Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Agência americana de saúde aprova 1º preservativo exclusivo para sexo anal
Foto: Reprodução / O Globo

O primeiro preservativo exclusivamente anal teve sua autorização para comercialização concedida nesta quarta-feira (23),  pela agência reguladora de saúde dos EUA, a FDA, que equivale a Anvisa no Brasil. Fabricado pela Global Protection Corp, o 'ONE Male Condom', apresentou uma taxa de falha inferior a 1% para o sexo anal.

 

Conforme divulgou o Portal G1, a camisinha masculina não possui diferenças significantes em relação a outros modelos. No entanto, seu uso exclusivamente anal é considerado por especialistas o primeiro passo para uma maior atenção para produtos destinados a área podendo, desta forma, estimular o uso de preservativos em relações sexuais anais.

 

“O risco de transmissão de DSTs [doenças sexualmente transmísveis] durante a relação anal é significativamente maior do que durante a relação vaginal. A autorização da FDA para um preservativo indicado especificamente para isso, avaliado e rotulado para o sexo anal pode aumentar a probabilidade de uso de preservativos durante o sexo anal”, disse Courtney Lias, diretora do Gabinete GastroRenal da FDA.

 

Ainda de acordo com a empresa que desenvolveu o produto, a segurança e eficácia do preservativo foi analisada em um ensaio clínico que concluiu que a taxa total de falha, ou seja a quantidade de rasgos e "deslizes", foi de 0,68% para relações anais e 1,89% para relações vaginais.

 

O Portal G1, também divulgou que um outro estudo realizado pelo Instituto Nacional de Saúde americano, com mais de 10.000 homens que fazem sexo com outros homens indicou que a maioria deles estaria mais interessa a usar um preservativo do tipo caso o produto fosse aprovado pela FDA. 

 

Para a análise, o estudo levou em consideração relações tanto entre homens que fazem sexo com homens quanto homens que fazem sexo com mulheres. Todos os participantes tinham entre 18 e 54 anos.

Histórico de Conteúdo