Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Variante Delta compromete avanços conquistados contra Covid, diz OMS
Foto: Leopoldo Silva / Agência Senado

A Organização das Nações Unidas (ONU) alertou que com a disseminação da variante Delta, o mundo corre o risco de perder os avanços conquistados no combate à Covid-19. Mas as vacinas aprovadas pela entidade continuam eficazes. Segundo informações do Washington Post divulgadas pelo Estadão nesta sexta-feira (30), o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC) descreveu a variante como tão transmissível quanto a catapora e alertou que poderia causar doenças graves.

 

Em entrevista coletiva, o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, apontou que nas últimas quatro semanas as infecções por Covid-19 aumentaram 80% na maioria das regiões do mundo. Na África, onde somente 1,5% da população foi vacinada, as mortes aumentaram 80% no mesmo período.

 

"Ganhos duramente conquistados estão em perigo ou estão sendo perdidos, e os sistemas de saúde em muitos países estão sobrecarregados", disse Tedros.

 

A OMS também afirma que a variante Delta foi detectada em 132 países e se tornou a cepa global dominante. Maria van Kerkhove, epidemiologista que lidera a equipe técnica de Covid-19 na Organização, explica que a variante foi a mais facilmente disseminada até agora. Ela é cerca de 50% mais transmissível do que as cepas que surgiram na China, no final de 2019. "Alguns países relataram aumento nas taxas de hospitalização, mas taxas mais altas de mortalidade não foram registradas para a variante Delta", conta Kerkhove.

 

"Todas as vacinas atualmente aprovadas pela OMS fornecem proteção significativa contra doenças graves e hospitalização em relação a todas as variantes, incluindo a Delta. Estamos lutando contra o mesmo vírus, mas um vírus que se tornou mais rápido e mais bem adaptado para se transmitir entre nós, humanos, e essa é a mudança", detalhou o especialista em emergência da OMS, Mike Ryan.

 

Ryan também alertou que nas últimas 24 horas, Tóquio registrou mais de 3.000 infecções entre os cerca de 10.000 novos casos em todo o Japão. "As Olimpíadas fazem parte desse contexto geral, e a gestão de risco que ocorre em torno desse evento é extremamente abrangente" disse.

Histórico de Conteúdo