Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Homens foram 82,6% das vítimas de suicídio na Bahia em 2020, aponta SEI
Foto: Reprodução / Freepik

Os homens foram 82,6% das vítimas de suicídio na Bahia em 2020, de acordo com dados publicados nesta terça-feira (14) pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), em parceria com a Secretaria da Segurança Pública (SSP-BA).

 

Ainda de acordo com o estudo, em 2020, foram registrados 680 casos de suicídios na Bahia. Esse número equivalia a 4,6 vítimas de suicídio a cada 100 mil baianos. Contudo, esse contingente era menor 2,4% do que os registros de 2019, quando o estado registrou o maior volume de suicídios dos últimos 10 anos.

 

Embora seja uma redução significativa, a tendência identificada é de que esse é um fenômeno em expansão no estado, que é o 23º entre todas as 27 unidades da federação. Os resultados iniciais sugerem que mesmo em vigência do atual quadro pandêmico, iniciado ainda no primeiro trimestre de 2020, não se observou um aumento dos casos na Bahia.

 

Na análise por faixa etária, adultos (entre 30 e 59 anos) são o grupo mais suscetível a cometer esse tipo de violência. Eles respondiam por pouco mais da metade dos casos (54,0%), seguido dos jovens (de 20 a 29 anos) com 18,8% e dos idosos (acima de 60 anos de idade), com 18,4% no total de vítimas.

 

No que se refere aos aspectos situacionais, o domicílio continua sendo o principal espaço para o cometimento desse tipo de violência: 59,7%. Isto significa dizer que, aproximadamente, seis em cada dez suicídios ocorreram dentro da casa da vítima.

 

Conforme já observado em outros anos, os enforcamentos ainda constituem o principal método que as vítimas utilizam para dar fim ao seu sofrimento psicológico. Na Bahia, eles representaram 71,3% dos casos em 2020, seguidos da intoxicação por substâncias tóxicas (10,7%), armas de fogo (7,5%) e outras causas, que concentravam 10,4% dos casos.

 

Confira aqui os dados completos do estudo.

Histórico de Conteúdo