Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Entenda como uma lesão na medula espinhal pode causar paralisia
Acidentes com veículos motores, lesões esportivas, acidentes industriais, ferimentos por bala, agressões físicas ou um tombo na escada podem resultar em uma lesão na medula espinhal. A depender da lesão, ela pode causar a perda dos movimentos, principalmente se acometer a parte inferior das costas, como aconteceu com a personagem Leila, interpretada pela atriz Fernanda Machado, na novela Amor à Vida. Segundo o neurocirurgião Mauricio Mandel (CRM 116095), membro da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia (SBN), a queda sofrida pela personagem pode desencadear uma lesão na medula espinhal, que causa danos nas células dentro da medula. “Uma lesão grave na medula espinhal, como foi o caso da personagem na novela, normalmente causa perda de sensibilidade, paralisia e perda do controle voluntário sobre os músculos do corpo”, explica. Os danos não param por aí. A lesão também pode desencadear uma perda da função de reflexo ou comprometer outras funções corporais como respiração, controle intestinal e controle da bexiga, segundo o neurocirurgião. A medula espinhal é composta de axônios, espécie de cabos que transportam mensagens entre seu cérebro e o corpo. Por esse motivo, uma lesão nessa área pode acarretar problemas graves ao paciente. Os sintomas variam conforme o trauma. “Se a lesão for cervical, os sintomas podem atingir braços e pernas. As lesões torácicas podem provocam alterações apenas nas pernas e muitas vezes levam a alterações esfincterianas (bexiga)”, afirma. Além disso, independente da lesão, o paciente pode sentir dormência, fraqueza e paralisia, aumento do tônus muscular, alterações sensoriais e perda do controle normal do intestino e da bexiga. Quando alguém sofre lesão na coluna vertebral, qualquer movimento após a queda pode comprometer ainda mais o estado do paciente. “A vítima não deve se movimentar ou levantar e também, nesse momento, é importante a cabeça e o pescoço da pessoa permanecer na posição na qual ela foi encontrada. Essas medidas simples de segurança podem evitar que a lesão se agrave”, alerta o médico.


Histórico de Conteúdo