosos acima de 65 anos
Foto: Marcello Casal Jr. / Agência Brasil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o registro de uma nova vacina contra influenza para idosos com 65 anos ou mais, um dos grupos considerados de maior risco de desenvolver complicações da gripe.

A nova vacina, chamada de Fluzone Sênior, protege contra três tipos de vírus -influenza A H1N1, A H3N2 e influenza tipo B-, conforme recomendação anual da Organização Mundial de Saúde (OMS), que avalia os vírus de maior circulação.

O produto é fabricado pela empresa Sanofi Pasteur. Segundo a fabricante, testes indicaram eficácia até 24,2% maior em comparação à vacina trivalente aprovada atualmente no Brasil e utilizada nas campanhas públicas de vacinação e em clínicas particulares.

De acordo com a diretora-médica da empresa, Sheila Homsani, isso ocorre porque a vacina desenvolvida para idosos têm uma dose mais alta de antígenos, o que faz com que a população produza uma quantidade maior de anticorpos contra o vírus e, assim, fique mais imune à doença.

"O Brasil possui uma população idosa crescente que precisa se proteger mais contra a gripe. O cuidado com esse grupo é uma necessidade notada há algum tempo, pois os adultos a partir dos 65 anos são, particularmente, mais vulneráveis a complicações associadas ao vírus Influenza. Isso acontece porque o sistema imunológico é mais fraco e a resposta de anticorpos não é a mesma de indivíduos mais jovens", afirma.

A nova vacina continuará a ser indicada em apenas uma dose, com reforço anual contra os vírus de maior circulação no período.

O produto, porém, é contraindicado para pessoas com reação alérgica grave à proteína do ovo. Em indivíduos com febre e infecção aguda, a vacinação deve ser postergada até a recuperação, informa a empresa.

O aval para o registro foi publicado na segunda-feira (15) no Diário Oficial da União. Inicialmente, a vacina deve estar disponível apenas em clínicas particulares, o que deve ocorrer após definição da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (Cmed) sobre o preço máximo de venda. Ainda não há previsão do valor.

Segundo a empresa, antes do Brasil, a vacina já havia sido aprovada em 2010 nos Estados Unidos. Também já foi aprovada na Austrália e Canadá. A estimativa é que ao menos 67 milhões de idosos já tenham sido vacinados.

Atualmente, infecções causadas pelo vírus influenza respondem por seis entre dez principais causas de internação entre idosos. No Brasil, o período de maior circulação do vírus da gripe vai de maio até agosto.

No SUS, a vacinação contra a gripe é ofertada em períodos específicos a idosos acima de 60 anos por meio de campanhas de vacinação. Para isso, o Ministério da Saúde usa uma vacina produzida pelo Instituto Butantan, que recebeu transferência de tecnologia da Sanofi Pasteur.

De acordo com a pasta, uma decisão sobre eventual inclusão de novas vacinas no SUS depende de análise de eficácia, efetividade e custo-benefício pela Conitec, comissão que avalia novas tecnologias na rede pública. Não há previsão de incorporação de novas vacinas contra influenza no momento, informa.

Casais que fazem coisas novas juntos potencializam a vida sexual, diz estudo
Foto: Reprodução / Shutterstock

Um estudo publicado pelo periódico Personality and Social Psychology afirmou que, ao realizar atividades novas juntos, os casais podem sentir melhorias na cama. Segundo os pesquisadores, as experiências novas não precisam ser radicais, basta se engajar em tarefas da casa, aprender algo novo juntos ou visitar uma nova parte da cidade.


De acordo com o Terra, os pesquisadores realizaram três experimentos, que incluíam a satisfação, a vida sexual e as atividades que os participantes exerciam ao longo do dia.


Nos dias em que os casais fizeram coisas novas juntos, eles faziam mais sexo e sentiam-se mais satisfeitos na cama. Para os cientistas, isso acontece porque as novas experiências fortalece a intimidade.

Idosos são a única faixa etária que cresce em planos de saúde
Foto: Reprodução / Samaritano

O Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (Iess) afirmou, na última quarta-feira (17), que o número de idosos beneficiários de planos de saúde cresceu 2,5% em agosto deste ano, na comparação com o mesmo mês de 2017. Houve redução nas faixas etárias de 0 a 18 anos (0,6%) e de 19 a 58 (0,3%).


Segundo o Iess, as despesas assistenciais com pessoas de 59 anos ou mais deverão superar a soma das demais em 2030 e chegar a R$ 213,8 bilhões.


De acordo com a Folha de São Paulo, o envelhecimento da população e o desemprego durante a recessão foram os principais fatores que levaram ao desnível entre as faixas etárias.


Para o diretor-executivo da Fenasaúde, José Cechin, as possíveis soluções para a questão estão os modelos de capitalização e a maior oferta de produtos com a coparticipação e franquia.

Salvador recebe Congresso de Cardiologia pela primeira vez nesta sexta
Foto: Divulgação

Salvador vai receber pela primeira vez o congresso de cardiologia BrasilLAA. O evento, que acontecerá nos dias 19 e 20 de outubro, no Bahia Othon Palace, vai contar com a participação de profissionais e especialistas do ramo, na apresentação de casos relacionados à aréa.


O congresso vai abordar procedimentos feitos via cateterismo, sem necessidade de cirurgia e que procedimentos como a oclusão do forame oval patente serão destaques.

 

Durante o simpósio, casos serão transmitido em tempo real diretamente do Serviço de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista do Hospital Santa Izabel para o centro de convenções do hotel. Serão ainda realizadas conferências, mesas redondas, discussões e algumas intervenções.

Salvador tem ação gratuita sobre artrite reumatoide e doenças reumatológicas
Foto: Max Haack

O Dique do Tororó recebe, no próximo domingo (21), a Ação de Conscientização sobre Artrite Reumatoide e Doenças Reumatológicas. A programação gratuita, que acontece das 7h às 13h, tem o objetivo de informar e conscientizar a população sobre a doença, seus sintomas, diagnóstico e tratamentos.

 

"Queríamos chamar a atenção da população para a artrite reumatoide e outras doenças reumatológicas, como o lúpus, pela gravidade e pelo desconhecimento sobre elas. Além disso, em outubro são comemoradas quatro datas importantes para a área: o Dia Mundial de Conscientização da Artrite Reumatoide (12), o Dia Mundial e Nacional da Osteoporose (20), o Dia Nacional e Mundial da Psoríase (29) e Dia Nacional de Luta contra o Reumatismo (30)", afirmou o médico Mittermayer Barreto Santiago.

 

Os interessados podem se inscrever no site do evento (clique aqui). A programação inclui uma caminhada no Dique do Tororó, sessão de alongamento e relaxamento, além de palestras e exames gratuitos.

Quinta, 18 de Outubro de 2018 - 13:10

EUA investigam mais de 120 casos de doença paralisante similar à pólio

por Danielle Brant | Folhapress

EUA investigam mais de 120 casos de doença paralisante similar à pólio
Foto: Fiocruz

Uma condição rara conhecida como mielite flácida aguda (AFM, na sigla em inglês) teria sido registrada em mais de 120 casos documentados em 22 estados americanos neste ano, de acordo com informações de autoridades de saúde divulgadas nesta terça (16).

A causa ainda não foi determinada, mas o  CDC (centro para controle e prevenção de doenças, na sigla em inglês) ressalta que é importante estar com as vacinas em dias, sempre lavar as mãos e se proteger de picadas de mosquitos.

A doença afeta principalmente crianças e pode causar paralisia em braços e pernas. A maior parte dos casos foi documentada em agosto e setembro, mas o número de ocorrências tem crescido desde 2014, segundo o CDC.

Ao todo, foram documentados 127 casos que poderiam ser de mielite flácida aguda. Desse total, 62 foram confirmados em 22 estados, afirmou Nancy Messonnier, diretora do centro nacional de vacinação e doenças respiratórias do CDC.

Mais de 90% dos casos confirmados foram documentados em menores de 18 anos, e a média de idade dos afetados pela condição é de 4 anos.

Uma criança com a doença morreu em 2017, ano em que foram confirmados 33 casos de mielite flácida aguda. Em 2016, foram 149, comparados com 22 no ano anterior. Entre agosto e dezembro de 2014, 120 pessoas foram documentadas com a condição em 34 estados americanos.

"Nós entendemos que as pessoas, particularmente os pais, estejam preocupadas com a AFM", disse Messonnier. "Há muita coisa que não sabemos sobre a AFM, e eu estou frustrada com que, apesar de todos os nossos esforços, nós não conseguimos identificar a causa dessa doença misteriosa."

Não há tratamento, e os efeitos de longo prazo são desconhecidos. O problema afeta o sistema nervoso, especificamente a área da medula espinhal conhecida como substância cinzenta.

Como resultado, os músculos e reflexos se tornam mais fracos. Messonnier disse que os pais devem buscar ajuda médica imediatamente se a criança desenvolver subitamente fraqueza ou perda de tônus muscular nos braços e pernas.

Estimativas do CDC indicam que menos de um em milhão de pessoas nos EUA contrairiam mielite flácida aguda a cada ano. Entre as causas estão vírus, toxinas ambientais e distúrbios genéticos. 

O CDC indica que os sintomas foram muito parecidos com complicações provocadas por vírus como poliovírus, enterovírus não pólio, adenovírus e vírus do Nilo Ocidental.

O Centro afirmou ainda que o aumento nos casos em 2014 coincidiu com um surto nacional de doenças respiratórias graves provocadas pelo enterovírus D68.

Entre as pessoas confirmadas com mielite flácida aguda, o CDC não conseguiu detectar o enterovírus D68 em cada paciente.

Viver Bem: Prevenção é um dos pilares para o tratamento dos casos de câncer de mama
Foto: Pixabay

Dados disponibilizados pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca), órgão subordinado ao Ministério da Saúde (MS), indicam que o câncer é a terceira maior causa de mortes no país, sendo 11,84% do total dos óbitos, e a segunda doença que mais mata, sendo 27,63% do total, perdendo apenas para as doenças cardiovasculares.

 

No caso do câncer de mama, o especialista em mastologia do Grupo Hapvida, Edison Pedrinha, explica que em sua fase inicial, a doença normalmente é assintomática, mas, alguns de seus sinais notáveis são nódulos palpáveis na mama, retração de mamilos ou alterações da pele das mamas.

 

“O diagnóstico do câncer de mama é feito por biópsia, mas a identificação das lesões é feita por exame físico e de imagem. Destes, podemos citar a mamografia, que é o principal meio de rastreamento de lesões iniciais e a ultrassonografia mamária”, explica.

 

O médico ressalta ainda que, embora a doença acometa principalmente as mulheres, 1% dos casos ocorre em homens. “Não existe prevenção primária ao câncer de mama, mas algumas medidas podem reduzir o risco da enfermidade, como evitar obesidade, reduzir o consumo de bebidas alcoólicas, consumo de alimentos ricos em gorduras e uso de hormônios sem recomendação médica”, alerta o especialista.

 

Embora não tenha uma causa única, esse tipo de câncer pode ser adquirido por diversos indicadores, como idade, história reprodutiva, fatores genéticos e hereditários. Mulheres com idade a partir dos 50 anos são mais propensas a desenvolver a doença.

 

TRATAMENTO

O Ministério da Saúde estima que por meio da boa alimentação, nutrição e atividade física é possível reduzir em até 28% o risco de a mulher desenvolver câncer de mama. Os usuários do Hapvida dispõem de toda a estrutura necessária para o cuidado multidisciplina. Os profissionais do plano ressaltam a importância da identificação precoce de lesões suspeitas, além de realizar um tratamento completo e humanizado.

OMS decide que surto de ebola no Congo não configura emergência internacional
Foto: Divulgação / CDC

A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou nesta quinta-feira (18) que o surto de ebola registrado na República Democrática do Congo não configura emergência em saúde pública de interesse internacional.

 

“Foi a visão do comitê que uma emergência em saúde pública de interesse internacional não deve ser declarada neste momento. Mas o comitê permanece profundamente preocupado com o surto e enfatizou que ações de resposta precisam ser intensificadas e que a vigilância contínua é essencial. O comitê também pontuou a situação bastante complexa de segurança [na região do surto]”, afirmou a entidade, em nota.

 

Segundo a Agência Brasil, a OMS informou que nove países vizinhos à República Democrática do Congo foram notificados de que estão em alto risco de disseminação do ebola e receberam reforço de equipamentos e de equipes de saúde e vigilância. Entre eles, a entidade destacou a necessidade de maior atenção em Uganda, em Ruanda, no Burundi e no Sudão do Sul.

Quinta, 18 de Outubro de 2018 - 09:10

Brasil confirma 2.192 casos e 12 mortes por sarampo

Brasil confirma 2.192 casos e 12 mortes por sarampo
Foto: Agência Brasil

O Brasil confirmou, até 15 de outubro, 2.192 casos de sarampo. De acordo com boletim divulgado nesta quarta-feira (17) pelo Ministério da Saúde, no Amazonas, são 1.776 casos e outros 7.801 em investigação. Já em Roraima, há registro de 330 casos e 93 em investigação.

 

Há ainda casos isolados e, segundo a pasta, relacionados à importação nos estados de São Paulo (3), Rio de Janeiro (18), Rio Grande do Sul (37); Rondônia (2), Pernambuco (4), Pará (17), Distrito Federal (01) e Sergipe (4).

 

Até o momento, o país confirmou 12 mortes por sarampo, sendo quatro no estado de Roraima (três em estrangeiros e um em brasileiro), seis no Amazonas (todos brasileiros) e dois no Pará (indígenas venezuelanos).

Quinta, 18 de Outubro de 2018 - 07:10

No Brasil, saúde, pobreza e educação engajam mais que corrupção em protestos, diz pesquisa

por Danielle Brant | Folhapress

No Brasil, saúde, pobreza e educação engajam mais que corrupção em protestos, diz pesquisa
Foto: Agência Brasil

Um dos principais temas nas eleições presidenciais deste ano, a corrupção aparece apenas em quarto lugar entre os motivos que mais mobilizam os brasileiros a participarem de um protesto, de acordo com pesquisa do centro de estudos Pew Research Center divulgada nesta quarta-feira (17).

No país, a mediana -centro de estimativas- de entrevistados que elencam a corrupção no governo como razão para se manifestarem é de 59%.

O número está acima da mediana de 54% observada nos 14 países em que o levantamento foi realizado -foram ouvidas 14.875 pessoas entre 20 de maio e 12 de agosto.

A África do Sul é onde a corrupção mais mobiliza a população, com mediana de 67%. Mas, em nenhum dos países em que a pesquisa foi feita o tema apareceu em primeiro entre os que mais engajaram os entrevistados.

Os principais motivos que levariam as pessoas a participarem de um protesto são o sistema de saúde precário e pobreza, ambos com mediana de 68%.

Em 13 dos 14 países, a saúde de má qualidade aparece em primeiro ou segundo lugar entre os motivos indicados para participar de um protesto.

Nesse sentido, o Brasil se alinha com a maioria dos países: a saúde é a razão apontada por 69% dos entrevistados, enquanto a pobreza teve mediana de 67%. No mundo, os quenianos são os mais mobilizados por saúde (81%).

Com mediana de 66%, a educação de má qualidade também aparece à frente de corrupção entre os motivos indicados por brasileiros para protestar -é o mesmo percentual da mediana dos 14 países.

A Hungria é um caso peculiar na pesquisa do Pew. O país tem as menores medianas em todos os quesitos levantados. Com mediana de 35%, por exemplo, a saúde seria o tema que mais mobilizaria os húngaros. A discriminação aparece em último, com 14%.

Segundo o estudo, alguns tipos de engajamento são mais populares entre jovens, pessoas com nível de educação maior e inclinadas à esquerda e que usam mídias sociais.

Os mais jovens, por exemplo, são mais motivados por liberdade de expressão que os eleitores mais velhos. No Brasil, 73% dos adultos com menos de 30 anos dizem que poderiam se tornar politicamente envolvidos por causa do tema, comparado com 39% dos que têm 50 anos ou mais.

O estudo do Pew identificou ainda uma ligação forte entre educação e participação política. Os resultados indicam que em 13 países, quem tem mais educação está mais inclinado a compartilhar suas visões online.

Em sete países, essas pessoas estão mais propensas a doar dinheiro a uma organização social ou política -no Brasil, três em quatro entrevistados não fariam isso.

Em oito países, as pessoas têm mais inclinação a participar de um protesto político.

No caso brasileiro, os que dizem que estiveram em uma manifestação no último ano somaram 10%, contra 4% na mesma pesquisa de 2014, um ano após os protestos de junho de 2013 contra as tarifas do transporte público e por melhoria nos serviços prestados pelo governo.

Também no Brasil, a mediana de pessoas que compartilharam seus pensamentos em mídias sociais ou outras formas de comunicação on-line no último ano passou de 6% em 2014 para 19% em 2018.

Quarta, 17 de Outubro de 2018 - 21:10

Mulher fica paraplégica após cair da cama durante sexo

Mulher fica paraplégica após cair da cama durante sexo
Foto: Reprodução / Extra

Uma mulher ficou paraplégica após cair da cama enquanto fazia sexo. Claire Busby, de Maidenhead, na Inglaterra, conta que, ao tentar variar uma posição sexual, sua cama, do tipo baú, abriu-se, fazendo com que ela fosse "catapultada" ao chão, batendo a cabeça.


Segundo o Extra, a empresária explicou que estava fazendo sexo ajoelhada na parte inferior da cama quando, ao girar o corpo para mudar de posição, ocorreu o acidente.


Claire processou a fabricante da cama e pediu uma indenização no valor de R$ 5 milhões. De acordo com o processo, as duas partes da base que apoiavam o colchão não estavam corretamente fixadas e dois pés apresentavam defeito.


O fabricante do móvel se defendeu dizendo que a cama foi montada da forma correta, sem nenhum sinal de defeito. Para a empresa, não há qualquer possibilidade física de o incidente ter ocorrido como Claire relata.

Rede municipal de sáude atende quase mil pessoas com anemia falciforme
Foto: Divulgação

A rede municipal de saúde atende cerca de mil pessoas com anemia falciforme. Em Salvador, os pacientes cadastrados nos ambulatórios recebem o acompanhamento de uma equipe multidisciplinar composta por hematologista, psicólogo, nutricionista e enfermeiro para tratar a doença.


Para garantir a assistência, a prefeitura municipal de Salvador construiu dois ambulatórios equipados, os multicentros do Vale das Pedrinhas e da Carlos Gomes, que contam com equipes especializadas de acompanhamento.


Segundo a enfermeira responsável pelo setor, Marivone Monteiro, além de contar com o atendimento especializado dessas unidades, os pacientes são acompanhados por outros profissionais de saúde em qualquer unidade e recebem gratuitamente medicamentos que auxiliam no controle da doença.

Câmara derruba veto de Temer e libera piso de R$ 1.250 para agentes de saúde em 2019
Foto: Reprodução /

A Câmara dos Deputados derrubou, nesta quarta-feira (17), um veto do presidente Michel Temer (MDB) a um projeto de lei que reajustava para R$ 1.550,00 o piso salarial de agentes comunitários de saúde para os próximos anos. 

 

Aprovados, os reajustes começam a partir de 2019 com um aumento do piso para R$ 1.250,00 a partir de janeiro e seguem, em previsão, até janeiro de 2021, quando o piso deve atingir R$ 1.550,00. A votação desta quarta-feira foi realizada por meio de cédula e, no plenário da Câmara, não houve oposição à derrubada do veto.

Quarta, 17 de Outubro de 2018 - 18:10

Robô vai disseminar informações sobre prevenção de doenças no Brasil e na África

por Filipe Oliveira | Folhapress

Robô vai disseminar informações sobre prevenção de doenças no Brasil e na África
Foto: Reprodução / Terra

O Dr. Wilson vai aproveitar os celulares que estão nas mãos de milhões de pessoas em áreas vulneráveis do Brasil e da África para fazer informações sobre prevenção, cuidado com a água e saúde se espalharem por onde poucos médicos chegam.

Ele é um robô desenvolvido a partir da união do empresário do setor de telecomunicações Mario Mendes e as empresas InBot, de inteligência artificial, e a Somai, de robótica.

A conversa com o Dr. Wilson pode ser tanto virtual, a partir de um chat que permite escrever e gravar áudios (disponível em www.drwilson.in.bot), ou em sua versão humanoide, com 55 centímetros que escuta, fala e até dança.

Seu conhecimento vai incluir conceitos e recomendações de cuidados para prevenir e reconhecer 80 doenças comuns em regiões negligenciadas, entre elas dengue, malária, cólera e Aids. Ele é capaz de responder 30 mil diferentes perguntas e sua base de informações vai ser ampliada conforme se entenda quais as principais necessidades das regiões, explica Mendes.

O empresário conta que o lançamento da plataforma acontece no próximo dia 18, quando 1 milhão de pessoas em Angola, Moçambique, Cabo Verde e Guiné-Bissau vão receber mensagens de texto no celular com convites para conhecer o médico-robô.

Na mesma semana, 200 mil pessoas no Brasil, em áreas ribeirinhas do Amazonas, receberão convites semelhantes. 

Segundo Mendes, que já viaja regularmente à África há 20 anos, desde quando começou a trabalhar com a instalação de prontuário eletrônico em hospital angolano, os jovens africanos são muito ativos no uso do celular, o que faz dessa uma boa ferramenta de disseminação de informações.

"Há uma população jovem que se engaja muito com tecnologia. Para a maioria, o celular é a única fonte de conversa com familiares, de realização de pagamentos", diz.

Para fazer o serviço ser usado com frequência, Mendes vem fechando acordos com empresas de telefonia para garantir que a navegação no Dr. Wilson seja gratuita para os usuários -sem consumir dados de internet. Ele espera ter 100% dos clientes das operadoras de Angola e 50% de Moçambique podendo acessar a plataforma sem custo nesta semana.

Já os robôs, fornecidos pela Somai, servem principalmente para gerar interesse em escolas ou campos de refugiados que receberão sua visita.

"É uma ferramenta de engajamento. Um brinquedo que faz com que a pessoa busque entender o motivo da plataforma e se interesse", diz.

Mendes afirma que, em muitas regiões em que o Dr. Wilson deve chegar, as necessidades de informação são das mais básicas.

"se você para um jovem aqui em São Paulo e pergunta como ele se previne para evitar uma doença sexualmente transmissível, ele vai ter o discurso na ponta da língua. Um jovem africano de fora das capitais não vai saber o que te responder. Informação é o básico, não existe prevenção sem informação."

Foram investidos R$ 2,5 milhões no projeto, que foi concebido no InovaBra, prédio ligado ao Bradesco para abrigar startups, departamentos de inovação de empresas e eventos e no qual as companhias concentram parte das suas equipes.

Mendes explica que não há expectativa de retorno financeiro com a iniciativa.

Eles aceitam apoio de parceiros, mas não vão incluir publicidade de terceiros em sua plataforma. Segundo Mendes, associar o Dr. Wilson a marcas pode dificultar sua entrada em alguns países, em especial por diferenças políticas, culturais ou religiosas entre a marca exposta e o país no qual se quer disseminar o serviço.

"A gente ser apolítico, sem participação de marcas, financiado por pessoas físicas, é o que faz mais sentido para podermos chegar a mais pessoas", diz.

Outubro Rosa: Mutirão de mamografias acontece no bairro de Periperi
Foto: Divulgação

Em prol da campanha Outubro Rosa, o Instituto Nacional de Amparo à Pesquisa, Tecnologia e Inovação na Gestão Pública (INTS) oferece, nos dias 21 e 22 de outubro, exames gratuitos de mamografia digital no bairro de Periperi. A ação acontece das 7h às 17h, na Praça da Revolução.

 

As interessadas devem ter a partir de 35 anos de idade e portar RG, CPF, cartão do Sistema Único de Saúde (SUS) e comprovante de residência. A ação tem o objetivo de incentivar a detecção precoce do câncer de mama e conscientizar as mulheres sobre a importância da prevenção.

Quarta, 17 de Outubro de 2018 - 15:10

Canadá legaliza uso recreativo de maconha

Canadá legaliza uso recreativo de maconha
Foto: iStock

O Canadá legalizou nesta quarta-feira (17) o uso recreativo de maconha. De acordo com a lei, os canadenses poderão comprar e cultivar a erva.

 

A discussão se estende no país há dois anos e integrou a plataforma de campanha eleitoral do primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, em 2015. Desde 2001, o uso da maconha era autorizado para fins medicinais. O Senado do Canadá aprovou a legalização do uso recreativo da maconha em junho.

 

Pelas normas, segundo a Agência Brasil, os canadenses precisam ter 18 anos para comprar maconha. Porém, há  províncias que elevaram a exigência da idade para 21 anos, a exemplo de Quebec. Não é autorizado fumar em locais públicos.

 

É permitido o porte de até 30 gramas por pessoa e o cultivo de quatro plantas em casa. Em algumas províncias, há limites para o lucro, como Newfoundland, que fixou em 8% o total.

 

O Canadá se tornou o segundo país do mundo a legalizar o uso da maconha para fins recreativos, depois do Uruguai, que adotou a medida em 2013.

Quarta, 17 de Outubro de 2018 - 13:10

Reino Unido cria primeiro cargo de ministra para o suicídio no mundo

por Américo Martins | Folhapress

Reino Unido cria primeiro cargo de ministra para o suicídio no mundo
Foto: Shutterstock

O governo britânico acaba de criar o cargo de ministra para Prevenção do Suicídio, o primeiro do gênero no mundo.

Trata-se de uma iniciativa importante para tentar diminuir o estigma associado aos problemas de saúde mental no país.

A ministra nomeada, Jackie Doyle-Price, disse que vai investir mais em políticas que ajudem as pessoas a procurar socorro para lidar com problemas como ansiedade e depressão profundas.

Segundo o governo, o estigma infelizmente ainda associado a problemas mentais faz com que muitas pessoas deixem de procurar ajuda externa, o que poderia evitar muitos casos de suicídio.

A própria primeira-ministra, Theresa May, fez o anúncio do novo cargo, no início da primeira Cúpula Ministerial de Saúde Mental, realizada em Londres na semana passada, com a presença de ministros da Saúde de 50 países.

No entanto, nenhuma grande estrutura foi montada para a nova ministra.

O posto equivale a uma secretaria ministerial no Brasil e faz parte do Ministério da Saúde britânico.

O governo anunciou ainda um orçamento extra de apenas £ 1.8 milhão de libras esterlinas (cerca de R$ 9 milhões) por ano para Doyle-Price.

O dinheiro será usado basicamente para ajudar a manter as linhas telefônicas de prevenção ao suicídio dos Samaritanos abertas.

Este admirável serviço salva muitas vidas todos os anos em várias partes do mundo e precisa de todo o apoio possível. No caso britânico, será parcialmente financiado pelo governo.

Um dos focos de atenção da nova ministra para Prevenção do Suicídio vai ser a saúde mental dos jovens.

A imprensa britânica revelou recentemente que houve um alarmante aumento de 67% nos casos de suicídios entre os adolescentes no país entre 2010 e 2017.

Segundo especialistas, o grave problema pode estar associado ao excessivo uso de redes sociais e ao aumento de casos de ansiedade e depressão entre os adolescentes.

Para tentar combater essa tendência, o governo prometeu investir mais em programas nas escolas relacionados à saúde mental dos jovens.

A ideia é criar linhas de ajuda e apoio aos estudantes que sofram com ansiedade ou depressão.

Além disso, devem ser criados novos serviços que possam ajudar a identificar mais cedo problemas de saúde mental entre eles.

Cerca de 4.500 britânicos cometem suicídio todos os anos. Em sua grande maioria, homens com até 45 anos.

Quarta, 17 de Outubro de 2018 - 11:10

SUS incorpora novo medicamento contra hepatite C

SUS incorpora novo medicamento contra hepatite C
Foto: Agência Brasil

O Ministério da Saúde incorporou o medicamento Sofosbuvir, em associação ao Velpatasvir, para o tratamento da hepatite Crônica no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). De acordo com portaria publicada nesta terça-feira (16), no Diário Oficial da União, o prazo máximo para efetivar a oferta na rede pública é de 180 dias.

 

O relatório de recomendação da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (Conitec) sobre o medicamento está disponível no site. Segundo a Agência Brasil, a Conitec informou, por meio de nota, que a associação entre o Sofosbuvir (400 mg) e o Velpatasvir (100 mg) será utilizada de acordo com o protocolo clínico para o tratamento da doença e apresenta uma posologia bastante favorável e cômoda ao paciente (um comprimido ao dia).

 

“Além disso, a medicação trata todos os genótipos do vírus da hepatite C e, dependendo da condição clínica dos pacientes, o tratamento pode durar 12 semanas com alta eficácia e segurança”, destacou a comissão.

 

Dados do Ministério da Saúde mostram que cerca de 80% das pessoas que contraem o vírus da hepatite C vão desenvolver a forma crônica da doença. A infecção é, geralmente, acompanhada por sintomas inespecíficos – as primeiras manifestações clínicas características aparecem já nas fases mais adiantadas da doença.

Quarta, 17 de Outubro de 2018 - 10:00

Sinta-se leve: Drene tudo aquilo que atrapalha a conquista dos seus objetivos!

por Lidiane Angelim

Sinta-se leve: Drene tudo aquilo que atrapalha a conquista dos seus objetivos!
Foto: Divulgação

Drenar, escoar, esgotar... palavras sinônimas que remetem a eliminar aquilo que não nos acrescenta. Parece fácil na teoria, mas na prática ainda tem muita gente atrasada nesse assunto. Drene tudo que não te faz bem. Pensamentos ruins? Drene. Sentimentos de raiva, rancor, ódio, inveja, angústia, baixa estima? Drene também. Busque o equilíbrio emocional, perdoe mais, viva bem e tenha foco na sua vida e nas suas metas. Acredite, sentimentos ruins trazem inúmeros malefícios ao seu organismo. Cuide da mente, tenha bons pensamentos, não absorva nem alimente coisas que não agregam.


Rotina, problemas, alterações, mudanças, vários são os fatores que podem cooperar para a falta de equilíbrio do corpo e da mente. E você pode e deve procurar auxílio profissional para manter-se “dentro da linha”. A física quântica aborda bastante esse tema. O coach também te auxilia nesse desenvolvimento pessoal e profissional. Esse “help” é imprescindível para que você tenha sucesso em qualquer tratamento que se dispor a fazer. Nas duas unidades da Nutriderm, Itaigara e Ondina, cuidamos do corpo e da mente. Cuidados isolados não trazem resultados. Acredite, sua mente é poderosa, quando você filtrar somente os seus pensamentos positivos sua vida começará a mudar.

Histórico de Conteúdo